Menu

Ilhas Lofoten, na Noruega: roteiro e dicas

Planejando uma viagem às Ilhas Lofoten, na Noruega? Aqui você descobrirá como chegar lá, as principais atrações de Lofoten, nosso roteiro completo pelo arquipélago, onde comer, onde ficar e muito mais dicas de Lofoten.
Ilhas Lofoten, na Noruega: roteiro e dicas
Ilhas Lofoten, na Noruega

Planejando uma viagem às Ilhas Lofoten, na Noruega? Em dúvida sobre o que fazer em Lofoten? Aqui neste post você descobrirá como chegar lá, as principais atrações de Lofoten, nosso roteiro completo pelo arquipélago, onde comer, onde ficar e muito mais dicas de Lofoten.

As Ilhas Lofoten são uma parte espetacular da Noruega.

As montanhas de Lofoten foram esculpidas por glaciares e são fantásticas: parecem ter nascido de dentro do mar querendo tocar o céu com seus picos pontiagudos, povoadas por aldeias de pescadores tão perfeitinhas que parecem 'fake'.

Lofoten é um verdadeiro tesouro escondido, paraíso perdido ou qualquer outro destes clichês que você queira usar - a única certeza que eu tenho é que esse lugar não pode ficar de fora do seu roteiro pela Noruega!

Sobre a nossa viagem de motorhome pela Noruega, já publicamos também:


Vamos então às nossas dicas e roteiro nas Ilhas Lofoten, Noruega?


Partimos do lugar onde pernoitamos no motorhome, já ao norte do Círculo Polar Ártico, depois das 9:30hs em direção ao ferry (balsa para passageiros e veículos) que nos levaria a Lofoten (pronuncia-se "Lufutn").

Tinha finalmente chegado a nossa vez de passear no Arquipélago mais lindo onde já estivemos, Lofoten, no norte da Noruega!

No caminho, paramos em Fauske para comprar um hamburger pro Lipe, que estava com 'desejo'.

Esses hamburgers de postos de gasolina na Noruega e na Suécia são bem gostosos, mas caros, em torno de 95 coroas norueguesas. Eles quase sempre têm também 'donuts' ou 'muffins' por 10 coroas, o que dá um bom café da manhã.

Em Fauske também vimos um enorme evento de cachorros...não entendemos se era um concurso de beleza de cachorros ou provas de adestramento, mas era um mega evento, com cachorros de todas as raças, uma visão impressionante!

Paramos no posto Storjord Service Grocery AS. Endereço: Gnr 69 Bnr 9, 8275 Storjord i Tysfjord. Colocamos diesel a 14,61l. Abastecemos 37,65L e pagamos 550 coroas norueguesas no total.

É bom abastecer bem o seu veículo antes de atravessar de balsa para Lofoten, porque lá o combustível é AINDA mais caro do que no continente, que já é caro!

No trajeto entre Fauske e Bognes, vimos muitos "banheiros" para esvaziar os 'cassettes de black water' (as nossas caixas de n° 2, ou seja, lugares apropriados para fazer o esgotamento sanitário do motorhome).

mapa com a indicação de onde estávamos: Lofoten, Noruega, no extremo norte da Europa

Qual ferry usar para chegar em Lofoten

Nossa idéia inicial era pegar o ferry entre Skutvik, no continente, e Svolvaer, que é a capital do arquipélago das ilhas Lofoten.

Existem outras opções de balsas do continente para Lofoten, mais ou menos curtos e caros, que diminuem ou aumentam o trajeto.

Escolhemos esse porque dizem ser um dos trajetos de ferry mais bonitos do mundo e porque ele é um "meio-termo" em termos de preço e distância.

ferry de Skutvik para Svolvaer é mais frequente, mais rápido, mais barato e mais longe para chegar do que a balsa entre Bodø - Moskenes.

Chegando lá perto, contudo, descobrimos, com ajuda da Gleusa (amiga que mora na Noruega e manja muito desses paranauês todos), que só havia UM ferry de Skutvik para Svolvaer às 18:30hs no domingo que poderíamos pegar, então mudamos nosso roteiro e fomos pela balsa de Bognes - Lødingen, que é um ferry mais caro e tem uma rota em Lofoten mais longa, mas o tempo de viagem, ao fim e ao cabo, seria o mesmo, e não teríamos que ficar horas parados esperando na fila do porto.

A nossa dica é que você se informe com antecedência sobre os horários das balsas, para não passar perrengue. Nós até tentamos nos informar, mas os sites das empresas de ferries são bem complicados de entender, e muitos deles têm informações apenas em norueguês - então acabamos relaxando e fomos "ver no que dava".

o Google Maps é nosso melhor amigo na hora de calcular e recalcular nossos trajetos e roteiros

As principais opções de balsas do continente para Lofoten são essas 3 que mencionei acima:
  1. Bognes - Lødingen: é o que exige mais Kms rodados para chegar, mas é o mais frequente (usamos este ferry na ida);
  2. Skutvik - Svolvaer: era nosso escolhido por ser um meio termo de preço e Km, mas é pouco frequente; e
  3. Bodø - Moskenes: é o que exige menos Km para chegar, mas é o ferry mais longo e mais caro (usamos este na volta).
Saiba que, se você tiver mais tempo, é possível ir até Lofoten por terra, sem que seja necessário fazer travessia por balsa, indo até Narvik - mas a quilometragem é bemmm maior, e precisa ter mais tempo (e muito mais diesel!).

Olha as informações que a Gleusa nos passou de horários de ferry para domingo nessas rotas - como falei, é meio difícil encontrar essas informações em inglês na internet, mas vale conferir, porque os horários mudam bastante dependendo da época do ano:

* Skutvik - Svolvær 12:15h e 18:30h - custa 417 kr + 58 por adulto (veículos entre 6-7m), e 489 kr se for mais de 7m; e

* Bognes-Lødingen 13:15, 14:30, 15h, 15:45, 17:15, 17:45 e 18:30 - custa 608 kr +78 por adulto.

na volta de Lofoten para o continente, usamos o ferry que parte de Moskenes para Bodø 

Travessia de ferry Bognes-Lødingen

Chegamos as 12:45hs em Bognes e pegamos o ferry de Bognes para Lødingen das 13:15hs.

Pagamos 75 euros para cruzar com o motorhome, e a travessia entre Bognes e Lødingen dura 1h.

