8 de maio de 2016

o que o pequeno viajante aprendeu nessas viagens todas - blogagem coletiva

Como vocês sabem, de tempos em tempos nós promovemos blogagens coletivas (quando vários blogs amigos escrevem sobre o mesmo tema). 

Em blogagens anteriores, já escrevemos sobre: 








Desta vez, resolvemos falar sobre o que nossos pequenos aprenderam viajando.


No final deste texto, vocês encontrarão a lista completa de posts dos amigos que participam desta blogagem coletiva! Nas redes sociais, procure pela #ViajandoeAprendendo

Para ser honesta com vocês, quando comecei a pensar no que escreveria, achei que não tinha nada de novo a acrescentar, pois já escrevi tanto sobre isso por aqui que pensei que já tivesse esgotado o assunto. Mas, quanto mais penso sobre isso, mais assunto surge!

Foram surgindo tantas e tantas lembranças e histórias que acabei tendo que selecionar apenas um pequeno apanhado delas para contar a vocês aqui - e, mesmo assim, o post acabou imenso, porque novas histórias como as que eu conto abaixo surgem toda semana!  

O que o Lipe aprendeu viajando?

1. Quando fomos a New York, comprei este mapa mundi da FAO Schwarz, que vem com animais do mundo todo para colar nos seus respectivos países (os bichinhos têm velcro e colam nos seus habitats). 

Comprei na Babies´r´us, e vi também na J&R Jr., na Toys'r'us e na própria FAO Schwarz (o mapa é da marca deles), mas acredito que seja perfeitamente possível comprar pela internet, embora bem mais caro por causa do frete (paguei em torno de U$ 85, com impostos)...

Veja aqui.

Quando chegamos de viagem, brinquei um pouco com ele e, do nada, o Felipe já estava apontando no mapa a África, o Brasil (para ele o 'Brasil' é o RS, onde moramos), a Austrália, os lugares onde faz frio, os animais de cada continente...foi incrível, fiquei muito impressionada, vejam só neste vídeo aqui!
  
  
Vocês acham que ele aprendeu toda essa geografia porque eu ensinei MOSTRANDO no mapa? 

Não acham bem mais fácil acreditar - assim como eu - que ele teve toda essa facilidade de aprender tudo isso porque ele já SENTIU o frio da Sibéria, lá no norte da Rússia (que ele mostra no mapa), ou porque ele já VIU ao vivo os cangurus e coalas da Austrália

Não preciso explicar no que EU acredito, né? 


2. Na nossa viagem ao Atacama e Norte da Argentina, estivemos visitando o Museo de Arqueología de Alta Montaña de Salta, onde vimos múmias incas. O Lipe estava com muito medo de ver as múmias, mas acabou querendo entrar na sala de exposição e ficou muito impressionado!

Nosso pequeno viajante levou um diário na viagem, que ganhou de presente da professora no encerramento das aulas, e a primeira anotação que ele fez no diário foi justamente sobre as múmias de Llullaillaco.


É muito mais fácil aprender história in loco, vocês não concordam?

Quando, no retorno desta viagem, fomos convidados a participar do programa Encontro com Fátima Bernardes na Rede Globo, me surpreendi como ele lembrava de coisas marcantes da viagem para contar ao apresentador: falou do Deserto do Atacama, do salar de Jujuy (um 'deserto de sal') e, claro, das múmias! 

É só clicar na foto abaixo para ver a performance do Lipe no GShow:

Programa Encontro com Fátima Bernardes
Programa Encontro com Fátima Bernardes


3. Já contei lá no nosso Facebook que estou a-do-ran-do os livros da escola do Lipe este ano!

Há alguns dias, no tema de história, ele tinha que contar uma coisa que fez aos 2 anos, e foi muito legal relembrar - e mostrar para ele vídeos e fotos - do vulcão Bromo na Indonésia que escalamos com ele nesta idade! 

Outro dia, a tarefa de geografia era pesquisar como vivem crianças de outros lugares do mundo e fazer um cartaz para apresentar pro resto da turma! Imprimimos as próprias fotos do Lipe na China para colar no cartaz! 

O que vocês acham mais interessante: estudar sobre vulcões nos livros escolares ou subir num deles e entender como funcionam espiando lá dentro da cratera? 

A 'bagagem' acumulada nas nossas viagens torna até essas tarefas escolares bem mais fáceis! 





4. Sempre fico impressionada como o Lipe se desenvolve fisicamente nas viagens. 

A estrada sempre impõe desafios diferentes daqueles que enfrentamos na nossa rotina do dia a dia - seja uma nova trilha na floresta, um mergulho no mar, um esforço físico diferente, uma tirolesa, uma remada num caiaque - e nada melhor do que um desafio novo para desenvolver novas habilidades, não é?

Leia também:



Podem ser coisas simples em lugares inesperados, mas tenho certeza que uma viagem de poucos dias pode trazer mais benefícios ao desenvolvimento de novas habilidades físicas, como a coordenação motora do seu filho, do que muitas aulas de educação física na escola!


