24 de fevereiro de 2016

Quebrada de Humahuaca, o cartão postal do norte da Argentina - nosso roteiro de 3 dias pelos vilarejos e atrações de Tilcara, Purmamarca, Maimará, Uquía, Humahuaca e arredores

Nos últimos posts aqui do blog, contei tudo sobre os nossos passeios em Salta e também sobre a nossa viagem de Salta até Cachi, nos Valles Calchaquíes, passando pelo parque nacional dos cactos gigantes

Continuando com o nosso roteiro pelo Norte da Argentina e Atacama, seguimos viagem pela Quebrada de Humahuaca, onde fizemos base em Tilcara durante alguns dias para conhecer também os vilarejos e atrações de Purmamarca, Maimará, UquíaHumahuaca e arredores. 


Veja aqui nosso roteiro completo de 28 dias e orçamento desta viagem

Como falei no post sobre o planejamento desta viagem, eu sonhava com o norte da Argentina há muitos anos. Na verdade, fiquei fissurada depois que fomos ao Perito Moreno e os argentinos insistiam que a Quebrada de Humahuaca era ainda mais bonita do que a Patagônia, um dos lugares mais lindos onde já estive!

Eu simplesmente precisava conhecer esse lugar no noroeste andino que os próprios argentinos garantiam ser mais incrível do que a Patagônia!

E olha...eles não estavam exagerando! Quer ver?


Roteiro

Dia 20/12 (domingo) Salta - Jujuy - Quebrada de Humahuaca - Purmamarca (desvio de 3Km a oeste na estrada principal) 25Km até Tilcara: 182Km, 3hs - Apartamento Lo de Lili

* Purmamarca - casas de adobe, igreja do século 17, mercado na praça, trilha Los Colorados, Mirante Porito num morrinho particular de frente para o Cerro das 7 cores

* 11Km ao sul de Tilcara: La Posta de Hornillos

* 8Km ao sul de Tilcara: Maimará - Paleta del Pintor



Dia 21/12 (2ª) Tilcara - Trópico de Capricórnio - Uquía - Humahuaca - Tilcara - Maimará - Purmamarca - Tilcara - Apartamento Lo de Lili
* 15Km ao norte de Tilcara: Trópico de Capricórnio
* Uquía - 2818m - igreja do século 17
* Humahuaca - casas coloniais e ruas de calçamento de pedra, Plaza Gómez (da prefeitura e da igreja) e Monumento a la Independencia
* 8Km ao sul de Tilcara: Maimará - Paleta del Pintor

Dia 22/12 (3ª) Tilcara - Apartamento Lo de Lili
* Garganta del diablo - cachoeira e canyon
* Centrinho
* Peña de Chuspita e Peña de Carlitos, numa das esquinas da praça (estavam fechadas para as festas de fim de ano)


A estrada

Abastecemos e saímos de Salta 11am (560 pesos arg = 39l = 14,28 pesos/l), depois de um bom desayuno

Pegamos a RN 9, pavimentada, que é a rota turística entre Salta e San Salvador de Jujuy, cheia de curvas. É possível ir também pela 'autopista', mas aí não tem graça. 

Logo que pegamos a estrada, passamos por um posto de controle policial, mas não nos abordaram. 

O caminho é por uma pista de mão dupla onde mal cabe um carro, no meio das florestas de nuvem de Las Yungas, lindo. 

Logo chegamos à Província de Jujuy.








No dique La Cienaga, nova abordagem policial, mas nem pediram nada, só perguntaram de onde vínhamos/para onde íamos. 

E depois de Jujuy tem +2 postos de polícia, mas passamos reto. 

Passamos direto por Jujuy e seguimos para Purmamarca, já na Quebrada de Humahuaca. 

Primeiro vem um vale montanhoso lindo. 

Depois paramos num Sítio Arqueológico chamado Huajra, que parecia a espinha dorsal de um dinossauro ou um colar de dentes de tubarão, segundo o Lipe. 

E então começou a profusão de cores.








Purmamarca

Mais adiante, pegamos uma entrada à oeste na estrada (à esquerda) para Purmamarca, a 3km da Ruta 9 e a 2192m de altitude.


Onde comer em Purmamarca

Almoçamos no restaurante El Churqui de Altura

Comemos 'llama al Malbec con papines al romero'. Uma delícia.

Trilha sonora excelente, decoração linda e comida boa. Lugar perfeito.

Pagamos 445 pesos, com gorjeta e cerveja.