Foi a primeira vez que tivemos obrigatoriamente que descer do motorhome durante a travessia e ir para o deck superior, onde tem área de estar, cafeteria, banheiros, área kids, etc.

Desembarcamos em Lødingen e logo já ficamos impressionados com a paisagem ao nosso redor: ainda nem tínhamos chegado de fato no Arquipélago de Lofoten e as paisagens já pareciam cenários de Jurassic Park!


ferry de Bognes para Lødingen - a parte envidraçada é uma área kids


não parece cenário de Jurassic Park? e ainda nem tínhamos chegado a Lofoten!

Desbravando Lofoten

De longe, Lofoten parece uma ilha só, e até ganhou o nome Lofoten Wall, mas a verdade é que o arquipélago é formado por 4 ilhas principais, separadas do continente pelo Vestfjorden, e todas ligadas por pontes e túneis.

É possível ir de uma ponta a outra de Lofoten, atravessando as 4 ilhas principais, sem pegar nenhuma balsa: existem túneis e pontes ligando as 4 grandes ilhas do arquipélago. Foi exatamente o que fizemos.

As 4 principais ilhas do arquipélago de Lofoten são Austvågøy, Vestvågøy, Flakstadøy e Moskenesøy.

A melhor estratégia para conhecer Lofoten é pegar a rota cênica E10, que percorre as 4 ilhas de um canto a outro, pegando todos os desvios que o seu tempo permitir!

De Svolvaer (a capital) até Å (o último povoado, lá no finalzinho do arquipélago) são 130Km se você for direto pela E10, o que seria um desperdício, porque a graça está justamente nos desvios.

Nossa ideia inicial era já chegarmos em Lofoten pela capital Svolvaer, o que nos economizaria bastante quilometragem, mas, como expliquei antes, não conseguimos pegar essa balsa, então fomos até Lødingen, o que aumentou bastante o nosso trajeto em Lofoten: de Lødingen até Å são 229Km sem desvios - como fizemos muitos desvios, rodamos muito mais do que isso no Arquipélago de Lofoten.

atravessamos Lofoten de motorhome de um lado a outro!

roteiro recomendado em Lofoten

desbravando as Ilhas Lofoten de um canto a outro

a melhor estratégia para conhecer Lofoten é atravessar todo o arquipélago pela rota cênica E10, bem sinalizada nas rodovias

Realmente, como nós fomos de Lødingen até Å, nosso trajeto pela E10 foi de 229Km (pelo Google Maps), mas, com todos os desvios que pegamos no caminho, certamente passamos bastante dos 300Km percorridos em 2 dias cheios em Lofoten.

Nos 2 dias que ficamos lá, passeando da manhã à noite (simmmm, aproveitamos muito as 24hs diárias de claridade no arquipélago), conseguimos ver tudo o que estava na nossa lista, mas o ideal seria poder ficar lá curtindo com calma pelo menos uns 4 ou 5 dias.

Como em toda a nossa viagem pela Noruega, em Lofoten também não teve correria, porque ficamos bastante tempo em cada lugar que quisemos e paramos em todos os mirantes do caminho, mas foi cansativo pelo fato de que começávamos o dia por volta das 9hs e nunca encerrávamos os passeios antes das 22hs!

O sol brilhava forte até tarde da noite, e era difícil aceitar que tínhamos que parar para dormir e descansar o corpo, com tantos lugares lindos para conhecer!!

Leia também: Aurora boreal, sol da meia-noite e noite polar: a Noruega e seus incríveis fenômenos da natureza

frase que resume o espírito do lugar: a Noruega não foi feita para ficar com a bunda sentada em Lofoten - é um lugar para aproveitar 24hs/dia, 7 dias por semana - um lugar para viver aventuras e fazer memórias inesquecíveis

Vídeo de viagem de motorhome pela Noruega

Com vocês, alguns dos melhores momentos da nossa viagem pela Noruega de motorhome:


Se você gostou, não esquece de deixar um 👍, comentar e se inscrever no nosso canal YouTube!

Svolvaer

Depois que desembarcamos da balsa com o motorhome em Lødingen, seguimos direto até a capital do Arquipélago de Lofoten, o povoado de Svolvaer, que é a cidade mais desenvolvida da região.

Em Svolvær, estacionamos na Avisgata 2-4, 8300, perto do Magic Ice.

Eu já estava achando tudo muito lindo, mas a verdade é que agora, conhecendo o restante de Lofoten como conhecemos, sei que não tem nada demais lá, é só um porto e uma praça central meio sem graça, com bancas vendendo bacalhau e roupas de lã com estampas típicas norueguesas.

Svolvaer tem boas opções de hotéis, o que faz com que muitos turistas escolham fazer base lá, mas eu realmente não acho que essa seja uma boa opção, pois a capital de Lofoten fica distante das aldeias mais bonitas.

Também existem em Svolvaer algumas atrações turísticas que não achei imperdíveis (como um museu meio sem graça), e a capital do arquipélago é um bom lugar para pegar passeios de barco pelo fiorde, mas, fora isso, não é o lugar mais pitoresco das Ilhas Lofoten, então não perca muito tempo por lá.

como sou super empolgada, já estava achando tudo lindo em Svolvaer

bancas na praça principal vendendo bacalhau em Svolvaer, capital de Lofoten

e outras bancas vendendo roupas de lã típicas norueguesas em Svolvaer, Lofoten

Kabelvag

Primeiro paramos na Vagan Kirke: uma igreja de madeira imensa e muito bonita, onde tem que pagar para entrar. Ela fica na beira da estrada, a caminho de Kabelvag. 

Tem estacionamento ali na frente. 

Depois seguimos para o centrinho do povoado de Kabelvag: uma aldeia muito lindinha, com algumas galerias de arte na praça principal e um cais colorido. 

Foi fácil encontrar onde estacionar de graça em Kabelvag e demos um passeio a pé pelo povoado, cheio de casas pintadas de cores fortes. Para os pequenos viajantes, encontramos um jogo de xadrez gigante pintado no asfalto 💕

Acho que vale a visita!


