Menu

O que fazer em Paris | França: lista completa com as melhores atrações da capital da França

Paris é a viagem dos sonhos de muita gente - e você, já sabe o que fazer em Paris quando tiver a oportunidade de conhecê-la? Aqui você vai encontrar uma lista completa com as melhores atrações da capital da França!
O que fazer em Paris
Paris é a viagem dos sonhos de muita gente - e você, já sabe o que fazer em Paris quando tiver a oportunidade de conhecê-la? Aqui você vai encontrar uma lista completa com as melhores atrações da capital da França!
Depois de 5 visitas à capital francesa, percebi que não tinha aqui no blog, ainda, uma lista completa com as melhores atrações de Paris, então decidi escrever um post com um resumo do que fazer em Paris - um checklist dos pontos turísticos que não podem faltar no seu roteiro pela cidade.

Paris é o tipo de cidade capaz de te surpreender a cada visita. Mesmo que você passe meses (ou até anos) em Paris, provavelmente existirão passeios que nunca fez.

Cidade mais populosa da França, Paris é conhecida pelo romantismo e charme, é berço de cultura e arte.

Em Paris, existem atrações para todos os gostos, idades e orçamentos.

É uma cidade que pode ser visitada em qualquer época do ano - embora o outono e a primavera sejam as melhores épocas para conhecê-la, em cada estação você conhecerá uma Paris diferente.

Quer saber o que fazer em Paris? Neste post fiz uma lista completa com as melhores atrações da capital da França. Vem comigo!

Para idéias de passeios bate e volta desde Paris, como Chartres, Giverny, Versailles, castelos no Vale do Loire ou parques temáticos como a Disney e o Parc Astérix, veja aqui: 43 lugares para conhecer na França

Para dicas de hospedagem em Paris, veja: Onde ficar em Paris

No final deste post também tem uma lista completa de todos os posts sobre Paris e a França aqui no blog - tem muita informação lá:

O que fazer em Paris

A gente passa a vida pensando em Paris como a cidade que inspirou Hemingway, os pintores impressionistas e tantos filmes e músicas de amor. 

Mas, quando você finalmente visita Paris pessoalmente, e vê com seus próprios olhos a vista do Trocadéro, Notre-Dame iluminada à noite e as ruas de Montmartre, o charme dessa cidade espetacular ultrapassa qualquer cliché. 

Com tanta história de tantos séculos espalhada por todos os 'arrondissements' da Cidade Luz, mesmo com todos os percalços que mencionei no meu último post aqui no blog, continua valendo a pena visitar Paris, e foi bem difícil fechar uma lista resumida das melhores atrações de Paris...

👉Lembre-se que a minha lista abaixo não está em ordem de preferência! Fui escrevendo conforme fui lembrando - já foi difícil o suficiente fechar essa lista - imagine colocar em ordem de importância...impossível!

👉A dica é ir lendo e selecionando os lugares que te agradarem, já que estas atrações são mais do que suficientes para preencher uns 10 dias em Paris!

Sujeita a chuvas e trovoadas, lá vai:

O que fazer em ParisO que fazer em Paris
O que fazer em Paris

O que fazer em Paris
O que fazer em Paris

Torre Eiffel

A Torre Eiffel é uma torre de ferro do século 19 localizada no Champ de Mars, que se tornou um símbolo mundial da França.

É o edifício mais alto de Paris, e é também o monumento pago mais visitado do mundo, com milhões de turistas indo conhecê-lo anualmente. Imagine o tamanho das filas! A dica é comprar os ingressos online com antecedência.

Torre Eiffel
Torre Eiffel

Place du Trocadéro

Place du Trocadéro é o melhor lugar para tirar algumas fotos épicas da Torre Eiffel, mas vá preparado para se acotovelar com milhares de outros turistas que certamente terão a mesma ideia.

É um espaço aberto e elevado, com uma vista panorâmica maravilhosa do marco mais icônico de Paris, cheio de golpistas e vendedores ambulantes - tenha cuidado com os batedores e carteira e não vá cair nos golpes mais banais que eles ainda aplicam em turistas desavisados lá, como os golpes dos copinhos e do anel.

Place du Trocadéro
Place du Trocadéro vista do alto da Torre Eiffel


Torre Eiffel
Torre Eiffel vista da Place du Trocadéro

Catedral de Notre-Dame

A Cathédrale Notre-Dame de Paris é a maior expressão da arquitetura gótica francesa, um lugar que viu a coroação de reis e imperadores, casamentos de rainhas, a canonização de Joana D'arc e resistiu à Revolução Francesa e ao nazismo invadindo Paris.

A icônica fachada da catedral e os vitrais das rosáceas do século 13 atraíam multidões de turistas todos os anos - até o incêndio que, em abril de 2019, devastou grande parte da catedral.

Foi muito triste assistir pela televisão aquele lugar - que guardava a coroa de espinhos, pregos da cruz de Cristo e até um fragmento da própria cruz - queimando...ver a flecha caindo, o sino de várias toneladas, as gárgulas, o órgão - que era um dos maiores do mundo, os 400 degraus em espiral até o topo...tudo em chamas 😓

Fiquei lembrando que a visitei pela última vez com o meu pai, e torcendo muito que os bombeiros conseguissem salvar o máximo possível desse Patrimônio da Humanidade, dessa obra-prima que era uma das atrações turísticas mais populares da França, e talvez do mundo, com milhões de visitantes por ano - ouvi falar em mais de 30 mil visitantes por dia!

Quando estivemos em Paris em setembro de 2019, os esforços de limpeza ainda estavam acontecendo na praça de Notre-Dame e nas ruas ao redor da igreja e, pelo que pudemos testemunhar, a destruição foi grande e as obras de reconstrução/restauração devem levar vários anos.

Quando a catedral for reaberta, provavelmente as visitas não serão mais gratuitas, já que os custos de renovação serão bilionários, né...

De qualquer forma, a catedral continua sendo o coração pulsante de Paris, e os visitantes ainda podem apreciar a fachada gótica francesa do prédio de longe, ou de um passeio de barco pelo Rio Sena.

Não pode visitar Paris sem ao menos dar uma espiadinha no que restou dos 900 anos de história da Catedral de Notre-Dame!

Catedral de Notre-Dame
Catedral de Notre-Dame antes do incêndio

Catedral de Notre-Dame
Notre-Dame depois do incêndio, vista de um passeio de barco

Museu do Louvre

O Musée du Louvre, uma antiga residência real do século 13, que foi transformada em museu em 1793, durante a Revolução Francesa, é lar de obras de arte que vão desde o milênio 7 a.C. até a década de 1850.

