16 de fevereiro de 2016

Salta, a capital colonial do norte da Argentina - dicas gerais e roteiro

Já contei como foi que chegamos até Salta, no norte da Argentina.


Chegamos cedo (por volta das 17hs) à cidade colonial mais famosa do norte da Argentina, e fomos direto para o nosso Hotel Alejandro 1º, um 5 estrelas que é o melhor de Salta.

Hotel Alejandro 1º é excelente, não temos nenhuma reclamação. Ficamos lá 4 noites maravilhosas. A localização é na Plaza Balcarce, em pleno centro histórico, a 2 quadras da Plaza 9 de Julio, a principal da cidade. 


Um dia inteiro bem cheio e longo seria suficiente para fazer os principais passeios de Salta, mas não era isso o que queríamos depois de 3 longos dias de viagem de carro. 

Primeiro, porque a proposta da nossa viagem era slow travel (precisávamos disso depois de muita correria nas últimas viagens ao Canadá, Alaska e New York). 

Segundo, porque queríamos ver tudo em Salta com calma e descansar dos quase 2.000Km que percorremos até lá. Tudo o que NÃO queríamos era chegar correndo pra fazer tudo em um dia longo e cansativo e ir embora. 

E foi sorte nossa termos planejado 3 noites em Salta, porque chegamos na cidade atacados por uma virose forte que pegou eu e o Lipe de jeito! 


A seguir, a descrição detalhada dos dias que passamos por lá - no dia 18/12 estávamos em Cachi:

Dia 15/12 (3ª) Salta - Hotel Alejandro I
Dia 16/12 (4ª) Salta - Hotel Alejandro I
Dia 17/12 (5ª) Salta - Hotel Alejandro I

Dia 19/12 (sábado) Salta - Hotel Alejandro I


Salta é uma das 4 principais cidades turísticas da Argentina, junto com a capital, Córdoba e Mendoza

No dia em que chegamos, nem saímos do hotel - ficamos só curtindo a piscina, academia e jantamos no restaurante do próprio hotel, que é muito bom, El Meson de La Plaza, por 270 pesos (saladas de salmão). 

Plaza 9 de Julio

No dia seguinte, saímos para conhecer o centro histórico da cidade, nos arredores da Plaza 9 de Julio, que não poderia ter outro nome, já que na Argentina todas as cidades tem ao menos uma rua, praça, parque e avenida batizada em homenagem ao Dia da Independência. 

É o melhor lugar para se hospedar, já que essa plaza é o miolo do centro histórico da cidade. 








Catedral de Salta

A nossa primeira parada foi na Catedral de Salta (endereço: esquina España com Mitre), construída no século 19 e que guarda as cinzas do General Martín Miguel de Güemes, um dos heróis da independência do país. 

A catedral é cor de rosa por fora e linda, em estilo barroco, por dentro. 









O melhor lugar para conhecer locais e observar a "vida real" na América do Sul são as 'plazas' e parques. 

Não deixe de dar um passeio pela Plaza 9 de Julio à noite, quando os prédios históricos estão lindamente iluminados e os locais saem às ruas para passear, depois da 'siesta', quando a temperatura fica mais amena. 

A cidade fica super animada depois das 7pm - pelo menos no verão (dezembro). 

Foi muito engraçado perceber que, entre as 13 e 17hs, o comércio fica todo fechado. Os lugares turísticos, como museus, por exemplo, não fecham, mas no comércio fecha tudo!








Museo Histórico del Norte e Cabildo

É na Plaza 9 de Julio que fica também o Cabildo, sede do poder municipal, onde se localiza o Museo Histórico del Norte (endereço: Caseros 549). 

A entrada custou 20 pesos, super barato, e a visita vale a pena nem que seja só para conhecer o lindo prédio por dentro. 

Não deixe de subir no segundo andar, que tem uma linda vista para a praça. 

O pátio interno é uma delícia de arquitetura colonial e as crianças vão curtir ver os "carros" antigos, inclusive um Renault de 1911 enorme!















Museu de Arqueologia de Alta Montanha

A minha atração preferida na cidade fica na mesma Plaza 9 de Julio: o Museo de Arqueología de Alta Montaña - MAAM, sobre a cultura Inca de sacrifícios de crianças como oferendas aos deuses. 

A entrada na sala das múmias (onde a temperatura é super baixa) custa 70 pesos por pessoa. O Lipe entrou de graça. 

Endereço: Mitre 77.

Leia o post completo sobre o Museu de Arqueologia de Alta Montanha

Iglesia San Francisco

Salta é uma cidade colonial bem charmosa - não é por nada que é conhecida como "Salta, La Linda". 

