21 de fevereiro de 2016

roteiro entre Salta e Cachi, uma das cidades mais charmosas da Argentina, com todas as atrações do caminho, incluindo o Parque Nacional Los Cardones

Depois de passar uns dias em Salta passeando e relaxando, seguimos viagem para Cachi, uma das cidadezinhas mais charmosas da Argentina

No caminho, passamos por lugares incríveis, como a Quebrada de Escoipe, a Cuesta del Obispo, o Mirante da Capilla San Rafael - no ponto mais alto da estrada (3457 metros), o Parque Nacional Los Cardones, a famosa Reta de Tin Tin - uma estrada perfeitamente reta de 19km de extensão construída pelos incas e que corta o parque, e Payogasta, nos Valles Calchaquíes


No Google Maps, a informação era de que são 168Km entre Salta e Cachi, a serem percorridos em, aproximadamente, 3hs. Para nós, essas teóricas 3hs se transformaram, na prática, num dia inteiro de paisagens deslumbrantes, algumas das mais sensacionais desta fantástica viagem. 

Vamos lá?


Roteiro

Dia 18/12 (6ª) Salta - Quebrada de Escoipe - Cuesta del Obispo (Mirante da Capilla San Rafael, no ponto mais alto da estrada (3457 metros) - Parque Nacional Los Cardones - Reta de Tin Tin, uma estrada perfeitamente reta de 19km de extensão construída pelos incas e que corta o parque - Valles Calchaquíes - Payogasta - Cachi: 168Km, 3hs no Google Maps - Hotel La Merced del Alto

* Praça de Cachi, com pracinha para brincar, igreja, museu, lojinhas, mercados, restaurantes aconchegantes, cafeterias, sorveterias...

Dia 19/12 (sábado) Cachi - Salta: 168Km, 3hs no Google Maps - Hotel Alejandro I



A estrada

Salta está no Valle de Lerma, numa altitude média de 1190 metros. 

Cachi fica a apenas 168Km de distância, mas, para chegar lá, tem que subir muito. A vila fica no alto de um morro, a 2280 metros acima do nível do mar. 

Mas não é só isso: a incrível estrada sinuosa que leva até lá, a RP 33, também conhecida como Quebrada de Escoipe, sobe (muito) para depois descer. 


No caminho em ziguezague de 21Km, pelo espetacular desfiladeiro Cuesta del Obispo, que vem a seguir, chega-se a 3457 metros de altitude, antes de começar a descer de novo.


A saída da cidade, até pegar de fato a RP 33, levou quase 1 hora. Mas logo que pegamos a Quebrada de Escoipe tudo ficou lindo! E já apareceu o primeiro posto de controle policial, mas nos mandaram passar reto. 

Em alguns trechos da estrada, tem que ir com bastante cuidado, pois os caminhos são feitos para a passagem de apenas um veículo. Muita calma nessa hora!




A seguir, as principais atrações do caminho:

Quebrada de Escoipe

Montanhas em vários tons de vermelho, pontilhadas de cactos. na Quebrada de Escoipe.







Cuesta del Obispo

Desfiladeiro Cuesta del Obispo, uma homenagem ao bispo Monseñor Julián de Cortázar, que fez essa mesma viagem entre Salta e Cachi lá pelos idos de 1622. 

Claro que, na época, a jornada de 21Km pelo trecho montanhoso levava muitos dias, mesmo porque ele não tinha uma Tucson como nós, e ele precisava dormir na estrada, que por essa razão ganhou o nome de 'Cuesta (de la dormida) del Obispo' - os séculos se passaram e o nome foi encurtado, mas a beleza rústica do lugar permanece inalterada. 

Eu não sabia, mas esse trecho da estrada, construído entre 1928 e 1931, é praticamente todo de rípio, além das intermináveis curvas em ziguezague - vá preparado. 

Paramos em muitos pontos do caminho para fotos. As montanhas são lindas demais.

Lá em cima faz muito frio, leve um casaco, mesmo no auge do verão! Aliás, nessa região o clima muda o tempo todo!









Mirante da Capilla San Rafael

Essas fotos abaixo foram tiradas perto do Mirante da Capilla San Rafael, que fica no ponto de maior altitude do caminho (3457 metros), local conhecido também como Piedra del Molino, em referência a uma pesada pedra de granito usada nos moinhos de grãos dos vales e que algum viajante frustrado deixou ali. 

