12 de julho de 2014

6 dias em Paris e Normandia com o pequeno viajante Matheus

A Barbara é uma antiga sócia do pequeno viajante.

Já nos relatou no blog como foi o chá de bebê com o tema viagens que ela preparou para esperar o pequeno Matheus (aqui), e também como foram os 5 dias da família em Amsterdam (aqui). 

Agora, chegou a vez de ela nos contar como foram os 6 dias da família em Paris e na Normandia, depois de passarem por Amsterdam e Budapeste. 

#goBarbara

Meu nome é Barbara e, a pedido da Claudia, escrevi esse relato sobre Paris com bebê de 1 ano e 2 meses. 

Já morei na cidade por um tempo, então alguns passeios mais óbvios ficaram de fora do nosso roteiro. Na verdade, o objetivo principal dessa viagem era passar meu aniversário na Cidade Luz!

Chegamos em Paris via Budapeste voando Air France para passar 6 dias

Já tínhamos visitado Budapeste e Amsterdam (relato da viagem aqui), e Paris era a nossa última parada antes de voltar para o Brasil. 

Saímos do aeroporto direto para o hotel, que ficava no arrondissement 8, região da Champs-Élysées, Madeleine e adjacências. 

Apesar de ter ficado num apart hotel (para ter a facilidade de cozinhar), não precisei dia algum fazer a comida em casa, pois não tive problema em encontrar comida em restaurantes para o Matheus - mas o microondas e o frigobar foram bastante usados.


1º dia:

No primeiro dia, um pequeno incidente atrapalhou nossos planos. 

Num segundo de bobeira que dei na recepção do hotel, furtaram o celular da minha mãe. As câmeras do hotel não filmaram nada, mas havia um funcionário “vigiando” as câmeras na hora do furto; como ele não se encontrava, saímos do hotel para regressar no fim do dia e tentar falar com esse funcionário...uma super chateação, pois várias fotos de Budapeste estavam ali, e minha máquina deu vários problemas durante a viagem, estávamos usando o celular dela...

Enfim, passado isso, fomos até os Jardins de Luxembourg para uma caminhada e aproveitamos para esticar até o arrond 14, que é uma região mais “nova” de Paris, com hotéis mais modernos e com sua Tour Montparnasse, de onde se tem a melhor vista de Paris (simplesmente por ela não aparecer, e sim a Tour Eiffel). 

A ideia inicial era almoçar em Montparnasse numa creperia maravilhosa chamada Ty Breiz (52 Boulevard de Vaugirard, 75015 Paris), mas precisávamos voltar para o hotel para saber se alguém tinha visto alguma coisa sobre o celular. 

"Almojantamos" então na Champs-Élysées mesmo, perto do hotel, no Pizza Vesuvio. Apesar de estar em zona extremamente turística, não é caro e o menu é bem variado. 

Voltamos pro hotel e nada do telefone. Conversei com um policial por telefone e ele disse que eu poderia fazer um BO se quisesse, mas que, na prática, não adiantaria de muita coisa. Paciência, ficamos sem o telefone e sem a melhor câmera!

2º dia:

No segundo dia, Matheus acordou um pouco enjoado. 

Ele é extremamente elétrico, mas senti que precisava dar um tempo pra ele. Resolvemos ficar a parte da manhã no hotel mesmo e, perto do horário do almoço, ele já estava melhor. 

Meus pais quiseram sair para fazer compras. Passamos em algumas farmácias - farmácia em Paris é o que há! Muito barato se comparado ao Brasil. 

Uma muito boa é a Citypharma, na 26, rue du Four, que fica em St Germain. Também ficamos um tempinho na Sephora da Champs mesmo (mas gosto bastante da que fica na Opéra, sempre dou sorte dela estar mais vazia) e resolvemos conhecer o outlet de Paris, La Vallée Village

Nós fomos de RER (linha vermelha) e a estação dele é a Val D´Europe, uma antes da Disney. Passamos a tarde lá. Claro que os preços de não podem ser comparados aos preços praticados nos EUA, mas para quem gosta das lojas que o outlet oferece, e quiser tirar um dia pra ir, acho que vale. 

Sinceramente, eu preferiria ter ficado em Paris e ter feito outra coisa, mas fui voto vencido! Aaah, e quando você desce na estação, tem uma pequena caminhada até o outlet. Deve-se passar por dentro de um shopping (que tem uma farmácia grande e muito boa logo na entrada do lado direito) e só depois se chega ao outlet. Soube também que existe transfer Disney - Outlet para quem se interessar.

