10 de junho de 2017

Quanto custa viajar para o Japão (e as nossas dicas para economizar)

Sabemos que muita gente não acredita e já me 'acusaram', inclusive, de estar 'querendo esconder o jogo' kkkkk...mas nós de fato nunca somamos o que gastamos numa viagem

Claro que a gente sabe quanto gastou em passagens aéreas (está lá estampado por meses a fio nas faturas dos nossos cartões de crédito), em vistos, em passes de trem, quantos dólares nós levamos e trocamos por ienes, etc, mas eu NUNCA faço a soma. 

Não sei porque algumas pessoas pensam que não queremos contar!! Tanto que sempre coloco os custos isolados de tudo o que gastamos, não temos nada a esconder, só não totalizo! Nunca escondo nada, só não curto somar. 

Saibam que os posts que mais bombam no blog são justamente os que têm "quanto custa" no título, como este. Eu sei que essa é uma das maiores dúvidas de qualquer pessoa na hora de planejar uma viagem, inclusive nossa, e eu adoraria poder ajudar mais objetivamente, dizendo "nós gastamos x na nossa viagem", mas eu simplesmente não gosto de fazer esse cálculo e não vou abrir exceção neste post, nem por vocês, nem para aumentar as estatísticas do blog kkkk...

O que eu vou fazer aqui é simplesmente explicar como vocês podem calcular os gastos que terão numa viagem ao Japão. Eu honestamente não somei os nossos custos e não somarei - não sei se gastamos 5, 15 ou 30 - se vocês resolverem somar os nossos gastos, peço encarecidamente que não me contem quanto nós gastamos, ok?

Não me leve a mal, mas essa resistência tem várias razões: 

1) EU não quero saber; 
2) É muito difícil calcular, porque foi uma viagem de 3 meses, fizemos várias escalas antes de chegar ao Japão e eu não vou perder meu tempo durante a viagem anotando preços das coisas, né?
3) Como eu sempre digo, você pode passar bem em qualquer lugar do mundo com U$ 50, ou pode precisar de U$ 200 para meramente sobreviver - cada família é completamente diferente nesse aspecto e eu garanto a você que os gastos da minha família são bem diferentes dos da sua. 

comendo na rua você gasta pouco, em restaurantes, é bem mais caro - cada família é diferente

Vocês têm patrocínio?

Muita gente pensa que temos algum tipo de patrocínio, ou que, por termos um blog de viagens, ganhamos muita coisa grátis

Ledo engano! 

Não temos nenhum patrocínio, e nunca ganhamos absolutamente nada 'grátis'! 

Quando recebemos, eventualmente, alguma cortesia ou desconto, eu sempre deixo isso muito claro aqui no blog, e nunca é 'grátis' - é sempre em troca do nosso compromisso de relatarmos a nossa experiência, seja ela boa ou ruim, no blog. 

E isso dá uma trabalheira do cão!

Ou vocês acham que um ingresso de uma atração turística que custaria R$ 20,00, ou mesmo uma diária de hotel de R$ 400,00, justifica o trabalhão que nos dá tirar fotos, editar fotos, fazer vídeos, anotar dados, escrever o texto, editar o post, publicar e divulgar? 

A gente só aceita essas "cortesias" quando se trata de alguma coisa que realmente vale a pena relatar no blog, e que faríamos com ou sem ingressos "grátis", porque o blog, para nós, não é uma fonte de renda, não temos nenhum lucro com ele (só gastos!!), e não é trabalho, é só lazer. 

Quando escrevemos um post pro blog, é porque gostamos de fato de compartilhar as nossas experiências de viagem - fazemos por gosto, e não por $$$ - tanto que não aceito fazer nenhum tipo de post por dinheiro: o meu trabalho não é o blog, isso aqui não é fonte de renda para nós. 

Além disso, no Japão, não ganhamos nem um copo de água como cortesia, e absolutamente todos os nossos gastos durante a viagem (com exceção do chip de celular/internet da Easysim4u que usamos durante os quase 3 meses de viagem) foram bancados com o suor do nosso trabalho de funcionários públicos. 

Então, vamos ao que eu posso fazer para ajudar nas suas contas: 

o dinheiro japonês é incrivelmente limpo e não é amassado!

1 Some os gastos que terá antes de viajar 

 Vistos

Ver post com todos os detalhes aqui: como tirar o visto para viajar ao Japão

 Passagens aéreas

Nós voamos LATAM para Frankfurt, na Alemanha, depois British Airways para Seul, na Coréia do Sul e, por último, Peach Aviation de Seul para Osaka, no Japão. 