5. Um tema recorrente por aqui é se as crianças lembram o que viram nas viagens. 

Todo mundo sabe que as crianças são como uma tela em branco, ou melhor, umas 'esponjinhas' - tudo o que a gente estimula, incentiva, oferece de conhecimento, elas vão sugando - até coisas que a gente nem imagina que elas vão lembrar/aprender...por isso é tão importante colocar sempre bastante saber/informação à disposição delas! E vocês conhecem alguma maneira melhor de fazer isso do que viajando?

Algumas histórias: 

Há uns anos atrás, o Lipe viu este livro da foto abaixo:

  
Olhamos juntos e, já na capa, a primeira surpresa - apontando para a fotinho no canto superior esquerdo, de Stonehenge (havíamos estado lá uns meses antes com o Lipe), ele me diz:

Mamãe, a gente foi aqui, são as pedras!


Umas páginas adiante, ele olha uma fotografia do deserto do Saara, e a vovó Miminha disse "olha que lugar bonito, Felipe!", ao que ele responde:

Mas esse é o deserto, Miminha!

Olhando a capa da Revista Veja abaixo, do nada, sem que ninguém mencionasse alguma coisa, o Felipe se sai com esta: 

O Lipe conhece esse aqui, com o papai e a mamãe!


E disse isso apontando para a Opera House de Sydney, cuja fotografia, bem pequena, está na capa, junto com outros monumentos famosos mundo afora.


Aproveitei e perguntei se ele se lembrava das Torres Petronas, de Kuala Lumpur, na Malásia, que estão na mesma foto, e ele

O Buzz Lightyear descia daqui...

Detalhe: quando visitamos as Petronas, para despertar o interesse dele, inventamos que era a "Torre do Buzz"!

Mais histórias como essas, de lembranças que o Lipe tem das nossas viagens quando ele era bem pequeno, aqui: mais da série 'crianças lembram do que acontece nas viagens'?

E para encerrar a sessão 'remember' de recordações infantis de viagens, dê uma espiada neste post, sobre a participação especial do Lipe no Programa Porta Afora, onde ele conta aos apresentadores Fábio Porchat e Rosana Hermann histórias de aventuras que viveu em viagens que fizemos quando ele tinha 2 ou 3 anos de idade!

Depois de tudo isso, ainda vai tentar me convencer que as crianças "não lembram" das viagens?? 

E, só complementando, mesmo que ele não lembrasse do que vivemos nas nossas viagens juntos, EU vou lembrar, e certamente serão as minhas melhores lembranças! 


6. Acho que o maior de todos os aprendizados que uma criança pode ter numa viagem é a percepção e a noção de que não estamos sozinhos no mundo; de que o mundo é muito maior que o nosso umbigo, a nossa casa, a nossa escola, a nossa cidade e o nosso país. 

Viajando pelo mundo, a criança entende que existem lugares em que as outras crianças falam outras línguas, comem comidas diferentes do nosso feijão com arroz, moram em casas diferentes, que existem paisagens diferentes das que estão acostumados, cheiros diferentes, pessoas diferentes - de olhos puxados, de outras cores, com cabelos diferentes, que usam roupas diferentes e têm costumes diferentes dos nossos. 

Essa percepção de que o mundo é muito maior que nós é o bem mais valioso que você pode dar ao seu filho.   

Quando experimenta um prato típico de um determinado lugar, ou uma fruta diferente, a criança descobre ingredientes novos e novas maneiras de prepará-los, que fazem parte da cultura local. Incentive seu pequeno viajante a visitar mercados e feiras em outros países, a provar as novidades, explicando a ele que, em alguns lugares, o café da manhã pode ser composto de salsichas e feijão vermelho com bacon, enquanto em outros pode ser sopa de massa miojo! As crianças costumam adorar essas 'extravagâncias'! 


comendo de palitinho na fronteira entre a Mongólia e a China

Também acho muito importante estimular nossos filhos a interagirem com outras crianças nas nossas viagens, a fazerem amizades.

Contei aqui neste post que o Lipe fez muitos amiguinhos na nossa viagem ao Atacama e Norte da Argentina, assim como ele faz sempre, desde bem pequenininho, em todas as nossas andanças por aí. Uma grande vantagem que ele tem (e terá na vida) é a facilidade em fazer amigos, em se entrosar, provavelmente por ser filho único (a necessidade de companhia para brincar obriga, né?!).

Ele não tem nenhuma inibição e, mesmo sem falar bem espanhol (ele compreende bem), tanto insiste e anda na volta que, mesmo as crianças que já estão num grupo de amigos, acabam aceitando ele no grupinho! 

Para um viajante, essa é uma grande vantagem! Como é aí na sua casa? Seu filhote também consegue fazer amigos nas pracinhas da vida? Será que isso é necessidade de filho único?

amigo de Datong, na China

fez amigos e contou ao diário

amigos feitos recentemente em Cachi, Argentina

Em uma viagem, seu filho terá a oportunidade de conhecer outras crianças, que brincam de outras brincadeiras, que têm outros costumes, e até de aprender novas palavras em outro idioma!


Olha aqui o Lipe se virando no espanhol para poder brincar com a amiga chilena Cecília! 

Leia também:

os amigos do pequeno viajante nos trens transmongolianos

minha infância na Mongólia

das namoradinhas que eu deixei espalhadas pelo mundo




Dicas para você ajudar seu pequeno viajante a aprender com as viagens

1. Ajude-o a fazer um diário de viagem.

Se ele for muito pequeno para escrever, pode ser por meio de desenhos! 