 As coleções estão distribuídas em 5 andares e 3 alas entrelaçadas entre si, que levam os nomes de 3 franceses ilustres: Richilieu, Sully e Denon.

A 1ª coisa que você precisa saber é que o Louvre é extremamente lotado - afinal, é o museu mais visitado do mundo.

Eu detesto comprar ingressos antecipados para atrações turísticas. Pior ainda se forem ingressos do tipo com hora marcada. Odeio não ter flexibilidade para mudar de idéia, alterar o roteiro. Mas, no caso do Louvre, tenho que dizer que vale a pena comprar bilhetes online antecipados. Quando fui comprar, na véspera da nossa visita, já não tinha mais nenhum ingresso para a manhã seguinte! E pior, para comprar no site do Louvre, era solicitado aquele código de segurança que o Visa envia pro celular - mas, estando na França, eu não tinha como receber o tal código no meu telefone brasileiro (eu estava usando o simcard da @easysim4u na viagem).

A solução foi comprar no site da Tiqets e pagar 3 euros a mais em cada ingresso - os ingressos custam 17 euros, e a Tiqets abusivamente cobra 20 euros 😞

Pelo menos para comprar no site deles não era solicitado o tal código de segurança.

Quando chegamos ao Louvre, antes do horário marcado, tinha uma fila imensa de gente na chuva tentando comprar ingressos para aquele dia, sem sucesso.

A nossa fila, de quem tinha ingressos comprados antecipadamente, andou bem rapidinho.

Ficamos no Louvre das 13 às 17hs, saímos de lá com os pés doendo e, mesmo sendo minha 4ª vez no maior museu da França, sinto que ainda tenho tanto para ver!

A fila para ver a Monalisa é uma piada - contei mais aqui: Vale a pena visitar Paris? - mas, mesmo que você não esteja disposto a ficar 45min numa fila para ver a obra-prima de  Leonardo da Vinci, pelo menos passe pelo museu para ver a famosa pirâmide de vidro de I.M. Pei e tantas outras maravilhas da arte mundial que estão expostas lá.

Museu do Louvre
Museu do Louvre e a famosa pirâmide de vidro de I.M. Pei

Os 'must see' do Louvre são tantos que a lista fica infinita e até um pouco cansativa. Aqui segue um checklist dos meus favoritos:
  • Centauro e o cupido
  • Código de Hamurabi
  • Hermafrodita
  • Vitória da Samotrácia
  • Vênus de Milo
  • Liberdade guiando o povo 
  • Coroação de Napoleão
  • Jóias da Coroa
  • Pinturas de Vermeer
  • Escriba sentado
  • Intendente Ebih-il
  • Antiguidades egípcias, gregas e romanas
  • Cavalos de Marly
A dica é escolher uma ou 2 obras de arte mais importantes em cada um dos 4 andares e ver o que estiver no seu trajeto. Nem cogite de tentar conhecer tudo numa só vista: é humanamente impossível!

Museu do Louvre
Monalisa de  Leonardo da Vinci

Museu do Louvre

Museu do Louvre
Coroação de Napoleão

Museu d'Orsay

Uma vasta coleção de obras de arte impressionistas é o que você vai encontrar no Musée d'Orsay, o 2ª museu mais visitado de Paris, só perdendo, em número de visitantes, para o Louvre. 

As obras de arte de Van Gogh, Degas, Toulouse Lautrec, Renoir, Cézanne e Rodin são impressionantes, mas não esqueça de olhar além das pinturas para admirar também o teto arqueado e a arquitetura fenomenal do edifício onde o museu está situado, que era uma antiga estação de trens.

O grande relógio da estação é lindíssimo!

Museu d'Orsay
Museu d'Orsay

Museu Rodin

O Musée Rodin é uma propriedade linda, com um jardim cheio de esculturas famosas como 'O Pensador', 'O Beijo' e 'Os Portões do Inferno'.

Foi inaugurado em 1919 no Hotel Biron, e é dedicado especialmente às obras de arte do escultor francês Auguste Rodin, mas também tem pinturas de Vincent van Gogh, Renoir, Camille Claudel  e Monet, que Rodin havia comprado para sua coleção pessoal.

A coleção tem milhares de esculturas, desenhos, fotografias antigas, objetos de arte, gravuras, pinturas, cerâmicas e documentos.

Foi o museu menos lotado onde já estive em Paris, e só o fato de poder ver 'O Pensador' ao vivo já valeu o custo do ingresso.

Museu Rodin
'O Pensador' no Museu Rodin em Paris

Musée de l'Orangerie

O Musée de l'Orangerie, localizado na ponta do Jardin des Tuileries, é o único lugar onde você pode admirar os famosos murais de Nymphéas (nenúfares) de Monet.

Se puder, deixe para ir lá depois de visitar a casa e os jardins de Claude Monet em Giverny: Como visitar a Casa e os Jardins de Monet em Giverny

A visita a este pequeno museu fica ainda mais interessante depois que você conheceu de perto os jardins pintados pelo famoso pintor impressionista e viu as ninfeias ao vivo e a cores na casa onde Monet viveu em Giverny, bem pertinho de Paris.

Musée de l'Orangerie
 murais de Nymphéas de Monet no Musée de l'Orangerie em Paris

Musée Picasso

O museu dedicado a Pablo Picasso em Paris vale uma visita para quem é fã do pintor - mesmo para quem já viu muitas obras de Picasso espalhadas em museus mundo afora.

O Musée Picasso foi fundado em 1985 no Hôtel Salé, um 'hôtel particulier' no Marais, na Rue de Thorigny, no 3º arrondissement de Paris, e possui várias obras menos conhecidas do pintor espanhol: a coleção tem mais de 5 mil pinturas, esculturas, desenhos, cerâmicas, gravuras e cadernos, além de milhares de peças arquivadas do repositório pessoal de Picasso, incluindo o arquivo fotográfico do artista, papéis pessoais, correspondência e manuscritos seus, doados pela família de Picasso após sua morte, de acordo com os desejos do artista, que morou na França entre 1905 e 1973.

Picasso Museum Paris
Musée Picasso

Jardin des Tuileries

O Jardin des Tuileries é um parque com uma localização perfeita em Paris: de um lado, o Louvre, de outro, a Place de la Concorde.

A dica é caminhar de um lado a outro do parque, para conhecer um verdadeiro jardim formal francês do século 17 - o mais antigo de Paris.

Jardin des Tuileries
Jardin des Tuileries

Champs-Elysées

A Avenue des Champs-Élysées (ou dos 'Campos Elíseos') é a avenida mais famosa de Paris, formando o eixo histórico da cidade, cheia de cinemas, cafés, boutiques de luxo, restaurantes e muitas árvores nas calçadas, com aluguéis milionários.