Vagan Kirke em Kabelvag

no centrinho de Kabelvag

galeria de arte em Kabelvag


adorei o colorido de Kabelvag, nas Ilhas Lofoten

Henningsvaer 

Namoramos essa ilha "Lofotenha" durante taaaaanto tempo no Instagram - sim, o IG é uma excelente fonte de inspiração para viagens, vocês não acham? - e finalmente tinha chegado o nosso dia de voar o drone naquele lugar surreal, onde você encontrará uma ilha ocupada quase que inteiramente por um campo de futebol! 

As fotos aéreas são impressionantes! 

Aliás, se você curte drone, tem 2 lugares imperdíveis na Noruega: Stryn e Lofoten, anota aí!

ficamos muito tempo voando o drone nesse lugar impressionante

Henningsvaer Stadion visto no Google Maps

As principais atrações de Henningsvaer são o cais - Heimgårdsbrygga, e o Henningsvaer Stadion/Lighthouse, que são justamente o campo de futebol e o farol que ficam bem na pontinha da ilha.

É chato encontrar vaga para estacionar bem pertinho do cais, no centrinho, então fomos direto ao campo de futebol e estacionamos lá. É grátis.

Depois de muitas fotos de drone, fomos a pé, passeando, até o centrinho de Henningsvaer, onde comemos no Kafé Lysstoperiet

Comemos pizzas deliciosas de salmão defumado com pesto por 338 coroas (endereço: Gammelveien 2, 8312 Henningsvær). 

No final deste post, você encontrará uma lista completa dos nossos lugares preferidos para comer em Lofoten.

Embora o campo de futebol ocupando quase a ilha inteira seja impressionante, as vistas de lá só são legais para quem tem drone. Se não é o seu caso, você vai achar muito mais interessante o cais do povoado, Heimgårdsbrygga, super pitoresco, com um 'jeitinho Lofoten de ser'.

Veja algumas fotos de Henningsvaer:

Heimgårdsbrygga, Lofoten

a caminho de Henningsvaer, em Lofoten

Henningsvaer Stadion, o campo de futebol na ilha

armações de madeira onde é pendurado para secar o bacalhau na temporada de pesca nas Ilhas Lofoten


cais de Henningsvaer, em Lofoten

street art em Henningsvaer, Lofoten

Eggum e as áreas de descanso na Noruega

Em Eggum, num desvio da E 10, você encontrará uma das lindas áreas de descanso do Norwegian Scenic Routes Project - projeto de rotas cênicas norueguesas. 

As áreas de descanso nas estradas, passarelas, mirantes e banheiros públicos noruegueses são impressionantes. Eles estão construindo verdadeiras obras de arte nesses locais, projetadas por alguns dos mais famosos escritórios de arquitetura do mundo, dentro do 'Norwegian Scenic Routes Project'. 

Ao longo das rotas cênicas norueguesas - e a E 10 em Lofoten é uma das mais lindas destas rotas - além do abuso de beleza natural, se vocês tiverem um mínimo de sensibilidade, vão notar o padrão incrível dos banheiros, que são sempre construções diferentonas e super modernas. 

O mesmo ocorre com os mirantes que eles vêm construindo nos últimos anos - um local onde tu pensa "mas que fim de mundo, ninguém deve vir aqui" (Eggum é exatamente assim!), e aí chega lá e encontra um mirante que é o auge da modernidade, todo super integrado com a natureza ao redor.

Isso foi uma das coisas que mais me impressionaram nesta viagem pela Noruega: o cuidado que eles estão tendo na construção dessas áreas, mirantes, passarelas de acesso e banheiros públicos, sempre em total integração com a natureza ao redor, usando materiais diferentes e o que há de mais incrível na arquitetura moderna.

Às vezes, pode ser só um banco de concreto em um lugar inesperado, mas, se você prestar atenção, verá que por trás daquele banco de concreto foi tudo muito pensado, planejado e colocado ali propositalmente, de forma a criar um ambiente integrado com os arredores.

Aliás, não posso deixar passar esta dica, uma das melhores que posso dar a vocês: quando forem planejar roteiros pela Noruega (se não quiserem copiar e colar o nosso, que é perfeito kkkkk...), não deixem de estudar de cabo a rabo todas as Rotas Cênicas da Noruega, que vocês encontram com riqueza de detalhes no site Visit Norway (infelizmente, nem todas as páginas do site deles têm tradução para o português).

Foi a minha maior fonte de planejamento para esta viagem!

Li também sobre um outro site National Tourist Routes, que reúne 18 estradas passando por cenários noruegueses famosos pela beleza, cobrindo um total de 1850Km.

mapa do site Visit Norway com a Rota Cênica de Lofoten

as pontes norueguesas também são impressionantes!

Museu Viking de Lofotr e os cavalos Vikings

Museu incrível em Lofoten num sítio arqueológico com muita atmosfera Viking, com funcionários vestidos a caráter, artesãos e até cavalos 'Vikings', como diria o Lipe (na verdade, cavalos islandeses levados para o Arquipélago de Lofoten).

Já tínhamos conhecido e nos encantado com essa raça de cavalos uns anos antes, quando estivemos na Islândia, e foi muito legal "reencontrá-los"!

Esses cavalos, que você poderá encontrar no Viking Museum de Lofoten, são de uma raça desenvolvida na Islândia e, por lei, é proibida a importação de cavalos para o país (para manter a pureza da raça e evitar doenças), e os animais islandeses exportados, como este, que encontramos pastando em Lofotr, no arquipélago norueguês de Lofoten, nunca mais poderão retornar ao país de origem - um verdadeiro 'expat'.

cavalo Viking que certamente nunca foi ao cabeleireiro e parece um pop star

O Museu Viking de Lofotr fica localizado nas margens da E 10, a estrada sobre a qual já comentei que atravessa as Ilhas Lofoten de um lado a outro. Funciona das 10 às 19h.

A história conta que, em 1981, um fazendeiro descobriu as ruínas de uma moradia de 83m de comprimento de um poderoso chefe Viking, e esta foi a maior habitação Viking jamais descoberta na Escandinávia.

O museu oferece uma boa visão de como era a vida nos tempos Vikings. Existem várias trilhas ao redor do prédio - uma réplica da moradia ('longhouse') - que mais parece um barco virado de cabeça pra baixo, e as trilhas levam até uma réplica de um barco Viking.

De todos os legados Viking que vimos na Noruega, esse é o mais legal para crianças.