Na volta, voamos de Tóquio para Helsinque, na Finlândia, e depois para Madrid, na Espanha, com a Finnair

Ainda fomos ao Marrocos com a Ryanaire depois voltamos da Espanha para o Brasil com a Iberia

Veja mais sobre as nossas viagens aéreas com o Lipe clicando aqui

Como compramos várias passagens aéreas separadas até chegar ao Japão, não tenho nem idéia de quanto custa uma passagem São Paulo - Osaka ou Rio de Janeiro - Tóquio, por exemplo. Nunca cheguei a pesquisar. 

Procure promoções no Passagens Imperdíveis, no Melhores Destinos, ou verifique no Google Flights

 JR passes de trem


 Seguro de saúde

Usamos o seguro gratuito do cartão de crédito + World Nomads. 

Paguei R$ 1.690,00 pelo seguro da World Nomads para nós 3, mas não considere este valor, pois esse valor super alto foi para a nossa viagem inteira, de volta ao mundo, que durou 3 meses. 

Faça uma cotação no site da World Nomads para saber quanto custará um seguro para o período da sua viagem. 

É bem simples, basta preencher o formulário com os dados da sua viagem que o orçamento sai na hora! 

Nós usamos esse mesmo seguro de saúde na nossa primeira viagem de volta ao mundo, e gostamos bastante do atendimento que tivemos quando o Lipe se machucou na Indonésia:




 Guia de viagem

Comprei o da Lonely Planet em português, publicado no Brasil pela Globo Livros

Paguei R$ 79,90 😏

Veja o preço atualizado no site

Guia Lonely Planet Japão

2 Durante a viagem, no Japão

* Trocamos, no total, U$ 3400 para 18 noites/19 dias de viagem

* Cotação: U$ 1 = entre ¥ 109 e 114

Do total de U$ 3400 que trocamos por ienes, considerar que gastamos ¥ 178.510 em 18 noites de hotel e em torno de U$ 200 foram gastos em compras de roupas para a família na Uniqlo e uma caneca na Starbucks

• Trocando dinheiro

Trocar dólares e euros no Japão é uma tarefa muito fácil. 

Eles recomendam trocar em bancos, mas os horários de bancos são super inconvenientes, porque você sempre está turistando nos horários comerciais. 

Acabamos sempre trocando em casas de câmbio, super confiáveis e com atendimento excelente, e sempre depois de comparar a cotação em 2 ou 3 lugares.

Em Tóquio a nossa casa de câmbio favorita foi em Akihabara, e em Quioto havia um ótimo câmbio pertinho da estação Kawaramachi

Pergunte aos locais 😏

Levamos cartão de crédito na viagem apenas para alguma emergência porque, não sendo absolutamente obrigatório, eu não pago imposto - IOF - pro governo brasileiro por gosto de jeito nenhum!

cédulas japonesas
 
casa de câmbio no centro de Quioto

recibo de uma das trocas de U$ que fizemos

• Compras 

Numa viagem longa como foi esta, como aprendemos a duras penas na nossa outra viagem de volta ao mundo em 2011, simplesmente não dá para fazer compras

Você compra uma coisinha aqui, um souvenirzinho ali, outra tralhinha acolá e, quando vê, encheu uma mala de porcarias (sem contar o gasto)!

Então, desta vez fomos firmes e não nos desviamos do propósito de não adquirir nada que não fosse necessário para a própria viagem. A única exceção foi realmente uma mísera caneca do Starbucks em Tóquio!

Se você pensar, ninguém precisa de mais um ímã de geladeira do portal de Miyajima ou de uma miniatura da torre de Tóquio. Essas coisinhas, no fim da viagem, acabam pesando na mala e no orçamento! 


Quer ver quantos badulaques você vai querer trazer de volta na mala?















"- Ah, mas vocês não trouxeram nenhum souvenir?" 

Sim, trouxemos muitos:

origamis que ganhamos de crianças no Parque Ueno, 
*algumas moedinhas de ienes que sobraram, 
* um par de palitinhos de um restaurante onde comemos uma refeição memorável,
ingressos das atrações que visitamos, 
* nossos passes JR...

Ao fim e ao cabo, essas são as verdadeiras lembranças do que foi a nossa viagem!

essas são as melhores recordações de qualquer viagem!

E sim, eu concordo que isso se deve ao fato de já termos viajado bastante e comprado muito em viagens anteriores. 

Antigamente, queríamos comprar todo artesanato lindo que víamos para a nossa casa. Hoje em dia, as nossas paredes e prateleiras já estão abarrotadas, e essa ansiedade por compras desapareceu, graças a Deus e aos vários Budas que já temos aqui em casa ❤

Sendo assim, as únicas coisas que compramos foram algumas roupas na Uniqlo que precisávamos para a própria viagem (chega um ponto, depois de 2 meses com 2 jaquetas, que tu não pode mais nem ver as que estão na mala!). 

Já levamos algumas roupas e tênis velhos do Lipe sabendo que os abandonaríamos no meio da viagem, como da outra vez, em que uma família indiana fez a festa com a sacola de roupas do Lipe que deixamos em Agra! Desta vez, os tênis velhos ficaram em Seul 😏

Preciso fazer um parênteses aqui para louvar a Uniqlo



Desde que a descobri não quero comprar nada em outro lugar. Claro que as roupas não têm o padrão/qualidade da Timberland ou North Face, por exemplo, mas os preços também são incomparáveis. 

A Uniqlo é boa, bonita e barata. Já compramos em lojas de NYC, Berlim, Antuérpia, Estrasburgo, Japão, e sempre fizemos bons negócios. 

Recomendo especialmente as roupas térmicas e jaquetas de gominhos que cabem numa sacolinha micro e não enchem a mala!

Além disso, as promoções são excelentes: compramos muitas roupas de inverno pro Lipe de ótima qualidade por preços ridiculamente baixos - e veja que não estou falando de compras nos EUA (onde sempre é barato comprar), mas sim em euros e ienes! 

Ainda sobre compras no Japão, posso afirmar que, se você vai mal intencionado, vai faltar mala! Já falei sobre as tralhas, mas luxo é o que não falta por lá! 

Marcas famosas, produtos de alto luxo, cosméticos ou tecnologia - os preços nunca são tão bons quanto nos EUA, mas ainda assim são bem melhores do que no Brasil, e a variedade que existe lá - coisas ainda nem lançadas no resto do mundo - é imbatível!

As lojas retratadas nos fotografias abaixo ficam todas em Tóquio, em Ginza ou Omotesando:
 

 






• Hotéis

Repetindo: pagamos tudo em dinheiro, com os dólares que trocamos por ienes:

1 Kyoto (5 noites, com café bem simples) - Hotel Eco and Tec Kyoto (エコアンドテック京都) U$ 424 = ¥ 49.680 = R$ 1.369,00

2 Hiroshima (3 noites, sem café) - Hotel Century 21 Hiroshima (ホテルセンチュリー21広島) R$ 636 = ¥ 22.830

3 Takayama (3 noites, com café bonzinho) - The Takayama Station Hostel (高山駅前簡易宿舎) ¥ 21.400 + 9.000 pelo Felipe

4 Tokyo (7 noites, com café da manhã muito bom) - Hotel the b Ochanomizu (ザ・ビー お茶の水) ¥ 84.600 (R$ 2.357,00) 

Como falei antes, no total, gastamos ¥ 178.510 em 18 noites de hotel, o que, pela cotação da época (janeiro de 2017), resultou numa média de ¥ 9.917 - U$ 88 por noite

Na nossa experiência, considerando que viajamos com um pequeno viajante de 7 anos e que já não é tão fácil encontrar hotéis que não cobrem por ele, fizemos uma média excelente. 

Pelo que vejo por aí, todo mundo comenta que um dos maiores gastos em viagens pelo Japão é com hospedagem no país, e acredito que gastamos bem menos do que a média dos viajantes brasileiros gastam por lá 😏

Veja post completo sobre os hotéis em que nos hospedamos aqui: Hotéis bons e baratos em Quioto, Hiroshima, Takayama e Tóquio

• Outros exemplos de custos

* Ônibus do Aeroporto Kansai em Osaka para o centro de Quioto: 3 passagens por U$ 57 = ¥ 6.380

* Passeio de ônibus com tour de Takayama até a vila de Shirakawa-go: ¥ 11.300 para nós 3

* Coca-cola de 600ml em lojas de conveniência: ¥ 140

* Pacote de massa miojo em mercado: ¥ 130

* Número 1 no McDonald's (Big Mac + batata-frita + refri): ¥ 650

* Refeição em restaurante simples para nós 3 com cerveja: ¥ 3.000

* Barrinha de chocolate Snickers: ¥ 140

* Entradas em templos: de ¥ 300 a ¥ 700

* Tickets de metrô, bonde ou ônibus: em média, ¥ 200

* Trem do centro de Tóquio ao Aeroporto Narita: ¥ 1120

Sobre o Japão, veja ainda:




ingressos de museus têm preços muito bons

cerveja


em alguns lugares, a multa para quem fuma em público é altíssima!

é necessário comprar ingressos para visitar alguns dos templos mais famosos

tickets de ônibus do Aeroporto Kansai em Osaka para o centro de Quioto

bilhete de metrô em Tóquio

Peg comprando bilhetes de metrô em Tóquio - sempre nas máquinas, e é bem fácil!

• Crianças

Com 7 anos, o Felipe já não faz mais nada grátis. 

Na maioria dos lugares, no Japão, crianças com 5 anos já pagam nos transportes públicos e ingressos para atrações, mas sempre com um desconto, em média, de 50%

Mas tem um detalhe: se você viaja com o seu pequeno viajante, pode colocar na conta alguns gastos certos - veja exemplos nas fotos abaixo:

a maioria desses binóculos são pagos, e as crianças a-do-ram!

essas oferendas de madeira existem em todos os templos - e o Lipe sempre queria "fazer um pedido"

máquinas de tudo, tudo!

ingressos para o Legoland Discovery Center, em Odaiba, Tóquio

máquinas de caçar bichinhos - e lá as pessoas de fato conseguem pegar os bichos de pelúcia!

essas máquinas são uma febre nacional

máquinas de bebidas, doces, salgadinhos, brinquedos, no meio da rua, em todo lugar


essa loja é um paraíso para os pequenos - fica em Omotesando, Tóquio

e tem um andar inteiro dedicado ao Snoopy!

Akihabara também tem lojas que são um ímã para as crianças

docinhos típicos japoneses

sua princesa poderá gostar de se vestir de japonesa para fotos - com direito a fazer maquiagem e cabelo!

e olha só como os preços variam bastante - esta loja de aluguel de cima era em Takayama

e esta, bem mais barata, em Quioto, onde há bastante concorrência

o preço de cima é para adultos, e o de baixo, para crianças - quase sempre 50%

e o mesmo desconto de 50% se repete nos bilhetes de metrô (o de baixo é o infantil, e custou 130) 

descontos também nas entradas para atrações em geral - no Ueno Zoo, em Tóquio, excepcionalmente, a entrada para crianças de 0 a 12 anos era grátis (mas normalmente é só desconto mesmo)
• Comida

Esse é o pior tópico para falar em custos. Na minha opinião, é o gasto que mais varia de uma família para outra. 

Quem costuma fazer 3 refeições por dia sentado em restaurante vai ter um custo mais alto no Japão. Já as famílias que tomam café reforçado no hotel, almoçam em banquinhas de rua (feiras, mercados, fast foods, food trucks), e fazem uma única refeição por dia em restaurantes baratos, no jantar (é o nosso caso), vão gastar bem pouco, nada que assuste. 

Nunca anotei valores das nossas refeições, então o máximo que posso fazer para colaborar com os cálculos de orçamento de vocês é publicar aqui muitas fotos que eu tenho de cardápios de restaurantes onde comemos, notinhas e preços de comidas em geral que fotografei. 

Verificando os preços nas fotos abaixo, vocês poderão ter uma boa ideia de custos com alimentação no Japão:

















 




Também vale lembrar que nós comprávamos muita comida pronta em lojinhas de conveniência como 7 Eleven ou Family Mart ou ainda em grandes lojas de departamentos, que sempre têm grandes praças de alimentação nos subsolos. 

A comida japonesa "para levar" é deliciosa, sempre bem fresquinha e bonita, bem feita! 

As bandejinhas de sushi que eles oferecem são sempre uma ótima opção:



já falei sobre esta rede de comida barata japonesa em outros posts

Conclusão

Viajar pelo Japão é mais barato do que eu pensava. 

Achei que ia ser uma paulada, e não foi. 

Os hotéis são carinhos, os transportes públicos também, mas os ingressos para atrações são bem razoáveis e é possível comer por pouco dinheiro na rua, em mercados e feiras, querendo. 

Grossomodo, é como viajar pela "Europa média" (Alemanha, Holanda, Bélgica). Não é barato como Portugal nem caro como a Suíça. Minha opinião, minha experiência. 

Em resumo, o que dá para garantir é o seguinte: viajar pelo Japão vale o quanto custa. 

Além de tudo de espetacular em matéria de paisagens naturais e atrações, você vai sentir que, mesmo quando paga caro, os seus ienes são bem empregados, entende? Se pagar caro por uma refeição, ela certamente será de excelente qualidade e valerá a pena; se pagar caro por um trem, o serviço será tão bom que você sentirá que o preço pago está justificado. 