Lembra que comentei sobre o diário de viagem que o Lipe fez na nossa viagem ao Atacama e Norte da Argentina? É impressionante como eles 'gravam' muito mais aquilo que registram no papel - ou seria que eles registram justamente o que os marcou mais?

Leia também: como fazer um diário de viagem para as crianças




2. Faça uma 'malinha de tesouros' e scrapbooks com ele e para ele na volta!

Explico tudo sobre o nosso baú de recordações aqui: sobre scrapbooks e malinhas de tesouros, porque recordar é viver.

Em resumo, tento fazer scrapbooks e guardar dentro de uma malinha todos os cartões de embarque do Felipe, tickets de trem dele da Ferrovia Transmongoliana, as entradas para a Cidade Proibida, do Taj Mahal, de Stonehenge e outros souvenirs-tesouros do gênero...ele às vezes pede para olhar os scrapbooks e os tesouros da malinha e eu tenho que contar as histórias de cada pedacinho de papel que tem ali! 

Se ele aprende com isso? O que vocês acham?

Pretendo incentivar o Lipe a criar suas próprias "coleções de viajante" logo, logo. 

Para ter idéias de objetos que você pode incentivar seu pequeno a colecionar dá uma espiada aqui: você coleciona objetos trazidos de viagens? 




3. Empreste uma máquina de fotos ou filmadora para ele durante a viagem. 

Além do diário e das coleções de recordações, você pode incentivar o seu filhote a tirar fotos ou filmar as viagens da família. 

Claro que à primeira vista pode parecer uma temeridade entregar uma máquina valiosa nas mãos de uma criança - mas todo mundo tem uma máquina velha, ou um celular antigo em casa que tira fotos, não é? 

Deixe seu filho fotografar o que for do interesse dele, registrar as descobertas a partir do ponto de vista dele. No fim da viagem, ele vai adorar ver as fotos que fez e mostrar aos amigos. E você ainda vai guardar com todo carinho as recordações desses momentos especiais. Pode ter certeza que a redação clássica de volta às aulas -  "Minhas Férias" - vai ficar muito mais interessante!

O Lipe começou a registrar nossas viagens em fotos e vídeos na nossa viagem de motorhome pela Califórnia e nunca mais parou. Ele usa o próprio tablet para filmar e fotografar, mas também adora usar a filmadora do Peg. 

Mostramos um pouco mais das façanhas do nosso pequeno videomaker/fotógrafo neste postnasce um pequeno videomaker na Bahia - o primeiro videoclipe do mais novo cinegrafista da família



4. Torne as viagens interessantes para o seu pequeno.

Você pode fazer isso de maneiras infindáveis - a principal dica é: seja criativo

Se vocês estão fazendo uma trilha no mato, como fazer o pequeno caminhar 5Km sem reclamar o tempo todo? Vá chamando a atenção dele para tudo o que vocês vêem no caminho: um rio, animais, árvores, pegadas, o formato das nuvens e até as pedrinhas no chão!  

Se estão numa cidade antiga, recomendo muito uma estratégia da minha amiga Andrea, que explicou o 'método' neste post

Para passear com o Felipe pelo bairro histórico de Colônia do Sacramento, no Uruguai, seguimos a dica e não é que deu super certo??

O nosso pequeno viajante adorou desbravar a cidade toda atrás das moedas de ouro que os piratas esconderam lá...ou melhor, os índios...ah, sei lá, um pouco eu dizia que eram os piratas, daí a pouco ele já estava falando dos índios, kkkkkk...e lá ia ele, de mapa na mão, atrás dos baús cheios de moedas! Encontrou tantas moedas de pesos que eu ia escondendo (são douradas, parecem de ouro mesmo!), que no final do dia estava com os bolsos das calças cheios!!!

Encheu o porquinho e deu até para comprar um brinquedo no McDonald´s!


E, claro, nunca deixe de incluir na viagem programas apropriados aos interesses do seu pequeno companheiro de passeios! 

5. Envolva seu filho nos preparativos e leve entretenimento 'didático'.

Na verdade, o 'entretenimento didático' já deve começar a ser usado muito antes da viagem de fato começar - na fase de planejamento

Envolva o seu filho nos planos, conte a ele sobre os passeios que farão, mostre vídeos no YouTube (nosso canal tem mais de 100 vídeos que mostram o Felipe passeando pelo mundo, mostre ao seu pequeno!), fotos no Google imagens, faça cartazes com calendários de contagem regressiva, tente empolgá-lo para o que vocês irão conhecer! 

contagem regressiva para a viagem à Disney

Você também pode mostrar os lugares no mapa - dependendo da idade do seu filho, podem comparar trajetos e distâncias no Google Maps, pesquisar as diferenças de fuso horário, de estações do ano e até a previsão do tempo no destino! 

Os pequenos podem ajudar na pesquisa sobre as atrações de cada lugar e colaborar na organização do roteiro. Assim vão ficar ainda mais empolgados com as férias e curtir muito mais a expectativa da viagem.