Se você tem interesse em saber mais sobre os Vikings e onde poderá encontrar atrações relacionadas à Era Viking na sua viagem pela Noruega, veja tudo aqui:

Roteiros Vikings na Noruega: onde encontrar atrações sobre a Era Viking em terras norueguesas

Museu Viking de Lofotr, em Lofoten, na Noruega

Pernoite grátis no motorhome em Lofoten

Fomos num esgotamento sanitário em Leknes, na Idrettsgata 57. Fica num posto Esso e tem água grátis e lugar para despejar gray e black water.

Eu tinha anotado que Haukland Beach, uma praia com aspecto caribenho no Ártico, seria uma boa opção de lugar para pernoitar com o motorhome em Lofoten. As coordenadas são: N68.19924, E13.52961.

Mas, chegando lá, descobrimos que o local não tinha sinal de internet e que o estacionamento ali é pago, e não havia porquê pagar para dormir lá, podendo seguir um pouquinho mais adiante na estrada e pernoitar grátis no motorhome.

Foi o que fizemos: seguimos mais alguns quilômetros até próximo à estrada Fv826 53-89, 8370 Leknes, e dormimos no motorhome num acostamento da rodovia com vista linda do mar e das montanhas.

Para saber tudo sobre free camping na Noruega - como acampar ou pernoitar de graça em uma viagem de motorhome pelo país, veja nosso post Allemannsretten: o direito de pernoitar de graça num motorhome na Noruega e Suécia

Nesse mesmo post, também contei mais sobre o interessantíssimo conceito de Friluftsliv dos noruegueses - a paixão pela vida ao ar livre.


Haukland Beach é bem linda, mas concluímos que não valia a pena pagar para dormir lá

prontos para dormir no motorhome e o dia ainda claro lá fora!

isso foi o máximo de 'escuridão' que presenciamos no nosso 'camping de beira de estrada' em Lofoten, na Noruega

Nusfjord

No dia seguinte, saímos às 10:30hs para Nusfjord, que é conhecida como a vila de pescadores mais pitoresca das Ilhas Lofoten.

Nusfjord é famoso como sendo o povoado mais lindo de Lofoten...tão lindo e famosinho que hoje em dia é considerado um museu a céu aberto, e eles cobram ingressos dos turistas. 

É a única aldeia onde você precisa pagar para entrar - como num verdadeiro museu ao ar livre! Mas é tão, tãooooo lindo e fotogênico que vale bem a pena!

Depois de reclamar um pouco, acabei concluindo que a cobrança é justa: imagine viver numa pequena aldeia de pescadores, num lugar paradisíaco, e ter que suportar bandos de turistas barulhentos, alguns tão sem noção que pulam cercas e passam pelo seu quintal, ou espiam pelos vidros das janelas da sua casa 'para ver como é por dentro'!?!

Eles bem que merecem uma compensação por isso, vocês não concordam?

A entrada na vila de pescadores custou 100 coroas por pessoa. Até 12 anos é grátis.

E Nusfjord é um deslumbre de lugar, especialmente porque não parece em nada com um cenário 'montado' para agradar aos turistas: é um lugar genuíno, autêntico, que fede a peixe.

Estacionamos em Nusfjord Parking, 320, Fv807, 8380 Ramberg, sem pagar nada - aliás, não lembro de ter pago para estacionar em nenhum lugar em Lofoten.

O estacionamento fica logo na entrada da vila.

Algumas fotos de Nusfjord:









um deck "mais ou menos" em Nusfjord para tomar um banho de sol...


Nusfjord, uma das vilas de pescadores mais pitorescas da Noruega, em Lofoten

Cabanas Rorbu

As típicas cabanas Rorbu são a característica mais peculiar da costa de Nordland e de Lofoten.

As cabanas eram originalmente acomodações básicas para os pescadores de bacalhau de Lofoten, construídas em palafitas sobre a água. Hoje, existem cabanas Rorbu de todas as categorias possíveis, do básico ao alto luxo.

As primeiras cabanas Rorbu em Lofoten foram construídas a mando do Rei Øystein em 1120, como moradia para os pescadores durante a temporada de pesca de bacalhau - antes disso, os pescadores dormiam debaixo dos barcos virados.

As cabanas eram então estruturas simples, construídas sobre palafitas, com parte delas sobre o mar e, geralmente, compostas por dois cômodos: uma sala de armazenamento e uma sala de estar com camas. A sala de armazenamento servia para guardar alimentos e equipamentos de pesca, e para preparações para um novo dia nas águas ao redor de Lofoten.

Já antes do ano 900dC as sagas mencionavam barcos sendo equipados ao longo da costa para viajar até Lofoten e participar da temporada de inverno da pesca do bacalhau. Os pescadores viajavam por semanas em seus barcos à vela e remo para participar da abundante pesca durante o inverno, e isso naturalmente deu origem a uma necessidade de acomodações para os pescadores nas ilhas.

As sagas também relatam que, no início dos anos 1100, o Rei Øystein decretou que as cabanas seriam construídas em Kabelvåg para os pescadores que viajavam para Lofoten, numa indicação clara da importância da pesca para a economia do país já naquela época.

As cabanas Rorbu foram originalmente construídas na costa, muitas vezes em palafitas sobre a água, com acesso natural dos barcos a remo ao lado da cabana. Muitas aldeias de pescadores gradualmente se tornaram densamente construídas, com as cabanas vermelhas e os armazéns de processamento de peixe dominando a paisagem urbana.

A tinta vermelha de óleo de peixe era a mais barata e mais usada, mas uma cor diferente - o amarelo ocre - gradualmente ganhou popularidade, como na foto abaixo.

Veja também: Curiosidades e dicas da Noruega para quem vai pela primeira vez

Pelo que entendi, nos últimos anos, o termo “cabana Rorbu” tem sido usado para se referir a casas e cabanas localizadas também em outras partes da Noruega, mas a história das autênticas “cabanas Rorbu” ainda está intimamente ligada ao Arquipélago Lofoten.

Muitas das cabanas Rorbu em que você pode se hospedar hoje em dia em Lofoten são genuínas, apesar de terem sido renovadas para oferecer todo o conforto que os viajantes esperam hoje em dia.