Passeios em Purmamarca

A cidadezinha de Purmamarca é uma fofura, parece um cartão postal, uma delícia de passear a pé pelas ruas de terra, vendo as casas de adobe ocre, os mercados de artesanato, as pessoas...muitos gringos por lá!

Esse é, provavelmente, o lugar mais visitado por turistas no norte da Argentina, um verdadeiro cartão postal do país. 

Caminhando pelas ruazinhas, a impressão que se tem é a de que estamos num cenário.



  




A igrejinha, na praça principal, do século 17 (época da colonização espanhola), é bem lindinha, e ao lado há uma imensa algarobeira de 500 anos. 

Ainda na praça, há um playground bem simples onde o Lipe brincou com a criançada local e um centro de informações turísticas no Cabildo (Prefeitura), onde uma moça me deu alguns mapinhas e folhetos com informações de mirantes e trilhas para caminhadas.

Ah, e tem também banheiros públicos, que custam 3 pesos por pessoa.








Cerro de los Siete Colores

É em Purmamarca que fica o famoso Cerro de los Siete Colores, uma formação rochosa espetacular que, quando estávamos na Patagônia, há alguns anos, os argentinos nos faziam propaganda, dizendo que a única coisa mais linda no mundo que o glaciar Perito Moreno era esse tal Cerro, como já comentei lá no início. Um dos grandes cartões postais argentinos. 

Claro que, desde então, venho sonhando conhecê-lo, e os argentinos não mentiram.

Primeiro fomos caminhando ao Mirante Porito, a apenas 2 quadras da praça principal - um morrinho particular de frente pro Cerro de los Siete Colores, com vistas espetaculares.

É fácil subir, mas ventava tanto que chegava a dar medo de sair voando lá de cima.

A entrada custa 5 pesos por pessoa e o Lipe não pagou.

Leve água e use filtro solar. Bonés não são recomendados porque voam :(

As cores da formação rochosa entregam a idade do cerro, que tem algo em torno de 70 milhões de anos - restos de sedimentos de mares, lagos e rios revirados e cuspidos para fora da terra pelos movimentos tectônicos.









Paseo de Los Colorados

Depois pegamos o carro onde havíamos deixado estacionado, perto do cemitério, e fomos até a trilha Paseo de Los Colorados.

O lugar é espetacular, uma mistura de Bryce e Zion Canyon, os parques nacionais mais lindos dos EUA - sério: tirando a rusticidade e as estradas de terra, o maravilhoso Camino Los Colorados me lembrou muiiiiito Utah, meu estado americano favorito (com a diferença de que na Argentina é tudo grátis!). 

A intenção era fazer essa trilha, de 3Km, a pé, que é super recomendada. Mas o sol e o vento estavam pegando forte, e vimos alguns carros na trilha e fomos indo, indo...até percebermos que era possível fazer todo o trajeto de carro!

Foi sensacional!

Veja aqui um aperitivo:


Fizemos o trajeto de 3Km não uma ou duas vezes, mas sim 3 vezes, de tanta paixão! Tenho certeza que esse foi um dos lugares mais espetaculares da vida!!

Aliás, me desculpem os puristas, mas, para quem vai com crianças, acho muito mais negócio seguir a nossa dica e ir de carro, pelo menos uma ida e volta :) #ficaadica

Depois de muitas voltas pela cidadezinha, a pé e de carro, continuamos viagem prometendo voltar a Purmamarca, apaixonados pelo lugar.

Clique aqui para ver mais fotos de Purmamarca.











La Posta de Hornillos

Próxima parada 11Km ao sul de Tilcara, em La Posta de Hornillos

Mais adiante, 8Km ao sul de Tilcara, vimos Maimará e o seu cartão postal, a Paleta del Pintor, sobre a qual eu falo mais adiante. 

Chegamos a Tilcara, atravessando a ponte que leva à cidade, por volta das 7:30pm.


Hospedagem

Em Tilcara, cidade que fizemos de "base" para os nossos passeios pela Quebrada de Humahuaca, ficamos 3 noites nos Apartamentos Lo de Lili

Clique no link em vermelho para ler o post que escrevi sobre essa opção de hospedagem BBB perfeita para famílias. 

Muito bom poder fazer uma miojo pro Lipe!


Trópico de Capricórnio

No dia seguinte, saímos de Tilcara 10am em direção a Humahuaca

Primeira parada, 15Km ao norte de Tilcara, no Trópico de Capricórnio.

Tem uma plaquinha na estrada que mal se vê, umas banquinhas de artesanato feio e um relógio de sol incompreensível.