Chegamos em Paris à noite e queria ir até a Ponte Alexandre III. Meus pais foram pro hotel, e eu fui pra lá com os meus meninos...esse pra mim é "O" lugar em Paris, então ficamos na ponte, namorando a torre e nosso pequeno.


3º dia: Joyeux Anniversaire

Acordei mais velha!!! E muito feliz também!!! O dia foi perfeito!!!

Quando estava pesquisando sobre o que funcionaria em Paris na sexta-feira santa (meu aniversário), li que a Coroa de Espinhos de Cristo (um pedaço dela) está guardada em Notre Dame e é mostrada ao público toda última sexta-feira do mês e na sexta santa! Precisava ir lá! 

Eu já amo essa igreja (pra mim a mais linda de Paris) e ver a Coroa no meu aniversário, com parte da minha família, já seria o melhor presente do dia! 

Mas Deus reservou um pouco mais...depois da missa, a Coroa vem em procissão até o altar principal. E aí algumas pessoas são escolhidas para tocar a Coroa, mas geralmente são as que estão sentadas na frente, e nós estávamos na lateral. 

Uma corrente de isolamento é passada justamente onde estávamos e, com isso, a chance de ver e tocar seria mínima! Tinha que pensar num jeito de ir até lá! E Matheus ajudou a mãe dele! Ele estava no chão brincando e saiu correndo até perto da coroa. Um dos padres que estava de guarda me autorizou a pegá-lo e levá-lo até a Coroa! Ebaaa!!! Nem sei descrever a emoção...me sinto ainda mais abençoada pro resto da vida!



Depois, saímos dali e fomos para a Torre Eiffel, pois tínhamos uma reserva no Jules Verne.

O restaurante é muito bom, comandado pelo Alain Ducasse, com a vista maravilhosa do segundo andar da Torre. Não tem menu infantil, mas levei uma comida pro Matheus e eles também se propuseram a fazer um purê de legumes pra ele. 





No final, ganhei um mimo do restaurante, uma sobremesa com o prato decorado! 


Saímos de lá e meus pais resolveram ir para o hotel descansar. Fomos então os 3 para o Petit Palais para ver a exposição Paris 1900: La Ville Spectacle. Maravilhosa! 


Saindo do Petit Palais, fomos para o arrondissement 16, no Museu Marmottan Monet, para ver a exposição Les Impressionnistes en Privé, uma exposição temporária que reuniu obras impressionistas de colecionadores particulares. 

Além da exposição, podemos ver a coleção permanente do museu, que inclui o quadro de Monet que deu nome ao movimento impressionista (Impression: Soleil Levant ou Impressão: Nascer do Sol). 

Esse arrondissement é super charmoso. Descobri alguns parquinhos perto do museu muito legais, umas ruas bem arborizadas, uma delícia para andar sem rumo. 

Para o dia terminar perfeito, fomos jantar no Les Ombres, que fica no último andar do Museu Quai Branly

Confesso que escolhi o restaurante pela vista (espetacular) que ele tem da torre. Mas a comida estava saborosa e o atendimento muito bom!


Uma volta pela noite fria de Paris e meu aniversário foi inesquecível!
















4º dia: Honfler e Etretat

Alugamos um carro e partimos para a Normandia! Essa região é magnifique

Como o dia anterior foi bem agitado, saímos de Paris um pouco tarde (11hs), e tivemos que deixar de fora Deauville da nossa festa norman

As estradas ao redor de Paris são um brinco, e dirigir é bem tranquilo, principalmente com GPS.

Duas horas de estrada depois, Honfleur

Aaah, tudo tão lindo, a cidade gostosa para passeios, o porto uma delícia para almoçar e passar a tarde. 




Depois, estrada para Etretat. Não sei se isso já aconteceu com mais alguém, mas o GPS simplesmente não mostrava Etretat

Foi só pegar a Pont de la Normandie e seguir as placas para Etretat e depois para as falésias. 

A estrada e suas cidades são tão agradáveis, que seguimos viagem lentamente e tomamos um caminho maior para propositalmente passar entre os vilarejos.

Quando chegamos em Etretat, a dificuldade: cadê lugar pra estacionar? Procuramos por uns 25-30 min, e achamos um já na saída da cidade, mas não tão longe assim das falésias. 