Veja neste link algumas incríveis cabanas Rorbu onde você pode se hospedar em Lofoten.


as cabanas Rorbu vermelhas eram as mais populares, pelo preço mais barato da tinta, feita de óleo de peixe

mas, com o passar do tempo, outra cor, o amarelo ocre, também se tornou popular nas cabanas sobre palafitas de Lofoten

Bacalhau em Lofoten

As cabanas Rorbu e os lugares para secar bacalhau, que mais parecem "varais" de peixes, criam um ambiente característico das aldeias de pescadores de Lofoten.

Além de todas as estruturas de madeira que eles usam para secar os peixes após a temporada de pesca de bacalhau, também é possível ver "carcaças" de bacalhau espalhadas por todos os cantos do Arquipélago de Lofoten.

Há bacalhau para vender de todas as formas e formatos e, para quem nunca tinha visto uma cabeça de bacalhau antes na vida, nestes 2 dias em Lofoten eu vi milhares

Lipe "estudando" uma cabeça de bacalhau em Lofoten

peixes pendurados para secar ao sol em Lofoten

bacalhau à venda no mercado em Lofoten

eu amoooo bacalhau - vocês não imaginam a vontade que deu de levar um destes na mala!



vai um beijinho com cheiro de bacalhau!?



é possível encontrar estas armações de madeira - varau de secar bacalhau - pelo Arquipélago de Lofoten inteiro!



bacalhau para secar nas Ilhas Lofoten

Praias em Lofoten: Ártico ou Caribe?

Quando o sol de verão brilha nas águas cristalinas e muito azuis do Arquipélago Lofoten, você se pergunta se ainda está na Noruega ou se foi teletransportado ao Caribe num piscar de olhos, diante de praias de areia branca encravadas entre vilas de pescadores que pontilham essas ilhas norueguesas.

Lofoten, por incrível que pareça, é um lugar onde os noruegueses vão no verão para fazer praia!

E as 3 praias mais conhecidas, além de Haukland Beach, que mencionei acima (o lugar indicado para pernoite), são:
  1. Flakstad Beach - chega-se de carro;
  2. Ramberg Beach - chega-se de carro; e
  3. Kvalvika Beach - tem que fazer um desvio curto na rota cênica E 10 para chegar lá, e uma trilha para chegar no mirante da praia. 
a cor da água e a areia branquinha são caribenhas, mas basta colocar a pontinha do dedo do pé na água para lembrar que você está no Ártico!

e as montanhas esculpidas por glaciares, tão típicas de Lofoten, também não enganam!



os noruegueses vão a Lofoten no verão fazer praia (!!) - cada povo se adapta àquilo que a natureza lhes oferece, não é?!

Flakstad Kirke

Na primeira das praias que mencionei acima - Flakstad Beach - não deixe de ver a linda Flakstad Kirke, uma igrejinha vermelha com cúpula em formato de cebola e construída com 'driftwood' vinda da Sibéria.

A entrada na igrejinha é gratuita, mas eles esperam doações.

Você sabe o que é 'driftwood'? São troncos de madeira que flutuam pelo mar e são carregados de um lugar a outro pelas correntes marítimas.

Imagine um tronco de madeira arrancado da Sibéria e carregado pelas correntes marítimas flutuando pelos mares até chegar às Ilhas Lofoten?!

Flakstad Kirke nas Ilhas Lofoten 

a igrejinha vermelha de Flakstad vista por dentro

Akkarvikodden

Em Akkarvikodden, encontramos outra 'rest stop' com banheiro legalzinho, na mesma linha do que comentei acima sobre as lindas áreas de descanso do Norwegian Scenic Routes Project.

É um ótimo lugar para um almoço-piquenique, pois, além das vistas, dos banheiros, do amplo estacionamento e dos painéis cheios de informações turísticas, há também mesas de piquenique por ali.

Aliás, não posso deixar de mencionar uma curiosidade: a Noruega tem uma das menores densidades populacionais da Europa e um dos maiores padrões de vida do planeta e, em decorrência disso, muitas atividades nas quais nós estamos acostumados a ter atendimento presencial no Brasil e em outros países lá não são desempenhadas por funcionários, como é o caso dos postos de gasolina (muitos são totalmente self-service, sem nenhum funcionário, nem na lojinha) e das informações turísticas: você vê uma placa escrito "tourist information" na estrada e pensa que vai ter alguém para te dar informações...ledo engano: a "informação turística" é um painel gigante cheio de ótimas informações, em várias línguas!

Para ler sobre muitas outras curiosidades e dicas da Noruega para quem vai pela primeira vez, clique aqui.

área de descanso com banheiros modernex em Akkarvikodden, nas Ilhas Lofoten

um dos tantos 'centros de informações turísticas' em Lofoten, Noruega

Hamnøy


Uma das mais belas aldeias de pescadores da Noruega e a mais antiga das Ilhas Lofoten é Hamnøy

As casas de madeira vermelhas, amarelas e verdes dos pescadores apoiam-se sobre palafitas ao longo da costa. É um lugar saído direto de um cartão postal, de fazer cair o queixo, parecendo um cenário montado para encantar mesmo os viajantes mais viajados, e vale a pena visitá-lo quando você estiver nas Ilhas Lofoten.

No Google Maps, você verá um local chamado Hamnoy Bridge Photostop Viewpoint - é a ponte que leva até a ilha, de onde você terá a vista mais incrível do povoado - tão linda que virou foto de capa do guia Lonely Planet da Noruega!

Desde que comprei o guia para planejar esta viagem eu queria conhecer este lugar pessoalmente! Encontrar, na vida real, a capa do meu guia de viagem foi emocionante! Como eu quis estar lá! Como foi bom chegar! Não existe nada melhor do que ver um lugar tão sonhado com os meus próprios olhos!

Mas fica a dica: não se contente em ver a vista somente do alto da ponte e seguir viagem. Não! Pare, entre no povoado, estacione perto do Eliassen Rorbuer e aproveite o clima dessa vila de pescadores que é uma das mais bonitas do país!

Aliás, se o seu orçamento permitir, uma boa pedida é se hospedar ali mesmo! O Eliassen Rorbuer é uma ótima opção de hospedagem em Lofoten! Excelente localização!

Em Hamnoy, estacionamos em Unnamed Road, 8390 Reine, Eliassen Rorbuer.

quando você chega no local que inspirou a capa do seu guia de viagem!

Hamnøy, nas Ilhas Lofoten



Eliassen Rorbuer, em Hamnoy, Lofoten

Sakrisoya

Sakrisoya é um verdadeiro cartão postal em amarelo-ocre. 