A avenida tem 71m de largura por 1,9Km de comprimento, e inicia na Place de la Concorde, junto ao Obelisco de Luxor, terminando na Praça Charles de Gaulle, antiga Place de l'Étoile, onde nada menos que 12 avenidas de cruzam, e está localizado o Arco do Triunfo.

O prolongamento dela, para noroeste, em direcção ao Grande Arco de la Défense, se chama Avenida de la Grande Armée.

Um dos principais destinos turísticos de Paris, lá se situam o Théâtre Marigny, o Grand Palais, o Palácio do Eliseu, etc.

Os primeiros projetos de construção desta grande avenida em linha reta são de 1667, e a avenida foi sendo prolongada ao longo do século 18.

É lá que acontecem os grandes protestos e desfiles patrióticos franceses, como as celebrações dos finais das guerras e, também - quem não lembra - da vitória na Copa do Mundo...

Champs-Elysées
Champs-Elysées

Arco do Triunfo

Arco do Triunfo foi construído por Napoleão Bonaparte para homenagear as suas próprias conquistas - super modesto, né!?

As vistas do alto do Arco do Triunfo são impressionantes - eu inclusive achei mais legais do que as vistas da Torre Eiffel, embora subir na torre mais famosa do mundo também seja um programa imperdível...na dúvida, suba nas duas!

É uma subida meio claustrofóbica até o topo, mas, lá em cima, as vistas panorâmicas de 360 ​​graus de Paris valem a pena.

Dá para perceber direitinho que você se encontra na 'praça da estrela' (Place de l'Étoile), um cruzamento de 12 avenidas, sendo a mais famosa delas a Avenue des Champs-Élysées.

Importante: cadeirantes e famílias com carrinhos de bebê podem subir de elevador.

Importante 2: não atravesse a rua para chegar ao Arco do Triunfo! Há uma passagem subterrânea para fazer a travessia em segurança!

Arco do Triunfo
vista do alto do Arco do Triunfo

Arco do Triunfo
Arco do Triunfo

Basílica de Sacré-Coeur

Perdendo em altura apenas para a Torre Eiffel, Sacré-Coeur é uma imponente basílica romano-bizantina, com uma subida íngreme em forma de um lindo jardim em Montmarte, uma colina ao norte de Paris.

Saiba que o seu interior não é tão especial quanto a parte externa da igreja e as vistas do topo da colina - que eu considero um programa simplesmente imperdível em Paris, junto com uma visita à Place du Tertre, ali ao lado.

Se estiver com crianças ou idosos, você pode poupar fôlego subindo até lá pelo funicular, usando os mesmos bilhetes do metrô.

Basílica de Sacré-Coeur
para chegar à Basílica de Sacré-Coeur, você tem que encarar uma subida íngreme em forma de um lindo jardim em Montmarte

Basílica de Sacré-Coeur
vista do alto da Basílica de Sacré-Coeur

Basílica de Sacré-Coeur
Basílica de Sacré-Coeur

Place du Tertre

A Place du Tertre é uma praça no 18º arrondissement de Paris, situada a apenas alguns metros de distância da Basílica de Sacré-Coeur, perto do cume do bairro elevado de Montmartre, no ponto mais alto da capital francesa.

Era o coração da Abadia Beneditina de Montmartre, fundada em 1133 pelo Rei Luís 6. A Abadia prosperou ao longo dos séculos, até a Revolução Francesa, sob o patrocínio dos Reis da França. A praça foi aberta ao público em 1635, como praça central da vila de Montmartre.

Do final do século 18 até a 1ª Guerra Mundial, toda a boemia de Paris acontecia lá - o local era refúgio de pintores, compositores, escritores e poetas, que se reuniam nos cafés situados no entorno da praça.

Hoje em dia, a Place du Tertre é apenas uma vaga lembrança da época em que Montmartre era a meca da arte moderna parisiense - um período, no início do século 20, em que pintores, incluindo Picasso, Modigliani, Salvador Dalí e Renoir, andavam por ali, morando ou trabalhando em ateliês no bairro.

Mas, com muitos artistas e caricaturistas ainda disputando uma vaga para montar os seus cavaletes ao redor desta praça, no Carré aux Artistes, a Place du Tertre continuará respirando um certo ar boemio por muito tempo.

Se não fosse pela superlotação de turistas, seria certamente um dos meus bairros preferidos em Paris.

Place du Tertre
cafés e restaurantes na Place du Tertre

Place du Tertre

Sainte-Chapelle

As fotos que a gente tira da Sainte-Chapelle são de tirar o fôlego, mas posso garantir que são apenas um aperitivo e não fazem justiça a esta capela gótica radiante na Ile de la Cité.

A Santa Capela foi construída entre 1242 e 1248, por ordem de Luís IX, para que lá fossem conservadas as relíquias da Paixão de Cristo, dentre elas a Coroa de Espinhos e o fragmento da cruz, que haviam sido adquiridas do Imperador de Constantinopla em 1239 por um valor ainda maior do que o da construção do edifício!

Se o andar térreo - a capela baixa - já impressiona, você não pode imaginar o que te espera depois de subir as escadas em espiral até a capela alta - o 1º vislumbre dos vitrais de 15m é uma experiência inesquecível, você tem a impressão de estar entrando dentro de uma caixinha de jóias, banhada de luz e de cores.

São 1.113 cenas em 15 vidraças que contam a história da humanidade, da Gênese à Ressurreição de Cristo.

Voltei lá em todas as minhas viagens a Paris, e continuo me emocionando a cada visita.

PS. Ultimamente as relíquias eram conservadas na Catedral de Nossa Senhora de Paris - não sei onde estão guardadas após o incêndio.

Sainte-Chapelle
Sainte-Chapelle

Conciergerie

Na nossa viagem mais recente a Paris, visitamos a Conciergerie gratuitamente, juntamente com a Sainte-Chapelle, pois estávamos em Paris numa semana especial do ano (em setembro), quando as visitas a alguns dos monumentos nacionais são gratuitas - mas eles possuem ingressos combinados para essas 2 atrações, que ficam praticamente no mesmo edifício, por 15 euros.

A Santa Capela e a Conciergerie são atualmente as únicas partes ainda visíveis do mais antigo palácio dos Reis da França.

A Conciergerie é o que restou do antigo Palácio de la Cité, residência e sede do poder real francês do século X ao século XIV, que se localizava onde hoje está o Palácio de Justiça de Paris, no 1º arrondissement.

