Menu

43 lugares para conhecer na França

Descubra 43 lugares para conhecer na França que você pode incluir no seu roteiro na terra dos queijos e champagne!
43 lugares para conhecer na França
Descubra 43 lugares para conhecer na França que você pode incluir no seu roteiro na terra dos queijos e champagne!
França é um dos países mais cheios de história, cultura e boa gastronomia que eu conheço. A gente chega lá esperando encontrar clichés como franceses antipáticos, queijos fedorentos e a Torre Eiffel, mas basta sair de Paris para descobrir um outro mundo, em que esses estereótipos praticamente desaparecem...menos os queijos, que são onipresentes!

Sei bem que a capital Paris é uma cidade praticamente inesgotável - uma das mais excitantes do mundo - e que daria para ficar apenas na capital por um mês e você não conseguiria aproveitar tudo o que há para fazer lá, mas, se você já conheceu o básico e gostaria de se aventurar um pouco mais pelo interior do país, existem muitas opções de lugares para conhecer na França.

Você começa a pesquisar lugares para conhecer na França e logo percebe que a lista é enorme e que não é fácil montar um roteiro, pois são muitas opções: praias sofisticadas como Nice, Cannes e Deauville, cartões postais perfeitinhos com castelos de contos de fadas no Vale do Loire, história e gastronomia na Normandia e arquitetura enxaimel fofa com bons vinhos na Alsácia - o menu de alternativas é enorme!

Para tentar te ajudar a escolher, aqui vai a minha lista de 43 lugares para conhecer na França, que eu tenho certeza que tu vais gostar!

Leia mais sobre a França aqui no blog:

Saint-Malo, França: a cidade murada mais linda da Bretanha
Chartres, na França: destino imperdível nos roteiros pelo Vale do Loire e pela Normandia
Normandia e o Dia D: 5 lugares da 2ª Guerra Mundial para conhecer na França
Deauville e Trouville-sur-Mer, na Normandia: tudo o que você precisa saber
Honfleur, França: o vilarejo mais charmoso da Normandia
Étretat e Le Havre, na Normandia: o que fazer
Rouen, França: o que fazer na capital da Normandia
Giverny: como visitar a Casa e os Jardins de Monet
Como voar grátis de Amsterdam para Londres e Paris
Como é voar na classe econômica da Air France
Estrasburgo: viajando de motorhome pela França
11 lindas aldeias francesas na Alsácia: viajando de motorhome pela França
França: o que você precisa saber antes de ir
Como é um passeio bate e volta de Paris ao Vale do Loire, na França
Roteiro para uma viagem de motorhome de 30 dias pela Europa
Mercados de Natal na Europa

Guia de bolso de Paris: do tamanho certo para levar na sua mochila
Os 10 museus mais populares do mundo
Filminhos que inspiram viagens para os pequenos viajantes

Viagens dos nossos amigos pela França

Paris com crianças: guia e dicas
Roteiro de 7 dias pelo norte da França: Vale do Loire, Saint Malo e Mont Saint Michel
Vale do Loire na França: roteiro de 4 dias
6 dias em Paris e Normandia
Relato de viagem de motorhome de 2 semanas pela França, Suíça e Itália
Relato de viagem de motorhome pela França, Bélgica e Suíca, com todos os custos e perrengues
Relato de viagem pela Rota dos Contos de Fadas na Alemanha e Alsácia Francesa

Riquewihr
Riquewihr, na Alsácia francesa

1 Paris

Capital da França, Paris dispensa apresentações.

É parada quase que obrigatória em qualquer roteiro pela França, e já escrevi um post completo aqui no blog com as nossas opções de hospedagem barata em Paris.

A capital francesa é o destino dos sonhos de muita gente e, como falei antes, você poderia passar um mês inteiro só explorando Paris sem se cansar nunca dos encantos da Cidade Luz.


Mas que tal aproveitar que você está na França para conhecer mais alguns charmosos destinos no país?

Preparamos uma longa lista com 43 lugares para conhecer na França - afinal, já que você pagou um voo até lá, precisa otimizar o seu roteiro em terras gaulesas.

Você vai acabar se surpreendendo, e descobrindo que a França é muito mais que Paris - existe muita beleza e charme além da capital francesa!

Leia mais dicas de Paris aqui:

2 Versailles

O Palácio de Versailles é um clássico quando se fala em passeios bate e volta de Paris. Foi a minha 1ª 'escapadinha' de Paris, é claro, ainda no século passado hehehehe...

A proximidade com a capital francesa ajuda muito - são apenas 40min de trem/20Km para fazer um bate e volta de Paris até o Château de Versailles - mas certamente é a beleza do castelo que tornou Versailles um dos lugares mais visitados da França, perdendo apenas para a Torre Eiffel e o Museu do Louvre.

O Castelo de Versailles é extremamente majestoso e imponente, e a visita é uma verdadeira aula sobre a história da realeza francesa de Maria Antonieta e do Rei Louis 14 - Versailles foi a sede do poder político francês durante um século, entre 1682 e 1789, antes de se tornar o berço da Revolução - uma história de muito luxo, obras de arte, jóias grandiosas e jardins a perder de vista.

Aliás, não deixe de aproveitar a sua visita para passear muito pelos maravilhosos jardins e pelo Domaine de Marie-Antoinette, a residência privada da mais famosa rainha francesa.

Chegar em Versailles é muito fácil usando o RER, mas saiba que o passeio vai ocupar praticamente um dia inteiro (calcule pelo menos umas 4hs em Versailles), pois há muito o que ver por lá, entre salas ricamente mobiliadas, o suntuoso Salão dos Espelhos e os jardins do Rei Sol.

Veja mais aqui:

3 Chambord

Chambord é uma coisa surreal - com aquele telhado muito louco, é tudo o que se espera de um verdadeiro castelo de conto de fadas no Vale do Loire.

É o maior palácio do Vale do Loire, e um dos castelos mais conhecidos do mundo, devido à sua arquitetura em estilo Renascentista francês, que combina estruturas do clássico italiano com as formas medievais francesas tradicionais.

Foi construído como pavilhão de caça para o Rei Francisco I, e sua construção levou mais de 20 anos, entre 1519 e 1547.

Em 1913 surgiu uma teoria de que Leonardo da Vinci, que foi convidado do Rei Francisco I, teria sido o responsável pelo desenho original do château, e o 'inventor' da famosa escadaria em dupla-hélice.

Leia também:

Como é um passeio bate e volta de Paris ao Vale do Loire, na França
Roteiro de 7 dias pelo norte da França: Vale do Loire, Saint Malo e Mont Saint Michel
Vale do Loire na França: roteiro de 4 dias
Roteiros pela França - Normandia, Bretanha, Vale do Loire, Costa Azul e Alsácia - como é viajar de carro pelo país

Chambord
Chambord

4 Chenonceau

O Castelo de Chenonceau, conhecido como Castelo das Sete Damas, é um palácio localizado no Vale do Loire, ao sul de Chambord, na França.

O 1º castelo foi construído no local de um antigo moinho, sobre as águas do Rio Cher, no século 11. O palácio atual tem sua história relacionada a 7 mulheres fortes, 2 das quais rainhas da França, dentre elas Diane de Poitiers e Catarina de Médicis.

Na 1ª Guerra Mundial, a galeria do palácio foi usada como enfermaria hospitalar. Na 2ª Guerra Mundial, foi meio de escape da zona ocupada pelos nazistas de um lado do Rio Cher, para a livre zona de Vichy, na margem oposta.

Chenonceau tem jardins lindos e, pelo fato de ficar exatamente em cima do Rio Cher, como se fosse uma ponte, é o mais interessante dos castelos que conheci no Vale do Loire, e também o mais cheio de histórias.

Depois de Versailles, Chenonceau é o château mais visitado da França.

Leia mais sobre o Vale do Loire aqui:

Como é um passeio bate e volta de Paris ao Vale do Loire, na França
Roteiro de 7 dias pelo norte da França: Vale do Loire, Saint Malo e Mont Saint Michel
Vale do Loire na França: roteiro de 4 dias

Chenonceau
Chenonceau

5 Cheverny

Entre os castelos que eu conheci no Vale do Loire, Cheverny, localizado em Sologne, é o mais 'comum' - se é que um palácio daqueles pode ser chamado de 'comum' - mas a visita lá se torna muito legal por 4 características que só ele tem:

1. É o 'Castelo do Tintim', pois inspirou Hergé na criação do Château de Moulinsart, o château do Capitão Haddock, de "As Aventuras de Tintim";

2. Tem uma imensa matilha, com dezenas de cachorros lindos, de caça;

3. É um dos poucos castelos ainda particulares, habitados de fato por uma família nobre, embora esteja aberto ao público desde 1914; e

4. Foi construído em estilo clássico e, ao contrário de outros château, que foram residências reais, Cheverny permaneceu sempre propriedade privada, conservando, ainda hoje, o mobiliário e a decoração do século 17.