O lugar é um péssimo exemplo de um ponto turístico super interessante que podia ser super bem explorado, mas é sujo e não tem uma única placa explicando o que é o Trópico de Capricórnio :(

Alguns dias depois, no meio do Deserto do Atacama, no Chile, cruzamos novamente a linha do Trópico de Capricórnio, e lá a coisa é outro padrão ;)




Uquía

Segunda parada em Uquía, a 2818m de altitude, para ver a incrível igrejinha do século 17 com arcanjos armados até os dentes e altar dourado.

Não pode fotografar o altar dourado, infelizmente.

A aldeia fica na beira da estrada e é bem autêntica, não foi afetada pelo turismo.

Tem um mercado na praça da igreja e também alguns aparelhos de ginástica na pracinha, onde o Lipe se divertiu com umas meninas francesas.






Humahuaca

Terceira parada em Humahuaca, a 2989m de altitude, para ver as casas coloniais e ruas de calçamento de pedra, a Plaza Gómez (da prefeitura e da igreja) e o cafona Monumento a la Independencia

Ao meio dia uma estátua de San Francisco aparece na praça para dar a bênção, na torre do sino do prédio da Prefeitura.

Estava fazendo um sol matador. 

Pensamos em ir mais ao norte até Iruya, mas os policiais nos disseram que tem uma parte de 50Km da estrada que é de rípio e que leva em torno de 2:30hs para ir até lá - ida e volta seriam 5hs!

Desanimamos.

Clique aqui para ver mais fotos de Humahuaca.










Onde comer em Humahuaca

Almoçamos no Casa Vieja (Buenos Aires esquina com Salta).

Ambiente decorado com cestos e teias de sonho. Serviço fraquíssimo e lento, mas comida boa.

Pedimos o menu do dia, com empanadas de entrada e guiso de quinoa e milanesa com purê. De sobremesa, panquecas de dulce de leche. Com cerveja, 230 pesos. 









Maimará

Voltamos a Tilcara para uma curta 'siesta' e depois seguimos para o sul, para passear em Maimará, que fica 8Km distante de Tilcara.

Fomos na pracinha no centro da cidade, onde fica a igreja, e no cemitério, que fica numa encosta na beira da estrada, de onde se tem as melhores vistas da Paleta del Pintor, uma colina multicolor que se ergue acima da cidade e é a imagem-símbolo do vilarejo.






Paleta del Pintor

Depois de muitas fotos, seguimos novamente para Purmamarca.

Veja que espetáculo é a tal Paleta del Pintor:






Purmamarca, de nuevo

Foi muito legal poder voltar uma segunda vez a Purmamarca e fazer voar o drone no Paseo Los Colorados.

O dia estava super nublado, mas não tinha vento e finalmente conseguimos colocar o bichinho para voar.

Depois ainda fizemos mais um voo bem na frente do Cerro de los Siete Colores e fomos dar um passeio no centrinho antes de voltar a Tilcara, onde chegamos 9pm.








Tilcara

No nosso último dia na Quebrada de Humahuaca, ficamos em Tilcara para fazer os passeios que a cidade oferece. 

Primeiro fomos na Pucará - o famoso sítio arqueológico de Tilcara. O passeio pelas ruínas da fortaleza leva, no mínimo, 1 hora.

O ingresso dá direito também à entrada para o Museu Arqueológico, que fica na praça central da cidade.

Escrevi um post cheio de fotos lindas sobre a Pucará de Tilcara - clique aqui para ler e ficar sabendo de todos os detalhes e as nossas dicas para aproveitar melhor a sua visita a este sítio que é frequentemente comparado a Machu Picchu :)



Garganta del diablo

Depois seguimos direto para a Garganta del diablo, pois o caminho para lá começa justamente ao lado da ponte que leva à Pucará.

Muita gente faz a trilha de 4Km a pé, mas com crianças nem pensar (são 8Km bem puxados de ida e volta). Então fizemos a trilha de carro, que é de 8Km (16Km ida e volta).

O caminho em si, contornando montanhas, já vale o passeio, e é meio assustador, pois a estradinha vai acompanhando um precipício.

A vista lá de cima é linda, vê-se Tilcara inteira!




A entrada na 'Garganta del diablo' custa 10 pesos por pessoa. Menores de 12 anos não pagam.


A descida do estacionamento à cachoeira/canyon é fácil, mas a subida depois, no sol, é bem puxadinha.

O lugar é lindo.

Dicas do pequeno viajante: leve toalhas, muita água, boné, óculos de sol e filtro solar.

Ah, e vá de tênis.