Novamente, meu conselho aqui é que você seja criativo, e a nossa ajuda prática está nos seguintes links, onde você encontrará desenhos do pequeno viajante em pontos turísticos famosos do mundo para seu filho imprimir e colorir:









Na apostila da escola do Lipe têm vindo esses joguinhos de papel para recortar que vocês vêem na foto abaixo - eles são fáceis de encontrar também no Pinterest, assim como os joguinhos de memória. 

São didáticos, as crianças aprendem brincando e são perfeitos para levar em viagens, pois não ocupam nada de espaço, não pesam e quebram um baita galho em aeroportos, carros, trens, aviões, motorhomes ou filas em geral.


Uma outra sugestão legal é que você estimule o seu pequeno a ajudar na arrumação da mala - faça ele pensar que está arrumando a própria mochila, escolhendo as roupas e brinquedinhos que vai levar...o Lipe adora arrumar a Trunki dele, participar e se envolver nos preparativos da viagem (embora depois eu discretamente tire quase tudo o que ele colocou rsrsrs!).

Fazer listas, contar as camisetas de acordo com os dias de viagem e juntar os itens de higiene junto com o seu pequeno companheiro é uma ótima maneira de ensinar o seu filho a se organizar. 

Durante a viagem, também incentivamos o nosso pequeno viajante a carregar sua própria mochilinha - nem que seja só com os brinquedinhos dele...



Para refletir

La vida de un niño es como un trozo de papel 
sobre el cual todo el que pasa deja una marca. 
Provérbio chinês


Pode parecer contraintuitivo, mas ajudar a criança a desenvolver autoconfiança envolve ficar por perto e observá-la saindo de sua zona de conforto. Isso exige coragem de sua parte. Quanto mais confiante e corajosa a criança se tornar, mais coragem você precisará ter para apoiar o crescimento dela.
Anthony Gunn


Existen dos legados perdurables que se pueden dejar a nuestros hijos.
Uno de ellos es la tradición; el otro, las alas.
Hodding Carter


Un niño no aprende de lo que no hace
sino de lo que hace.


Quando você dança, seu propósito não é chegar a determinado lugar.
É aproveitar cada passo do caminho.
Wayne Dyer


A mente que se abre a uma nova ideia 
jamais volta ao seu tamanho original.
Albert Einstein


Que as crianças aprendem muito durante uma viagem - seja a 100 ou a 10.000 quilômetros de casa - já não é segredo para ninguém. Cedo ou tarde, no momento mais inesperado, teu filhote certamente vai te surpreender usando alguma informação que ele acumulou em uma viagem e que você nem imaginava. Aliás, não tenho dúvidas de que o Lipe absorve muito mais do que eu mesma - alguém duvida da enorme capacidade de aprendizagem das crianças, que faz com que elas absorvam tudo o que as rodeia como se fossem verdadeiras 'esponjinhas', de uma forma muito mais natural que os adultos? 

A aprendizagem durante uma viagem é tão espontânea que, na maioria das vezes, a gente nem percebe ela acontecendo - chegamos a pensar que eles não estão absorvendo nada - para pouco tempo depois sermos surpreendidos! 

O que às vezes é tão difícil de aprender numa sala de aula é frequentemente captado naturalmente durante uma viagem. O aprendizado, nas férias, é baseado em experiências prazerosas, e não em lições - que podem ser - chatas. É sempre surpreendente a diferença que mesmo uns poucos dias fora da rotina podem fazer. 

E o melhor de tudo: a gente desfruta desses momentos de aprendizado junto com os nossos filhos - se conseguirmos identificar e valorizar essas situações, podemos aproveitá-las melhor ainda, nos divertindo com eles!

Na praia, as crianças aprendem que não se pode deixar lixo na areia; viajando de carro, aprendem que não se deve jogar lixo pela janela e que é necessário respeitar os pedestres. A criança aprende o que vive - como no pensamento da foto acima. Se você disser "respeite a natureza", mas não deixá-la tomar banho em um rio ou fazer uma trilha no barro, como ela vai desenvolver amor pelo meio ambiente para querer protegê-lo? Dê o exemplo, sempre. 


para ensinar seu filho a respeitar a natureza, ensine ele a amá-la

Hoje em dia, a gente vê tanta criança de 4 ou 5 anos lendo e escrevendo...eu fico chocada com isso. Têm a letra linda, mas não sabem subir numa árvore. Conhecem todo o alfabeto, mas nunca tomaram um banho de mangueira, não conseguem pintar com o dedo ou recortar. Escrevem o nome inteiro, mas não conseguem pular num pé só. Batem nos amiguinhos porque não sabem argumentar, choram por qualquer motivo porque não aprenderam a questionar, não sabem dividir os brinquedos, não demonstram autoestima e muito menos solidariedade. Educação é muito mais do que "aquilo que se aprende na escola". Acredito que a gente não deve apressar os pequenos. Precisamos, sim, educá-los para o mundo. 

Veja bem - não estou dizendo que ensinar é fácil - ao contrário: penso que tentar educar uma criança é a coisa mais difícil que eu faço diariamente. O que eu estou dizendo, isso sim, é que é mais fácil aprender em uma viagem. Isso é inegável. 