Durante a Revolução Francesa, foi convertida na maior prisão do país, com a criação do Tribunal Revolucionário, e era considerada a 'antessala da morte', pois poucos saíam livres de lá.

Sua prisioneira mais célebre foi a Rainha Maria Antonieta, aprisionada em uma cela da Conciergerie em 1793, saindo de lá apenas para morrer na guilhotina. Quando estivemos lá, tinha uma exposição especial super interessante sobre o seu período de prisão na Conciergerie.

Conciergerie
Conciergerie

Ponte Alexandre III

A Pont Neuf é a mais antiga das pontes que cruzam o Rio Sena, e talvez a mais famosa, mas nenhuma outra ponte de Paris é tão linda quanto a Ponte Alexandre III.

Em estilo 'Beaux-Arts', essa famosa ponte parisiense conecta as margens esquerda e direita do Rio Sena, e rende fotos lindas, com todas aquelas estátuas douradas e as vistas espetaculares do rio.

Ponte Alexandre III
Ponte Alexandre III

Ponte Alexandre III

Jardim de Luxemburgo

O Jardin du Luxembourg é um dos espaços verdes mais famosos de Paris, lugar em que os parisienses adoram passear e relaxar.

Foi criado em 1612 por Maria de Médicis, para enfeitar o Palácio de Luxemburgo e, na minha opinião, é o parque/jardim mais especial de Paris, o que mais merece uma visita e um piquenique.

Jardim de Luxemburgo
Palácio de Luxemburgo

Jardim de Luxemburgo
Jardim de Luxemburgo

Passeio de barco pelo Rio Sena

O Rio Sena é a principal "artéria" de Paris, atravessando mais da metade dos 'arrondissements' da capital francesa.

É lindo em qualquer momento do dia, e em todas as estações do ano, especialmente ao entardecer, e os passeios de barco pelo rio, especialmente se combinados com ingressos dos ônibus turísticos (veja abaixo), ficam bem acessíveis.

Considero esse um passeio imperdível em Paris, e repito sempre que vou lá!

Passeio de barco pelo Rio Sena
passeio de barco pelo Rio Sena

Passeio de barco pelo Rio Sena

Passeio de barco pelo Rio Sena

Passeio de barco pelo Rio Sena
Rio Sena em Paris

Passeio nos ônibus hop-on, hop-off

Várias vezes já mencionei aqui no blog como nós gostamos de fazer esses passeios turísticos em ônibus hop-on, hop-off. Adoro tours guiados em que a gente tem flexibilidade de descer e subir dos ônibus onde bem entendermos, e de fazer os passeios no nosso tempo, sem correria e sem um guia turístico apressando na volta.

Além disso, esses passeios em ônibus turísticos de 2 andares são bem relaxantes e dão uma boa oportunidade da gente descansar as pernas, além de ser um modo fantástico de ter uma visão geral da cidade, se orientar, ver os pontos mais importantes em pouco tempo e depois voltar com calma aos lugares que queremos visitar com mais profundidade.

Em Paris não é diferente: como não ficaríamos tantos dias na cidade, pensamos que não haveria melhor maneira de ver o máximo de Paris em pouco tempo.

Escolhemos o roteiro da empresa Opentour, que tem 3 itinerários diferentes pela cidade, cobrindo praticamente Paris inteira.

Os ingressos, válidos por 48 horas, custaram 44 euros por pessoa, com um ótimo passeio de barco pelo Rio Sena e impostos incluídos.

Recomendo que você verifique as empresas concorrentes pela internet, veja qual delas tem o roteiro que mais se encaixa nos programas que você quer fazer, e compre os seus ingressos online, pois eles sempre oferecem descontos nas compras de ingressos feitas pela internet.

Passeio nos ônibus hop-on, hop-off
passeio nos ônibus hop-on, hop-off em Paris

Passeio nos ônibus hop-on, hop-off

Show noturno estilo cabaret

Paris é uma cidade conhecida pelos seus shows noturnos em estilo cabaret.

Os mais famosos são o Moulin Rouge e o Le Lido.

Le Lido é um show de cabaré e burlesco nos Champs-Élysées.

Foi inaugurado em 1946 e é famoso pelos shows exóticos, quem incluem dançarinos e cantores.

Assistimos a uma apresentação e achei bem divertido e realmente exótico, com muitos cenários, efeitos especiais e fantasias, uma mistureba que inclui cavalos e elefantes no palco, patinação no gelo, dançarinas de cancã e até um avião!

Você pode optar por ingressos que incluem jantar ou apenas champagne - eu saí de lá tonta de tanto champagne e dei de cara numa porta de vidro - quase quebrei o nariz...

O Moulin Rouge é um cabaré tradicional, construído em 1889 na zona de Pigalle, no Boulevard de Clichy, aos pés de Montmartre.

É famoso pelo grande moinho vermelho na fachada.

Nunca assisti um espetáculo lá - você já viu? Conta pra gente como foi!

Le Lido
Le Lido de Paris

Moulin Rouge
Moulin Rouge

Église de la Madeleine

A Igreja de Madalena, perto da Praça da Concórdia, é uma igreja dedicada a Maria Madalena, sendo famosa pela sua arquitetura, que tem a forma de um templo clássico grego, não se parecendo em nada com uma igreja católica.

A sua construção começou em 1764. Durante a Revolução Francesa, as obras foram suspensas. Em 1806, por conta das tendências anticlericais da época, acabou se transformando em um templo em homenagem ao Grande Exército, função que desempenhou até a construção do Arco do Triunfo.

Em 1842, foi finalmente consagrada como igreja católica, função que desempenha até hoje.

Além de ser toda diferentona por fora, é também linda por dentro - definitivamente merece uma visita!

Église de la Madeleine
a Église de la Madeleine mais parece um templo grego

Église de la Madeleine
interior da Église de la Madeleine

Catacumbas de Paris

Há muito eu queria conhecer as famosas Catacumbas de Paris, mas, depois de um mini-ataque de claustrofobia na subida até a cúpula da Catedral de São Paulo em Londres, dias antes, achei que a visita às catacumbas parisienses não seria uma boa ideia, e mandei minha mãe e minha irmã no meu lugar hehehehhe...

Os  ingressos custaram 14 euros por pessoa, e + 5 euros do aluguel de um audio-guia. As filas estavam longas, e elas esperaram uns bons 40min para conseguir entrar.

As Catacumbas de Paris são um imenso depósito subterrâneo de ossos, organizadas em um complexo sistema de túneis e cavernas existentes no subsolo da cidade, alguns deles a cerca de 20m de profundidade, resultantes de séculos de exploração de pedreiras, desde o período da ocupação romana.