Outros passeios em Tilcara

Passeamos também pelo centrinho da cidade, que tem vários pequenos museus, a igrejinha, 2 praças e muitos restaurantes e lojinhas de artesanato


Abastecemos em Tilcara, para nos garantirmos para a lonnnnnga viagem do dia seguinte rumo ao Atacama, no Chile, pois não existem postos de gasolina em Purmamarca - 500 pesos arg = 34,5l = 14,49 pesos/l.

Leia também os nossos posts seguintes:
como ir da Argentina para o Chile - de Tilcara/Purmamarca na Quebrada de Humahuaca até San Pedro de Atacama pelo Paso de Jama

do Paso de Jama até San Pedro, algumas das atrações mais incríveis do Deserto do Atacama, incluindo o Salar de Tara











Onde comer em Tilcara



Almoçamos no restaurante A la Payla, na praça principal da cidade.

Pagamos 445 pesos com cerveja e gorjeta.

Comi 'lomo de llama ao curry' e o Peg 'bife de chorizo'. O Lipe foi de 'milanesa con papines'. Lugar agradável com bom atendimento.














Tem 2 peñas que são recomendadas em Tilcara: a Peña de Chuspita e a Peña de Carlitos, que é fácil de achar, numa das esquinas da praça. 


Gastos

* gasolina - 560 pesos
* almoço Purmamarca - 445 pesos
* banheiro - 9 pesos (3 por pessoa)
* entradas mirante - 10 pesos (5 por pessoa)
* hotel Tilcara 3 noites (com desconto pro pequeno viajante) - 900 pesos
* água 1l - 18 pesos
* empanadas e saladas de frutas - 40 pesos
* almoço Humahuaca - 230 pesos
* alfajores (10 pesos cada), refri e cerveja no mercado - 160 pesos 
* entrada Pucará - 100 pesos (2×50)
* entrada Garganta del diablo - 20 pesos (2×10)
* água - 15 pesos
* almoço Tilcara - 445 pesos 
* gasolina - 500 pesos
* lanche - 50 pesos


Já viajou pela Quebrada de Humahuaca, no norte da ArgentinaConte para a gente, deixe a sua dica na nossa caixa de comentários!

Veja como foi nosso passeio:







Todos os posts sobre esta viagem estão em Atacama e Norte da Argentina - se você quiser ler todos em sequência (do último para o primeiro), é só clicar!

Leia o nosso roteiro e orçamento para uma viagem de carro de 28 dias ao Atacama e Norte da Argentina, com passagens pelo Uruguai e Bolívia



Não foi a nossa primeira vez em nenhum destes países - já conhecíamos inclusive o Atacama e a Bolívia - então, se você quiser saber sobre as nossas viagens anteriores a estes países, é só clicar em UruguaiArgentinaChile Bolívia

Veja nosso roteiro de um mochilão de 30 dias pelo Peru, Bolívia e Chile

Também fizemos uma viagem incrível pelas Patagônias argentina e chilena

Leia sobre mal da montanha ou soroche

Durante esta viagem, nós usamos as seguintes hashtags nas redes sociais Facebook / Twitter / Instagram - é só procurar as ## e ver tudo o que postamos sobre cada lugar:

#‎LipenoUruguai
#LipenaArgentina
#LipenoChile
#LipenaBolivia

Acompanhe o nosso Instagram @claudiarodriguespegoraro - tem muitas dicas desta viagem por lá!


Se você quiser reservar um hotel ou pousada e ter a garantia do menor preço, nós indicamos o Booking, que é o site de reservas de hospedagem que nós usamos a vida inteira :)

Leia as resenhas sobre os hotéis que usamos nesta viagem e reserve o seu:

Hotel de Las Nubes, em San Antonio de Los Cobres, Argentina

Apartamentos Lo de Lili, em Tilcara, Argentina 

Hotel La Merced del Alto, em Cachi, Argentina

Hotel Alejandro 1º em Salta, no norte da Argentina 




Para reservar um carro, recomendamos a Rentalcars, que a gente usa (e gosta muito) há séculos!


Mais fotografias das nossas viagens no Instagram @claudiarodriguespegoraro, na hashtag #Felipeopequenoviajante.

Não esqueça de curtir a fan page no Facebook para acompanhar as nossas aventuras! 


Assista todos os nossos minifilmes neste link do Facebook, e os vídeos você assiste no YouTube ou no Vimeo - aproveite e já se inscreva lá nos nossos canais!


Você também nos encontra aqui:


4 comentários:

  1. Oi, pessoal. Tudo bem? :)

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

    ResponderExcluir
  2. Que legal !!!!
    Na verdade todos os postos desta viagem deveriam aparecer no linkodromo !!!
    #referencia
    Parabéns !!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...