Depois de passear pela praça principal, seguimos pela rua Caseros (a mesma do Cabildo) em direção à Iglesia San Francisco, que infelizmente estava com a torre "empacotada" para restauração. 

A Iglesia San Francisco fica a apenas 1 quadra da Plaza 9 de Julio, na esquina com a rua Córdoba, e é pintada de vermelho e amarelo. 



Por fora, a Iglesia San Francisco é mais bonita do que a Catedral. Tem um trabalho em pedra que imita uma cortina nas portas, fantástico. Mas por dentro eu achei a Catedral mais bonita. 

Eles fazem um tour guiado na igreja, e só quem participa do tour tem acesso ao pátio interno, que parece lindo. Eu só espiei, não fiz o tour

imagem mais adorada da igreja é a do Niño Jesús de Aracoeli, bem estranha. 

Nesta quadra entre a praça e a igreja tem 2 lojinhas lindas: Tuna e Almandina (rua Caseros 425), uma ao lado da outra - não deixe de dar uma espiada! Só coisas lindas!!








 Convento de San Bernardo

Seguimos pela mesma rua Caseros por mais 3 quadras e chegamos ao Convento de San Bernardo, do século 16, na esquina com a rua Santa Fé, onde só podem entrar freiras carmelitas. 

O prédio é de adobe e a porta é linda. 







Parque San Martín

Depois seguimos pela rua Santa Fé - andando 2 quadras você já chega ao simpático Parque San Martín, uma grande área verde no centro da cidade. 

Tem lago com pedalinhos e pracinhas, além do Teleférico San Bernardo, sobre o qual eu falo mais adiante. 







Nesse mesmo dia, ainda fui à Igreja da Candelária, ao Mercado Central (de comidas), passeei pelas 'peatonales' (calçadões) nos arredores da Plaza 9 de Julio e dei um pulo no Monumento Güemes, para conhecer. 

Foi uma caminhada e tanto! 





Jantamos no Teuco, na esquina das ruas Balcarce com Alsina, point da vida noturna 'salteña'. 

'Lomo a la pimienta', 'lomo ao champignon' e fritas com cerveja e água. Pagamos 340 pesos com gorjeta. Trilha sonora excelente de rock argentino. 




Mercado de Artesanato

No outro dia, saímos de carro e fomos ao Mercado de Artesanato, que achei fraco, esteticamente falando. 

Para compras de produtos típicos, até é bom, mas para nós que não estávamos interessados em comprar, e sim em fotografar, não achei grande coisa. 

É meio longe do centro, nem pense em ir a pé!







Teleférico e Cerro San Bernardo

Depois fomos até o Teleférico San Bernardo, mas estava fechado e só abriria naquele dia às 14hs. 

Então demos um passeio de carro pela cidade até o Palácio Legislativo e a Estação de trens, bem antiguinha. 

Abastecemos a gasolina mais barata até então: 570 pesos arg = 39,64l = 14,38 pesos/l.


Subimos o Cerro San Bernardo de carro para ver Salta de cima, já que o teleférico estava fechado e não quisemos esperar abrir. 

Lá em cima, além das vistas incríveis da cidade, tem artesanato à venda, banheiros limpos, bebedores e uma confeitaria, onde colamos um adesivo do pequeno viajante - desafio: quem for lá tira uma foto do adesivo e manda pra gente! 

Para subir de teleférico, é só pegar no Parque San Martín. Custa 110 pesos para adultos e 60 pesos para crianças entre 6 e 12 anos. Crianças até 5 anos vão de graça. 

Tem estacionamento no parque, ao lado da estação do teleférico, se você estiver de carro. 

E, se você tiver muita energia, tem uma trilha para subir a pé o Cerro San Bernardo - ela sai de trás do Monumento Güemes. Leve bastante água, protetor solar, óculos, boné e repelente!



 







Fomos ao Shopping almoçar e aproveitar o ar condicionado, porque o calor estava de matar - não é por nada que eles fazem a tal 'siesta' e tudo fecha no meio do dia!

La Panaderia del Chuña

Para jantar, escolhemos uma 'peña', lugar onde tocam músicas folclóricas: La Panaderia del Chuña

Fica a umas 2 quadras do hotel, pela Balcarce. Pagamos 750 pesos pelo jantar + show. Foi divertidíssima! 

O Lipe filmou tudo, o Peg sapateou e eu ri (e comi 'cabrito a la parrilla') até doer a barriga! O Peg pediu 'lomo gratinado'. 