Os Rorbuer de Sakrisoya são quase que 100% amarelos, e esse povoado foi um dos meus preferidos em Lofoten. 

O programa principal ali é parar na Anitas Sjømat, na própria rodovia E10, que corta a minúscula aldeia.

Essa delicatessen e café na beira d'água é lugar imperdível na sua viagem a Lofoten.

Amei o 'pulled-salmon burger', e o Peg e o Lipe foram de burgers de camarão.

Mas não é só: ali você ainda encontra um playground para os pequenos viajantes e algumas das vistas mais alucinantes de Lofoten.

Ah, e se tiver curiosidade para conhecer como é uma cabeça de bacalhau, este é O lugar 😂

playground em Sakrisoya, Lofoten

Sakrisoya



em Sakrisoya você verá alguns dos picos mais pontiagudos e emblemáticos das Ilhas Lofoten

A polêmica das baleias

Nenhum outro assunto ambiental norueguês provoca tanta polêmica e fervor no exterior quanto as baleias.

No final do século 19, a caça às baleias se tornou um negócio lucrativo. Os caçadores noruegueses pescaram não só em águas norueguesas, mas até na Islândia, até que as baleias praticamente desapareceram da região, em 1913.

Não tenho os números da caça na Noruega, mas sei que na Islândia 75% dos islandeses nunca compram carne de baleia, e a maior parte da caça é exportada para o Japão. Mesmo assim, numa pesquisa recente, 60% deles se declararam a favor da caça e 24% se declararam neutros, enquanto apenas 9% eram contra a caça de baleias no país.

Eles acreditam que a caça às baleias preserve os estoques de peixes no oceano (e a indústria pesqueira é de vital importância econômica para o país), embora muitos estudos afirmem que isso não é tão verdadeiro assim.

Ironicamente, parece que 35% do consumo da carne de baleia é feito pelos turistas curiosos (como nós!), que querem experimentar a novidade! Então, se você é contra a caça de baleias, ao invés de experimentar a carne, vá admirar as baleias no mar em um passeio de barco - 'whale watching ao invés de whale tasting', é a campanha sempre atual.

A melhor época para ver baleias é do fim de maio até agosto.

Leia também: 34 dicas da Noruega para quem vai pela primeira vez

essa carne escura à venda no mercado é carne de baleia

Reinehalsen

A principal parada de Reine é Reinebringen, um mirante bem na entrada do povoado, de onde se tem as melhores vistas da vila. 

A aldeia de Reinehalsen é famosa pela paisagem espetacular que se avista ao final de uma trilha que sai de lá mas, infelizmente, é uma escalada bem difícil, que exige um pouco de 'scrambling', e não dava para fazer com o Lipe.

Li que o governo norueguês não recomenda que ninguém faça essa trilha no momento (pelo menos não sem um guia profissional e equipamento adequado, além de ótimo preparo físico e conhecimentos de 'scrambling', é óbvio), porque ela está bem perigosa. 

Eles inclusive contrataram 'sherpas' (nativos das montanhas do Himalaia) para melhorar as condições da trilha - teremos que voltar a Lofoten um dia! 

Assim como em Hamnøy, em Reine também não se contente com a vista do mirante: entre aldeia adentro, estacione no cais (grátis), dê um passeio a pé pelo povoado e aproveite o clima de vila de pescadores. 

Afinal, é disso que se trata uma viagem a Lofoten!

Tem um motorhome service point em grátis em Reine.


do mirante na entrada de Reinehalsen se tem estas vistas espetaculares

cais de Reine, Lofoten

Reine foi um dos meus povoados preferidos em Lofoten e também é uma ótima localização para se hospedar no arquipélago

cabanas Rorbu em Reine, Lofoten

selfie familiar no mirante localizado na entrada da aldeia de pescadores de Reine, Noruega




Reine, Lofoten

Pelo que entendi, Aº é a última letra do alfabeto norueguês (confere, produção?), e por isso esse é o nome desta aldeia espetacular, que é a última das Ilhas Lofoten. 

A dica é deixar o seu veículo no estacionamento gratuito que fica passando o túnel e atravessar o túnel caminhando para entrar na aldeia ou, se preferir, seguir pela trilha que leva direto do estacionamento ao centrinho do povoado. 

Eu fui por um lado e voltei pelo outro. 

Para comer em Å, há uma padaria que assa os melhores 'kanelsnurr' (redemoinhos de canela) desde 1844, no mesmo forno de pedra, com o nome Bakeri. Não perca!

Eu me apaixonei por Aº.

Talvez tenha sido a luz do fim de tarde, os bacalhaus pendurados para secar, as casinhas que, apenas em Aº, são vermelhas com detalhes azuis...eu não sei exatamente o que foi - provavelmente o conjunto da obra - mas posso dizer a vocês que Aº virou uma das minhas aldeias top 10 no mundo!

Se preparem para a overdose de fotografias de lá:

trilha super florida que leva do estacionamento ao centrinho de Aº

em Aº, a última das aldeias de pescadores de Lofoten, tudo reflete

todas as construções em Aº, dos armazéns às palafitas, são pintadas de vermelho com detalhes em azul, formando um conjunto inesquecível







Aº, Lofoten: tem como não amar esse lugar?




Fenômenos da natureza em Lofoten


Para ler sobre o sol da meia noite, como fotografar esse fenômeno, a noite polar e a aurora boreal, todos fenômenos que podem ser experimentados em Lofoten, veja este post que já publicamos aqui no blog sobre estes incríveis fenômenos da natureza:

Aurora boreal, sol da meia-noite e noite polar: a Noruega e seus incríveis fenômenos da natureza

Nas Ilhas Lofoten, o sol da meia-noite ocorre entre 24 de maio e 14 de julho.

Para ver as dicas dos locais para melhor apreciar o fenômeno, veja as informações que eu fotografei em um painel de informações turísticas em Moskenes:

Aurora boreal, sol da meia-noite e noite polar na Noruega
informações para melhor apreciar os fenômenos da natureza que você vê em Lofoten

Já a noite polar acontece nas Ilhas Lofoten entre os dias 6 de dezembro e 6 de janeiro a cada ano - deve ser uma época meio ruinzinha para turistar, né, já que está sempre meio escuro, com pouquíssimas horas de luz por dia!