O Lipe sempre quer saber quando entramos em um novo país, quando saímos de outro, sobre os "dinheiros" de cada lugar...se criarmos nossos filhos como se fossem feitos de cristal, eles não terão contato com as diferenças e não aprenderão a respeitar aquilo que não conhecem. Não há nada melhor do que uma viagem para ensinar tolerância e respeito às diferenças - em algumas viagens nos deparamos com costumes tão diametralmente opostas aos nossos que é como se tomássemos um choque cultural. Nosso modo de viver, afinal, é apenas um entre tantos outros! 

E olha: não é só nas viagens internacionais que eu vejo a evolução dele! Até num acampamento pertinho de casa num fim de semana o aprendizado acontece. O guri quer aprender a montar a barraca, a fazer o fogo, a colocar a carne no espeto...qualquer viagem é uma avalanche inesgotável de "porquês"! 

Eu sou, inegavelmente, uma 'Poliana-viajante' (quem leu o livro?) - procuro tirar coisas boas até de perrengues, e acredito piamente que viajar com os pais desde bem pequenas deixa as crianças com mais jogo de cintura, mais flexíveis, abertas, seguras, corajosas, atrevidas, tolerantes, criativas, pacientes, livres de preconceitos e conscientes do mundo à volta delas. Elas aprendem a lidar com imprevistos, com o medo, com filas, a desenvolver a autoconfiança, o instinto de sobrevivência e a viver com muito menos do que pensavam ser necessário. São habilidades que os pequenos ganham para a vida toda, e que certamente serão muito úteis no futuro. 

Viajar alarga horizontes - e não é exatamente isso o que queremos para os nossos filhos?



Talvez vocês não saibam mas, muito esporadicamente, contribuímos com textos nossos numa coluna lá no site De Mala e Mochila. E foi lá que publiquei o texto abaixo - Um Espólio de Anticorpos a Inventariar - que resume o 'legado' que queremos deixar para o nosso pequeno viajante com todas essas andanças mundo afora: 

A mamãe sempre diz que eu tenho o corpo fechado.

Quando eu tinha um aninho, ela me vacinou com a Índia, me batizou nos Rios Ganges e Mekong e, desde então, nem vacina pega em mim. Tiveram que me dar duas vezes uma tal agulhada, e nem assim a bendita vacina “pegou”. O papai diz que, uma vez vacinado para a Índia, eu estou preparado para o mundo. Todo o caos, barulho e poluição do sudeste asiático correm nas minhas veias. Não sei bem se foi o leite das vacas de Kathmandu na minha mamadeira, ou o tanto de “lassis” que eu tomei em Calcutá. Fato é que eu fiquei com o corpo fechado depois daquela viagem. 

Dizem que eu tenho a Ásia inteira no sangue; ela está dentro de mim. É a herança que a mamãe e o papai vão me deixar: o mundo, uma curiosidade insaciável, e um espólio de anticorpos a inventariar. 

Agora é a sua vez: o que o seu pequeno aprendeu viajando com a família? Queremos saber! Pode ir contando aí na nossa caixa de comentários!


Templo de Borobudur - Indonésia


Você está acompanhando aqui no blog a nossa série de vídeos Causos do FPV pelo mundo?

São pequenos vídeos com som original, pouca edição e poucos cortes, em que mostramos alguns "causos" que vivemos nas nossas viagens mundo afora com o Lipinho. 

Muito do que ele aprendeu viajando pelo mundo conosco está nesses vídeos :)

No Episódio #1 vocês acompanharam um trechinho da nossa viagem pela Ferrovia Transmongoliana, quando experimentamos o famoso peixe típico do Lago Baikal, o omul

No Episódio #2 visitamos Borobudur, e vocês viram que não é fácil distrair um pequeno viajante numa visita a um templo.


No  Episódio #3 fomos almoçar com os monges budistas num monastério de Mianmar


No Episódio #4 acampamos num ger no interior da Mongólia, onde passamos 2 dias incríveis com uma família mongoliana. 


No Episódio #5 fizemos free camping em pleno Monument Valley - pense acampar no Faroeste!


No Episódio #6 passeamos de carroça pelos maravilhosos templos de Bagan, em Mianmar, com um pequeno viajante de 2 aninhos recém completados a tiracolo.

No Episódio #7 subimos até o templo nepalês de Swayambhunath, na capital Kathmandu (que foi destruído pelo terremoto de abril de 2015), onde o Lipe conheceu as rodas e bandeirinhas de orações e teve contato direto com a essência do Nepal.

No Episódio #8 desbravamos o Wat Arun, um templo budista maravilhoso em Bangkok, na Tailândia, com um pequeno viajante incansável.

No Episódio #9descobrimos os dois maiores cartões postais de Beijing, a capital chinesa - uma cidade cheia de highlights: a Grande Muralha e a Cidade Proibida


estudando o mapa de Amsterdam


Para reservar um carro no Brasil, recomendamos a Rentalcars, que a gente usa (e gosta muito) há séculos!


Se você quiser reservar um hotel ou pousada no Brasil e ter a garantia do menor preço, nós indicamos o Booking, que é o site de reservas de hospedagem que nós usamos a vida inteira :)

Mais fotografias das nossas viagens no Instagram @claudiarodriguespegoraro, na hashtag #Felipeopequenoviajante.

Não esqueça de curtir a fan page no Facebook para acompanhar as nossas aventuras! 


Assista todos os nossos minifilmes neste link do Facebook, e os vídeos você assiste no YouTube ou no Vimeo - aproveite e já se inscreva lá nos nossos canais!


