9 de outubro de 2016

como conciliar a escola das crianças com as viagens da família - a nossa experiência

Nós adoramos participar de blogagens coletivas (quando vários blogs amigos escrevem sobre o mesmo tema) - no final deste post, vocês encontrarão a lista completa dos amigos que participam desta! 

Nas redes sociais, procure pela #ViagenseEscola. 

Já participamos de 15 (!!!) blogagens coletivas e sempre é uma fantástica troca de experiências - e desta vez, em especial, tenho certeza que o assunto eleito vai interessar a muita gente, pois logo que os pais viciados em viagens têm filhos - ou mesmo antes de terem filhos - essa é uma das grandes preocupações: como iremos conciliar as viagens da família com a escola das crianças? Dá para viajar durante o ano letivo - sim ou não??

Para começo de conversa, preciso esclarecer que esse era um dos nossos maiores "temores" antes de nos decidirmos a encarar a paternidade/maternidade aos 34 anos - basta ver o 'slogan' do blog, acima: "2 mochileiros de carteirinha que sempre adiavam o primeiro herdeiro, pois sempre precisavam fazer 'só mais uma viagem' antes do bebê que acabaria com toda a diversão". 


Nossa grande preocupação

Quando o Lipe chegou e passou a ser nosso super companheiro de viagens, a preocupação mudou de nível, e passamos a ter o seguinte pensamento: "precisamos aproveitar enquanto ele não vai para a escola, porque depois, ferrou".  

Já tínhamos essa preocupação desde que o Lipe tinha uns 2 aninhos de idade, e a coisa se acentuou quando ele foi para a escolinha infantil, antes de completar 3 aninhos. Todo mundo já me perguntava "mas como vocês fazem com a escola do Lipe para viajar?", e ele tinha apenas 3 anos! 

Então, dá para ter idéia de como esse assunto é encarado como uma 'ciência' aqui em casa, né?

Há muito tempo debatemos essas questões por aqui, e estamos interessados em saber como têm sido as experiências de outras famílias em conciliar escola e viagens! Sabemos que algumas famílias são mais flexíveis e outras não querem nem ouvir falar em perder aulas para viajar. 

Sabemos que, às vezes, isso dá até briga entre casais: um pensa que viajando a criança aprende tanto que a falta de escola não será tão prejudicial, enquanto o outro acredita que as crianças precisam aprender que compromisso é compromisso e deve ser levado a sério - nesse sentido, ensinar as crianças que "faltar aulas não dá nada" é super prejudicial para a formação dos pequenos como um todo.  

Nós aqui em casa pensamos que as 2 "correntes de pensamento" estão corretas, e tentamos harmonizar viagens e escola com as necessidades práticas da vida. 

Leia também: o que o pequeno viajante aprendeu viajando

Mas o que eu quero dizer com isso??

Bom, em janeiro de 2015 eu estava tão preocupada com essa questão, com o ingresso do Lipe no 1º ano do ensino fundamental, que escrevi um longo post a respeito: lista de desejos - o planejamento de uma família com um pequeno viajante em idade escolar

Nele, eu já previa o "futuro negro" que nos esperava pela frente. Como eu disse, antes de nós termos o Lipe na bagagem, a grande preocupação era "como seriam as nossas viagens daí pra frente, com um bebê". Em janeiro de 2015, o pensamento havia evoluído para "temos um grande viajante de 5 anos que está começando o 1º ano de escola - e agora, como ficam nossas viagens?"

Ele já estava na escolinha desde antes de completar 3 anos, mas lá nunca achamos que perder aulas fosse um problema - ele não perdia conteúdo, não tinha que recuperar matérias...

No 1º ano, seria tudo diferente, e as nossas longas viagens ficariam confinadas aos períodos de férias escolares, dos quais nós sempre fugimos assim como o diabo foge da cruz!

Nós sempre priorizamos os meses de abril/maio ou setembro/outubro para as nossas andanças por 2 excelentes motivos: tudo é mais barato e menos superlotado em quase todos os lugares nessas épocas (de baixa temporada) e o clima sempre é bom - primavera e outono. 