Teve 'zombras', 'chacareras', sapateado, muitas danças típicas de Salta e Tucumán e até 'Garota de Ipanema' rolou em nossa homenagem! 

É um lugar grande e estava bem vazio - pegamos mesa na frente do palco. O ideal é chegar lá pelas 10pm e ficar pelo menos até 1am pra ver a melhor parte do show

Sim, é um programa turístico, mas estava cheio de locais e foi super divertido, até pro Lipe!















No dia em que voltamos de Cachi para dormir novamente em Salta antes de seguir viagem para a Quebrada de Humahuaca, fomos jantar na Plaza 9 de Julio, no McDonald's, que tem brinquedão, e o Lipe gastou as energias lá. 

Era um sábado e, ainda mais do que nos outros dias, as praças da cidade estavam animadíssimas, com muita gente, danças, artistas de rua e música. 

Nos primeiros dias que passamos na cidade, fez uns 35°C; quando voltamos, um dia depois, estava fazendo 13°C - impressionante a queda de temperatura! 




Transporte

Nós fizemos muita coisa a pé, alguns passeios no nosso próprio carro e até pegamos um táxi. 

Se você não tiver o seu próprio meio de transporte, uma boa opção pode ser usar o serviço do ônibus turístico! 

Vá e depois nos conte se foi legal!

O roteiro do ônibus está na foto abaixo e, pelo que vi, ele passa nos principais pontos turísticos! 

Veja mais informações na foto ;)




Gastos 

* entradas Museu AAM - 70×2 = 140 pesos
* táxi - 18 pesos
* água e frutas + nuggets - 144 pesos
* janta Balcarce - 340 pesos
* gasolina - 570 pesos arg = 39,64l = 14,38 pesos/l
* almoço shopping - 208 pesos 
* entrada Museu Histórico - 20 pesos
* presente Lipe shopping - 45 pesos
* janta peña - 750 pesos 
* hotel 3 noites, janta, frigobar e impostos (com desconto pro pequeno viajante) - 3304 pesos 
* gorjetas hotel - 50 pesos
* janta McDonald's praça - 273 pesos
* hotel Salta - 990 pesos (com desconto pro pequeno viajante)

Já esteve em Salta, no norte da Argentina? Conte para a gente, deixe a sua dica na nossa caixa de comentários!

Abaixo, algumas das minhas fotos preferidas de Salta, que resumem um pouco do espírito da cidade e o que vocês vão encontrar por lá:











Veja como foi nosso passeio:






Todos os posts sobre esta viagem estão em Atacama e Norte da Argentina - se você quiser ler todos em sequência (do último para o primeiro), é só clicar!

Leia o nosso roteiro e orçamento para uma viagem de carro de 28 dias ao Atacama e Norte da Argentina, com passagens pelo Uruguai e Bolívia



Outras dicas de hospedagem pelo mundo - todos os nossos posts com resenhas de hotel estãoaqui

Não foi a nossa primeira vez em nenhum destes países - já conhecíamos inclusive o Atacama e a Bolívia - então, se você quiser saber sobre as nossas viagens anteriores a estes países, é só clicar em UruguaiArgentinaChile Bolívia

Veja nosso roteiro de um mochilão de 30 dias pelo Peru, Bolívia e Chile

Também fizemos uma viagem incrível pelas Patagônias argentina e chilena

Leia sobre mal da montanha ou soroche

Durante esta viagem, nós usamos as seguintes hashtags nas redes sociais Facebook / Twitter / Instagram - é só procurar as ## e ver tudo o que postamos sobre cada lugar:

#‎LipenoUruguai
#LipenaArgentina
#LipenoChile
#LipenaBolivia

Acompanhe o nosso Instagram @claudiarodriguespegoraro - tem muitas dicas desta viagem por lá!


Se você quiser reservar um hotel ou pousada e ter a garantia do menor preço, nós indicamos o Booking, que é o site de reservas de hospedagem que nós usamos a vida inteira :)

Para reservar o Hotel Alejandro 1º





Para reservar um carro, recomendamos a Rentalcars, que a gente usa (e gosta muito) há séculos!


Mais fotografias das nossas viagens no Instagram @claudiarodriguespegoraro, na hashtag #Felipeopequenoviajante.

Não esqueça de curtir a fan page no Facebook para acompanhar as nossas aventuras! 


Assista todos os nossos minifilmes neste link do Facebook, e os vídeos você assiste no YouTube ou no Vimeo - aproveite e já se inscreva lá nos nossos canais!


Você também nos encontra aqui:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...