Esse é, também, o ponto de ingresso no parque nacional. 

A partir daí, seguimos pelo altiplano, com estrada pavimentada o tempo todo, que nos lembrou muito o Death Valley, uma planície desolada, com ventos fortíssimos!






Fauna

No altiplano existe muita fauna: vimos muitos burros selvagens, llamas e guanacos cruzando a estrada bem na nossa frente! 

Fique de olho ;)





Parque Nacional Los Cardones

O Parque Nacional Los Cardones é uma área de proteção ambiental pontilhada de 'cardones', uma espécie de cacto típica dessa parte da América do Sul (e também do Chile e Bolívia). 

São milhares de cactos 'cardones', alguns deles com mais de 400 anos de vida. Já estavam lá quando os colonizadores espanhóis fundaram Cachi, e até mesmo quando os incas dominavam a área. 

A entrada no parque nacional é gratuita e não existem serviços como banheiros ou informações turísticas. 

Valle Encantado é a parte mais acessível do parque.

Existem vários mirantes incríveis dentro do parque nacional, com trilhas curtas cheias de painéis explicativos. 

Os cactos gigantes são lindos, muitos estavam floridos, e ficamos muito tempo lá fotografando!


 



 


 















Reta de Tin Tin

A Reta de Tin Tin é uma estrada perfeitamente reta traçada pelos incas (era um 'camino' inca) que tem 19Km de extensão e corta o Parque Nacional Los Cardones. 

Foi incrível fazer uma última curva e se dar de cara com aquela reta interminável! Lugar lindo! 

Acompanhe pelo Google Maps ou pelo GPS e se maravilhe com o que os incas foram capazes de fazer! 

Veja na foto abaixo como - de longe - já é possível observar a interminável reta no meio do deserto:



  


Payogasta, Valles Calchaquíes

Depois que termina o parque nacional a estrada segue bonita, com a paisagem montanhosa mudando e variando bastante a cada 5 ou 10Km. 

Finalmente chegamos à região dos Valles Calchaquíes, produtora de vinhos. É a área dos índios Calchaquíes, que ainda preserva as casas de adobe e a produção de artesanato. 

A primeira vila que passamos foi Payogasta, com penhascos lindos, casas de adobe caiadas de branco e várias vinícolas. 

Uma vila que merece (mais que) uma paradinha!








Logo depois (uns 11Km), chegamos a Cachi, nosso destino. 

Saímos de Salta 9:45am e chegamos em Cachi 3:30pm. 

No Google Maps o trajeto dá 3hs - nós levamos quase o dobro kkkkk...muitas, muitas fotos! 

Cachi

Cachi está rodeada por picos andinos de mais de 5 mil metros de altitude. 

Fundada pelos espanhóis no século 16, a vila é puro charme. 

Tem uma praça central com brinquedos, uma igrejinha linda, museu, lojinhas, mercados, restaurantes aconchegantes, cafeterias, sorveterias e muito vinho!



Onde comer 

Almoçamos no Oliver Resto Bar na praça, por 285 pesos, com gorjeta. 

Comemos sorrentinos de nozes com pesto, arroz, purê e salada com queijo de cabra. 

Um lugar incrível. Era o único local aberto para almoçar às 3:30pm quando chegamos e acertamos em cheio. De Janis Joplin ao melhor do jazz e do blues, uma trilha sonora impensável no meio do nada. Com wifi

Deixamos adesivo do PV lá - quem for tem que tirar foto para nos mandar! O proprietário morou em Londres e fala inglês muito bem. 











Jantamos no Viracocha

Pedimos 'trucha' arco-íris, 'lomo Viracocha' e menu infantil de milanesa com purê pro Lipe.

Pagamos 500 pesos, com gorjeta. 

Foi, sem dúvida, a melhor refeição da viagem, no lugar mais gostoso e aconchegante! Não é por nada que estava lotado de gringos.








Nos hospedamos no maravilhoso Hotel La Merced del Alto em Cachi. 

Clique no link em vermelho para ler o post que escrevi sobre esse hotel de sonhos. 