E a procura valeu a pena! Apesar do frio e vento cortantes, lá estavam elas, as falésias, como nas obras dos impressionistas...lindas! 

É possível subir nas falésias de carro ou à pé, mas estava bem tarde e, com carrinho de bebê e o vento, ficaria bem complicado! Voltamos para Paris para descansar!




5º dia: Domingo de Páscoa!

Começamos o dia na Igreja da Medalha Miraculosa. A missa estava bem cheia, mas eles possuem um “mezanino” para famílias com crianças com isolamento acústico do restante da igreja, e podemos ver através dos vidros e escutamos por um sistema de som que fica dentro da igreja. Achei bem bacana a ideia!

Depois, saímos pra almoçar no Chez Andre (tem que reservar!) e comer uma sobremesa dentro da Publicis Drugstore na Champs (uma livraria, restaurante do chef Joel Robuchon, farmácia e uma filial da Pierre Hermé). 

Não recomendo que a primeira visita a Pierre Hermé seja feita na Publicis, pois as melhores delícias dele não são vendidas aqui; mas como era domingo de Páscoa e a maioria das coisas não estavam abertas, matei a vontade de macarrons ali mesmo.

Depois levamos Matheus para brincar e correr um pouco no parque que fica bem no início da Champs, quase de frente para a rua que entra pro Grand e Petit Palais.

Caminhamos um pouco sem rumo por Paris e voltamos para o hotel, pois meus pais partiriam naquela mesma noite.




6º dia:

Era feriado de depois de Páscoa em Paris! Não acredite, tinha programado umas compras em farmácias e na Grand Épicerie

Enfim, como era nosso último dia em Paris, resolvi fazer coisas simples, triviais, mas que me fazem sentir Paris. 

Tomamos café da manhã na Dalloyau Boulangerie (101, rue du Faubourg Saint-Honoré – 75008), caminhamos por Tuileries, almoçamos no Angelina (achei o almoço caro e não valeu muito a pena...em compensação, o chocolate quente e a sobremesa Mont Blanc continuam insuperáveis), uma passada na Place des Vosges e, finalmente, a Tour Eiffel

Uma pausa para (mais) fotos e fomos encontrar uma amiga francesa da época em que morei aqui (Julie, mon ange!), no terraço das Galerias Printemps, um lugar agradável para um fim de tarde. Eles também têm uma cúpula com Brasserie, mas não ficamos para comer, pois infelizmente era hora de partir!


Barbara, merci

Que post bonito, já fiquei louca de vontade conhecer a Normandia :)

Imagino como deve ter sido emocionante a tua Sexta-feira Santa! Viva o Matheus, hehehehe...

Adorei publicar um post com dicas de Paris que vão além do óbvio - dicas que só uma ex-moradora poderia nos dar - volte sempre!

Veja ainda algumas das nossas postagens sobre viagens à França:

uma semana em Paris - o videoclipe


Vale do Loire - França

Assista todos os minifilmes das nossas aventuras no Facebook. Os videoclipes você assiste no YouTube - aproveite e já se inscreva lá no nosso canal!

Veja fotografias das nossas viagens no Instagram @claudiarodriguespegoraro. 

No Twitter, procure por @pequenoviajante. No Google+, você nos adiciona aqui

Não esqueça também de curtir a fan page do Felipe, o pequeno viajante no Facebook para acompanhar as nossas aventuras!

Você também nos encontra aqui:


Um comentário:

  1. Que relato incrível! Já adicionei alguns dicas ao meu roteiro para a próxima viagem rsrsrs, quem sabe no próximo ano. Realmente, de uns tempos pra cá, qualquer descuido em Paris é pouco. Tenho uma amiga que foi assaltada no metro, às vistas de todos! Quando a porta foi abrir, umas meninas deram um encontrão nela por trás, puxaram a bolsa e saíram correndor pela estação. Quando ela procurou ajuda, disseram a mesma coisa: que ela poderia registrar um BO mas que não adiantaria muito porque eles inclusive conhecem as meninas (são menores de idades, imigrantes ilegais do leste europeu) e elas já foram pegas várias vezes. Como por lei, existe acordo de livre circulação desse pessoal, e elas são menores, não podem ser deportadas. Então, fica o conselho que o policial deu: a melhor estratégia é atenção redobrada. Maria

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...