O segredo é planejar

Não havendo remédio para o problema, começamos então a planejar como seriam as nossas viagens daí para a frente. Como não seria mais possível pegar a estrada nos nossos meses preferidos, começamos a pesquisar quais viagens da nossa longa lista de desejos poderiam ser realizadas entre dezembro/janeiro e julho.

E qual a conclusão, para nossa surpresa??? Quase todas! 

O único problema que persiste é o dos custos, pois seria muito melhor irmos às Montanhas Rochosas no mês de setembro, ou à Escandinávia em junho, quando lá é baixa temporada e os preços são mais amigáveis e as multidões menores. Mas...não sendo mais viável, acabamos elaborando um cronograma que, rapidinho, preencheu 5 anos - ou seja, fizemos uma wishlist de 2015 até 2019!

Também planejamos encaixar, lá de vez em quando, uma viagenzinha aqui e ali daquelas de 7 a 10 dias, curtinhas, em abril ou outubro, só nós dois, sem o Lipe :)

Uma das nossas prioridades, naquele momento, era o norte da Argentina (noroeste andino), que acabamos realizando em dezembro/2015 - janeiro/2016, junto com o Deserto do Atacama, no Chile. 

Sei que pode parecer loucura para a maioria das pessoas, mas, para mim, foi muito bom colocar todas as ideias no papel! Além de materializar um pouco os sonhos, tornando tudo mais concreto, também ajudou a clarear as ideias, planejar, organizar e, principalmente, aquietar um pouco o coração, que, para ser beeeeem honesta, estava apertadinho pensando que a nossa "vida viajante" estava se aproximando do seu fim - tanto quanto durante a gravidez, kkkkkk...

Viajar é o meu vício declarado, é uma compulsão, e pensar em ter que parar estava, de verdade, me angustiando. 

Mas, mais do que tudo, colocar as ideias no papel, ou melhor, aqui no blog, nos ajudou também a nos organizarmos financeiramente para bancar viagens na alta temporada, que passou a ser a nossa meta!

A nossa experiência, como vocês podem ver, se resume ao 1º e 2º ano da escola do Lipe. Encontrar o equilíbrio não tem sido muito fácil, mas estamos nos saindo bem, pela minha avaliação! 


o 1º ano de escola

2015, 1º ano de escola do Lipe, acabou sendo um ano dedicado ao continente americano - viajamos bastante pelo Brasil, América do Sul, América do Norte e até no Caribe estivemos! No total, foram 11 países da América, e só ficamos em casa no mês de junho, enquanto nos preparávamos para a nossa grande viagem de motorhome, que aconteceu entre julho e agosto - em todos os outros meses do ano demos alguma escapada - bem como eu gosto!

Aproveitamos as férias de janeiro para fazer uma viagem deliciosa pelo litoral baiano, e em fevereiro curtimos praia em Punta del Este, Uruguai

Em março, foi hora daquela "escapadinha de casal": Curaçao, Lima (Peru) e Bogotá (Colômbia)

Em abril, fui a São Paulo com as amigas, e em maio demos uma escapadinha de feriadão em família até Foz do Iguaçu

As férias de julho chegaram mais rápido do que esperávamos e, com elas, a nossa grande viagem do ano: uma longa viagem de motorhome pelo Canadá e Washington State

Até então, como vocês viram, nós mantivemos o nosso ritmo de viagens super acelerado e o Lipe ainda não tinha perdido um único dia de aula :)

#uhuuuul


na educação infantil nunca nos preocupamos muito em perder aulas

Como foi perder 10 dias de aulas

Só que aí resolvemos "dar uma esticadinha" na viagem de férias de julho e "dar uma chegadinha" ao Alaska no começo de agosto - pronto, numa só tacada, o Lipe perdeu uns 10 dias de aulas no início do 2º semestre! 

É claro que a viagem foi maravilhosa e eu faria tudo de novo, pois o Alaska realmente valeu a pena, mas perder 10 dias de aula não foi nada legal. Quando chegamos, havia uma pasta de temas atrasados, folhas e folhas do livro da escola para recuperar, e o Lipe teve que fazer reforço na escola e aulas particulares. :(

#deuruim

Qual a nossa conclusão? É claro que o Lipe aprende muito viajando, mas, quando a gente volta de viagem, quem passa trabalho para recuperar o tempo de escola perdido é ele também (com a nossa ajuda, é claro), e não achamos que isso seja uma boa para ele. 

Sendo necessário, acho que perder alguns diazinhos é ok - era recém a primeira série, não havia provas nem muito conteúdo - mas 10 dias foi demais, e não pretendemos repetir. 

Nos comprometemos com essa ideia e, desde então, o Lipe quase não perdeu mais aulas:

Em setembro fomos em família à Serra Gaúcha num feriadão, em outubro voltamos a Punta del Este e emendamos novembro com outra "lua de mel" em New York - e o Lipe ficou em casa se preparando para a nossa grande viagem de férias de verão: norte da Argentina e Deserto do Atacama.

Veja aqui a nossa retrospectiva 2015: 13 lugares para você conhecer, com dicas mastigadinhas


Museu de Anchorage, Alaska

Viajar sem filhos, é possível?

Muita gente pergunta como fazemos para viajar sem o Lipe. 

Embora seja dolorido e a gente sinta falta dele o tempo todo, nós temos feito várias viagens sem nosso pequeno nos últimos anos (Jericoacoara, Barbados, São Paulo, Bariloche, Estados Unidos, Brasília, BonitoCuraçao, Lima, Bogotá e New York), todas curtinhas, de no máximo 2 semanas, e tem dado super certo. 

A gente consegue curtir um pouco a "vida em casal", faz algumas aventuras e programas que com ele não poderíamos fazer, economizamos em passagens aéreas, e ele fica super bem, em casa, sem faltar aulas, com as avós e a Gil, que trabalha aqui em casa conosco desde antes dele nascer. 

Sem traumas :)


curtindo Curaçao em lua de mel, mortos de saudades do pequeno

o 2º ano de escola

Este ano (2016) foi o 2º ano de escola do Lipe. Percebemos que será cada vez mais difícil viajar com ele durante o ano letivo. 

Agora ele já tem provas e, se falta aulas, perde muito conteúdo. 

Não foi totalmente intencional, mas, como devido às Olimpíadas não pudemos viajar durante as férias de julho (ódio define), esse acabou sendo um ano de viagens curtinhas, em feriadões, ocasiões em que o Lipe perdia apenas 1 ou 2 dias de aula, no máximo, e aí fica fácil recuperar. 

Depois da nossa viagem de férias de verão, em janeiro - norte da Argentina e Deserto do Atacama, estivemos várias vezes em Porto Alegre, na Serra Gaúcha e em Punta del Este, fomos a Buenos Aires e Colônia do Sacramento, e fizemos uma viagem gostosíssima a Santa Catarina (Beto Carrero World, Balneário Camboriú e Florianópolis). Tudo em família. Este ano ainda não nos desgrudamos do Lipe. 

Não fizemos nenhuma grande viagem em 2016 - por enquanto - mas isso não se deveu à escola do Lipe, e sim à falta de férias, mesmo. Até porque estamos economizando (férias e $$$) porque temos grandes planos para muito em breve!

Mas agora, o fato é que nossos planos mirabolantes e megalomaníacos passaram realmente a se concentrar em dezembro, janeiro, fevereiro e julho. 


como diria a Mafalda, 'o mundo todo está lá fora esperando, o que é que eu digo? mando sentar??'

Os problemas encontrados

Não tem sido fácil, é verdade. 

Além dos problemas que eu já temia (tudo mais caro e lotado por causa da alta temporada), ainda descobri um outro que é muito pior que tudo isso junto, e que eu desconhecia, porque nunca tirava férias nessas épocas: a dificuldade que é de se conseguir tirar férias no trabalho durante as férias escolares!!!

A questão dos preços altos é muito verdadeira, como eu já suspeitava: ano passado, por exemplo, pagamos um valor absurdo pelo aluguel do motorhome no Canadá durante as férias de julho. Eu simulava o mesmo período de aluguel em maio ou setembro e os preços caíam para 1/3 do que pagamos, dava vontade de se esconder ali no cantinho e chorar...

Mas para mim o pior ainda é mesmo não poder ir para os lugares nas épocas em que eu gostaria, em que seria fácil tirar férias no trabalho, em que tudo seria mais barato, mais vazio e o clima mais agradável...

Queríamos muito ir para Escandinávia em junho, para o Marrocos em outubro, para o Japão em março durante a floração das cerejeiras...e isso, snif, snif, não será mais possível, pelo menos durante os próximos 10 anos hehehe...


coisa boa poder ir pro lugar certo na época certa...

As soluções inventadas

O jeito é se adaptar, não é?

Até agora, sinto que temos feito um ótimo trabalho conciliando tudo - não só escola do Lipe e viagens, mas também $$$, trabalho, férias, clima...são tantos fatores a considerar na hora de marcar uma viagem, né?

Uma das coisas mais importantes que descobri foi que, para poder viajar nesses períodos de férias escolares, que são tipicamente de alta temporada (dezembro, janeiro, julho), temos que escolher os destinos certos, ou seja, tentar descobrir lugares onde tais períodos sejam de baixa temporada!

Esse, na minha opinião, é o grande pulo do gato :)

Um exemplo: você está sonhando com uma viagem de motorhome nos Estados Unidos em dezembro ou janeiro, aí vai pesquisar para alugar um motorhome na Flórida e quase tem uma síncope, pois os preços são altíssimos. Ora, seja flexível, pense que outro lugar dos EUA você gostaria de conhecer onde não seja alta temporada em dezembro...plim, plimLas Vegas

Sim, muita gente lê meu post sobre os custos da nossa viagem de motorhome pelo oeste americano e Califórnia e não entende como pagamos tão barato. É a época do ano, gente! Dezembro é baixíssima temporada lá! Agora, se você insistir em Orlando (ou pior, Orlando em julho), de fato vai ter que quebrar o cofrinho, assim como nós quase tivemos que vender nossos 6 rins para alugar no Canadá em julho

Veja as simulações abaixo, que eu acabei de fazer no site da Cruise America, só para vocês terem um exemplo:

Las Vegas em dezembro - 9 dias de aluguel - RV compacto - U$ 405
Orlando em dezembro - 9 dias de aluguel - RV compacto - U$ 765
Orlando em julho - 9 dias de aluguel - RV compacto - U$ 981

Deu para sentir a diferença?

É assim que as coisas são, e o jeito é surfar a onda do  jeito que ela se apresenta! 



Contra ou a favor, afinal???

Eu não tenho a menor dúvida de que o mundo é a melhor sala de aula que existe. 

Já escrevi aqui tudo o que penso sobre o que as crianças aprendem viajando

Mas o fato é que as crianças precisam ir à escola e, mais do que isso, precisam ser aprovadas na escola. 

Eu não tenho nada contra home-schooling, acho lindo, e se eu tivesse um mínimo de talento para ensinar o conteúdo didático pro Lipe, pensaria seriamente em fazer como tantas famílias que viajam o mundo fazendo home-schooling com os filhos - sigo as redes sociais e blogs de várias, sou muito fã! 

Infelizmente, não é para nós. Fazer o tema de casa com o Lipe já é um certo sufoco, eu definitivamente não sei ensinar, não tenho paciência, simplesmente não funciona. E, mais do que isso: o Lipe AMA a escola, sente falta dos amigos, das brincadeiras, da sala de aula, da professora - nem sei se ele se adaptaria longe da escola, porque ele a-do-ra socializar hhehe...

A questão é que não tenho nada contra isso, e penso, seriamente, se um dia conseguir convencer o Peg, em tirar o Lipe da escola por um ano para viajar pelo mundo - tipo um ano sabático em família. Eu não teria nenhum pudor em fazer isso - penso que seria um ano muito bem aproveitado, em que ele vai certamente adquirir mais ferramentas para a vida futura do que aprenderia na escola. 

Mas, porém, contudo, entretanto, todavia, ENQUANTO esse ano sabático dos sonhos não vira realidade, o Lipe está matriculado na escola regular, e precisa ter aproveitamento, aprender a ser responsável, cumprir as tarefas dele, e já percebi que, faltando muitas aulas, ele passa trabalho depois, e eu fico me sentindo culpada, e isso não vale a economia de viajar na baixa temporada. 

Pode ser que eu pensasse diferente se tivesse um filhinho super nerd, mega estudioso, que tivesse facilidade em recuperar o conteúdo perdido e não ficasse prejudicado em faltar aulas. Só que esse não é o nosso caso - o Lipe é uma criança mega normal, que tem que ser lembrada de fazer o tema todo dia...enfim, não é nenhum geniozinho da lâmpada. Então não dá. Ponto. 


saudades eternas dessa época!

Em blogagens anteriores, dentre outros assuntos, já escrevemos sobre: 









Agora é a sua vez: como você concilia as viagens da família com a escola das crianças? É flexível ou não quer nem ouvir falar em perder aulas para viajar? Queremos saber! Pode ir contando aí na nossa caixa de comentários!


Mais fotografias das nossas viagens no Instagram @claudiarodriguespegoraro, na hashtag #Felipeopequenoviajante.

Não esqueça de curtir a fan page no Facebook para acompanhar as nossas aventuras! 


Assista todos os nossos minifilmes neste link do Facebook, e os vídeos você assiste no YouTube ou no Vimeo - aproveite e já se inscreva lá nos nossos canais!


Nosso snapchat é @pequenoviajante


Você também nos encontra aqui:



Para ler os posts de todas as blogagens coletivas de que já participamos, clique aqui

46 comentários:

  1. |Lendo os posts tô me sentindo um ET! kkkkkkkkkkkkk
    Ano passado a Gigia ficou 22 dias longe de livros e afins e foi super tranquilo na volta. Ela está no 5 ano, e enquanto ela der conta do recado e topar fazer essas loucuras nós viajaremos fora do período de férias escolares!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que tu tens uma nerdzinha, Trícia, aí é diferente hahaahahah...

      Excluir
  2. É fácil quando são bem novinhos...conforme crescem aumenta a responsabilidade na escola, mais tarefas mais trabalhos...meu filho está indo pro 6o ano e percebo que o conteúdo e a cobrança só tem aumentado, perder 15 dias de aula nem pensar! A criança q vai sofrer depois pra tirar o atraso. Sem falar que acho importante sim eles terem bem claro que escola é compromisso , responsabilidade e tem que ser levada a sério senão como vai ser qdo tiverem que ir trabalhar se não aprenderam a ter responsabilidade com seus deveres??

    ResponderExcluir
  3. A vida é trilhada por fases não é Claudia? Lembro que quando Lipe era bem pequeno você ficaram uns 4 meses se não me engano viajando pelo mundo com ele. Achei aquilo fantástico tanto pra vocês como pra ele, eu e Ricardo não tínhamos essa flexibilidade em nossos trabalhos quando os meninos tinham a idade de Lipe naquela viagem (e nem hoje principalmente Ricardo), mas independente disso não é o tipo de viagem que se encaixe em nosso perfil de viajantes, mas nem por isso deixei de admirar e comentar a respeito com amigos. E agora vocês entraram em outra fase da vida em família e vejo que isso está levando a viagens a dois, que também são tão importantes pra saúde familiar. Muito bom isso! E na escola, o importante é vocês estarem presentes, algumas viagens vão acontecer durante o ano e vocês verão que não vão prejudicar o pequeno viajante, basta que ele esteja ciente do que terá pra fazer na volta e tudo dará certo. Aqui em casa fazemos assim e nossos meninos não reclamam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero ainda poder fazer longas viagens em dezembro, janeiro e fevereiro, Cynara! Eu amo isso, ficar longos períodos viajando <3

      Excluir
  4. Uau!!!! quanta informação bacana e de qualidade. Me lembro bem quando o Pedro tinha essa idade e nos aventuravamos mais. Hoje, infelizmente não dá mais por N motivos, mas eu admiro muito essa versatilidade de vocês!! Um bj :)

    ResponderExcluir
  5. Claudia querida! O pior não é só o pequeno perder aulas, pior quando o pai também é professor!! Hahahahaha
    Aqui em casa só podemos viajar em férias escolares! Meu marido da aulas a. Pote tb! É difícil mas no nosso caso, é o melhores destinos que escolhe pra onde vamos! Kkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, Ju, não gosto nem de pensar! Aí não tem outra opção mesmo!

      Excluir
  6. Oi Claudia, como sempre adoro suas dicas. Meu filho Alexandre já esta com 17 anos e lendo seu texto recordei tudo o que passamos. Mas sabe o que eu vou colocar em prática depois de ler o seu post? Viajar com meu marido, sim "Lua de Mel", pode acreditar desde que o Alexandre nasceu nunca viajamos sozinhos. Mesmo quando vamos para as competições dele e não ficamos no mesmo hotel, não é a mesma coisa, porque fico ligada o tempo todo no campeonato e fico nervosa.
    Então, valeu muito você ter escrito este detalhe. Obrigada, bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É tão bom viajar a dois! A gente morre de saudades do pequeno, mas aproveitamos para fazer coisas que com o Lipe não poderíamos fazer :)

      Excluir
  7. Estou adorando essa blogagem coletiva! Assunto super importante aqui em casa!
    Bom, esse ano fizemos nossa viagem para as Rochosas Canadenses + Alasca entre agosto e setembro. Resultado, os meninos perderam mais de 2 semanas de aulas. O Joca não conta ainda, pois está no Pré I, mas o Antonio já está no 1o ano e ficamos bem ansiosos com o que aconteceria na volta.
    No início do ano, falei com a professora e ela disse que eu deveria aproveitar esse, que seria o último ano em que viajar durante as aulas seria viável (medo!). Essa conversa e o fato dele ser muito bom aluno nos incentivou a seguir os nossos planos (embora a viagem já estivesse até comprada!).
    Fato é que ao voltarmos havia aquela pilha de atividades e foi bem difícil fazer tudo. Eu fiquei bem desanimada de perder tantos dias assim daqui pra frente.
    Outra coisa que aconteceu com a gente esse ano. Compramos uma viagem numa semana de feriado, emendando alguns dias e, para nossa surpresa, a escola agendou um evento super importante para o Antonio justo naquela semana. Resultado: precisamos alterar as passagens e a reserva no Airbnb, um sufoco, fora o prejú!
    Conversando com minha irmã, que é mais experiente na arte de viajar com crianças em idade escolar, veio a ideia e ano que vem vamos viajar na última semana de aula de junho + primeira de julho. Essa última semana já é mais tranquila e nem tem muita matéria. Iremos pra Europa e já consultei, as férias por lá começam na 2a semana de julho, então conseguiremos evitar grande parte da muvuca.
    De resto, vamos nessas de emendar feriado e viajar sozinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente o que aconteceu comigo, Erika! Também desanimei! Mas me diz uma coisa: essa última semana de aula não é a semana de provas? Por aqui os últimos dias do primeiro semestre são justamente as provas do segundo bimestre! Acabou as provas, entram imediatamente em férias...

      Excluir
    2. Aqui não, pois o ano letivo é dividido em trimestres. O segundo trimestre acaba em agosto e a última semana de junho acaba sendo meio morta, todo mundo já se preparando para a festa junina, férias, etc...
      Por outro lado, perder a primeira semana de volta às aulas em agosto é proibitivo, pois voltam com a corda toda, até provas!

      Excluir
    3. Ah, e só pra avisar o pessoal: 2o semestre de 2017 bombando de feriados de 5a feira! Bora já comprar passagem!!!

      Excluir
    4. Tu vê, aqui é bem o contrário: a primeira semana de agosto é que é meio tranquila, é uma "volta às aulas"...mas ano que vem promete, mesmo!
      :)

      Excluir
  8. Sou super fã de vocês. Claudia, você me inspira! Consegue traduzir meus pensamentos sobre viagens e sobre viagens com crianças (apesar de ainda não ter filhos. Obs.: Vivemos adiando essa fase de nossas vidas porque sempre tem uma viagem que queremos fazer. kkkkk). Quando "crescer" quero ser igual a vocês! hahahha Abs. :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkk obrigada, Danielle! Pode procriar logo - as viagens vão ficar mais divertidas, tu vai ver!

      Excluir
  9. Excelente post, Claudia! Concordo com você. A gente tem que se adaptar, e isso inclui adaptar os roteiros. Quanto aos pequenos, também é bom aprenderem a cumprir com suas responsabilidades: hoje a escola, amanhã o trabalho. Pois é graças ao nosso trabalho que juntamos dinheiro pra viajar, né? ;-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Renata! Não dá pra crescer pensando que é oba, oba, né??

      Excluir
  10. Cláudia como sempre você arrasou no post colocando suas ideias e preocupações de maneira didática. Aqui em casa vamos começar essa maratona de conciliação ano que vem e já estou descabelada. Ler esses posts vão me ajudar a pensar em solução. Amei sua ideia de fazer um cronograma de viagens para os próximos 5 anos, vou copiar e tentar me organizar melhor. beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tu chegou a ver o post do meu "cronograma"?? Parece coisa de louco, mas me deixou mais tranquila hahahaha...

      Excluir
  11. Oi Clau! Nossa, cheguei aqui pensando que você ergueria a bandeira de falta sempre para uma viagem dessas, mas me surpreendi. Essa é a realidade de todas as mães que se dedicam e preocupam-se com seus filhotes, não tem como! prioridade 1 são eles... Fantástico seu post e suas dicas. Bjo

    ResponderExcluir
  12. Complicado, né? Imagine quando ele tiver a idade dos meus (13 e quase 8)????

    E olhe que sou super organizada e AMOOO planejar as viagens... tenho que aproveitar ao máximo o período de férias, fora isto, emendar um ououtro fim de semana, quando dá!!!

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, guria, não gosto nem de pensar, essa fase de 13 deve ser bem difícil, escola puxando, eles não querem mais faltar...
      Mas tu também anda fazendo algumas a dois, né???

      Excluir
  13. Claudia, seu post contribui tanto para o meu crescimento enquanto mãe de 1º viagem que ama viajar. Pensar , repensar, e planejar são as palavras chaves. Acho que quando entra na fase da alfabetização, tudo se torna mais complicado, mas com jeitinho tudo pode dar certo. Amei o post. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, o pessoal fala que mais adiante vai ficando mais difícil, mas eu já estou achando bem complicada essa fase de alfabetização! Nem precisa complicar mais! hahahhaha

      Excluir
  14. Clau,
    Praticamente você fez uma dissertação de mestrado kkkkk
    Concordo em número, gênero e grau.
    E ainda tem gente que acha difícil viajar com bebês kkkkkkk

    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, se eles soubessem, Fran! Ainda bem que não precisamos nos arrepender de não termos aproveitado, né? hahahaha

      Excluir
  15. É isso aí Cláudia, muito depende do perfil dos filhos e do tanto que eles curtem encarar a sobrecarga no retorno. Por aqui também não apareceu nenhum nerd, ainda... Bjo

    ResponderExcluir
  16. Clau,
    Concordo com você: tirar férias no período de férias, além de mais caro, tudo mais cheio, é uma "briga" no escritório, pois é o período que todos querem...
    E concordo também que a experiência das viagens ensinam muito mais do que um texto na escola... Mas.... Temos que dar um jeito e conciliar tudo..