Na metade do século 18, a maior parte das igrejas de Paris possuía seus próprios cemitérios, mas havia um enorme acúmulo de restos funerários, e eles já não sabiam mais onde colocar tantas ossadas. Em 1780, o cemitério mais importante da cidade foi fechado, por exigência da população, pois estava superlotado e os vizinhos estavam adoecendo, devido à contaminação provocada pelo excesso de matéria orgânica em decomposição. Então, em 1785, surgiu a ideia de usar os túneis abandonados das pedreiras parisienses como verdadeiros depósitos de ossos, e as primeiras ossadas foram transferidas de um dos cemitérios de Paris após as Catacumbas terem sido abençoadas, em 1786.

Inicialmente, as ossadas eram jogadas de qualquer jeito nas catacumbas, mas, a partir de 1810, começaram a ser arrumadas nos túneis "artisticamente" - ossos longos - como fêmurs e tíbias - eram colocados à frente, formando verdadeiras paredes de ossos, enfeitadas com os crânios em desenhos geométricos. Atrás dessas paredes de ossos, eram depositados os ossos menores e mais irregulares.

Embora o ossuário de Paris ocupe apenas uma parte dos túneis, todo o sistema chega a 400Km de extensão.

O local virou uma importante atração turística da cidade, com visitas organizadas, ainda em 1867.

Durante a 2ª Guerra Mundial, a Resistência Francesa utilizava frequentemente os túneis de Paris, e os alemães também usaram os túneis, chegando a construir bunkers e casamatas nas suas galerias.

As Catacumbas de Paris têm hoje restos mortais de 5 a 7 milhões de pessoas - e minha mãe e irmã confirmaram que realmente não é um lugar 'agradável' para pessoas com claustrofobia 😜

Catacumbas de Paris
Catacumbas de Paris

Galerias Printemps

Uma loja de departamentos que é um verdadeiro ponto turístico de Paris.

Suba ao terraço da loja para ter uma excelente vista panorâmica (gratuita) de Paris!

Galerias Printemps

Galeries Lafayette

No famoso Boulevard Haussmann, a Galeries Lafayette é outra loja de departamentos considerada um ponto turístico de Paris.

É conhecida pelos produtos franceses sofisticados que vende e pela maravilhosa cúpula de vitrais neobizantina.

Se estiver em Paris em dezembro, não deixe de visitá-la para ver a impressionante decoração natalina!

A loja também tem um mercado gastronômico - o Lafayette Gourmet - que é uma boa opção para comer na região.

Les Galeries Lafayette
Galeries Lafayette

Place de la Concorde

No final do Jardin des Tuileries, fica esta que é a maior praça de Paris, com vista para vários dos pontos turísticos mais imponentes da cidade.

A sua história é meio macabra: a praça foi palco de muitas execuções na guilhotina durante a Revolução Francesa. Morreram ali o Rei Luís 16, a Rainha Maria Antonieta, Robespierre e Danton, dentre outros personagens famosos da história da França, mas, ainda assim, hoje em dia monumentos como o Obelisco de Luxor e a fonte das sereias dão glamour a esta praça histórica.

Place de la Concorde
Place de la Concorde

Palais Garnier

O Palais Garnier é um dos edifícios 'Beaux-Arts' mais opulentos de Paris, em estilo neobarroco, considerado uma das obras-primas da arquitetura de seu tempo, com uma grande escadaria de mármore, lustres dourados e tetos com afrescos.

A Ópera Garnier hospeda a Ópera de Paris desde sua fundação por Luís 14, em 1669.

Mesmo que você não consiga assistir a uma apresentação - morro de vontade assistir a um espetáculo de balé lá, e ainda não consegui - é possível visitar o magnífico interior do teatro.

Palais Garnier
Palais Garnier

Panthéon

Com uma arquitetura neoclássica que, por si só, já vale a visita, o Panteão Nacional é um monumento situado no Quartier Latin, 5º arrondissement de Paris.

Depois de se recuperar de uma grave doença, o rei mandou que fosse construída uma basílica em homenagem à Santa Genoveva, a Padroeira de Paris. As obras do edifício foram encomendadas pelo Rei Luís 15 e iniciadas em 1764, mas a construção só foi concluída em 1790, e o prédio foi então laicizado pelos movimentos revolucionários burgueses, que o transformaram em Panteão Nacional.

Hoje, na cripta, repousam 70 personagens célebres da história francesa - escritores, cientistas, generais e políticos. Na fachada, lê-se: 'Aux grands hommes, la patrie reconnaissante'.

Estão enterrados lá, ou, pelo menos, têm um memorial, dentre outros, Alexandre Dumas, André Malraux, Denis Diderot, Émile Zola, Jean-Jacques Rousseau, Louis Braille, Marie Curie, René Descartes, Victor Hugo e Voltaire.

Panthéon
Panthéon Nacional

Cemitério Père Lachaise

Na minha 1ª viagem a Paris, aproveitei uma quarta-feira de cinzas nublada para visitar um lugar bem sugestivo: o Cemitério de Père Lachaise.

Praticamente tudo em Paris é bonito, então não é grande surpresa que os seus cemitérios sejam incríveis.

Père Lachaise é imenso - tente ver pelo menos os túmulos de alguns de seus mortos mais célebres, como Jim Morrison, La Fontaine, Molière, Alain Kardec, Oscar Wilde e Gertrude Stein.

Cemitério Père Lachaise
Cemitério Père Lachaise no túnel do tempo...

Place Vendôme

A Place Vendôme é uma praça no 1º arrondissement de Paris, localizada ao norte do Jardim das Tulherias.

Sua construção data de 1699, e a maior parte das fachadas - de boutiques de alto luxo e joalherias - são classificadas hoje em dia como monumentos históricos.

Foi lá que o compositor Frédéric Chopin viveu nos seus últimos anos e morreu em 1849, e é também lá que se situa o famoso Hotel Ritz Paris, onde se hospedava a Lady Di.

Hotel Ritz Paris na Place Vendôme
Hotel Ritz Paris na Place Vendôme

Place des Vosges

A Place des Vosges, situada no Marais, é uma das mais bonitas de Paris (eu a acho mais bonita do que a Place Vendôme).

É a praça planejada mais antiga de Paris, conhecida também como 'Praça Real', pois foi construída por Henri IV, em 1612.

Ela é pequena, com prédios residenciais de tijolos vermelhos todos da mesma altura, tetos pontudos e, no seu centro, tem um jardim com estátuas e fontes.

Os edifícios mais altos são os Pavilhões do Rei e da Rainha.

