15 de janeiro de 2016

8 dicas para você viajar sozinho (a) com seu filho pequeno (testadas e aprovadas)

Como comentei no post sobre a nossa participação no programa da Rede Globo Encontro, da Fátima Bernardes, além da excitação do convite e da gravação, e da alegria de conhecer um monte de gente legal, ainda enfrentamos um desafio relativamente novo para nós: viajar sozinha com o Lipe, pois o Peg não foi junto conosco! 

Pois é, eu sei que para muita gente isso é comum, e eu mesma já viajei várias vezes sozinha com o Lipe, de carro ou de ônibus, dentro do Rio Grande do Sul ou no Uruguai. Mas foram sempre viagens para lugares onde estamos habituados a ir - Punta del Este, Porto Alegre - e nunca de avião. 

Por incrível que pareça, nas quase 100 viagens aéreas do Felipe, estávamos sempre os 3 juntos, eu, o Lipe e o Peg. 

Essa viagem ao Rio de Janeiro foi a minha primeira viagem aérea sozinha com meu pequeno viajante, e descobri algumas coisinhas que podem facilitar esse momento para marinheiros de primeira viagem como eu. 

Seguem então as 8 dicas que aprendi na prática para você enfrentar o desafio de viajar sozinho com o seu filhote: 

1. Adiante o serviço

Faça tudo o que puder, toda a burocracia, antes de sair de casa, quando ainda tem ajuda. Imprima cartões de embarque, carregue as suas baterias, arrume a bolsa, etc antes de sair de casa. 

Tudo o que você puder levar pro aeroporto já pronto e organizado vai facilitar a sua vida quando estiver lá sozinha com o capetinha, sem ajuda de ninguém para olhar o que ele apronta enquanto você espera uma hora na fila do check-in. 

2. Equipe-se

Numa viagem sozinha (o) com o seu filho, os itens que normalmente são recomendáveis tornam-de imprescindíveis. Não vá esquecer da caixinha de suquinho, do saquinho de salgadinho, do pirulito para evitar a dor no ouvido, do brinquedinho (cartas, carrinho, lápis de cor e papel), da muda de roupa extra para o caso de 'acidentes', da chupeta, fralda, leite em pó, tablet (com bateria carregada e carregador!), ou seja lá o que for imprescindível para garantir o conforto do seu pequeno (e o seu!). 


3. Vá descansada (o)

Eu sei que os momentos - às vezes os dias - que antecedem uma viagem são quase sempre meio caóticos: a correria de organizar a vida e a casa antes de partir numa viagem, os últimos dias no trabalho antes das férias, um monte de coisas por fazer antes de viajar e ainda toda a função de arrumar malas e as coisas da viagem em si. Tudo isso pode ser exaustivo, e você acaba embarcando acabado (a)! 

Por isso essa dica é tão importante: numa viagem sozinha (o) com uma criança, mais do que nunca você precisará estar alerta a tudo e disponível para o seu filho, então tente se organizar com antecedência para ter pelo menos uma boa noite de sono antes do dia D e poder viajar descansado (a). 


4. Leve pouca bagagem

Eu sei que é mais fácil falar do que colocar em prática, mas essa dica é fundamental - cada um carrega o peso do seu conforto, e numa viagem 'solo' com seu filho isso é mais verdadeiro do que nunca - ou pior: você precisará carregar sozinha (o), sem ajuda de ninguém, toda a sua tralha e mais a do pequeno viajante que lhe acompanha. Então economize nos luxos, seja prática, leve apenas o básico. 

Na hora em que for fazer a mala, leve apenas o fundamental e pergunte-se mentalmente se cada item que você está colocando ali dentro é mesmo necessário. Lembre-se que você tem apenas 2 braços, e precisará de um deles para dar a mão ao seu filho - limite-se a um único volume de bagagem e, no máximo, uma mochila que você possa carregar nas costas, mais prática do que uma bolsa. 

O ideal é levar apenas uma bagagem de mão, que você não precise despachar - ajuda bastante não ter que esperar malas na esteira e ter tudo o que você poderá precisar à mão dentro do avião. 

A maior prova de que ninguém morre em decorrência da falta de mais uma blusa ou par de sapatos é que nós viajamos 5 meses pelo mundo com o Felipe, pegando desde temperaturas negativas na Rússia até praias na Indonésia, com apenas 2 mochilas para nós 3. Sim, eu sobrevivi 5 meses com um tênis e um par de havaianas. Você consegue ;)

5. Organize-se e faça tudo com calma

Não deixe para chegar ao aeroporto na última hora, evite correrias desnecessárias. Organize os cartões de embarque e documentos necessários para a viagem. Tente - eu sei que é difícil - sair de casa com tudo pronto e organizado e com antecedência suficiente para que o táxi que vai levar você ao aeroporto possa furar um pneu sem que isso te faça perder o voo. 