Nosso snapchat é @pequenoviajante

Você também nos encontra aqui:


67 comentários:

  1. Oi, Cláudia, amei também ;) ficou um textão, hein? Kkk a gente se empolga!!!
    Adorei as dicas de como aumentar o aprendizado das crianças em viagens e até me deu a ideia de fazer um novo ebook focado nelas - o primeiro foi com este tema para adultos.
    Topa participar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre exagero, Cris! kkkk
      Claro que eu topo!
      Bjos

      Excluir
    2. Acho que então falaremos ao vivo - estou convencendo o maridão a fazer um bate-e-volta a Jaguarão para conhecer vcs e fazer umas compritchas kkkk

      Excluir
  2. Eu adoro, quando o Dodô lembra de algum detalhe de alguma viagem passada, quando vê uma foto ou escuta algum assunto. E depois dizem que criança não lembra de nada!!!

    Um ótimo Dia das Mães!!!!
    Beijos,

    Fran @ViagensqueSonhamos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tb, Fran! Sempre que isso acontece faço posts, pra não esquecer! kkkk
      Bjão, feliz dia!

      Excluir
  3. Cláudia, lindo post! O que mais gostei foi da ideia de um Diário de Viagem e Scrapbook. Acho um excelente estímulo para crianças em fase de alfabetização!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tb adorei a experiência, Lili! Na próxima viagem, vou fazer de novo! Me emocionava com cada nova frase que ele escrevia lá kkkkk...
      Bjokas, feliz dia das mães!

      Excluir
  4. nossa mega completo o post, amei!!!!!!!!!!!! Realmente concordo que as crianças acabam memorizando mais o que elas vêem em loco, a Isah muitas vezes também vê filmes ou coisas na Tv e fala: a gente ja´foi aí né??? e na maioria das vezes ela sabe dizem onde é e lembra do que aconteceu por lá...

    ResponderExcluir
  5. Oi Cláudia,
    Adorei as dicas para empolgar os pequenos com as viagens! Lindo post!
    Beijos!
    Marcia

    ResponderExcluir
  6. Que lindo post, Claudia! Sabe que eu também reparo no desenvolvimento físico? Há inclusive noites em que parece que eles crescem vários centímetros. Eu sempre achei que era fantasia minha...
    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma coisa que pouca gente comentou, né Lu? E para mim é o desenvolvimento mais "visível"!
      Bjokas

      Excluir
  7. Lipe é lindo, muito "massudinho" desde bebê! Realmente, eu também acho que não há melhor aula de história do que viajar! Adorei as dicas para distrair os pequenos, já que sofro um pouco com meu filho de 4 anos, que é bem seletivo: se tá legal, ele ama, se tá chato, ele causa, aff! Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Guaciara! O Lipe é "robusto" hahahaha...
      Acho que todas as crianças são um pouco assim...se tá chato, viram uns monstrinhos, reclamando de tudo!
      Bjokas

      Excluir
  8. Adorei!!! As crianças aprendem muito mesmo!!! Meus meninos lembram dos detalhes também , e imagino claro Q como vc mesma citou, é devido a vivência in loco! Até hoje eles falam e agradecem como os tailandeses!!!! Lembram dos animaria Q vimos em todas as viagens , do frio do Chile ano passado ( imagino o Lipe na Sibéria) e o calor do Camboja!!! Bjs parabéns pelo post

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele fazia pose imitando a estátua do Ronald no McDonalds, Andreia! Na Khao San tinha uma estátua do Ronald fazendo namastê e ele parava ao lado e fazia igual kkkk...

      Excluir
  9. Amei Claudia! Muita dica legal, embora o meu bebe já tenha 17 anos , tenho muitas amigas com filhos pequenos e ficam com receio de levar os pequenos junto nas viagens. Também fazíamos a contagem regressiva para as viagens, eles adoram né!
    Feliz Dia das Mães!Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E tu viajava com os teus quando eram bem pequenos, há 17 anos? Impressionante como ainda hoje em dia as pessoas têm medo, não é?

      Excluir
  10. Incrível esse post! Claudia, adoramos as dicas, ótimas ideias que com certeza iremos utilizar nas viagens com a Valentina. É muito legal ver nossos pequenos crescendo e a interação com as viagens aumentando. Isso nos deixa sempre mais ansiosos para a próxima aventura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É legal ver a interação aumentar Leandro, mas aproveita enquanto a tua pequena é pequena - é a época mais fácil de viajar com filhos - enquanto são bebês!
      Abraços

      Excluir
  11. Cláudia, a gente não se conhece pessoalmente, mas acho que ia adorar um papo com você. Estou absolutamente encantada com seu post. Mutas das suas dicas já fazem parte do meu "arsenal" habitual, mas adoro a maneira como você escreve, como você descreve as experiências da sua família. Sem contar que meu conhecimento do mundo é ínfimo, comprado ao seu... E espero ainda aproveitar muito as suas dicas. Parabéns pela coragem em desbravar este mundão de forma tão intrépida, parabéns por fazer do Felipe este ser humano ímpar e obrigado por me inspirar e por ser uma das pessoas deste grupo maravilhoso a me mostrar que, afinal, eu não sou um E.T. que leva o filho a tiracolo para todo o canto. Feliz dia das mães e um beijo carinhoso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renata, eu adorei teu post, aprendi tanto! Adorei ficar sabendo do tal AM-PM haahahha...pena que não consegui comentar lá, assim como em vários outros, o WordPress tá de mal comigo, pede uma senha que eu não tenho! Tenho certeza que eu tb adoraria te conhecer pessoalmente! Uma hora vai ter que rolar um encontrão do grupo!
      Bjos