Place des Vosges
2 visitas à linda Place des Vosges em momentos bem diferentes da vida

Place des Vosges

Palais Royal

O Palais Royal é um palácio localizado no 1º arrondissement de Paris, em frente à ala norte do Louvre.

O mais bacana do Palácio Real são os seus jardins e o famoso pátio delimitado pelas colunas pretas e brancas do artista francês Daniel Buren.

O lugar rende ótimas fotos (e as crianças adoram!).

Palais Royal
Palais Royal

Grand Palais

O Grand Palais des Beaux-Arts, nos Champs-Elysées, é um edifício monumental no 8º arrondissement de Paris, que forma um conjunto arquitetônico impressionante junto com o Petit Palais e a Ponte Alexandre III.

Começou a ser construído em 1897 para sediar a Exposição Universal de 1900, em estilo ecléctico, com uma estrutura de ferro e aço e uma cobertura envidraçada grandiosa que impressionam.

Atualmente, abriga o Palais de la découverte, desde 1937, destinado às ciências aplicadas, e as Galeries nationales du Grand Palais, um espaço para exposições temporárias.

Em dezembro, vira uma grande pista de patinação no gelo 💙

Grand Palais
Grand Palais

Grand Palais

Petit Palais

O Petit Palais é um edifício histórico de Paris e museu de belas artes, situado junto ao Grand Palais.

O edifício também foi construído para a Exposição Universal de 1900.

Foi inaugurado como museu em 1902, com o nome de Palácio das Belas Artes da Cidade de Paris, e é cheio de murais, esculturas, vitrais, mosaicos e enfeites de ferro no portão de entrada e nas escadarias.

o Grand Palais e o Petit Palais ficam um junto ao outro, ao lado da Ponte Alexandre III

Les Halles

Shopping center subterrâneo ligado ao metrô e à Rue de Rivoli (com lojas das marcas mais chiques do mundo), Les Halles de Paris já foi um mercado atacadista de alimentos, localizado no coração da cidade, no 1º arrondissement.

O Mercado Les Halles foi criado pelo Rei Filipe Augusto no lugar de um antigo bairro judeu. Reformado em 1858, era o principal centro de abastecimento de Paris no século 19.

Esse mercado central foi demolido em 1971 e, no local, foi construído um moderno shopping center subterrâneo, o Forum des Halles, cuja área central ao ar livre fica abaixo do nível da rua, como um jardim submerso, com esculturas, fontes e mosaicos.

A estação do RER Châtelet - Les Halles, abaixo do complexo, é uma das maiores estações subterrâneas do mundo.

Em 2016 foi reinaugurado, com a construção de uma 'canopée', uma estrutura de vidro e plantas.

Les Halles
Les Halles

Hôtel de Ville

O Hôtel de Ville de Paris fica na Place de l'Hôtel-de-Ville, no 4º arrondissement. É a sede do governo municipal desde 1357.

A arquitetura da Prefeitura de Paris é da época renascentista, mas o edifício foi reconstruído depois de um incêndio em 1871, mantendo o aspecto original.

Paris teve muitas insurreições, e o Hôtel de Ville foi frequentemente ponto de encontro de manifestantes, amotinados e revolucionários. É um lugar cheio de histórias, tendo servido de cenário a muitos acontecimentos importantes, da Revolução Francesa até os dias de hoje.

Hôtel de Ville de Paris
Hôtel de Ville de Paris

Centro Georges Pompidou

O Centro Georges Pompidou é um complexo multicultural, juntando diferentes formas de arte e literatura em um único lugar, onde estão situados o Musée National d'Art Moderne, a Bibliothèque publique d'information, o IRCAM, um centro para música e pesquisas acústicas, o Atelier Brâncuși, dentre outros institutos culturais.

O centro fica localizado na área de Beauborg, no 4º arrondissement de Paris, perto de Les Halles.

Foi desenhado pelo famoso arquiteto italiano Renzo Piano e pelo arquiteto britânico Richard Rogers. O projeto foi considerado arrojado na época da sua construção, e muito criticado.

O edifício é um dos principais exemplos da arquitetura high-tech, com tubulações coloridas aparentes, escadas rolantes externas e sistema estrutural de aço. Só a arquitetura do prédio, que parece estar virado do avesso, já vale a visita!

Não deixe de subir até o topo do edifício pelas escadas rolantes panorâmicas - a vista de Paris é ótima de lá!

Centro Georges Pompidou
Centro Georges Pompidou

Parc des Buttes-Chaumont

Com penhascos, um grande lago, grutas e cascatas, o Parc des Buttes-Chaumont é uma alternativa aos parques mais formais de Paris.

Suba nas elevações rochosas para ter uma vista incrível da cidade, incluindo a Sacré-Coeur, e não deixe de visitar o Templo de Sybille (réplica de um templo romano).

Parc des Buttes-Chaumont
Parc des Buttes-Chaumont

Saint-Germain-des-Prés

Este bairro no 6º arrondissement de Paris é extremamente pitoresco, com ruazinhas de paralelepípedos e lindas varandas francesas para todos os lados.

Saint-Germain-des-Prés se desenvolveu ao redor da Abadia de mesmo nome, na margem esquerda do Rio Sena - um grande complexo monástico fundado na Idade Média, muito importante na história de Paris.

Da abadia restou apenas a igreja medieval, construída entre os séculos 11 e 12, a mais antiga da cidade ainda de pé.

O bairro é intimamente ligado à vida intelectual e cultural de Paris, com muitas livrarias e sebos nas suas ruas. Nomes como Jean-Paul Sartre, Simone de Beauvoir, Miles Davis, Ernest Hemingway, Jean-Luc Godard, François Truffaut e tantos outros filósofos, escritores, atores e músicos frequentavam os cafés de Saint-Germain-des-Prés.

Além do Café Les Deux Magots, sobre o qual eu conto mais abaixo, o Café de Flore, numa esquina do Boulevard Saint-Germain, ainda atrai jornalistas, atores e políticos.

Atualmente, tem uma zona mais chique em Saint-Germain-des-Près, com lojas de luxo, restaurantes e galerias que levam até ao Musée d’Orsay.

Os vendedores de livros vendem livros antigos nas margens do Rio Sena - adoro passear por ali!

Saint-Germain-des-Prés

Les Deux Magots

Assim como existem lojas que viram pontos turísitcos, também existem muitos restaurantes que acabam virando atrações para os turistas, pela sua história - ou até mesmo pela comida. Em Paris, a atração mais famosa desta categoria é um típico café parisiense, o Les Deux Magots.