Faça as coisas com calma, lembre de levar o pequeno ao banheiro antes de embarcar, guarde seus documentos para não perder, não ande zanzando pelo aeroporto com os documentos na mão...enfim: muita calma nessa hora!

6. Seja prática (o)

Use roupas confortáveis, evite salto alto, não coloque no seu filho um cinto que dificulte na hora dele ir ao banheiro ou um tênis que vá apitar no detector de metais. São medidas simples e práticas que evitam uma baita função no aeroporto. 

7. Não tome remédios/calmantes

Lembre-se que não terá ninguém para te ajudar com o teu filho, para olhar e cuidar dele se você apagar. 

Ele depende 100% só de você :)

8. Leve todos os documentos necessários

Cheguei a me preocupar se seria necessário levar uma autorização do Peg, para viajar sozinha com o Lipe, já que se trata de viagem interestadual, e as companhias aéreas poderiam encrencar no check-in. 

Liguei para a TAM e para a Gol e ambas foram taxativas: a autorização para viajar sozinha com o filho só é necessária em viagens internacionais; para voos domésticos só é necessário levar o documento da criança - RG ou certidão de nascimento original. 

Recomendo, contudo, que você ligue antes para confirmar com a sua companhia aérea, para não ter nenhuma surpresa desagradável no aeroporto. Prevenir é melhor que chorar, sempre. 


Perrengue

Tinha que ter, né? Ou não seríamos nós viajando... 

Nos colocaram em assentos separados no avião, eu e o Lipe, incrivelmente, e no check-in foi impossível alterar, pediram que eu solicitasse ajuda ao comissário. Ok, não fosse o cara de b. do comissário da Gol que, quando solicitei auxílio para colocar o Lipe ao meu lado no avião, disse que nós sentássemos separados mesmo e depois eu tentasse trocar! Ãh??? Como assim??

Imagina a carinha do Lipe quando o cara falou pra ele ficar sentado sozinho num canto do avião que eu ia pro outro lado? Vontade de deixar que ele abrisse o berreiro nos ouvidos daquele comissário infeliz! 

Por sorte, uma senhora que assistia toda a cena se ofereceu imediatamente pra trocar comigo, e ainda saiu xingando o idiota e a companhia aérea que coloca uma criança de 6 anos separada da mãe no avião e não faz absolutamente NADA pra resolver o impasse! 

Ainda bem que ainda tem gente com noção no mundo, né? 

Comente!

Certamente temos leitores por aí que já viajaram muito mais que um simples voozinho doméstico sozinhos (as) com um ou até mais filhos - eu ficaria suuuuuuper feliz se vocês se dispusessem a deixar as dicas de vocês nos comentários! 

Com essas medidas básicas - não contei nenhum segredo de Estado - garanto que vai dar tudo certo! E boa viagem em dupla!



Quer saber quais são as nossas dicas para desfrutar melhor das próximas viagens aéreas com o seu pequeno viajante? Dê uma olhada nos nossos outros relatos sobre esse assunto:



Veja fotografias das nossas viagens no Instagram @claudiarodriguespegoraro, na hashtag #Felipeopequenoviajante.

Não esqueça de curtir a fan page no Facebook para acompanhar as nossas aventuras!

Assista todos os nossos minifilmes neste link do Facebook, e os vídeos você assiste no YouTube ou no Vimeo - aproveite e já se inscreva lá nos nossos canais!

Você também nos encontra aqui:

4 comentários:

  1. Oi Cláudia. Sempre viajei sozinha com minha filha. Desde 2 meses de idade. Quando a segunda nasceu, ficou mas difícil, mas nada impossível. Com o tempo vamos achando estratégias para aprimorar a técnica kkkkkk. E olha que para sair da minha cidade (Palmas-TO) sempre tem escala. É quase o fim kkkk. As minhas dicas principais para andar com as meninas sao.
    - SEMPRE ir de mochila para ter as mãos livres. Nunca bagagem de mão, mesmo q tenha q esperar um pouco para pegar a bagagem.
    - se não for o caso do banheiro da família, lembrar que o banheiro do cadeirante sempre é grande o suficiente para caber a família toda e se for o caso, até o carrinho de bebê. E acredito que eles não se sintam ofendidos em nós emprestar o banheiro deles. Kkk
    - A terceira e mais importante é paciência. Pois elas (4 e 2 anos), vão correr em algum momento, vão chorar, vão pedir um colo ao mesmo tempo. Tendo paciência e boa conversa, tudo se resolve.

    Afinal, melhor passear do que ficar em casa ...

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É como Jaguarão então kkkkkk no mínimo tem que pegar um busão e mais um voo até SP para ir a qquer outro lugar!
      Isso do banheiro tb tá complicando para nós agora, pq o Lipe empaca quando vê a foto da mulher e não quer entrar nos banheiros femininos kkk vou começar a usar os de cadeirante tb!

      Excluir
  2. Oi, Cláudia. Tudo bem? :)

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...