      Excluir
  12. Nossa, depois de ler esse post, não há como ter dúvidas de tudo o que as viagens podem trazer para a formação dos nossos filhos: intelectual e humana.
    Eu sou fanática por registrar memórias, e sempre dou uma versão da sua maletinha dos tesouros e um diário de viagem para as meninas quando vamos viajar. Eu AMO ler depois e imagino que seja importante para elas ter uma infância feliz registradas por elas mesmo.
    Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elas vão adorar ver esses registros daqui a 30 anos, não é Aline???

      Excluir
  13. Que legal Claudia!!! O Felipe é realmente um menino de sorte!!!
    Adorei os cartazes com os preparativos para viagem. :)
    Feliz dia das mães! Um grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses cartazes são ótimos, Maracy - cria uma empolgação que nem sei!
      Um grande beijo

      Excluir
  14. Que postagem TOP! Adorei o texto e principalmente a parte das Dicas para aprender com as viagens! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A maior parte das dicas a gente já usa instintivamente, né? Só quis colocar de uma maneira "didática" para iniciantes hehehe
      Abraço!

      Excluir
  15. Own , que show! Achei um barato o diário do Lipe. E o mapa interativo, com certeza incentiva um monte, né? Adorei o post. Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse mapa é maravilhoso, Su! Mas os teus já olham direto no Waze, né? hahaha
      Bjokas

      Excluir
  16. Super show o post, completíssimo. Abordou todas as possibilidades de aprendizado! Concordo com você que nem a gente consegue perceber tudo que eles aprendes. É um aprendizado espontâneo. Eles simplesmente aprendem! Beijo!!! (e o que é aquele mapa???? Sonho de consumo!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tentei lembrar de tudo, Fer, mas logo que terminava de escrever lembrava de outra coisa! Esse assunto é inesgotável, né?
      Bjos, bjos

      Excluir
  17. Nossa,amei o seu post. É muito bom saber que eles absorvem o que veem, e que viajar com pequenos não é desperdício. Adorei a dica do diário de viagem. Assim que o meu crescer vou estimulá-lo também. :)

    ResponderExcluir
  18. Clau, esse post devia virar um tratado, um livro, é perfeito, uma inspiração. Se não convencer quem ainda tem dúvidas, não sei o que pode! :-)

    Beijo,

    Claudia
    @AsPasseadeiras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkk obrigada, Clau! Se convencer alguém, já fiz a minha parte!
      Bjokas

      Excluir
  19. Uauuuu... belo post, amei! Que legado! E nem preciso dizer que babei na história do scrapbook... eu dei aulas de scrapbooking para crianças durante uns 2 anos antes da minha Julia nascer, e eles curtem tanto! Imagino que acervo o Lipe tem para criar scraps incríveis! Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma mala cheia já, Dani! ahahahah bem que eu queria ter o teu talento, os meus ficam um horror, não tenho muita paciência :(

      Excluir
  20. O post ficou lindo e enorme como você mesma comentou :). Vi que muitas coisas estão na minha lista também. Assino embaixo de tudo! Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tu conseguiu ver meu comentário no teu post, Cynara? Eu fiquei impressionada com o teu guri no carrinho aos 8! Até decidi guardar o carrinho do Lipe mais uns anos kkkk...
      E aquela paradinha para uma soneca, hein?! Que mimosura! Aqui tb rola de o Lipe pedir "um tempinho pra descansar" :)
      Bjos

      Excluir
  21. Gostei do post. Curti as dicas pras crianças aprenderem mais com as viagens.

    ResponderExcluir
  22. Além de todo esse conhecimento|aprendizagem que as crianças que viajam possuem, o que mais gosto é de deixar as memórias em família, momentos gostosos que os filhos jamais esquecerão! lindo post, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também, Ana Paula, afinal, foi por isso que inventamos o blog - é o scrapbook da família!
      Bjo

      Excluir
  23. Uau, super post!
    As fotos e lembranças de viagem ajudam muito em diversas tarefas escolares!
    E as dicas para viajar com pequenos, ótimas!
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vocês também fazem calendários de contagem regressiva, não fazem???