Ele fica um pouco afastado do centrinho da cidade, em meio a uma paisagem de tirar o fôlego, e é mais adequado para quem tem seu próprio meio de transporte. 

Veja algumas fotos dos arredores do hotel, área bem rural:






Dia seguinte 

No dia seguinte saímos do hotel 10:30am, depois de um demorado e farto café da manhã, e fomos passear mais em Cachi. 

Primeiro subimos até o Cemitério, de onde se tem boas vistas da cidadezinha inteira e das montanhas ao redor. 

Depois seguimos de novo até a praça principal da aldeia. 









O Lipe fez muitos amiguinhos na pracinha de Cachi nas duas vezes que fomos lá. 

Sempre tinha crianças locais por lá e os brinquedos da praça são bem bonzinhos. 

Uma grande vantagem que o Lipe tem (e terá na vida) é a facilidade em fazer amigos, provavelmente por ser filho único (a necessidade de companhia para brincar obriga, né?!).

Ele não tem nenhuma inibição e, mesmo sem falar bem espanhol (ele compreende bem), tanto insiste e anda na volta que, mesmo as crianças que já estão num grupo de amigos, acabam aceitando ele no grupinho! 

Para um viajante, essa é uma grande vantagem! Como é aí na sua casa? Seu filhote também consegue fazer amigos nas pracinhas da vida? Será que isso é necessidade de filho único?



estamos em 2015
e na praça eu fiz novos amigos eram quatro amigos

Vimos muitos argentinos, alemães e franceses viajando naquela região. Nenhum brasileiro :(

Iglesia San José de Cachi

Ao lado da praça, fica a igreja local, com forro e confessionário de madeira de cactos

A água benta fica num jarro imenso de cerâmica. 

Vale a visita! 










Descobrimos - ou pelo menos acreditamos - que o drone fica mais instável nos lugares onde o ar é mais rarefeito. 

Será só impressão nossa?

O fato é que foi bem complicado fazer as fotos "aéreas" que vocês viram acima, pois o drone ficava balançando muito o tempo todo! 

Também na praça, ao lado da igreja, fica o museu da cidade, que não visitamos. 


Cachi à noite

Não deixe de passar pelo menos uma noite em Cachi! 

Muita gente faz excursões de bate e volta, e isso é um sacrilégio! 

As cores da cidade, toda branquinha, ao por do sol atrás das montanhas andinas são indescritíveis e, depois que o sol se põe, o lugar fica ainda mais charmoso, se é que isso é possível. 

Um passeio à pé pela cidadezinha iluminada à noite é um programa imperdível que ficará pra sempre na sua memória. 





Uma coisa que notei é que em Cachi não existem placas ou sinais de propaganda. 

Os nomes dos restaurantes, por exemplo, são escritos a ferro, com a mesma fonte. 

Me lembrou Barichara, na Colômbia, que também é assim :)

A volta para Salta

Saímos de Cachi para voltar a Salta pelo mesmo caminho maravilhoso depois do meio-dia, e chegamos em Salta por volta das 4:30pm. 

A volta é mais rápida porque, ao invés de subir, descemos a Cuesta del Obispo. 

Novamente tivemos sorte com o tempo e o dia estava ainda mais ensolarado que o dia anterior. Só na Cuesta que nublou tudo e não vimos mais nada! 

Porque uma vez só no parque dos cactos gigantes não foi suficiente, tivemos que voltar! 

Vimos um 'tornado' no parque nacional e o Lipe ficou muito impressionado! 


Na volta, a Cuesta del Obispo estava num fog bárbaro, não dava pra ver um palmo na frente do carro! 

Fazem uma baita propaganda da Cuesta del Obispo, que realmente é impressionante, mas antes dela, me apaixonei pelas montanhas vermelhas pontilhadas de cactos na Quebrada de Escoipe!

Também vimos muitas llamas na volta. 




Ficaram para outra vez: Molinos e a Quebrada de Las Flechas. Até cogitamos voltar por lá, mas ficaria puxado demais! 

Dê uma olhadinha no Google Maps que você entenderá do que eu estou falando - fazendo a volta pelo sul, pelos Valles Calchaquíes, passando por Molinos e pela linda Quebrada de Las Flechas, a viagem aumenta em muiiiiitas horas e, considerando que alguns dias depois iríamos a Cafayate (na volta do Atacama), achamos que não valia o desgaste. 