Esse café, situado no bairro de Saint-Germain-des-Prés, era originalmente uma loja de tecidos chineses, com o mesmo nome, que, posteriormente, em 1884, se transformou numa cafeteria, hoje famosa por ter sido frequentada, ao longo de sua história, por importantes intelectuais e artistas, como Arthur Rimbaud, Albert Camus, Pablo Picasso, Salvador Dalí, James Joyce e Bertolt Brecht, que faziam dos cafés e livrarias do bairro lendários pontos de encontro.

Vale a pena tomar um café numa das mesinhas da calçada, para se sentir um verdadeiro parisiense - mas fica o aviso: minha 1ª tentativa de me sentir uma nativa foi em 1999, e os cafés já eram caros naquela época!

Dê uma espiada nas 2 estatuetas chinesas no interior do café que, dizem, deram origem ao nome do local.

Les Deux Magots
Les Deux Magots

Bois de Boulogne

O Bosque de Bolonha é um grande parque público no 16º arrondissement de Paris - uma das áreas verdes mais importantes da capital francesa - comparativamente, é 2.5 vezes maior que o Central Park, em Nova York, e 3.3 vezes maior que o Hyde Park, em Londres.

O parque Bois de Boulogne foi criado em 1852, durante o reinado de Napoleão III, no lugar de uma antiga floresta de cedros, e tem mais de 35Km de trilhas, 2 grandes lagos e uma cascata.

Foi cenário de várias experiências aerostáticas realizadas por Santos Dumont entre 1898 e 1903, culminando no histórico voo do 14-Bis em 1906.

No norte do parque, fica situado o Jardin d’Acclimatation, uma área legal para crianças, com parque de diversões, playground e uma reserva de animais (veja abaixo mais dicas de Paris com crianças).

Bois de Boulogne
nesta foto, tirada do alto da Torre Eiffel, é possível perceber como o Bois de Boulogne é imenso: todo aquele verde na parte mais alta da foto é a área do parque

Outras atrações para conhecer em Paris

É claro que ainda tenho muitos outros lugares para conhecer em Paris - como falei antes, dá para passar MESES lá e você não verá tudo!

Algumas das minhas melhores razões para voltar a Paris:

1 Rue Crémieux, uma pequena passagem no 12º arrondissement que dizem ser a rua mais charmosa de Paris, com casinhas lindas pintadas em tons pastel. Infelizmente não deu tempo de ir até lá na nossa última viagem - o caos nos transportes públicos de Paris também não ajudou...😒

2 Fondation Louis Vuitton, um museu espetacular inaugurado em 2014, que é lar de algumas das melhores obras de arte contemporânea de Paris. Só as fotos que vi do edifício, projetado por Frank Gehry, em forma de veleiro, já mostram que o invólucro é uma obra-prima por si só.

3 Butte-aux-Cailles, um bairro para ver arte de rua, no topo da colina de Butte-aux-Cailles, no 13º arrondissement. Pelo que pesquisei, é uma área com becos transformados em telas, cheios de grafites coloridos. Já fico louca para voltar, hehehe...

4 Capela de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, ou 'Chapelle Notre-Dame de la Médaille Miraculeuse', é a capela onde a Virgem Maria apareceu para Santa Catarina Labouré em 1830 e pediu a criação da medalha que veio a ser conhecida como Medalha Milagrosa. Nunca estive lá, e várias pessoas já me recomendaram a visita, dizendo que é um lugar com uma energia incrível. Quero ir!

5 Place des Abbesses e Muro do 'Eu Te Amo', praça onde está situado um muro - 'Le mur des je t'aime' - com a frase 'eu te amo' escrita em 250 idiomas. Não sei como até hoje ainda não dei jeito de ir lá...

6 Provins e o Château de Vincennes, 2 passeios bate e volta desde Paris que eu ainda estou me devendo!

Paris
Paris é inesgotável!

Quanto custa conhecer Paris

Não anotei todos os nossos gastos em Paris, e nem os preços de cada uma das melhores atrações de Paris que listei neste post, mas registrei alguns dos custos da nossa passagem mais recente pela capital francesa, e assim vocês poderão pelo menos ter uma idéia de quanto custa conhecer Paris:
  • Museu do Louvre: ingressos 17 euros
  • Ônibus hop-on, hop-off com passeio de barco pelo Rio Sena incluído: 44 euros
  • Catacumbas de Paris: ingressos 14 euros, + 5 euros do aluguel de audio-guia
  • Bilhete de metrô e ônibus em Paris: 1,49 euros cada um (o bloquinho com 10 bilhetes custa 14,90 euros)
  • Prato de paella com bebida em restaurante no Carrossel do Louvre: 18 euros
  • Táxi de Menilmontant até o Aeroporto Internacional CDG: 50 euros (é mais barato que o Uber!)
Paris

Louvre
Louvre
Arco do Triunfo
Arco do Triunfo

passeio de barco pelo Rio Sena
passeio de barco pelo Rio Sena

5 dicas infalíveis para quem vai a Paris

  • Leve um guarda-chuva portátil na mochila, pois é comum chover;
  • Use sapatos confortáveis - você vai andar muito;
  • Use o app do Google Maps no seu celular para te levar a todos os lugares, verificar horários de funcionamento das atrações e quais as melhores rotas usando os transportes públicos;
  • Aproveite as visitas a lojas de departamentos, restaurantes e pontos turísticos para usar o banheiro;
  • Assim que chegar em Paris, compre um bloquinho com 10 bilhetes de metrô/ônibus, que custa 14,90 euros, ou verifique se não há algum passe de transportes públicos válido para o nº de dias da sua estadia na cidade - observe o mapa turístico de Paris e você vai perceber que as principais atrações turísticas da capital da França se espalham por toda a área central da cidade - que é bem grande - você certamente vai precisar usar transportes públicos - ônibus e metrô - se quiser conhecer os pontos turísticos desta lista!
metrô de Paris
use e abuse do metrô de Paris, que é facílimo de usar!

Paris
faça paradas estratégicas para descansar os pés - eles vão te agradecer!

Paris com crianças

O que fazer em Paris com crianças?

Bom, para início de conversa, tenho que dizer que já escrevi um post completíssimo com dicas de passeios bate e volta desde Paris, onde falei sobre os parques temáticos localizados nos arredores da capital francesa - a Disney Paris e o Parc Astérix, veja aqui: 43 lugares para conhecer na França.

Mas, além destes lugares, que são mágicos para qualquer criança, devo dizer que Paris até que é uma cidade childfriendly, na minha opinião!