Nesse mesmo post cujo link deixei aí acima, também escrevemos sobre a melhor época do ano para ir à Noruega.

Nós estivemos nas Ilhas Lofoten no auge do verão, em julho, melhor época para quem quer viajar de motorhome e, mesmo assim, como você pode ver pelas fotos em que nós aparecemos, tivemos que usar jaquetas de plumas. 

A temperatura média que pegamos em Lofoten foi super agradável, 16º C, com muito sol:


temperaturas em Lofoten

Fata Morgana

Além de todos os incríveis fenômenos da natureza que mencionei acima, há um outro fenômeno comum em Lofoten: a Fata Morgana, um efeito ótico que parece uma miragem decorrente de inversões térmicas combinadas com reflexos de água, gelo e neve, e que acontece com frequência na região do Círculo Polar Ártico, por causa do seu ar puro e claro.

As Fata Morganas criam a ilusão de que existem coisas sólidas e bem definidas onde na verdade não há nada! É comum acontecer em Lofoten, e às vezes é até difícil se convencer que não há nada ali - as pessoas pensam que estão pirando hehehehe...

Objetos que se encontram no horizonte (como barcos, montanhas, ilhas, icebergs...) não ficam fora de foco, e adquirem uma aparência alargada e elevada - ficam parecendo com castelos de contos de fada.

A percepção de profundidade fica impossível e o mundo parece ter um aspecto estranhamente bidimensional, onde não dá para ter noção de distância.

Para ler sobre outras 33 curiosidades da Noruega, clique aqui.

as Ilhas Lofoten são um lugar espetacular para se apreciar os mais incríveis fenômenos da natureza 

Onde comer em Lofoten

Alugar um motorhome na Noruega no verão pode custar mais caro do que alugar carro e ficar em hotéis.

A grande vantagem de uma viagem de motorhome (além da aventura, comodidade de não ter que arrumar/desarrumar mala, fazer check-in/check-out de hotel, ter sempre tudo o que precisa à mão, liberdade e flexibilidade para mudar o roteiro, poder pernoitar de graça onde bem entender com as melhores vistas), em termos de economia, é poder comer sempre no motorhome, comprar produtos  locais deliciosos em supermercados e fazer a nossa própria comida.

Num lugar onde um prato em restaurante simplinho não baixa de € 15, uma refeição basiquinha (falo em pizzas e hamburgers) para 3 pessoas fica em torno de R$ 200,00.

Nesse cenário, poder fazer uma Barilla com frango ao pesto no motorhome é o ouro!

Mas não poderíamos passar pela Noruega sem experimentar algumas das delícias locais, né?

No nosso cardápio teve salmão defumado, teve salame de caribou e de baleia, teve 'kanelboller', frutas do bosque, muitas cervejas regionais, saladas de frutos do mar...e teve alguns restaurantes pagáveis de Lofoten que vale muito a pena recomendar - lugares super genuínos e autênticos, comandados por 'locais', com aquele clima de interior aconchegante que só quem passa 9 meses por ano no frio extremo sabe criar.

Abaixo, a lista dos nossos 4 lugares favoritos para comer em Lofoten:

Kafé Lysstoperiet em Henningsvær.

Comemos pizzas deliciosas de salmão defumado com pesto por 338 coroas.

Endereço: Gammelveien 2, 8312 Henningsvær.



Kafe Friisgården na rodovia E10 em Ramberg (cafés e bolos deliciosos).

Bakeri em Å, uma padaria que assa os melhores kanelsnurr (redemoinhos de canela) desde 1844 no mesmo forno de pedra.


Anitas Sjømat, na E10, uma delicatessen e café na beira d'água, lugar imperdível em Sakrisøy.

Amei o 'pulled-salmon burger', e o Peg e o Lipe foram de burgers de camarão.

Tem playground para os pequenos viajantes e tem algumas das vistas mais alucinantes de Lofoten.



Travessia de balsa de Moskenes para Bodø 

A viagem de volta de Bodø, onde desembarcamos do ferry de volta no continente, até Estocolmo, é de 1184Km; e de Å até Estocolmo, indo rodando por terra, via Narvik, seriam 1753Km!

Como o ferry nos economizaria muita quilometragem, muitas horas de estrada e muito diesel, concluímos que a balsa de 230 euros da empresa Torghatten Nord valia a pena!

Dá para imaginar um ferry tão caro assim?!

Recomendo fortemente que você faça exatamente o que fizemos: cruzar do continente para Lofoten por Skutvik - Svolvaer ou Bognes - Lødingen, como expliquei lá em cima, e voltar de Lofoten para o continente pela balsa Moskenes - Bodø, porque essa estratégia de roteiro tem 2 vantagens:

1. você não precisa ir e voltar pelo mesmo caminho em Lofoten - faz só o trecho de ida até Å;

2. desta forma, você começa pelo "menos" maravilhoso e vai para o "mais" maravilhoso.

Se você cruzar do continente para Lofoten pela balsa Bodø - Moskenes, já vai chegar no arquipélago em Å e Reine, que são algumas das aldeias mais top das Ilhas Lofoten, para então seguir viagem em direção ao 'menos top', que é Svolvaer.

Não sei quanto a vocês, mas eu acho que é sempre mais negócio ir do 'menos bonito' para o mais lindo do que o contrário, não é?

cais em Moskenes, nas Ilhas Lofoten

esperando a balsa em Moskenes para voltar ao continente

Como eu disse, tínhamos decidido voltar de Lofoten para o continente com o ferry Moskenes - Bodø mas, infelizmente, quando chegamos no cais em Moskenes para embarcar, por volta das 20:15hs, a fila de veículos já estava gigantesca, e não deu para embarcarmos na primeira balsa, das 20:30hs.

Tivemos que esperar o barco das 23:45hs, e aproveitamos o tempo na fila de veículos para embarcar no ferry para tomar banho, faxinar e organizar a casinha, descansar, jantar e usar a internet - passou voando!

A travessia de ferry entre Moskenes, em Lofoten, e Bodø, no continente, custou caríssimas 2300 coroas norueguesas (mais de 230 euros!) para nós 3 e mais o motorhome, e durou 3h15min.