      Excluir
  24. Nossa Cláudia bem legais as dicas! Parabéns pelo texto e excelentes fotos! bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Foi dureza escolher as fotos para este post! Queria colocar muitas mais :)
      Bjos

      Excluir
  25. Eu acabei de falar no grupo do Facebook que sempre encontro o que comentar nos posts. Mas, caramba! O que dizer diante deste texto?? Esse é daqueles para viralizar e todo o mundo ler. Faça logo uma versão só em inglês! :) Sério, sensacional! Quando parecia que tava acabando, lá vinham outros maravilhosos insights, recheados de citações e dicas. Parabéns mesmo!!! Orgulho de fazer parte de um grupo de blogueiros com tantos talentos! Abraços, Carlos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Carlos! Acabou ficando muito comprido, eu não sei ser "resumida"! ahahah

      Excluir
  26. Claudia, sou muito fã de vocês.. o post completo e perfeito. Adorei tudo inclusive o diário de viagem, vou fazer com os meninos na próxima viagem. O Lipe é um fofo e será um fera em viagem antes dos 10 anos rs.
    Parabéns!!
    Bjs Line (Por aí com os Pires)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara, Aline! Tantas viagens precisam servir para alguma coisa! Faz o diário mesmo, a gente fica orgulhosa de cada coisa que eles escrevem, e eles vão amar ter essa recordação daqui a 30 anos (eu adoraria!)
      Bjos

      Excluir
  27. Adorei o post! Muitas dicas excelentes! Adorei ver o diário do Lipe!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  28. Puxa Claudia, que post bacana. Tenha certeza de que tudo isso vai ficar guardado num pedaço da memória e no coração do Felipe e ele terá sempre lembranças maravilhosas dessa vida de viajante!!!
    Um beijo pra vocês :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu espero que sim, Deb! Acho que não tem como não marcar, né? Obrigada pela visita!
      Bjokas

      Excluir
  29. Claudia, tentei responder direto na sua resposta, mas o site não deixou.... kkkk
    Em agosto vou dar uma conferência num congresso em Porto Alegre justamente sobre a Onda do Crescimento, o desenvolvimento psicomotor na primeira infância e estas siglas esquisitas :-)
    Porto Alegre é longe de vc? A gente podia tomar um café! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renata, já tens a data? Fica longe (umas 6hs de bus), mas vai que eu consigo me organizar para ir!? Eu adoraria!

      Excluir
  30. Claudia, comecei a ler os posts - o teu foi o segundo - e simplesmente não consigo sair do seu blog! Aliás, toda vez que entro, passo bastante tempo por aqui...depois desse post, já cliquei em outro link, e mais outro, e mais outro...cada foto, cada lugar, sempre escrevendo de uma forma leve e inspiradora.
    O teu post está completíssimo e eu não saberia o que mais acrescentar. Concordo inteiramente com você, durante as viagens, os pequenos aprendem de forma espontânea, natural. Podemos não ver na hora os resultados, mas de repente o guri demonstra algum conhecimento que adquiriu viajando. Nesse momento você tem certeza que todas as viagens que fizeram valeram a pena! Abraços e parabéns pelo lindo post!
    Patricia Tayão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh, fico tão feliz que tu nem imaginas, Pati!
      Tu sabe que dá um trabalhão ficar catando links, né? Mas se deu resultado contigo, já fico feliz hehehe...
      Obrigada! :)

      Excluir
  31. Adoro seu blog, Claudia! Uma inspiração pra quem assim como eu adora viajar. No primeiro ano de vida do meu filho fizemos 4 viagens, sendo 3 internacionais. Ele sorriu e “tagarelou” pela primeira vez numa viagem a Brisbane/Gold Coast (na Australia onde moramos), curtiu o Rio de Janeiro com a família quando tinha 5 meses, se esbaldou nas areias de Fiji quando tinha 10 meses (foi lá que ele decidiu que não comeria mais papinha pronta e passou a comer a nossa comida. Deu um baita trabalho no começo, mas foi um marco na alimentação dele), desbravou os lagos gelados da Nova Zelandia com 1 ano, nos deixando doidos com a mania dele de querer entrar de roupa e tudo nos lagos congelantes, principalmente se tinha pato envolvido (ele ama perseguir os patos). Agora no segundo ano de vida dele vamos fazer uma longa viagem pra Londres, Paris e Rio de Janeiro. Como agora ele já tem quase 2 anos, estou louca pra descobrir um mundo novo através dos olhos dele. Concordo com o que vc disse: crianças criadas livres se tornam pequenos exploradores, destemidos, sociáveis, se adaptam com facilidade a qualquer situação. Com meu filho não tem tempo ruim, ele dorme bem em qualquer lugar, come de tudo, e absolutamente ama correr/escalar/explorar livremente em contato com a natureza.

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, só falta contar tudo isso num blog! Ele vai adorar ler essas histórias quando crescer :) (e eu também!)

      Excluir
    2. Eu tenho um blog, mas não de viagem porque não sou viajante profissional como vcs. ;)
      No meu blog falo da nossa mudança pra Australia e a vida aqui, e já escrevi também de algumas viagens que fizemos. Aliás, se algum dia vcs retornarem a Austrália, não deixem de entrar em contato! Segue o blog: http://awaywego-rumoaaustralia.blogspot.com.au/?m=1

      Excluir
    3. Denise, estava "viajando" no teu blog agora mesmo, adorei! Engraçado como todo mundo quer saber sobre a advocacia na Austrália hehehe...eu adoraria mudar para a Austrália, mas sou Promotora de Justiça aqui e não teria coragem de recomeçar todos os estudos aí de novo, preguiça só de pensar!
      Bjokas, volte sempre!

      Excluir
  32. Cláudia, sou fã de vocês há muito tempo e acredito que o Lipe tem na vida dele uma escola de muitos aprendizados por causa das viagens. Essa fase de associar o aprendizado da escola com as viagens deve ser o máximo, vou chegar lá. Beijos

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...