Veja mais:

Roteiro de 7 dias pelo norte da França: Vale do Loire, Saint Malo e Mont Saint Michel
Vale do Loire na França: roteiro de 4 dias

Cheverny
Cheverny

Vale do Loire, na França, é famoso pelos seus castelos, jardins, histórias e lendas de reis e rainhas - e também um dos lugares mais bonitos para conhecer na França.

O problema é que a região do Loire é muito grande, com mais de 300 castelos espalhados pelo vale, se tornando praticamente impossível de explorar em poucos dias. O ideal é se programar para um roteiro de, pelo menos, 3 ou 4 dias pelo Vale do Loire, para poder visitar os principais castelos da região.

Aqui você encontra minha sugestão de roteiro pelo Vale do Loire:

Roteiros pela França - Normandia, Bretanha, Vale do Loire, Costa Azul e Alsácia - como é viajar de carro pelo país

Mas, se você não tiver tanto tempo disponível, dá para ter um 'aperitivo', e conhecer um pedacinho do Vale do Loire em um passeio de 1 dia a partir de Paris!

Veja como foi o meu tour guiado pelo Vale do Loire:

Como é um passeio bate e volta de Paris ao Vale do Loire, na França

Cheverny
Cheverny

6 Disney Paris

Nós nunca levamos o Lipe à Disneyland Paris, mas a Ana Claudia fez uma linda viagem de motorhome pela França com a Stella, de 4 anos, e incluiu a Disney Paris no roteiro da família.

O parque da Disney na França fica situado a apenas 45min/40Km de viagem de Paris, e rende um bate e volta perfeito para quem visita a capital francesa com crianças.

As melhores dicas são tentar encaixar a visita num dia de semana, quando os ingressos são mais baratos e o parque fica mais vazio, com menos filas, e comprar ingressos antecipados para 1 dia ou de múltiplas entradas.

A Disneyland Paris é o parque temático mais visitado de toda a Europa - dentro da EuroDisney existem 2 parques diferentes - Disneyland e Walt Disney Studios - além de vários hotéis e resorts, lojas e restaurantes.

Você pode chegar lá de carro, motorhome, ou também usando os trens RER A, que te levam de Paris até a estação Marne la Vallée - Chessy em 45 min.

Veja aqui as dicas da Ana Claudia: Relato de viagem de motorhome de 2 semanas pela França, Suíça e Itália

Disneyland Paris
Disneyland Paris

7 Parc Astérix

Para os fanáticos por parques temáticos, ou para quem viaja com crianças e está disposto a "perder" um dia em Paris para levar seu pequeno viajante para se divertir num parque temático, o Parc Astérix fica localizado a menos de 1h de distância da capital francesa (40Km), e é uma ótima opção de passeio bate e volta de Paris para famílias. 

O Parc Astérix é um parque temático inspirado nos famosos personagens das histórias em quadrinhos - os gauleses Astérix e Obélix - com vários restaurantes temáticos, lojinhas, diversos shows diários, encontros com personagens e quase 40 atrações, das mais 'simplinhas' às mais 'radicais'. 

O Parque Astérix oferece um serviço de transfer que você pode reservar pela internet, com saídas a cada 30 minutos. O valor é de € 9 para adultos e € 8 para crianças de 3 a 12 anos. 

As saídas acontecem do Aeroporto Charles de Gaulle - se você estiver no centro de Paris, vá até a Gare du Nord e pegue o RER B até a estação Aéroport Charles de Gaulle 1. Lá, procure o balcão 'Parc de Loisirs', onde o pessoal do parque organiza os transfers.

Diferente do Parque do Pequeno Príncipe (sobre o qual eu falo mais abaixo), o Parque Astérix não é voltado apenas para crianças pequenas - os maiorzinhos se divertem também! Mas, das quase 40 atrações do parque, pelo menos umas 10 são dedicadas a crianças menores de 6 anos. Ou seja, como falei antes, tem diversão para toda a família, com atrações como carrossel e barquinhos até montanhas-russas radicais (que têm altura mínima de 1,20 a 1,40m).

A dica é baixar o app do parque, estudar o mapa e fazer um roteirinho de acordo com as alturas mínimas dos brinquedos - assim você já escolhe seus brinquedos favoritos e já vai direcionado, sem perder tempo procurando brinquedos que não estão de acordo com a altura do seu pequeno viajante (ninguém quer ver crianças frustradas, né...).

As atrações do Parc Astérix são divididas em Petit Gaulois, para os menores (altura mínima entre 80 e 90cm), Pour Toute la Famille (atrações com altura mínima de 90cm, 1m ou 1,20m) e Sensations Fortes - os brinquedos mais radicais, com altura mínima de 1,20, 1,30 e 1,40m.

Outra atração do parque é a Village Gaulois, com cenários iguais aos das histórias em quadrinhos, personagens disponíveis para fotos e animais de fazenda.

Além disso, o parque tem outras vantagens: ingressos mais baratos que os da EuroDisney e menos multidões. Tá bom pra mim!

Parc Astérix
Parc Astérix

8 Perpignan

Perpignan é uma cidade no sul da França, localizada aos pés dos Pirineus e conhecida como a 'Catalunha Francesa', pela proximidade e semelhança de costumes com a região espanhola vizinha, que fica a poucos kms de distância.

Nós conhecemos Perpignan como um bate e volta de Barcelona e, mesmo numa visita rápida, dá para entender porque a cidade atraiu artistas como Picasso, Salvador Dalí e Matisse, com seus mercados e suas ruas floridas, cheias de cafés e boutiques.

Não deixe de conhecer o Castelo de Perpignan, a Catedral de São João Batista, o Palácio dos Reis de Mallorca e o Hôtel Pams - principais pontos turísticos da cidade. Ah, e um passeio na Praça Bir Hakeim e na Promenade des Platanes também é imperdível!

Próxima das praias do sul da França e das montanhas dos Pirineus, com uma mistura da culinária catalã com o melhor da gastronomia francesa, Perpignan reúne o melhor dos 2 mundos!

Perpignan
Perpignan

9 Giverny

Esse é um ótimo passeio bate e volta a partir de Paris, ou um destino para entrar num roteiro maior pela Normandia.

Sempre tive muita vontade de conhecer a famosa Casa e os Jardins de Claude Monet em Giverny, que ficam localizados bem pertinho de Paris e, embora já tivesse estado várias vezes na capital francesa, nunca tinha conseguido me organizar para conhecer o vilarejo onde viveu o mais famoso pintor impressionista francês, até a nossa última viagem à França.

A Casa e os Jardins de Monet em Giverny abrem às 9h30min, e o ideal é tentar chegar lá antes de abrir - quanto mais cedo você chegar, menos filas vai encontrar, e terá oportunidade de passear pelos jardins sem tanta muvuca de gente!

Ao entrar na casa transformada em museu (depois de passar pela bilheteria), a minha dica é que você atravesse rapidamente o primeiro jardim - Clos Normand - e passe pela passagem subterrânea para o Jardim das Águas antes que as alamedas fiquem cheias de gente!

Visite o famoso Jardim das Águas - com o lago e a ponte japonesa pintada de verde - antes de ver o restante do lugar, assim você aproveita para passear com calma e fotografar a ponte japonesa de Monet sem uma multidão de turistas ao redor dela.

Monet se instalou lá em 1883, e sua casa e jardins, com o icônico lago que inspirou as obras da série 'As Ninféias', são a principal atração do vilarejo, mas não se engane, Giverny tem muito mais a oferecer, como, por exemplo, o Musée des Impressionnistes e a igreja com o cemitério onde o pintor e sua família estão enterrados.

Caminhe pelas ruas charmosas de Giverny, tome um café nos pitorescos bistrôs com mesinhas ao ar livre, aprecie as obras do Museu dos Impressionistas e visite os ateliês dos artistas do povoado.