Ficou para uma próxima vez :)


Gastos
* almoço Cachi - 285 pesos
* janta Cachi - 500 pesos
* hotel Cachi - 1000 pesos, com desconto pro pequeno viajante

Altitude

Nesta viagem chegamos ao máximo de altitude que já enfrentamos. 

Acho que o máximo que já tínhamos estado antes, sozinhos, tinha sido em Chacaltaya, uma estação de esqui na Bolívia, em torno de uns 5400m (não confirmei essa info). 

Em Cuzco, acordávamos com taquicardia, e era engraçado sentir aquilo em pleno repouso! 

A caminho do Atacama, e também em alguns lugares que visitamos por lá, passamos bastante disso. Dê-lhe mascar folhas de coca (pelo menos até chegar à fronteira chilena, pois no Chile é proibido) e tomar muita água (manter-se hidratado é tudo!)... 

Quando chegamos nos 3457 metros de altitude do Mirante da Capilla San Rafael, que é o ponto de maior altitude da estrada entre Salta e Cachi, deu um pouco de taquicardia, falta de ar e uma dorzinha de cabeça. Coisa leve. 

Estávamos agitados, super empolgados, correndo de um lado para outro para tirar fotos, e tem o lado psicológico, que também influi, né? 

O jeito é fazer tudo mais lentamente, com calma, sem se agitar, e ter sempre uma aspirina à mão! 

O Lipe parecia nem ter notado a altitude - não reclamou de nada. 

Só achou engraçado ver os saquinhos de salgadinhos que levamos ficarem "inflados" por causa da altitude! 

Vocês já estiveram em 'altas altitudes' com crianças? Como foi? Dicas?


Já esteve em Cachi, na ArgentinaConte para a gente, deixe a sua dica na nossa caixa de comentários!

Veja como foi nosso passeio:






Todos os posts sobre esta viagem estão em Atacama e Norte da Argentina - se você quiser ler todos em sequência (do último para o primeiro), é só clicar!

Leia o nosso roteiro e orçamento para uma viagem de carro de 28 dias ao Atacama e Norte da Argentina, com passagens pelo Uruguai e Bolívia



Não foi a nossa primeira vez em nenhum destes países - já conhecíamos inclusive o Atacama e a Bolívia - então, se você quiser saber sobre as nossas viagens anteriores a estes países, é só clicar em UruguaiArgentinaChile Bolívia

Veja nosso roteiro de um mochilão de 30 dias pelo Peru, Bolívia e Chile

Também fizemos uma viagem incrível pelas Patagônias argentina e chilena

Leia sobre mal da montanha ou soroche

Durante esta viagem, nós usamos as seguintes hashtags nas redes sociais Facebook / Twitter / Instagram - é só procurar as ## e ver tudo o que postamos sobre cada lugar:

#‎LipenoUruguai
#LipenaArgentina
#LipenoChile
#LipenaBolivia

Acompanhe o nosso Instagram @claudiarodriguespegoraro - tem muitas dicas desta viagem por lá!


Se você quiser reservar um hotel ou pousada e ter a garantia do menor preço, nós indicamos o Booking, que é o site de reservas de hospedagem que nós usamos a vida inteira :)

Leia as resenhas sobre os hotéis que usamos nesta viagem e reserve o seu:

Hotel de Las Nubes, em San Antonio de Los Cobres, Argentina

Apartamentos Lo de Lili, em Tilcara, Argentina 

Hotel La Merced del Alto, em Cachi, Argentina

Hotel Alejandro 1º em Salta, no norte da Argentina 




Para reservar um carro, recomendamos a Rentalcars, que a gente usa (e gosta muito) há séculos!


Mais fotografias das nossas viagens no Instagram @claudiarodriguespegoraro, na hashtag #Felipeopequenoviajante.

Não esqueça de curtir a fan page no Facebook para acompanhar as nossas aventuras! 


Assista todos os nossos minifilmes neste link do Facebook, e os vídeos você assiste no YouTube ou no Vimeo - aproveite e já se inscreva lá nos nossos canais!


Você também nos encontra aqui:


2 comentários:

  1. Lindo Felipe! Este, sem dúvida, foi o melhor guia de viagens que já vi! Parabéns à família viajante!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...