Enfim, o Japão tem um custo-benefício que recompensa, ou 'vale quanto pesa' no seu bolso. 

Veja aqui um pequeno aperitivo:  30 razões para ir ao Japão







Vídeos do Japão

Veja algumas imagens dos nossos melhores momentos viajando pelo Japão - não esqueça de selecionar a opção para assistir em HD (alta definição)! As imagens ficam incomparavelmente melhores!

Clique abaixo no play e aumente o som:

      

      


As edições dos vídeos foram feitas com o software Sony Vegas Pro 12.

Escolha outros videoclipes para assistir no nosso canal no YouTube!

Ainda não se inscreveu lá?? Faça isso já ❤

Assista também os vários vídeos que já estão lá no nosso canal no Vimeo

Participe do pequeno viajante

Já foi ao Japão? Deixe as suas dicas na nossa caixa de comentários! Nós adoraríamos ter as contribuições de vocês aqui no blog

No próximo post, continuamos contando sobre a nossa viagem de volta ao mundo - não saia daí! 

Na nossa viagem ao Japão, usamos as seguintes hashtags nas redes sociais Facebook / Twitter / Instagram - é só ir na # para ver todas as dicas que já postamos: 

#LipenoJapão
#LipeVoltaaoMundo

Acompanhe nossos Instagrams @claudiarodriguespegoraro @marlonpegoraro - já tem muitas dicas da nossa viagem ao Japão por lá!


Japão - dicas para acompanhar a floração das cerejeiras no país
Japão - dicas gerais de viagem pelo país
dicas de culinária japonesa (10 pratos que você precisa experimentar)
como tirar o visto para viajar ao Japão
* Sobre o Japão
* Sobre a Coréia do Sul
* Todos os posts sobre a nossa viagem de volta ao mundo


Precisa reservar hotéis bons e baratos para a sua viagem ao Japão?

Leia nosso postJapão - hotéis bons e baratos em Quioto, Hiroshima, Takayama e Tóquio (e quanto custam)

Clique abaixo para conferir os preços na data da sua viagem e fazer a sua reserva:



Mais fotografias das nossas viagens nos Instagrams @claudiarodriguespegoraro @marlonpegoraro, na hashtag #Felipeopequenoviajante.

Não esqueça de curtir a fan page no Facebook para acompanhar as nossas aventuras!

Assista todos os nossos minifilmes neste link do Facebook, e os vídeos você assiste no YouTube ou no Vimeo - aproveite e já se inscreva lá nos nossos canais!

Você também nos encontra aqui:

2 comentários:

  1. Oi Clau!! Post completíssimo, como sempre!!
    :)

    A gente não contabiliza tudo também não... Somar no final?? Deus me livre... hahahah Fiz umas contas por cima da viagem do Alasca e olha, melhor nem saber mesmo... hahaha ainda mais estando tudo pago, tá tudo bem!!

    Faz tempo que to pra te perguntar isso, agora você tocou no assunto... Eu percebo que vocês sempre levar dinheiro em espécie, sempre trocam pela moeda do país que vocês vão... E usam pouco o cartão de crédito. Eu acabo fazendo o contrário, apesar da questão do IOF, porque nas vezes que troquei dinheiro achei que acabei perdendo na cotação (tipo na Africa do Sul, foi mto ruim!), muito mais do que os 6,38% do IOF e ainda pq sempre acabo pensando que ok, estou pagando imposto mas pelo menos vamos ter o retorno em milhas... Você acha que nem assim não compensa?
    E sem contar que tenho MUITO medo de acontecer alguma coisa estando com tanto dinheiro vivo, perder, ser assaltada... essas coisas!

    Imagino que vocês tenham tido muitas experiencias ao longo de tantos anos e tem motivos pra usar essa estratégia hoje em dia! Sempre bom ouvir a experiencia dos outros!

    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marcela,
      Pois é, já viajamos muito com o cartão de crédito...teve uma volta ao mundo de 5 meses em que não dava nem pra pensar em carregar todo o dinheiro, então ainda sacávamos $$ em caixas eletrônicos, o que ainda acarretava mais cobranças! Mas sempre achei que levar dólares ou euros é a melhor pedida! É raro a gente se dar mal em conversão...quando a cotação tá ruim a gente troca bem pouquinho até conseguir cotação melhor, pesquisamos em várias casas de câmbio...enfim, pra mim, pagar imposto pro governo brasileiro é sempre a pior opção :(

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...