Veja também:

10 Vernon


Entre Giverny e Rouen, paramos em Vernon, uma cidadezinha linda da Normandia francesa, às margens do Rio Sena, por onde você certamente passará se decidir ir de trem até Giverny.

Vernon tem um antigo château e um velho moinho na beira do rio que merecem uma visita.

Em 1204, a Normandia passou a fazer parte das propriedades reais francesas e Vernon perdeu sua importância militar. O moinho de farinha foi então construído nas colunas da ponte medieval, e funcionava graças ao fluxo de água do rio.

No século 18, chegaram a existir 6 moinhos de trigo em funcionamento. Sabe-se que a edificação que se vê hoje sobre as colunas da ponte foi construída no século 17, por volta do ano 1654, mas teve muitas reconstruções, após várias destruições causadas por enchentes.

O Château des Tourelles, ali ao lado, era uma fortaleza destinada a proteger a entrada da ponte medieval na margem direita do Rio Sena.

Em 1765, um comerciante de Rouen comprou a propriedade para explorar o moinho de farinha. O trigo era moído na ponte e a farinha era empacotada e armazenada no Château.

Essas 2 edificações têm muita história para contar: durante a Revolução Francesa, o moinho foi alvo dos residentes de Vernon famintos; também serviu de prisão em 1793, durante o Reino do Terror; e, por fim, o château foi danificado durante a 2ª Guerra Mundial, quando uma das torres foi destruída por uma bomba britânica em 1944.

O centrinho do povoado fica do outro lado do rio, e tem um casario enxaimel lindo, super charmoso! Vale o passeio!

Veja mais:


Vernon
Vernon


11 Rouen


Rouen é a capital da Normandia, no norte da França, cidade medieval histórica onde viveu e foi executada aos 19 anos de idade a maior heroína francesa, Joana D'Arc - uma cidade linda demais, que rende um bate e volta fantástico desde Paris - mas eu achei a cidade tãooo bonitinha que acredito que ela merece uma noite da sua vida - um destino imperdível em qualquer roteiro pela Normandia!

Nos encantamos com esta cidade linda, mundialmente famosa por ser o local onde Joana D'Arc foi queimada viva na fogueira em praça pública, com um centro histórico super fácil de explorar a pé. Não é por nada que Rouen foi cobiçada, ao longo dos séculos, por vikings, romanos, ingleses e nazistas! É uma cidade belíssima!!

Rouen é uma das maiores cidades da região. Fica localizada às margens do Rio Sena, e essa posição estratégica sempre foi motivo e palco de muitas guerras com povos que a cobiçavam, desde os romanos e vikings, até os ingleses, que invadiram Rouen na Idade Média, matando a heroína francesa Joana D'Arc, e as ocupações nazistas mais recentes, durante a 2ª Guerra Mundial.

Em séculos passados, eu também lutaria por Rouen 😏

Na Idade Média, Rouen era uma das cidades mais prósperas do norte europeu. Devido a tantas batalhas, a cidade já se reconstruiu muitas vezes, sempre mantendo intacta a sua marca registrada: a arquitetura enxaimel típica da Normandia.

As clássicas 'maisons à colombage', com colunas de madeira aparente, estão por toda parte em Rouen, especialmente no centro histórico da cidade. Existem hoje cerca de 2000 casas em estilo enxaimel no centro histórico, muitas delas lindamente restauradas.

Desses 2000 prédios, pelo menos 10% são considerados monumentos históricos, o que garante a Rouen o título de uma das 6 cidades com maior patrimônio arquitetônico da França.

Era lá que vivia um dos maiores escritores do país, Gustave Flaubert e, mais recentemente, a capital normanda inspirou também muitos pintores impressionistas, entre eles Renoir e Claude Monet, que pintou vários quadros da Catedral de Rouen - a impressionante fachada da igreja gótica inspirou o artista impressionista Monet a criar várias de suas obras.

Não deixe de tirar uma foto com o Gros Horloge, o grande relógio de Rouen, local mais fotografado da cidade.

Leia mais sobre Rouen aqui:

12 Étretat

Étretat é um pequeno balneário no litoral da Normandia, na chamada Costa de Alabastro (em francês, 'Cote d'Albétre'), com cerca de 1.400 habitantes.

Nesta costa existem numerosos 'penhascos de giz', os mais famosos dos quais estão localizados justamente em Étretat - um cenário único e deslumbrante que se transformou numa das paisagens mais conhecidas da França.

Famosa pelos seus arcos de calcário e pela Agulha, ou 'Aiguille', esta parte do litoral da Normandia é realmente cheia de paisagens espetaculares. Algumas das falésias brancas de Étretat têm até 100m de altura!

Se você olhar para a 'Agulha', no alto dos seus 70m sobre o mar, com um pouco de imaginação, conseguirá até ver a cabeça de um elefante mergulhando a tromba nas ondas, paisagem maravilhosa que inspirou Claude Monet e outros pintores impressionistas.

Em beleza natural na Normandia, nenhum lugar supera a paisagem da praia de falésias brancas em Étretat. Eu tinha uma grande expectativa para conhecer esse lugar, e certamente foi uma das paisagens naturais mais bonitas que já visitamos em toda a França.

As trilhas das falésias de Étretat são tranquilas, as paisagens são incríveis, o povoado é charmoso e tem ótima gastronomia especializada em frutos do mar.

Para mais dicas de Étretat:

Étretat e Le Havre, na Normandia: o que fazer
6 dias em Paris e Normandia

Étretat
a vista mais linda de Étretat é a que se tem do alto da Falésia Amont - um ótimo local para ver e fotografar a 'Agulha'

13 Le Havre

Entre Étretat e Le Havre são apenas 28Km/30min de carro.

Le Havre é a maior cidade da Normandia, com 190 mil habitantes, e está localizada na foz do Rio Sena, no Canal da Mancha.

Tínhamos 2 objetivos principais em Le Havre: a loja Primark, no centro comercial das Docas Vauban, e a famosa instalação feita de containers, praticamente um cartão postal da cidade, que foi muito bombardeada e quase que completamente destruída durante a 2ª Guerra Mundial e, por isso, não possui muitos edifícios históricos bonitos, como a quase unanimidade das cidades francesas.

Le Havre é considerada Patrimônio Mundial da UNESCO desde 2005, por ser o único conjunto urbano do século 20 na Europa - como falei antes, a cidade foi seriamente destruída na 2ª Guerra Mundial e depois  totalmente reconstruída de acordo com os planos do arquiteto Auguste Perret, com uma equipe de outros 60 arquitetos. Assim, Le Havre é um dos raros conjuntos contemporâneos de cidades no mundo, e a sua reconstrução foi um grande feito urbano, arquitetônico e social.

Passamos pela Place General de Gaulle, vimos a Igreja Saint-Joseph, e seguimos para a instalação de conteiners de Vincent Ganivet, na avenida à beira-mar.

A instalação artística La Catène, do artista Vincent Ganivet, é uma obra de arte urbana monumental que forma 2 arcos de conteiners, criados para celebrar o aniversário de 500 anos da cidade.

Um dos únicos pontos turísticos históricos que eu tinha na minha lista de lugares para conhecer em Le Havre era a Catedral de Notre Dame, que estava sendo restaurada, totalmente coberta por tapumes.

Para mais dicas de Le Havre:

Étretat e Le Havre, na Normandia: o que fazer

Le Havre
Le Havre

14 Honfleur


Honfleur é o vilarejo mais charmoso da Normandia, uma antiga cidade portuária do século 11, destino imperdível em qualquer roteiro pela região.

A cidade fica às margens do Rio Sena, a 185Km de distância da capital Paris, e muito próxima da foz do rio - é a última cidade francesa antes do Sena encontrar o oceano e, por isso, o Porto de Honfleur era estratégico para o comércio marítimo da região.

Além disso, Honfleur foi uma das poucas cidades da Normandia que não foram duramente bombardeadas e destruídas durante a 2ª Guerra Mundial, conservando intactos muitos de seus prédios históricos.

Honfleur também é conhecida por ter servido de inspiração para diversos pintores impressionistas, como Eugène Boudin e Claude Monet, que adoravam pintar suas paisagens pitorescas, com aquele clima de antiga vila de pescadores, ruelas e casinhas coloridas.

O Vieux Bassin (Velho Porto) é o ponto principal do centro histórico, cartão postal da cidade. Parece um daqueles cenários de contos de fadas, com arquitetura típica normanda - um deleite visual, com o bônus de muitos restaurantes especializados em frutos do mar!