Claro que você não deve esperar que um francês te ajude com o carrinho de bebê nas escadarias do metrô, e eu não recomendaria ir com um pequeno gritão num restaurante bacana se você não quiser atrair olhares de ódio, mas é preciso dizer que Paris tem bons playgrounds nos parques, carrosséis, jardins ótimos para piqueniques, dá para passear nos ônibus hop-on, hop-off (o Lipe adora), de metrô ou de barco pelo Rio Sena, para os pequenos não cansarem as pernocas, e os museus sempre têm atrações que agradam as crianças!

Até as lojas de departamentos acabam se tornando atrações para as crianças também, com departamentos espetaculares de brinquedos - difícil é sair de lá sem deixar muitos euros!

Paris com crianças

Vou listar abaixo alguns dos lugares que eu acho mais legais para visitar com crianças em Paris:

1 Parc des Buttes-Chaumont: é um favorito com crianças - tem playgrounds, passeio de pônei e até show de fantoches;

2 Carrosséis: são uma verdadeira instituição parisiense, e tem vários espalhados pela cidade, do Jardim de Luxemburgo ao Jardin des Tuileries, da Torre Eiffel à Basílica de Sacré-Coeur;

3 Maison Berthillon: a sorveteria mais famosa de Paris - se quiser experimentar um sabor clássico, vá de 'caramel au beurre salé'!

4 Disney Store: para aqueles que, como eu, têm preguiça de 'perder' um dia em Paris enfrentando as filas do parque da Disney, sempre tem a opção de levar os pequenos até a Disney Store, nos Champs-Elysées, como consolo;

5 Aquário Cinéaque: o aquário de Paris fica na frente da Torre Eiffel, nos jardins do Trocadéro;

6 Musée de l'Armée no Hôtel des Invalides: o Museu das Forças Armadas tem entrada gratuita para crianças e é o tipo de programa que o Lipe adora, então lembrei de colocar aqui - são muitas armaduras, punhais, uniformes, armas de fogo, canhões, flechas, medalhas e tudo mais que você puder imaginar relacionado a guerras, da Idade Média até hoje em dia...até o famoso cavalo branco de Napoleeão está exposto lá no Hôtel des Invalides (empalhado, é claro!);

7 Musée Grevin: museu de cera de Paris, criado em 1882 - são centenas de personagens famosos expostos e recriações de momentos marcantes da história mundial;

8 Passage Jouffroy: é uma passagem coberta que tem 2 lojas de miniaturas - La Boite à JoujouxPain d'Épices - que vão enlouquecer seu pequeno viajante;

9 Parc de la Villette: um dos maiores parques de Paris, cheio de atrações para crianças, museu de ciência, jardins com playgrounds maravilhosos, etc.

Musée de l'Armée no Hôtel des Invalides
Musée de l'Armée no Hôtel des Invalides

Hôtel des Invalides
Hôtel des Invalides
E, claro, não deixe de assistir a estes 2 filmes imprescindíveis com o seu pequeno antes de uma viagem a Paris: O Corcunda de Notre-Dame e Ratatouille.

Leia mais aqui: Filminhos que inspiram viagens para os pequenos viajantes

👉Veja mais dicas de Paris com crianças aqui:

Paris com crianças: guia e dicas
França: o que você precisa saber antes de ir
Proibido para Adultos: a série de livros de viagens para crianças da Lonely Planet
6 dias em Paris e Normandia

Proibido para Adultos
Proibido para Adultos

Festas inspiradas em Paris

Não posso esquecer de comentar que Paris é uma vencedora no quesito de viagens que inspiram festas. As meninas, particularmente, parecem adorar festinhas de aniversário ambientadas em Paris!

Temos vários posts aqui no blog, com muita inspiração para quem quiser fazer uma festa inspirada em Paris:

Festa de aniversário com tema Paris
Festa de aniversário com tema Uma Tarde em Paris
Festa de aniversário com tema Gatos em Paris

Festa de aniversário com tema Viagem pela Provence

Você já esteve em Paris? Se tivesse que escolher os top 10 monumentos mais incríveis de Paris, quais escolheria?

Nós adoraríamos ouvir a sua opinião sobre a Cidade Luz! Deixe as suas dicas na nossa caixa de comentários, por favor!

Durante as nossas viagens pela França, usamos as hashtags #PVnaEuropa e #LipenaEuropa nas nossas redes sociais 😊

Veja também esse vídeo das nossas aventuras numa viagem anterior a Paris:
Saint-Malo, França: a cidade murada mais linda da Bretanha
Chartres, na França: destino imperdível nos roteiros pelo Vale do Loire e pela Normandia
Normandia e o Dia D: 5 lugares da 2ª Guerra Mundial para conhecer na França
Deauville e Trouville-sur-Mer, na Normandia: tudo o que você precisa saber
Honfleur, França: o vilarejo mais charmoso da Normandia
Étretat e Le Havre, na Normandia: o que fazer
Rouen, França: o que fazer na capital da Normandia
Giverny: como visitar a Casa e os Jardins de Monet
Como voar grátis de Amsterdam para Londres e Paris
Como é voar na classe econômica da Air France
Estrasburgo: viajando de motorhome pela França
11 lindas aldeias francesas na Alsácia: viajando de motorhome pela França
França: o que você precisa saber antes de ir
Como é um passeio bate e volta de Paris ao Vale do Loire, na França
Roteiro para uma viagem de motorhome de 30 dias pela Europa
Mercados de Natal na Europa

Guia de bolso de Paris: do tamanho certo para levar na sua mochila
Os 10 museus mais populares do mundo
Filminhos que inspiram viagens para os pequenos viajantes

Viagens dos nossos amigos pela França

Paris com crianças: guia e dicas
Roteiro de 7 dias pelo norte da França: Vale do Loire, Saint Malo e Mont Saint Michel
Vale do Loire na França: roteiro de 4 dias
6 dias em Paris e Normandia
Relato de viagem de motorhome de 2 semanas pela França, Suíça e Itália
Relato de viagem de motorhome pela França, Bélgica e Suíca, com todos os custos e perrengues
Relato de viagem pela Rota dos Contos de Fadas na Alemanha e Alsácia Francesa


Não esqueça de curtir a fan page no Facebook para acompanhar as nossas aventuras!

Assista todos os nossos vídeos no YouTube - aproveite e já se inscreva lá nos nossos canais!

Veja fotografias e dicas das nossas viagens no Instagram.

Você também nos encontra aqui: Facebook / Twitter / Instagram / Pinterest / YouTube

Share
Próximo
Este é o post mais recente.
Anterior
Postagem mais antiga

Claudia Rodrigues Pegoraro

Comente este Post:

0 comentários: