Sobre

Sobre

Recentes

Menu

Como é viajar sozinha de motorhome com 2 crianças pequenas por 30 dias

Descubra como é viajar sozinha de motorhome com 2 crianças pequenas: a Mariane alugou um motorhome nos EUA, pegou os filhos e dirigiu mais de 5000Km em 30 dias!
Como é viajar sozinha de motorhome com 2 crianças

* Post escrito pela Mariane Correa, que já tinha provado aqui no blog que viajar sozinha com 2 crianças pequenas pode ser muito divertido, e agora comprovou que mulheres podem, sim, viajar sozinhas de motorhome com os filhos pequenos! Mulher porreta, essa! Tirei o chapéu 😲

Se você fica aí lendo meus posts sobre nossas viagens maravilhosas de motorhome e pensando que não dá para viajar sozinha de motorhome com crianças pequenas, inspire-se no exemplo incrível da Mariane, que alugou um motorhome nos Estados Unidos, juntou os filhos e dirigiu so-zi-nha mais de 5000Km em 30 dias, com 2 crianças lá atrás!

Da Mariane, leia também esse post em que ela conta como foi a viagem que fez com os filhos para o Atacama: Como é viajar sozinha com 2 crianças pequenas

Se já tinha gente com vergonha porque acha ruim viajar sozinha com os filhos, imagine agora?! A Mariane nos levou a um novo nível!!!

Minha (minúscula) experiência viajando sozinha com o Lipe: 8 dicas para você viajar sozinha com seu filho pequeno

Quer saber, afinal, como é viajar sozinha de motorhome com 2 crianças pequenas por 30 dias? Vem ver!

Como é viajar sozinha de motorhome com crianças
Como é viajar sozinha de motorhome com crianças

Com a palavra, e todas as honras, Mariane:

Criando coragem para viajar sozinha de motorhome com os filhos

Dirigi exatas 3217 milhas, segundo a fatura da locadora do motorhome. 

Só em São Paulo, um dia depois de chegar, foi que converti em quilômetros esse número e cheguei a impressionantes 5.177Km. Eu até agora penso que deve ter havido um erro e marcaram errada a quantidade de quilômetros percorrida. Eu havia planejado dirigir 2 mil milhas, e saí de casa com o pensamento que esse número era bem pretensioso para mim. Ainda me passava pela cabeça a possibilidade de desistir da viagem e devolver o carro antes.

Preciso começar dizendo que até hoje tenho momentos de convicção de que foi uma ideia estúpida essa viagem. Não tenho certeza do porquê fiz isso. Perguntei-me várias vezes se queria provar algo. Cheguei à conclusão que não era isso. Eu simplesmente queria fazer, e fiz.

As pessoas falam muito em coragem. Eu não vejo muito assim. Acho que foi mais vontade, necessidade. Uma viagem de estrada era um sonho, mesmo não tendo certeza de que iria gostar de dirigir tanto, por tantos dias.

O sonho, a vontade, estavam lá e pensei, porque não agora?

Quando dei por mim, a ideia já estava formatada: uma viagem de motorhome sozinha com 2 crianças.

Como é viajar sozinha de motorhome com crianças
Viajando sozinha de motorhome com crianças

Como é viajar sozinha de motorhome com crianças
Como é viajar sozinha de motorhome com crianças

Como é viajar sozinha de motorhome com crianças

Decidindo o roteiro para uma viagem de motorhome nos EUA

O destino eu decidi basicamente de acordo com o clima, e a cidade cuja passagem tinha um preço melhor. Assim, comprei as passagens de ida e volta para Los Angeles, com conexão em Atlanta.

Tinha 33 dias lá, e sabia que devia voltar a Los Angeles para devolver o carro e voltar para casa.

Comprei um livro da Lonely Planet e, em pouco tempo, estava cheia de vontade de ter mais 30 dias, mais 60 dias.

Um livro apaixonante do John Steinbeck, Viajando com Charlie, me fez ter vontade de conhecer Montana e Maine, mas estavam fora da rota para mim no momento. Assim, montar o roteiro foi basicamente o trabalho de cortar, decidir que esses destinos não cabiam nessa viagem.

O roteiro da Claudia, de 28 dias pelo oeste americano, foi praticamente copiado, e fui salpicando os lugares que tinha vontade de conhecer e que cabiam nele.

Veja mais: Roteiro de viagem pelo oeste americano: 28 dias entre Nevada, Utah, Arizona e Califórnia

O roteiro da Claudia é perfeito. Eu anotei muitas coisas e, não fosse minha incompetência e falta de memória, a viagem teria sido um sucesso.

Como é viajar sozinha de motorhome com crianças

Como é viajar sozinha de motorhome com crianças
Como é viajar sozinha de motorhome com crianças

Como é viajar sozinha de motorhome com crianças

Como é viajar sozinha de motorhome com 2 crianças pequenas

A viagem foi maravilhosa, mas preciso ser honesta contando que me atrapalhei bastante. Entendi o funcionamento da água quente do motorhome lá pelo 10° dia. A torneira da pia do banheiro, só consegui ligar no 15° dia. Mas não me desesperei. Sabia que a água quente não venceria a luta no final. 😌

Eu não ousava contar para ninguém, mas você começa a contar para um amigo, deixa escapar numa conversa e, em pouco tempo, era a conversa principal quando se dirigiam a mim. Eu não tinha essa dimensão toda de que estava prestes a fazer algo incomum. Para mim não era. Isso trouxe uma apreensão. Mas não tinha volta.

Para falar bem a verdade, eu estava com medo. Senti um nó no estômago em praticamente todo o período que antecedeu a viagem, e durante a viagem também. Eu nem ousei imaginar tudo o que poderia dar errado. Teria sido paralisante.



Chegou o dia, malas prontas, documentos. Tudo tranquilo, voo.

Chegamos em Los Angeles no horário previsto, mas percebi que minha filha estava com febre. Ela chorava e pedia colo e reclamava do frio.

O ônibus que tinha pensado em pegar para Hollywood, onde estava localizado nosso hotel, demorou mais de 30 minutos para chegar, e foi uma eternidade nessas condições.

Quando o ônibus finalmente chegou, meu filho dormiu. O problema foi acordá-lo na chegada. Melhor nem lembrar.

Cheguei no hotel completamente desesperada e, se até o momento tinha me contido para não pensar em coisas ruins, nesse ponto eu já imaginava que minha filha tinha pego um vírus internacional, desses graves. Fui dormir pensando que não pegaria motorhome nenhum no dia seguinte e que teria que conhecer um hospital.

Nada disso aconteceu.

Às 4hs da manhã a pequena já acordou e estava bem disposta, e eu já tinha esquecido do perrengue. Então, fui buscar o motorhome. Depois de 2hs de metrô e mais um Uber, finalmente peguei o veículo.

Que pânico.

E essa marcha aqui atrás do volante que eu nunca vi. Como faz para abastecer? Walmart! Compra comida, compra produtos de limpeza. Volta no Walmart. Esqueci fogo para usar fogão. Volta no Walmart. Esqueci carregador do celular. Chegou a noite. Crianças cansadas. Fazer comida. Ufa!!

Veja também: Viajando de motorhome: onde comprar e o que comprar no supermercado depois de alugar um

Depois que eles dormiram, às 20hs, ainda voltei a Hollywood para buscar minha mala que tinha ficado no hotel, e resolvi seguir até Santa Barbara naquela mesma noite, para fugir de Los Angeles.

Assim começou a viagem. Esse foi recém o primeiro dia. Eu ainda estava em pânico.

Quando amanheceu, fomos à praia. Respirei. Segui em frente.

Dormimos na 2ª noite em San Luiz Obispo, num camping Koa bem legal.

No fim, comecei a achar camping somente legal pelo banho. Você realmente consegue viver sem camping num carro pequeno como o nosso.

Passamos outro dia na praia, em Avila Beach. Não vi em nenhum roteiro. Simplesmente encontrei. Você estaciona o motorhome no acostamento da praia e desce alguns passos. É quase como se você morasse na praia. Foi muito confortável ir à praia com as crianças assim. Uma praia linda. Eles correram. Saímos da praia lá pelas 16hs, depois de um banho e almoço.

Minha intenção era encontrar um free camping - Prewitt Ridge Campsite, mas anoiteceu e fiquei com medo. A Highway 1 é tenebrosa à noite. Acabei dormindo no acostamento da Big Sur e tive um pequeno incidente com o carro aqui, que foi bem pequeno, mas me deixou chateada.

Leia também:

Los Angeles: roteiro de 1 dia

Como é viajar sozinha de motorhome com crianças

No dia seguinte, tentei encontrar uma livraria linda que tinha vontade de conhecer, Henry Miller Memorial Library, mas estava fechada e decidi seguir para Carmel, onde também não tive sorte. Nenhuma vaga para estacionar. Rodei uns 40min e desisti.

Segui para o Aquário de Monterey. As crianças amaram. É um aquário bem bonito, mas somos suspeitos porque adoramos aquário.

Veja ainda:

Monterey Bay Aquarium
Pacific Coast Highway: de Monterey até Carmel pela 17 Mile Drive

Dormimos em uma rua qualquer de Monterey, já mais confortável em encontrar lugares para dormir.

Na manhã seguinte, vi no aplicativo RVdumpsites.net, que a Claudia recomendou, que tinha dump station num parque, de graça.

O Monterey Veterans Memorial Park é ótimo. Fui somente pelo esgoto, mas vimos veados, tinha um parquinho lindo e tomei banho quente por U$ 2. Acabei passando o dia ali, de graça, e segui para San Francisco.


Como é viajar sozinha de motorhome com crianças


Em San Francisco dormi no vista point da Golden Gate Bridge por 5 noites. Que vista!

Pela manhã, cruzávamos a ponte e estacionava o carro em East Beach. De graça. Aproveitávamos e íamos à praia todos os dias. Essa dica foi da Claudia, e foi perfeita.

O problema de San Francisco é que, como fizemos free camping, tivemos que economizar no banho para não ficar sem àgua. Não vou entrar em detalhes, mas cheguei a um ponto de ficar realmente necessitada de um banheiro para um banho decente.

Para ler mais sobre San Francisco:




Como é viajar sozinha de motorhome com crianças
Como é viajar sozinha de motorhome com crianças


Eu tinha intenção de chegar em Yosemite no dia 25/12, mesmo dia que saí de San Francisco, mas ficou tarde e decidi dormir num camping em Lathrop (Dos Reis).

Para meu azar, estava muito frio e o banheiro do camping, que era bem simples, só abria em determinados horários.

Era praticamente um acordo do universo para eu não tomar banho. Mas, diante da situação, resolvi ler o manual do motorhome e a água quente funcionou. Que alegria!

Conversei com um casal que estava tirando um ano sabático, morando num trailler. Limpei os reservatórios, abasteci o carro com água limpa e seguimos para Yosemite no dia 26/12.

Dormimos 3 noites no camping em Yosemite. Talvez tenha sido meu lugar preferido. É lindo, mas o melhor é ficar por ali. Acordar, dormir, andar. Sem pressa.

Vi algumas famílias que dormiam em barracas. Em barracas e com crianças. Temperaturas negativas. As minhas crianças andavam livres, já acostumadas com o frio, com a neve. Cutucavam tudo, quebravam gelo. Fizemos fogueira nessas noites. Comprei madeira na loja do parque, mas eu não conseguia acender o fogo. Pedi ajuda ao vizinho de camping. Eles já estavam sentados, descansando, mas levantaram com tanta boa vontade para ajudar.

Na 1ª noite, uma família do Japão me ajudou, e na 2ª um casal de San Francisco. Eu poderia ficar uma semana, ou mais, por ali, fazendo fogueiras e trilhas.

Veja também: Yosemite National Park e as sequoias gigantes


De Yosemite seguimos para Las Vegas.

No caminho, dormimos no estacionamento da Cracker Barrel. Tinha visto num blog, de um americano que vive num motorhome, que essa rede era ótima para pernoitar. Para meu azar, justo a Cracker Barrel de Las Vegas tinha comentários no rvparky.com de que não era permitido o pernoite. Eu já estava muito cansada quando vi esses comentários dos usuários e estava sem opção, então resolvi ir lá e ver como era. O local era bem tranquilo e sem placas, ou seguranças, proibindo, então dormimos ali.

De manhã, tomamos um café da manhã delicioso na loja, para compensar o pernoite.

Saiba mais:

Como pernoitar de graça num motorhome nos EUA


Em Las Vegas, fiquei no Oasis RV Resort por 2 noites.

Deixava o motorhome no camping e andávamos de ônibus. Super fácil. Eu sou fã de ônibus. Andei de ônibus em San Francisco, em Los Angeles. Você conversa, vê por onde está passando. Se perde. Anda. Você só precisa do Google Maps e de alguma paciência.

Para saber mais sobre Las Vegas com crianças: 


Tive dias tranquilos em Las Vegas, tirando o frio que passei na 1ª noite de 2020, porque acabou o gás propano (que faz funcionar a calefação do motorhome) na madrugada.

Foi perrengue, mas foi total preguiça minha de tirar o motorhome da vaga e procurar um local para abastecer o gás. Sabia que o gás propano estava acabando, mas fiquei enrolando, me enganando que daria para mais um dia. Funcionou por 2 noites minha fé no impossível, até que o gás acabou. Ficar sem banho não foi legal, mas ficar com frio é terrível. Mas as crianças acordaram dizendo que nem perceberam que o aquecedor não estava ligado.

Fiquei super bem em Las Vegas. Vimos o Cirque du Soleil. Mas, para mim, a melhor parte de Las Vegas foi sair de lá. Foi maravilhoso dirigir esse trecho. Que estrada linda, que por do sol!

Descobri que a estrada é viciante. 

Neste ponto da viagem eu já estava completamente adaptada à vida na estrada. Acordar, fazer café, deixar as crianças brincarem, dirigir. Minha mente foi entrando naquele ciclo e eu quase esqueci dos meus pesos, minhas preocupações, minhas armaduras. Éramos somente nós. Verdadeiramente nós.

Para ler mais:

Viagem de motorhome nos Estados Unidos: custos com gasolina, gás e outros
Tour do motorhome: conheça nossa casinha por dentro
Como funciona o esgoto do motorhome


Como é viajar sozinha de motorhome com criançasComo é viajar sozinha de motorhome com crianças
Como é viajar sozinha de motorhome com crianças

Eu sempre quis conhecer o Grand Canyon.

Dormimos 3 noites lá. Reservei 2, mas meu filho pediu para ficar mais 1 dia. É bonito. Uma imensidão. Cores.

Fizemos a trilha do tempo no 1° dia e, no 2° dia, fiz outra trilha de 3,7Km. Com as crianças. Vistas lindas.

A viagem já teria valido a pena se tivesse acabado aqui.

Eu acho que o fato de ter ficado 3 noites no Grand Canyon, nos deu uma experiência completamente diferente daqueles passeios de 1 dia que muitas vezes são feitos. Eu fiquei realmente grata por ter podido estar ali, quase esquecendo da minha condição de turista.

E as crianças? Felizes, brincando, brigando, seguindo a vida deles. Com a simplicidade deles.

Para saber mais sobre o Grand Canyon:


Como é viajar sozinha de motorhome com crianças


Como é viajar sozinha de motorhome com crianças

Saí do Grand Canyon por Desert View, no amanhecer mais lindo da minha vida. Segui para Monument Valley.

Nesse dia, meu filho teve um mal-estar e estava com febre. Resolvi então procurar um camping para ter alguma ajuda se precisasse, mas ele acabou melhorando logo. O problema foi que pegamos a menor temperatura da viagem nesta noite, por volta de -13°, e a água do reservatório congelou.

Fiquei com medo de danificar o motorhome e decidi voltar para Tuba City, onde era mais quente, e a água descongelou. Ufa!

Monument Valley é bonito demais. Com neve. Foi um dos lugares mais lindos da viagem.

Leia também:

Viajando de motorhome no inverno e na neve: a nossa experiência em 8 perguntas e respostas

Como é viajar sozinha de motorhome com crianças

Desse ponto em diante, acho que ninguém deveria chamar meu roteiro de roteiro, pois ele foi ilógico.

Fui para Flagstaff e levei meus filhos para brincar no Flagstaff Snow Park. Eles se divertiram muito. É um parque para praticar o que nós chamávamos de “escorregador na neve com pneu”.

De Flagstaff fui para Sedona, e fiquei por 2 noites. Mandei mensagem pra Claudia perguntando da localização da igreja que ela tinha recomendado para pernoite. Eu encontrei até uma igreja da terra plana, mas a igreja da Claudia não achei. Com certeza devo ter dormido do lado dela e não percebi. Mas não tive problemas para dormir em Sedona, porque lá realmente é cheio de estacionamentos gratuitos, inclusive para motorhomes.

Em Sedona fiz mais trilhas. Fiz uma pequena escalada. Andamos no centrinho e foi quase o único lugar onde tive vontade de comprar artesanato. Eles produzem muitas coisas bonitas.

Saiba mais sobre Flagstaff e Sedona:

Flagstaff, Arizona e arredores: roteiro, passeios, compras, hospedagem, restaurante, perrengue e a famosa Rota 66

Como é viajar sozinha de motorhome com crianças



De Sedona, tinha planos de ir à Phoenix, mas meu filho pediu tanto que voltei para Flagstaff, para mais um dia no Snow Park.

Visitei o Lowell Observatory em Flagstaff.

Se nada do que eu escrevi servir, considerem ao menos essa dica. É preciosa.

O lugar fica no alto de uma colina e é fabuloso. Fiz uma visita guiada. Esse lugar é conhecido, pois foi o 1° observatório que identificou Pluto, o planeta anão. Eles têm um pequeno museu com a história desse planeta, têm os telescópios que eram usados na época. Para completar, quando estávamos lá, começou a nevar e não parou mais. Não tenho como descrever o quanto era bonito.

Mas nada dá certo nas nossas viagens por muito tempo. A cena bonita logo se transformou em preocupação, porque eu precisava descer a colina, no escuro, nevando. Foi assustador, mas consegui dirigir em segurança. Dormi na Crackel Barrel de Flagstaff, e era tempo de começar a voltar.

Nesse ponto da viagem, eu comecei a me habituar a começar a dirigir bem cedo. Às 5hs da manhã, às vezes até antes.

No final da viagem, pedi para cada um dos meus filhos escolherem um parque. O Gui escolheu a Legoland e a Sofia escolheu o parque da baleia orca - Sea World. Eles amaram! Agora são fascinados por montanhas-russas.

Para saber mais:


Como é viajar sozinha de motorhome com crianças



Eles também queriam mais um dia de praia, e eu precisava de um camping para limpar o carro, então fomos parar no Malibu RV Park nas nossas 2 últimas noites.

Ainda fomos à praia e passamos uma tarde no píer de Santa Monica, no parque de diversões.

Se chegar foi difícil, ir embora foi surreal. Eu tinha somente uma mala, mas as coisas não cabiam. Ainda tive tempo de levar uma multa de bobagem, por parar por 2 minutos numa rua que seria lavada.

Veja ainda: Malibu Beach: um banho de praia gelado em Los Angeles

Conclusões

Mas, afinal, como foi dirigir sozinha um motorhome por mais de 5000Km, com 2 crianças, por 30 dias?

Foi difícil!

Tive momentos de bastante tensão, mas a minha dica é respire fundo, um problema por vez.

As crianças tinham prioridade e tentava deixá-las sempre confortáveis.

Depois vinha o motorhome, que exigiu muito de mim, mas não me venceu. A água quente deu para esperar, então me preocupava com o problema do dia. Tinha dia que era o supermercado, tinha dia que era o propano, ora lavandeira, ora dump station (esgoto sanitario).

E, no meio de tudo isso, tinha nossa convivência, nossa intimidade, nosso conhecimento acerca do outro.

Cumplicidade.

Você só consegue passar 30 dias, numa viagem dessas, com quem você ama.

Não é perfeito, mas ríamos dos perrengues, das trapalhadas. Eu achava que uma viagem assim só era possível para pessoas mais experientes, viajantes experientes, mas descobri que é uma viagem possível, acessível.

Espero que eles guardem bons momentos e que tenham esse desejo de passar mais tempo com as pessoas, consigo mesmos, com a natureza. Espero que eles tenham menos armaduras e mais fé que eu.

Eu tenho muita admiração pelas mulheres.

Conheci mulheres com mais de 50 anos, viajando sozinhas, com seus cachorros. Uma delas havia saído de Nova Iorque há mais de 4 meses, e nos encontramos em Sedona. E mulheres, como minha mãe, que, mesmo nunca tendo feito viagens longas, têm coragem de seguir em frente todos os dias, mesmo a vida sendo difícil.

Essas mulheres me inspiram. 

Quero dizer que vejo mulheres com bravura todos os dias. Mães ou não.

E a próxima?

Devo confessar que o roteiro da Claudia na Namíbia me seduziu. Mas não pensem que perdi o juízo. Vi que a barraca é à prova de leões. Só preciso aprender a montá-la e ver se consigo dirigir na mão inglesa.

Será? 😀

Leia mais: Namíbia com crianças: roteiro de 16 dias

Foi isso. Agradeço novamente a Claudia pelo espaço, por responder minhas mensagens. Pelos posts detalhados. Acho que minha viagem não teria acontecido sem a inspiração da Claudia. Sinto muito escrever tão superficialmente. Eu tenho histórias para preencher 100 páginas. Histórias terríveis, eu garanto. Obrigada!
__________________________

O que dizer depois desse post da Mariane?

Melhor nem dizer nada, fica quieta...essa mulher me cala a boca - cala a boca de muita gente, tenho certeza! Me deixa boquiaberta. Eu também tenho algumas mulheres que me inspiram, que eu admiro...

E a Mariane com certeza está lá no alto da minha lista!

Parabéns, mulher!!!! Te aplaudindo de pé! 💪

Nossas viagens de motorhome pelo Oeste Americano

Tour do motorhome: conheça nossa casinha por dentro
Como funciona o esgoto do motorhome

Relatos de viagens de motorhome dos nossos leitores

Roteiro de 10 dias pela Califórnia de carro

Dicas gerais de viagens de motorhome

Sobre a Califórnia, veja também

Há alguns anos, nós fizemos um roteiro de 18 dias de motorhome pela Califórnia, veja nossos posts aqui:



Não esqueça de curtir a nossa fan page no Facebook e de nos seguir no Instagram para acompanhar nossas aventuras!

Assista todos os nossos mini vídeos neste link do Facebook, e os vídeos completos você assiste no YouTube - aproveite e já se inscreva lá nos nossos canais!

Você também nos encontra aqui:


Share

Marlon Sandri Pegoraro

Comente este Post:

5 comentários:

  1. Que lindo relato! Verdadeiro! Tenho chegado à conclusão que viajar nos leva a dois mundos opostos, o prazer de conhecer novos lugares, de ver como o mundo é incrível, e ao mesmo tempo como perrengues muitas vezes nos deixam frágeis, com a sensação de que não somos capazes. Mas tudo da certo no final não é? Perrengues são só obstáculos, mas não se sobrepõem ao que conquistamos em uma viagem. Os perrengues nos ensinam a melhorar, mas penso que se a Claudia ainda passa perrengue é porque não existe viagem sem perrengue🤣🤣🤣. Fizemos a Califórnia de Motorhome em fevereiro/19 e também nos apaixonamos por Yosemite, também tivemos problemas com frio e neve, dificuldades de encontrar locais para pernoitar Free, campings distantes nas grandes cidades... foi nossa terceira viagem de motorhome e o dia de entrega é sempre um pânico kkkkkk. Mas AMAMOS esse jeito de viajar, estar na estrada é realmente um vício. Parabéns pela tua coragem, com certeza tuas crianças levarão para sempre essa experiência maravilhosa! Obrigada por este relato tão inspirador!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Cristina! Fico tão feliz com a repercussão positiva... o clube dos viajantes tem o melhor astral 😍... nossa, eu demorei para me perdoar quando as coisas davam errado... eu sou mega trapalhona, mas me culpava demais... vc falou tudo, se até a Claudia passa por perrengue, tem que internalizar que perrengue faz parte, que uma parte da viagem e lidar com isso, superar...

    ResponderExcluir
  3. Arrepiei, emocionei, vibrei, admirei...que relato! Que viagem! Que coragem! Até hoje fiz uma única viagem de motorhome (com filho de 4 anos e marido), tb inspirada na Cláudia, e sei bem como são as delícias e as dores, o autoconhecimento e o afinar das relações... penso que as memórias desses dias vividos intensamente são um presente para a vida toda! Onrigada por compartilhar!

    ResponderExcluir
  4. Clarice, é uma viagem que você aprende muito né? Obrigada! Bjo

    ResponderExcluir
  5. Terminei de ler com lagrimas nos olhos!! Que experiencia incrível!!! Que maravilhoso que deve ter sido fazer essa viagem com seus filhos, que recordações eles vão ter no futuro da mãe deles! Nem tenho o que comentar, só aplaudir e desejar que venham muitas outras aventuras!

    ResponderExcluir