Os edifícios são dos séculos 17 e 18, e pertenciam aos muito ricos da época, que viviam da pesca do bacalhau. Hoje em dia, são restaurantes, creperias, cafés, hotéis, galerias de arte e lojas de souvenirs.

Na região do porto também está situado o Hôtel de Ville (a Prefeitura de Honfleur), mas Honfleur não é um lugar cheio de importantes pontos turísticos que você precise riscar da sua lista - pelo contrário: é uma cidade pequenina, perfeita para passear a pé, sem mapa, sem GPS, e sem o compromisso de 'ter que' ver alguma atração 'imperdível'. Lá, o legal é justamente ir explorando o centro histórico aos pouquinhos, sem obrigações, e descobrindo por conta própria suas ruelas favoritas.

Passear pela área do Antigo Porto no estuário do Rio Sena e pelas ruelas do centro histórico, onde é comum encontrar artistas locais expondo suas telas, admirar a incrível arquitetura normanda, conhecer as delícias da gastronomia da Normandia num pequeno restaurante local - aproveite para experimentar um prato de 'Moules Frites' (mexilhões com batatas-fritas), provar o típico 'Calvados' - um conhaque regional de maçã bem forte que é marca registrada da região, visitar as lojinhas de souvenirs...são tantos os prazeres que a gente encontra num passeio de algumas horas pelo centro histórico de Honfleur, que é muito difícil ir embora...😢

Para mais dicas de Honfleur:

15 Trouville-sur-Mer

Trouville-sur-Mer é muitas vezes referida como a prima 'pobre' de Deauville, que, de pobre, na verdade, não tem nada. O clima lá é mais residencial, leve e despretensioso, menos aristocrático e estrela-de-cinema.

Apesar de serem praticamente coladas uma na outra - separadas apenas pela pequena Ponte des Belges - depois de cruzar a ponte, em poucos minutos, já se percebe que as primas-irmãs têm personalidades bem distintas: o balneário de Trouville é mais discreto e tranquilo, e me pareceu ainda mais chique e elegante que a pomposa vizinha Deauville, cheio de ruas estreitas ladeadas por casarões lindíssimos.

Fiquei en-can-ta-da com as mansões normandas dos séculos 19 e 20, todas impressionantes - fico me perguntando se ainda existem mesmo tantos parisienses com grana dispostos a bancar a manutenção milionária daqueles imóveis de praia.

A Grande Plage de Trouville é cheia de grandes mansões à beira-mar, cada uma delas com escadinhas que dão acesso direto e exclusivo à praia, uma mais bonita que a outra, o que deixa o lugar bem diferente de Deauville.

A praia de Trouville também tem o seu próprio calçadão - Promenade des Planches, construído em 1867 e decorado com os posters vintage de Raymond Savignac, que acabaram se tornando marca registrada de Trouville.

Trouville surgiu como um porto pesqueiro, uma vila de pescadores, o que a torna um dos melhores lugares da França para experimentar frutos do mar fresquíssimos: não deixe de fazer uma visita ao Marché aux Poissons - o mercado de peixes, bem na frente do porto - ali mesmo você pode experimentar as delícias preparadas na hora.

Um famoso e folclórico restaurante local por ali é o Les Vapeurs, também na frente do porto dos pescadores, que desde 1927 recebe VIPS de todos os tipos, com cozinha especializada, é óbvio, em frutos do mar.

Outros lugares onde você não pode deixar de passear são o badalado Boulevard Fernand Moureaux, a linda Mairie de Trouville (a Prefeitura do balneário) e, um pouco mais adiante, o famoso Casino Barrière, na Place Foch. Por último, se tiver tempo, faça uma visita à Église Bonsecours, do século 19, entre a Rue du Chancelier e a Rue de la Chapelle - tem um estacionamento pago ali ao lado.

Para ver muito mais dicas de Trouville-sur-Mer:

Deauville e Trouville-sur-Mer, na Normandia: tudo o que você precisa saber

Trouville-sur-Mer
Trouville-sur-Mer

16 Deauville

Localizada à beira-mar, no Departamento de Calvados, Deauville é um destino de luxo e refinamento na França, que atrai um público super exigente e elegante.

O pequeno balneário francês ainda lembra os tempos áureos da Belle Époque no século 19, quando as famílias mais ricas de Paris começaram a frequentar Deauville por ser a praia mais próxima da capital francesa, se tornando o balneário preferido da aristocracia parisiense.

Já no século 20, foram construídos os grandes hotéis de luxo e o Casino Barrière de Deauville, que vieram para confirmar a reputação aristocrática e luxuosa do balneário.

Nesta mesma época, em 1923, foi construído o calçadão Les Planches Promenade, onde os vestiários têm nomes de grandes estrelas do cinema que já estiveram no Festival Du Cinéma Américain de Deauville, como Jack Nicholson e Rita Hayworth.

Sim, em Deauville o glamour e o requinte acompanham o povo até na praia, com os guarda-sóis coloridos se transformando em barracas que protegem do calorão no verão e da ventania no inverno. 

O calçadão de madeira Les Planches tem 600m de comprimento e serve como uma grande passarela de praia, onde ricos e famosos de todos os naipes desfilam. As barracas de praia coloridas que enfeitam a faixa de areia, o calçadão de madeira e os vestiários são lugares para 'ver e ser visto'.

O objetivo, em Deauville, é relaxar, e não turistar.

A graça é justamente aproveitar o 'dolce far niente', passear pelas feiras e mercados que vendem de produtos frescos regionais a bolsas de couro, apreciar a arquitetura típica normanda, experimentar os fresquíssimos 'Moules Frites', embutidos e queijos normandos, sentar num dos muitos cafés ao redor da Place de Morny e se encantar com as vitrines impecáveis das lojas de alto luxo de decoração, moda e galerias de arte.

Se você é do tipo que não viaja sem uma listinha de pontos turísticos do destino, seguem alguns lugares que você pode anotar para visitar em Deauville: Villa Strassburger, a 1ª loja de Coco Chanel, Praça Morny, Praça du Marché, Mairie de Deauville e Calvados Experience.

Para mais dicas de Deauville:


Deauville
Deauville

17 Bayeux

Bayeux é o lugar ideal para montar a sua base em meio a um roteiro pela Normandia se você quiser explorar muitos lugares da 2ª Guerra Mundial.

É um excelente ponto de partida para passeios bate e volta e explorações pela região, pois fica a poucos quilômetros de todos os pontos de interesse e tem uma boa estrutura de lugares onde comer e dormir, que funciona o ano inteiro.

Eu diria que, em 1 dia, conseguimos ver quase tudo o que pretendíamos relativo à 2ª Guerra Mundial na Normandia, mas o ideal, para quem quer fazer uma verdadeira imersão no assunto Dia D, seria ter 2 dias para conseguir visitar tudo com mais calma.

A cidade de Bayeux é famosa pela Tapeçaria de Bayeux, do século 11, o tapete bordado mais famoso do mundo, com mais de 68m de comprimento e 58 cenas que contam toda a história da invasão e conquista da Inglaterra pelos normandos (os homens do norte) em 1066.

O centrinho de Bayeux é bem lindo, com lojinhas de souvenirs, edifícios dos séculos 13 a 18, prédios de madeira em estilo normando e uma catedral gótica linda.

A Catedral de Notre-Dame de Bayeux foi construída entre os séculos 11 e 19, e por isso tem uma incrível mistura de estilos arquitetônicos, que vai do românico ao gótico normando. É bem impressionante entrar numa catedral sabendo que a sua inauguração foi no ano 1077, né?

Para mais dicas de Bayeux:

Normandia e o Dia D: 5 lugares da 2ª Guerra Mundial para conhecer na França

Bayeux
Bayeux

18 Cemitério Americano de Colleville-sur-Mer

Esse é o passeio mais imperdível - na minha opinião - para entender a história do desembarque dos Aliados na Normandia no Dia D.

Além do Cemitério Americano em si, há no local um maravilhoso museu e memorial/centro de visitantes, com ótimas apresentações multimídia, fotos, vídeos e filmes, onde é contada a história dos desembarques nas praias da Normandia, relembradas as histórias pessoais de alguns soldados e exibidos artefatos de guerra.

É impossível não se emocionar vendo de perto objetos pessoais que os soldados carregavam nos bolsos, cartas, fotos de família, capacetes usados em combate ou maços de cigarro...

O cemitério é impressionante também pelo seu tamanho - é o maior cemitério americano na Europa: são 70ha salpicados de milhares de túmulos de mármore branco, onde estão enterrados mais de 9 mil soldados americanos mortos em combate nas praias da Normandia.

As 9.238 cruzes brancas e as 149 estrelas de Davi se estendem em fileiras intermináveis num gramado verde muito bem cuidado - é um lugar muito comovente - vá com o espírito preparado.

No cemitério tem também um mirante, que oferece uma boa vista de Omaha Beach e do Canal da Mancha.

Reserve no mínimo 2hs para essa visita. O local tem banheiros, ingresso e estacionamento grátis. Não é permitido comer lá (e muito menos fazer piquenique no cemitério, obviamente!).

Para saber mais sobre o Cemitério Americano de Colleville-sur-Mer:

Normandia e o Dia D: 5 lugares da 2ª Guerra Mundial para conhecer na França

Cemitério Americano de Colleville-sur-Mer
Cemitério Americano de Colleville-sur-Mer

19 Omaha Beach

desembarque no Dia D aconteceu simultaneamente em várias praias, ao longo de uma extensa faixa litorânea de mais de 80Km na Normandia. As praias, que tinham nomes franceses, ganharam codinomes pelos quais são conhecidas até hoje, durante o planejamento da Operação Overlord, justamente a fim de confundir os nazistas em caso de espionagem alemã.

De leste a oeste, as Praias do Desembarque aliado foram denominadas Sword, Juno, Gold, Omaha e Utah.

Como não tínhamos tempo para conhecer todas as praias onde se deram os desembarques aliados no Dia D, escolhemos visitar a mais famosa delas, o local que mais simboliza o confronto catastrófico: a Praia Omaha, em Saint-Laurent-sur-Mer.

Omaha Beach foi o lugar onde aconteceram os combates mais brutais e sangrentos do Dia D, nos 7Km de litoral entre Vierville-sur-Mer, St-Laurent-sur-Mer e Colleville-sur-Mer, apenas 15Km a noroeste de Bayeux.

Vários obstáculos - como os Czech Hedgehogs (Ouriços Tchecos) - impediam a chegada dos soldados às praias, e milhares de vidas se perderam ali em poucas horas.

Não existem lá resquícios da carnificina que houve no Dia D, mas você vai ver o Omaha Beach Memorial, uma grande escultura memorial na beira da praia, intitulada 'Les Braves', que homenageia a coragem dos combatentes.

A beleza natural da extensa praia não consegue disfarçar que aquele lugar tem uma história triste e muito sangue foi derramado ali em 06 de junho de 1944 - o lugar tem uma energia pesada que a gente sente no ar, assim como quando se visita um campo de concentração, por exemplo.

Para mais dicas de Omaha Beach:

Normandia e o Dia D: 5 lugares da 2ª Guerra Mundial para conhecer na França

Omaha Beach
Omaha Beach

20 Mont Saint-Michel

Se eu tivesse que escolher apenas um lugar para conhecer na França, muito provavelmente seria o Mont Saint-Michel, uma das atrações turísticas mais fantásticas que já conheci na vida - e afirmo isso depois de visitar mais de 80 países.

Você já deve ter visto uma foto deste lugar impressionante em algum lugar: um vilarejo medieval murado, que floresceu em cima de um pequeno ilhote, num pico rochoso cercado por uma baía na foz do Rio Couesnon, no norte da França, na divisa entre as regiões da Normandia e Bretanha.

O Mont Saint-Michel é ainda mais majestoso justamente em função do local onde está situado, pois é a única construção em meio à imensidão da baía. Hoje em dia, o complexo é ligado ao continente por uma ponte/passarela.

Dentro da cidadela murada, você vai passear por ruelas medievais e conhecer a histórica Abadia beneditina gótica do século 8, que fica situada lá no topo do monte e seu claustro - uma aula de história ao vivo e a cores, com paisagens inesquecíveis!

Aproveite a subida pela Grande Rue, que atravessa todo o vilarejo e abriga muitas lojas e edifícios medievais com arquitetura típica normanda. Depois da visita à Abadia, faça uma refeição num dos restaurantes que oferecem deliciosos crepes ou omeletes e, na descida pelas muralhas, tire muitas fotos das vistas panorâmicas da baía do Monte Saint-Michel, observando o incrível fenômeno das marés!

O Monte Saint-Michel é um programa completo - o deslumbramento de conhecer ao vivo um lugar tão icônico e fotogênico, uma aula de história, o melhor da gastronomia normanda, compras e um impressionante fenômeno da natureza - tudo no mesmo lugar! É tudo aquilo que você ouviu falar e muito mais.

Definitivamente, é um ponto turístico para colocar na sua lista de melhores lugares para conhecer na França!

Leia tudo sobre o Mont Saint-Michel nestes posts do blog:

21 Saint-Malo

Saint-Malo é uma linda cidade murada francesa, situada na região da Bretanha, às margens do Canal da Mancha, famosa pelas suas histórias de piratas e corsários, belas praias e pela charmosa região intramuros.

Conhecemos Saint-Malo ao final da nossa viagem de carro pela Normandia, depois de visitar o Mont Saint-Michel - a cidade fica a apenas 56Km/1h de distância do monte, e é uma ótima idéia combinar os 2 destinos num roteiro pela Normandia e Bretanha.

É uma cidade portuária, no noroeste da França, conhecida como 'cidade dos corsários', fama que até hoje eles reivindicam - enormes muralhas de granito cercam o centro histórico, que no passado era uma fortaleza para os corsários - piratas  "legalizados" pelo rei, que pilhavam e cobravam tributos de qualquer navio que passasse pelo Canal da Mancha.

Sim, eles eram oficialmente autorizados pelo Rei da França a invadir embarcações estrangeiras que passassem por ali - dá para imaginar?

Saint-Malo tem cerca de 50 mil habitantes, mas, no verão, a população chega a 200 mil, com milhares de turistas desembarcando por lá - é um dos principais destinos turísticos da Bretanha, com gastronomia típica e praias que tornam a cidade um dos balneários mais populares do verão francês.

Seja para explorar a cidade num fim de semana, ou para fazer um bate e volta combinando a sua visita a Saint-Malo com o Mont Saint-Michel, esse é um destino imperdível nesta parte da França.

Leia mais sobre Saint-Malo no blog:

22 Chartres

Chartres é uma pequena cidade francesa famosa pela sua catedral gótica - um destino imperdível nos roteiros pelo Vale do Loire e pela Normandia, ou ainda como um passeio bate e volta desde Paris, que fica a apenas 90Km de distância.

Com pouco mais de 40 mil habitantes, às margens do Rio Eure, Chartres é uma cidadezinha muito charmosa, que mantém bem conservadas várias edificações de séculos passados.

Com suas ruelas estreitinhas e sinuosas, canais, pontes antigas, prédios históricos e parques arborizados, Chartres é uma cidade romântica e histórica.

A impressão que eu tive é que ela tem uma beleza diferente das cidadezinhas da Normandia, como Honfleur, por exemplo, ou da Alsácia, como Colmar - essas cidadezinhas são "fofinhas".

Chartres não é assim - ela é meio monocromática, mais sisuda e elegante, entende?

O principal ponto turístico é a Catedral Notre-Dame de Chartres, construída entre os séculos 12 e 13, considerada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

O centro histórico é bem bonito e vale uma boa caminhada - cheio de cafés, lojinhas, construções pitorescas, casas antigas às margens dos canais...não deixe de dar um passeio pelas margens do Rio Eure, com arquitetura histórica preservada e restaurantes charmosos.

Leia tudo sobre Chartres e sua famosa Catedral aqui no blog:

Chartres, na França: destino imperdível nos roteiros pelo Vale do Loire e pela Normandia
Vale do Loire na França: roteiro de 4 dias


Chartres
Chartres

23 Nice

Amei a Côte-d’Azur e especialmente a capital Nice, com seus calçadões para pedestres, a Promenade des Anglais, a cidade velha e aquelas praias de pedrinhas com o azul do Mar Mediterrâneo.

Na Promenade des Anglais, um calçadão de 1822 cheio de palmeiras, não deixe de ver a fachada do famoso Hôtel Negresco, de 1912, e o Palais de La Méditerranée.

Nice também tem 3 museus importantes - escolha pelo menos um deles para visitar: Museu Matisse, Museu Nacional Marc Chagall e Museu de Arte Moderna e Contemporânea.

Outro lugar famoso em Nice é o Parc du Château, um jardim/parque com vistas incríveis, ótimo para um piquenique.

Em Vieux Nice, não perca os mercados de Cours Saleya.

Leia mais:

Roteiros pela França - Normandia, Bretanha, Vale do Loire, Costa Azul e Alsácia - como é viajar de carro pelo país

Nice
Nice

24 Antibes

Antibes é um pequeno e antigo vilarejo mediterrâneo, do ano 5 a.C - época em que foi construído pelos gregos como entreposto comercial (antes de Nice existir). Com o tempo, se tornou uma vila romana.

Não deixe de conhecer o Marché Provençal, que vende produtos locais. Funciona de manhã, todos os dias, exceto segundas-feiras, num hall coberto na Cours Masséna, no coração da cidade antiga.

É um prato cheio para quem gosta de conhecer a gastronomia local: prove o moelleux (bolinho de chocolate parecido com 'petit gateau'), compre especiarias da Provence, queijos e azeitonas.

Leia também:


Antibes
Antibes

25 Cap d'Antibes

Cap d'Antibes tem um pequeno porto, o caminho dos peregrinos, lindas praias e uma ótima trilha costeira de quase 5Km.

É lá que fica localizado o famoso Hotel du Cap-Eden-Roc, um dos mais exclusivos da Cote d’Azur, que já hospedou famosos como Sharon Stone e Brad Pitt, e é palco das badaladas festas dos maiores produtores de filmes de Hollywood durante o festival de cinema de Cannes.

Veja mais:

Roteiros pela França - Normandia, Bretanha, Vale do Loire, Costa Azul e Alsácia - como é viajar de carro pelo país

Cap d'Antibes
Cap d'Antibes

26 Cannes

Quando estivemos em Cannes, estava justamente acontecendo o famoso Festival de Cinema (em maio), e a cidade estava cheia - foi uma dificuldade para encontrar uma vaga onde estacionar! 

Não vimos nenhuma estrela de cinema, infelizmente, mas contei dezenas de mãos de celebridades no Chemin des Étoiles du Cinéma, a versão francesa da Calçada da Fama.

É possível fazer uma visita guiada no Palais des Festivals, para caminhar pelo tapete vermelho, conhecer o auditório, subir no palco e ficar sabendo de algumas fofocas dos artistas que já passaram por lá. 

Cannes é puro luxo e glamour, especialmente na sua rua principal, o Boulevard de la Croissete, cheio de lojas de marcas famosas como Louis Vuitton, Dior, Chanel e Ralph Lauren, hotéis e restaurantes refinados e gente muito chique pela rua. 

O Peg ficava embasbacado vendo passar Lamborghinis e Ferraris, uma atrás da outra.

As praias de Cannes, diferente de Nice, têm areia, então aproveite para tomar um banho de mar no Mediterrâneo - as mais conhecidas são a La Croisette, Plage du Midi e Plage de la Bocca. 

Vale a pena visitar também o Vieux Port, cheio de iates de ricos e famosos. 

Leia também:


Cannes
Cannes

27 Saint-Paul de Vence

Um dos meus lugares favoritos no sul da França foi Saint-Paul de Vence, uma aldeia medieval super charmosa nas colinas da Riviera Francesa, com charme provençal e vista para o mar. 

A cidadezinha fica a apenas 18Km de Nice, e representa a Provença na sua forma mais pitoresca - um vilarejo com muralhas e construções medievais sobre uma colina, ruelas com fontes e prédios de pedra, e muitas galerias de arte na ruazinha principal, a Rue Grande.

Aproveite para assistir a um jogo de pétanque - um jogo tipo bocha típico da região! Eles alugam bolas no escritório de turismo e organizam até aulas por lá!

Não há dúvida de que se trata de uma comunidade de artistas!

Leia mais:


Saint-Paul de Vence
Saint-Paul de Vence

28 Villefranche-sur-Mer

Villefranche-sur-Mer fica localizada entre Cannes e Mônaco, bem no coração da Côte d’Azur, na base de uma colina. 

É um vilarejo de pesca com charme provençal bem pitoresco no meio da chique Riviera Francesa, fundado em 1295 por Charles II d’Anjou.

A aldeia tem prédios com fachadas coloridas, um porto lindo, o centro histórico com ruas estreitas de paralelepípedos em ladeiras e uma atmosfera de vila de pescadores chique, com ótimas opções de restaurantes de frutos do mar.

Procure a Rue Obscure, uma passagem de 1295. 

Veja também:

29 Saint-Jean-Cap-Ferrat

Saint-Jean-Cap-Ferrat fica situada em uma península sobre o Mediterrâneo, e é ponto de encontro de ricos e famosos, que a chamam simplesmente de 'Cap Ferrat' - e pagam muito caro para ficar lá, já que Cap Ferrat é considerado o 2º m2 mais caro do mundo, perdendo apenas para a vizinha Mônaco. 

Fica localizada a apenas 10Km de Nice, e rende um ótimo passeio bate e volta. 

Não deixe de ir conhecer a famosa Villa Ephrussi de Rothschild, um palácio renascentista de 1912 ricamente decorado com muitas obras de arte, famosos jardins e porcelanas que pertenceram a Maria Antonieta, a rainha que perdeu a cabeça na Revolução Francesa.

Leia também:


Saint-Jean-Cap-Ferrat
Saint-Jean-Cap-Ferrat

30 Beaulieu-sur-Mer

Beaulieu-sur-Mer fica situada onde o cabo de Saint-Jean-Cap-Ferrat encontra o continente, com vista para a Baie des Fourmis. 

Não deixe de visitar a marina e a Villa Grecque Kérylos, um palácio grego de 1902.

Beaulieu-sur-Mer
Beaulieu-sur-Mer

31 Èze

Èze fica localizada no alto de um penhasco acima do Mar Mediterrâneo, e é um vilarejo de pedra daqueles de sonhos, com prédios restaurados enfeitados com muitas flores e ocupados por boutiques, ateliês de artistas, galerias de arte, restaurantes charmosos e cafés.

Bem no alto da aldeia medieval, existem ruínas de um château cercadas pelo Jardin Exotique. As vistas são incríveis - é possível ver Mônaco e a Itália!


Èze
Èze vista da (estrada) Grand Corniche

32 Wissembourg

A primeira cidadezinha francesa que visitamos na nossa viagem pela Alsácia foi Wissembourg, onde estacionamos na Avenue de la sous Préfecture, ao lado da Abadia e a meia quadra de distância da Maison du sel, principal ponto turístico da cidade. 

Wissembourg não é uma das cidadezinhas mais 'famosas' da Alsácia, mas eu a-do-rei justamente por ser pouco turística e mais 'real'. 

Embora não seja uma pequena aldeia, e sim uma cidade maiorzinha - tinha até um bom mercado natalino na rua onde estacionamos - os principais pontos turísticos e a parte mais bonitinha ficam concentrados nos arredores da Maison du sel, e dá para andar a pé por tudo ali em uma hora.

Não é difícil encontrar vaga para estacionar por ali. 

Wissembourg
Wissembourg

33 Hunspach


De Wissembourg, seguimos para Hunspach, a poucos kms dali, que faz parte da 'liga' das mais belas aldeias da França, e a distinção não é somente por ser 'bonitinha', e sim pelo fato de que é a única cidadezinha da Alsácia que tem todas as casas em estilo enxaimel, pintadas de branco! 

Enquanto em outros povoados da região as casinhas são coloridas, pintadas na sua maioria em cores pastel, em Hunspach é tudo branquinho, o que a torna diferente de todos os outros vilarejos. 

A única opção 'decorativa' que resta aos moradores é escolher o colorido dos gerânios que vão plantar nas janelas de suas casas, para dar um toque de cor à cidade! 😂

Hunspach é bem pequenina, você entra, anda umas poucas quadras e já está saindo de novo. Dá para andar por tudo a pé em uma hora. 

A ruazinha mais linda é a Rue Principale, nas imediações da igreja, que tem uma torre de tijolinhos vermelhos. 

Nós estávamos viajando de motorhome pela Alsácia e, naquela noite, fizemos free camping em Hunspach num estacionamento que encontramos na Rue des Vosges. 

Estacionamos nosso motorhome e passamos a noite ali 'na faixa'. 


Hunspach
Hunspach

34 Estrasburgo

Estrasburgo fica no leste da França, fronteira com a Alemanha, na margem esquerda do Rio Reno. Durante muitos anos, foi disputada pela Alemanha e França. Depois de muitas guerras, hoje ela é finalmente francesa.

Justamente por ter essa localização premiada e uma mistura das culturas alemã e francesa, os pratos típicos que você encontra por lá são uma combinação das melhores partes da gastronomia dos 2 países: pretzels, salsichas, chucrute e joelho de porco, tudo com um toque da culinária francesa!

A cidade fica situada na Rota do Vinho da Alsácia, e é conhecida por seu Marché de Noel (mercado de Natal).

Strasbourg foi o local onde, em 1570, ocorreu a 1ª edição do mais antigo mercado de Natal na Europa, que era chamado Christkindelsmärik ('mercado do Menino Jesus'). Desde então, a cidade mantém a tradição de um mercado natalino autêntico.

Eu sei que todo mundo indica Colmar como o lugar mais turístico da Alsácia francesa (falarei mais sobre Colmar mais abaixo) e, de fato, a cidade é mesmo um amor, mas acredito que isso se deve ao fato de que todo mundo vai apenas a Colmar e não vai até os outros vilarejos, e aí acaba sempre indicando a mesma Colmar, que é lindíssima, sim, mas...cidade grande por cidade grande, gostei mais de Estrasburgo. Gosto é gosto, não é?

Estivemos lá em dezembro, e talvez tenha sido por causa dos mercados de Natal, das luzinhas coloridas, das decorações natalinas, do 'vin chaud' (quentão), das musiquinhas de Natal tocando nas ruas e das banquinhas vendendo 'comfort food'...mas o fato é que morri de amores por Strasbourg!

Estrasburgo é uma cidade grande, cheia de atrações, onde você certamente passará mais tempo do que nos vilarejos. Não é como as cidadezinhas pequenas ali pelos arredores, que dá para conhecer em 2 ou 3hs de passeio. Em um dia, você consegue visitar a cidade, mas, se tiver mais tempo, aconselho a ficar mais! Embora não seja uma cidade com muitos pontos turísticos tradicionais para se visitar, como museus igrejas, campanários, etc...é um lugar lindíssimo para passear a pé e se perder pelas suas ruazinhas lindas!

Coloque na sua lista de atrações imperdíveis em Estrasburgo:
  1. Catedral de Strasbourg
  2. Andar pelas ruas e canais
  3. Palácio Rohan
  4. Bairro Petit France
  5. Barrage Vauban com sua Terrasse Panoramique
  6. Praças Kléber, Gutenberg, du Château e Broglie
  7. Ponts Couverts
Para descobrir mais sobre as atrações de Estrasburgo, onde estacionar, onde pernoitar com um motorhome em Estrasburgo, e onde conseguir água, esgoto, energia e gás para abastecer a sua casinha sobre rodas, veja meu post específico sobre Estrasburgo.

35 Obernai

A apenas 30Km de Estrasburgo fica Obernai, outra linda aldeia francesa. 

Estacionamos na (rua) Rempart Mgr Caspar (grátis) e passeamos a pé pela cidadezinha - adorei o presépio montado na pracinha central, com animais de verdade! 

Uma hora de caminhada pelo centrinho é tempo suficiente para ver o principal do vilarejo. 

Eles têm vários restaurantezinhos charmosos que estavam cheios de gente, e todos servem ostras e 'vin chaud'.


Obernai
Obernai

36 Bergheim

Ainda na Alsácia, seguimos até Bergheim, onde paramos num estacionamento ao lado do portão de entrada da cidade, a Porte Haute (grátis). 

As estradinhas, nesta região, valem o passeio, com muitos parreirais e outras aldeias nas colinas - dá vontade de ir parando e conhecendo cada uma delas - se você tiver tempo, não hesite em fazer isso! 

O Peg voou o drone em Bergheim, almoçamos no nosso motorohme com uma bela vista, passeamos bastante pela cidade (a pé e de motorhome), que estava entregue às moscas (estivemos lá no inverno), e seguimos viagem por mais 5Km até Ribeauvillé, o povoado vizinho. 

Bergheim é uma vila menos turística, mas talvez mais autêntica e tão bonita quanto as primas mais famosinhas. O tipo de lugar onde você ainda vê os moradores batendo os cobertores nas janelas, sabe como é?

Mais lugares para conhecer na França:


Bergheim
Bergheim

37 Ribeauvillé

Ribeauvillé é famosa pela beleza e charme, e é movimentadíssima. 

Passamos um Natal lá, pernoitando no nosso motorhome, pois conseguimos uma vaga ótima num estacionamento ('Parking Autocar') para motorhomes bem na entrada do centrinho da vila, a Grand'Rue

Esse estacionamento funciona com parquímetro das 9 às 19hs, com uma tarifa única de € 2 por 5hs. Entre 19 e 9hs não precisa pagar nada para pernoitar.

Passeamos de um lado a outro por toda a aldeia - em 1h de caminhada é possível atravessar a cidade, ida e volta! 

Não deixe de ir, no mínimo, até a praça onde fica a Prefeitura. 

É uma vila beeeem turística, onde a maioria dos prédios que se vê na rua principal são, de alguma forma, dedicados ao turismo, seja na forma de lojinhas de souvenirs, restaurantes, pousadas ou mercadinhos vendendo coisas deliciosas para comer.

Leia mais:


Ribeauvillé
Ribeauvillé

38 Riquewihr

De Ribeauvillé, seguimos por 5Km até nosso próximo destino, Riquewihr

Paramos num estacionamento na entrada da cidade, a uma quadra do Hotel de Ville - a Prefeitura - que tem um túnel embaixo, por onde se entra na cidade murada. 

Esse estacionamento custa € 3 por 2hs, preço mínimo, e tem até esgotamento sanitário para motorhomes! Uma beleza, a uns 100m da vila medieval 😏

Não é difícil encontrar esses estacionamentos para turistas perto dos centros históricos dos pequenos vilarejos da Alsácia. Eles são bem sinalizados, e é só seguir o fluxo de veículos. 

Também não é difícil identificar a parte 'turística' destas cidadezinhas: elas são minúsculas e, de regra, é só ir olhando, pelo Google Maps, qual é a ruazinha que atravessa o povoado de um lado a outro - normalmente essa será a ruazinha onde se concentra o turismo. 

Não pesquisei nada sobre essas vilinhas francesas da Alsácia antes de irmos viajar - só fui anotando dicas de nomes das aldeias que seriam as mais charmosas e olhei fotos delas no Instagram - tudo o que vimos na viagem foi surpresa para nós, não tínhamos mapas e nem guias de viagem, não li nada sobre elas em blogs e, mesmo assim, não tivemos qualquer dificuldade de chegar, estacionar e passear, identificando 'in loco' os principais pontos turísticos de cada uma. 

É fácil e muito gostoso fazer assim, sem "obrigações" de turistar aqui e ali; sem criar grandes expectativas, tudo o que a gente encontra pelo caminho é uma surpresa! Experimente! 

A vila de Riquewihr é cheia de vinhedos ao redor dela, um lugar encantador, mais ainda quando aparecia o sol.

As 2hs de estacionamento são mais do que suficientes para atravessar a cidade de um lado a outro, e ainda experimentar algumas das delícias dos mercados natalinos!

Veja também:

39 Kientzheim

No caminho até Kientzheim, dirigimos em meio aos vinhedos da Alsácia, uma paisagem sensacional. 

Foi um dos trechos de estrada mais bonitos da nossa viagem. Tudo aquilo que a gente imagina quando pensa nos vinhedos franceses.

Kientzheim não é uma aldeia muito conhecida e, assim, é fácil encontrar vagas para estacionar nas proximidades das muralhas medievais que cercam a cidade. 

Essas cidadezinhas desconhecidas que a gente encontra nos nossos caminhos são a cereja do bolo - na maioria das vezes, essas surpresas inesperadas no roteiro são justamente os lugares que mais nos surpreendem positivamente. 

O Lipe adorou ver o tanque de guerra usado pela Legião Estrangeira para libertar a cidade em 1944, que está lá estacionado até hoje do lado de fora das muralhas.

Leia mais:

Kientzheim
Kientzheim

40 Kaysersberg

Ao lado de Kientzheim, está localizada Kaysersberg, que eu arrisco dizer que foi talvez a cidadezinha de que mais gostei na Alsácia inteira. 

O povoado tem um jeitinho mais alemão do que francês, com menos 'frufrus', parece mais antigo e mais autêntico, com muito menos turistas. 

Em Kaysersberg, estacionamos em 2 lugares diferentes, um em cada extremo da cidade, e passeamos bastante a pé pelo vilarejo. Como não tem tantos turistas por lá, não é difícil encontrar vagas, e o estacionamento é barato. 

Ao lado de um deles, tinha até uma pracinha, onde o Lipe se esbaldou.

Atravessamos a vila passeando a pé de um lado a outro, em mais ou menos 1h. 

Tem uma parte da cidade, onde passa o rio, que parece um sonho de tão linda, uma das paisagens mais bonitas que vimos neste roteiro pela Alsácia!

Voamos o drone lá e fizemos imagens lindas do castelo que fica em uma colina sobre a cidade.

Mais dicas de lugares para conhecer na França:

41 Colmar

Colmar é uma cidade bem maior do que os outros pequenos vilarejos que visitamos na Alsácia, embora não seja tão grande quanto Estrasburgo e, para caminhar pelo seu centro histórico, conhecendo as principais praças, igrejas e Petite Venise, você vai precisar de umas 4hs, no mínimo. 

Petite Venise é a parte da cidade onde ficam os canais mais charmosos, por isso o nome! 

Os mercados natalinos estavam lindos quando estivemos lá (em dezembro), muito iluminados à noite e cheios de comidas (bem francesas) deliciosas, como crepes e frutas banhadas em fondue de chocolate! 

Experimentei 'vin chauds' (vinho quente, igual aos nossos quentões) em quase todos os mercados de Natal da cidade, que são vários kkkkkk...para você ter uma ideia, cada copo custa € 2,50, e você paga € 1 a mais de depósito pelo copinho - devolvendo o copinho, recebe seu € de volta. 

Aliás, vale dizer que os mercados natalinos de Colmar são os que duram mais tempo, até depois do dia 24 de dezembro! Em Estrasburgo, por exemplo, eles se encerram no dia 24 mesmo. 

Para descobrir onde estacionar em Colmar, e onde pernoitar no motorhome, veja nosso post viajando de motorhome pela França.


Colmar
Colmar

42 Eguisheim

Eguisheim é uma vila francesa de apenas 1850 habitantes, situada no departamento do Haut-Rhin. Pertence à rede 'as mais belas aldeias da França', e se localiza na Rota do Vinho da Alsácia

Em Eguisheim, paramos num estacionamento na frente de uma das entradas da cidade murada, que custava € 3 por dia (tarifa única), e tinha que pagar entre 9 e 19hs, todos os dias. 

Se você quiser pernoitar de motorhome na cidade, pode ser uma boa opção de free camping, pois é grátis à noite. Vimos outros estacionamentos ao redor da cidade também, inclusive um que parecia exclusivo para motorhomes, pois tinha vários "colegas" estacionados lá. 

A cidadezinha é minúscula, e passeamos a pé por toda ela em 1h de caminhada. A aldeia é toda circular, uma coisa beeeem medieval - vista de cima, parece um labirinto (voamos o drone lá, uma visão fantástica). 

No miolo do povoado, fica situado o castelo, onde nasceu o Papa Leão IX. 

Os vinhedos nos arredores da cidadela são lindos. Coloque Eguisheim na sua lista de lugares para conhecer na França!


Eguisheim
Eguisheim

43 Parque do Pequeno Príncipe

Além da Disney Paris e do Parque Astérix, há um outro parque na França que os pequenos viajantes adoram: o Parque do Pequeno Príncipe, ou 'Le Parc du Petit Prince', situado na região da Alsácia.

É um parque temático inteiramente inspirado no herói da obra de Antoine de Saint-Exupéry.

Se você decidir fazer um roteiro pela Alsácia com criança pequena, vale a pena incluir o parque na sua programação - ele fica localizado em Ungersheim, perto de Colmar. 

Inaugurado em 2015, o parque inspirado no Pequeno Príncipe tem mais de 30 atrações temáticas, incluindo 2 balões que sobrevoam a região, com vistas dos Alpes e da Floresta Negra.

A aviação e a astronomia são um dos grandes temas do empreendimento, mas não são os únicos - no Parc du Petit Prince os pequenos visitantes poderão conhecer raposas e ovelhas, interagindo com os animais que fazem parte do livro, podem passear em tobogã, trem, carrossel, labirinto, roseiral, ver borboletas, cinemas, fontes de água, encontrar personagens do livro e balanços gigantes.

O parque também tem várias opções de restaurantes e lojinhas. 

É um parque fofo para os mais pequenos, mas não vá com expectativas de encontrar algo tipo a Disney - não é esse tipo de parque! É um parque simples e lúdico, um grande playground, e a dica é que você leia o livro com o seu pequeno viajante antes de ir ao parque, para que ele reconheça os personagens e entenda as referências do parque ao livro - assim, o passeio vai ficar bem mais legal!

mapa do Parque do Pequeno Príncipe
mapa do Parque do Pequeno Príncipe

Ainda tenho vários outros lugares para conhecer na França, de preferência numa roadtrip de motorhome, como Carcassone, Aix-en-Provence, Arles, Avignon, Bordeaux, Biarritz, Lourdes, Chamonix e Annecy, além de todas as aldeias classificadas como 'as mais belas vilas da França' (são mais de 150!), então espero poder complementar este post com muitos outros lugares para conhecer na França em breve!

Você já esteve na França? Viajou pelo país? 

Nós adoraríamos ter as suas contribuições aqui no blog! Deixe as suas dicas na nossa caixa de comentários, por favor!

Durante as nossas viagens pela França, usamos as hashtags #PVnaEuropa e #LipenaEuropa nas nossas redes sociais 😊

Veja também esse vídeo das nossas aventuras numa viagem a Paris:




Saint-Malo, França: a cidade murada mais linda da Bretanha
Chartres, na França: destino imperdível nos roteiros pelo Vale do Loire e pela Normandia
Normandia e o Dia D: 5 lugares da 2ª Guerra Mundial para conhecer na França
Deauville e Trouville-sur-Mer, na Normandia: tudo o que você precisa saber
Honfleur, França: o vilarejo mais charmoso da Normandia
Étretat e Le Havre, na Normandia: o que fazer
Rouen, França: o que fazer na capital da Normandia
Giverny: como visitar a Casa e os Jardins de Monet
Como voar grátis de Amsterdam para Londres e Paris
Como é voar na classe econômica da Air France
Estrasburgo: viajando de motorhome pela França
11 lindas aldeias francesas na Alsácia: viajando de motorhome pela França
França: o que você precisa saber antes de ir
Como é um passeio bate e volta de Paris ao Vale do Loire, na França
Roteiro para uma viagem de motorhome de 30 dias pela Europa
Mercados de Natal na Europa

Guia de bolso de Paris: do tamanho certo para levar na sua mochila
Os 10 museus mais populares do mundo
Filminhos que inspiram viagens para os pequenos viajantes

Viagens dos nossos amigos pela França

Paris com crianças: guia e dicas
Roteiro de 7 dias pelo norte da França: Vale do Loire, Saint Malo e Mont Saint Michel
Vale do Loire na França: roteiro de 4 dias
6 dias em Paris e Normandia
Relato de viagem de motorhome de 2 semanas pela França, Suíça e Itália
Relato de viagem de motorhome pela França, Bélgica e Suíca, com todos os custos e perrengues
Relato de viagem pela Rota dos Contos de Fadas na Alemanha e Alsácia Francesa


Não esqueça de curtir a fan page no Facebook para acompanhar as nossas aventuras!

Assista todos os nossos vídeos no YouTube - aproveite e já se inscreva lá nos nossos canais!

Veja fotografias e dicas das nossas viagens no Instagram.

Você também nos encontra aqui: Facebook / Twitter / Instagram / Pinterest / YouTube

lugares para conhecer na França

Share

Claudia Rodrigues Pegoraro

Comente este Post:

1 comentários:

  1. Em França só conheço a zona de Paris e dos Pirinéus!!

    Novos posts: https://abpmartinstravelwithme.blogspot.com/

    Um beijinho ❤︎

    ResponderExcluir