    ResponderExcluir
  17. Cláudia, como sempre adorei seu post, sou fã! risos
    Então, gostaria muito de ser tão organizada e ter já uma lista de viagens planejadas para cada período, isso deve dar uma grande tranquilidade! Nós nunca conseguimos nos planejar muito e fazemos viagens inesperadas, então pensar em viajar só em alta temporada me dá uma angústia enorme! Clara está no 1ºano e este ano viajamos 2 vezes em período escolar. A primeira em abril/maio ela faltou vários dias e foi muito tranquilo, a professora disse que ela estava indo bem e não sentimos nenhum problema. Acho que por conta disso acabamos encarando uma segunda viagem, da qual acabamos de chegar. Amanhã ela volta à escola, vamos ver como vai ser, ela faltou 7 dias. Porém sei que daqui pra frente será cada vez mais dificil pra ela faltar, então precisaremos nos reprogramar.
    Abraços

    ResponderExcluir
  18. Oi Kelly, depende muito da criança - se a Clara for boa aluna e encarar na boa a recuperação de matérias da volta, vocês poderão continuar nesse ritmo!
    Bjos pra vcs!

    ResponderExcluir
  19. Cláudia, relaxa! Ainda dá para fazer algumas viagens curtinhas com o Lipe, tipo uma semana ou dez dias. Isaac está no sexto ano e conseguimos em maio tirar oito dias. As notas dele, acredite, melhoraram! Claro que na volta passou aperto para colocar tudo em dia, estudamos com ele, deu um certo trabalho, mas não me arrependo nem um pouco, apesar de decidirmos que chegou a nossa hora de só viajar nas férias.
    Abraços!
    Patricia Tayão.
    www.viajarhei.com
    @viajarhei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehehe sempre chega a hora, Pati! Pelo menos teu "recesso" vai durar poucos anos, já que daqui a pouco ele nem vai mais querer viajar com vocês, outro problemão que me espera hahahaha!!!

      Excluir
  20. Claudia, acho que vamos carregar essa culpa de tirar nossos filhos da escola só quando eles estiverem na faculdade, leva alguns anos, mas vai passar voando. Você ainda está no lucro que consegue fazer algumas viagens sem o Lipe, aqui em casa o maridão só viaja se a família estiver completa, todo ano planejo uma viagem a dois, mas ainda não rolou! Abraços dos Ferinhas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana, pois é, recém voltamos de uma viagem para a Islândia sem o Lipe, mas a saudade é horrível!

      Excluir
  21. Li tudo e só posso concordar com você, a fase da educação infantil é a mais "tranquila" para viajar, apesar de eu ter sofrido um pouco na última volta agora em agosto. Tenho bastante receio de quando chegar o ensino fundamental, mas são fases da vida, né? Bom que vocês tem uma boa equipe e diria talvez coragem de viajar a dois. Morremos de vontade aqui, mas sabe Deus quando será possível, os dois são pior que chiclete com a gente e só poderíamos contar com minha mãe, ou seja, sem data prevista para isso acontecer, rs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha Guaciara o Lipe não é grudado assim! Já está me perguntando quando vamos viajar de novo e "deixar ele em paz" aqui em casa! Vê se pode?

      Excluir
  22. É muito engraçado ler esses relatos de vocês e perceber que vocês são gente como a gente. kkkk
    Deve ser super comum acharem que o Lipe nem frequenta a escola kkk
    Vcs estão de parabéns quanto aos planejamentos das viagens com a rotina escolar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline, às vezes eu acho que as pessoas pensam mesmo que somos uns loucos irresponsáveis...cada comentário que me aparece...
      Beijos

      Excluir
  23. Como todos os seus posts, vejo que o planejamento é sempre um dos principais motivos de sucesso das viagens! Aqui não é diferente. Parabéns por conseguir colocar no papel e na prática todos esses sonhos realizados! :) Abraços, Carlos!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...