A empresa que faz essa viagem de ferry é a Torghatten Nord AS, e essa foi a nossa travessia de balsa mais cara, porque foi também a mais longa de todas as que fizemos na nossa viagem pela Noruega - são 98Km entre Lofoten e o continente, indo por ali.

O ferry é bem grande e tem cafeteria, banheiros, áreas de estar e bancos reclináveis, onde dá para dormir.

Tinha também uma área externa grande, onde nos despedimos de Lofoten com aquela imagem das ilhas com montanhas pontudas que parecem uma cauda de dinossauro despontando de dentro do mar.

Doeu essa despedida 😢

descansando na balsa de Moskenes para Bodø

correu uma - ou várias - lagriminhas nessa despedida de Lofoten!

Saímos do ferry às 3:15 da manhã, já em Bodø, de volta ao continente, e fomos direto parar em qualquer lugar para pernoitar.

Acabamos ao lado da Tverlandet School, pertinho de Bodø.

Dicas práticas de Bodø

Perto de Bodø, tem um lugar para dormir grátis que é também um ponto turístico interessante, se você tiver tempo: Saltstraumen Angelplatz (coordenadas: N67.22506, E14.61560).

É o mais forte maelstrom do mundo (turbilhão de água) e ocorre a 30Km da cidade de Bodø.

O melhor lugar para assistir esse espetáculo da natureza é a partir da Saltstraumbrua (uma ponte - coloque no GPS que ele te leva lá).

Outra dica: deixe para abastecer no posto de combustíveis Esso de Bodø - como já falei, o diesel é muito mais barato no continente do que nas ilhas. E também pode usar o esgotamento sanitário grátis deles para esvaziar os tanques do motorhome.

Às 9:30hs da manhã seguinte, acordamos e fomos num posto Esso pertinho (3Km) de onde tínhamos pernoitado, onde também tinha água e esgotamento sanitário grátis para o motorhome.

Endereço: Grindveien 13 Tverlandet.

Pegamos a estrada às 10:30hs da manhã, depois do café, em direção à fronteira entre a Noruega e Suécia em Junkerdal, atravessando territórios da Lapônia.

Para ler sobre esse trecho da nossa viagem pela Lapônia, clique aqui:

Lapônia muito além do Papai Noel: o que você precisa saber antes de ir

Eram 1100Km que tínhamos que percorrer de motorhome, desde Bodø, na Noruega, onde desembarcamos do ferry vindos do Arquipélago de Lofoten, até Uppsala, nosso próximo destino, na Suécia, 70Km ao norte da capital Estocolmo.

Leia mais:

Uppsala, Suécia: principais atrações e dicas para quem vai pela primeira vez
O que fazer em Estocolmo: dicas práticas para conhecer a capital da Suécia

Abaixo, vou deixar fotos de algumas informações úteis sobre Lofoten - sei que fica ruim de ler assim, com as letrinhas pequenas, mas, se você clicar em cima da foto, e aumentar o tamanho, fica bem mais fácil de ler - para quem quer ir para lá, tem umas dicas bem boas aqui:



na Noruega, e especialmente em Lofoten, você pode estacionar o motorhome e pernoitar em praticamente qualquer lugar,
desde que não tenha uma placa assim!

Onde ficar em Lofoten

Se você não estiver viajando com motorhome como nós, recomendo que procure um hotel/rorbu pelos arredores de Hamnøy e Aº.

Na minha opinião, a melhor área para ficar hospedado em Lofoten é entre essas 2 aldeias.

Vi essas opções lá que são super bem localizadas e bem avaliadas - barato não é, até porque não existe "baratinho" na Noruega - mas, se fosse me hospedar em Lofoten, certamente escolheria um destes:

Reinefjorden Sjøhus
Eliassen Rorbuer
Toppøy Rorbuer

Chip de celular para usar na Noruega

Durante a nossa viagem a Lofoten, usamos um chip de celular (simcard) fornecido pela Easysim4u.

Recebemos o chip em casa, antes de sair do Brasil, colocamos ele no celular ainda no avião, e já chegamos na Europa com internet funcionando no telefone!

Para quem vai viajar por vários países, a facilidade e comodidade que esses chips revendidos no Brasil pela Easysim4u oferecem são imbatíveis 😆

Nós não vendemos chips de celular através do blog - nem nenhum outro produto ou serviço, pois o pequeno viajante não visa lucro, é apenas um passatempo nosso - então dê uma olhada direto lá no site deles - Easysim4u - para ver como comprar esses simcards e recebê-los em casa no Brasil antes de viajar.

Lofoten, Noruega

Você já esteve em Lofoten, na Noruega? Tem alguma dica legal para quem vai lá pela primeira vez?? Nós adoraríamos ter as suas contribuições aqui no blog! Deixe as suas dicas na nossa caixa de comentários, por favor!

Durante a nossa viagem pela Noruega, usamos a hashtag #LipenaNoruega nas redes sociais 😊

Também fiz várias pastas de "destaques" da Noruega lá nos stories do Instagram - espia lá que tem muitas dicas úteis!

Sobre a nossa viagem pela Noruega e Suécia, veja também



Você também nos encontra aqui:

Share

Claudia Rodrigues Pegoraro

Comente este Post:

5 comentários:

  1. Bom dia Claudia....

    É a Lu aqui de Farroupilha/RS.... acabei de ler o teu relado e guria que coisa mais linda.... eu acompanhei avidamente a viagem de vocês através do Instagram.... lindo lindo.... Eu quero muito fazer essa viagem.... só me esclarece uma coisa... duas na verdade: as ferrys vocês não reservaram antecipadamente né? chegaram e esperaram...pagaram na hora, isso? e uma segunda coisa: vocês foram em julho, época que é bem lotada de turistas, mas não sei se é engano meu, mas não parece que tem taaaanta gente assim, parece? é que eu prefiro visitar os lugares quando tem menos gente.....

    beijo Claudia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu! Não precisa reservar os ferries com antecedência, é muito caro para reservar, e aí tu fica amarrada, com hora marcada para chegar...desnecessário. É a altíssima temporada mas não tivemos essa sensação de gente demais em lugar nenhum! Só em Preikestolen tinha bastante gente, mas lá tem sempre, durante toda a temporada em que a trilha fica aberta! Beijjjooo

      Excluir
  2. Oi. Tudo bem? =)
    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com
    Até mais,
    Bóia – Natalie

    ResponderExcluir