Sobre

Sobre

Recentes

Menu

Dicas de Chicago: como chegar, se deslocar, quantos dias ficar, onde comer, comprar, passear, ficar, roteiros, clima, dicas para economizar e até chip de celular

Dicas de Chicago: como chegar, se deslocar, quantos dias ficar, onde comer, comprar, ficar, passear, roteiros, clima, dicas para economizar e até chip de celular
Dicas de Chicago: como chegar, se deslocar, quantos dias ficar, onde comer, comprar, passear, ficar, roteiros, clima, dicas para economizar e até chip de celular
Dicas de Chicago: como chegar, se deslocar, quantos dias ficar, onde comer, comprar, passear, roteiros, clima, dicas para economizar e até chip de celular

Encerrando uma série de posts sobre a nossa recente viagem a Chicago, reuni aqui todas as principais dicas de Chicago: como chegar, se deslocar, quantos dias ficar, onde comer, comprar, ficar, passear, roteiros, clima, dicas para economizar e até chip de celular.

Situada nas margens do imenso Lago Michigan, que mais parece um mar, e atravessada por um rio que forma um grande canal pelo meio da cidade, Chicago é um dos destinos turísticos mais populares dos Estados Unidos. É popular entre americanos e também entre brasileiros, pois vimos muitos conterrâneos passeando pelas ruas da cidade - muito mais do que eu imaginaria encontrar.

E isso não é sem motivos: a cidade é lar de algumas das melhores experiências que se pode ter em arquitetura, cultura e gastronomia. Chicago tem a beleza de uma São Francisco misturada com a excitação de New York - sim, voltei encantada.

Eu tinha conhecido Chicago em 1994, quando fiz uma viagem costa a costa pelos EUA, mas, desde então, a cidade se reciclou completamente, enormes e lindos arranha-céus foram construídos, áreas degradadas foram completamente renovadas e a parte que eu mais gostei nesta viagem a Chicago foi completamente construída - e inaugurada recentemente: a Chicago River Walk.

A cidade está limpa, segura, linda e lá você vai encontrar tudo o que os brasileiros adoram - todas as lojas mais amadas, os restaurantes de rede mais conhecidos, bons hotéis, excelentes museus e passeios turísticos como zoo, aquário, planetário, passeio de barco, arte de rua - e muito mais: o Chicago Blues e a gastronomia típica da cidade.

Vamos às nossas dicas de Chicago?

Chicago

Como chegar em Chicago

Nós pesquisamos bastante para comprar as passagens aéreas e os voos mais baratos que encontramos foram de longe os da Copa Airlines, com conexão na Cidade do Panamá e franquia de bagagem despachada de 23Kg, o que era perfeito para nós. 

Foi uma boa experiência (nossa 2ª vez voando Copa Airlines) e contei todos os detalhes neste post: 


No mesmo post contei também como é a conexão no Panamá, o Aeroporto Internacional O'Hare de Chicago, como é a imigração, etc, então dá uma espiada lá que o post está bem completo!

Como ir do Aeroporto Internacional O'Hare para o centro de Chicago

Em comparação com outras grandes cidades, até que em Chicago é bem simples ir ao aeroporto para o centro da cidade, e o preço é bem razoável também...só achei um pouco demorado. 

Primeiro pegamos um ônibus grátis do próprio aeroporto, no terminal onde chegamos, até o terminal 2, onde é possível pegar a linha azul do metrô. A linha azul de trens conecta o Aeroporto Internacional O'Hare (ORD) com o centro de Chicago. 

Para ir pro albergue HI Chicago Hostel, onde nos hospedamos, bastava descer nas paradas Jackson ou La Salle do metrô e caminhar 3 quadras. Verifique no Google Maps qual é a melhor parada para você, de acordo com a localização do seu hotel. 

O bilhete custa U$ 5 e você compra nas máquinas automáticas que vendem bilhetes de trens na própria estação - tenha U$ 5 trocado, pois as máquinas não dão troco, ou pague com cartão de crédito. 

A viagem de trem leva 45min do Aeroporto Internacional O'Hare até o centro de Chicago (são 18 milhas). Pousamos no aeroporto às 13hs e só chegamos ao HI Chicago Hostel, no centro da cidade, as 15h30min, depois de toda a função de passar pela imigração americana, pegar malas despachadas na esteira e tals.

Dicas de Chicago

Onde ficar em Chicago

Chicago é uma cidade com infinitas possibilidades de hospedagem, desde hotéis super estrelados até albergues mais em conta e nós, óbvio, optamos pela opção com melhor custo X benefício, que era o albergue HI Chicago Hostel, onde nos hospedamos num quarto privativo triplo com banheiro compartilhado. 

Contei todos os detalhes de como foi a nossa opção de hospedagem em Chicago aqui neste post:

Quantos dias ficar em Chicago?

Pode parecer bem tentador passar um fim de semana prolongado em Chicago, conhecendo as principais atrações e enchendo o seu roteiro com 1001 atividades, mas a cidade tem muito mais a oferecer aos visitantes com alguns dias a mais. Amplie sua visita em alguns dias e conheça realmente uma das cidades mais interessantes, diversificadas e emocionantes dos EUA!

Nós ficamos 6 dias inteiros e acho que foi o suficiente para aproveitar bastante Chicago e suas atrações principais com calma e conhecer tudo o que realmente queríamos ver, mas, se tivéssemos mais alguns dias, poderíamos ter visto ainda mais, como o zoo, o Museu de Ciências, alguns bairros mais distantes que não conhecemos e até algumas daytrips para conhecer obras de Frank Lloyd Wright e Milwalkee, em Wisconsin, ali pertinho.

Me perguntaram também se, tendo uma conexão longa nesse aeroporto, vale a pena ir até o centro de Chicago para dar uma "espiada" na cidade: eu sempre acho que tudo vale a pena - especialmente se der tempo de fazer uma caminhada pelo Chicago RiverWalk e uma esticadinha até a escultura Cloud Gate, que é maravilhosa, no Millennium Park - mas tenha em mente que você levará em torno de 2h30min para chegar ao centro de Chicago depois de desembarcar, e demorará pelo menos 1h para voltar do centro ao aeroporto, então a sua conexão precisa ter pelo menos umas 9 ou 10hs para valer a pena, considerando que você terá que voltar pro aeroporto 3hs antes do horário do seu voo.

Dicas de Chicago
Dicas de Chicago

uma escapadinha até o Millennium Park sempre vale a pena!

Como é o clima em Chicago

A resposta é "vareia muito" heeheh...

Na semana em que estivemos lá, usei desde bermuda e top até jaqueta e cachecol, então imagine...

Fomos no final do verão, entre o final de setembro e o começo de outubro.

Mas, se você for entre novembro e março ou entre junho e agosto, acho que é acertado dizer que vai passar bastante frio e bastante calor, respectivamente. Chicago é famosa pelo frio absurdo que faz lá no inverno, então vá preparado!

Mas se, como nós, você for viajar entre estações, em abril/maio e setembro/outubro, terá que incrementar a mala, pois você poderá pegar qualquer temperatura entre 8 e 30 graus!


teve até alerta de 'flash flood'
Dicas de Chicago
teve tempo nublado

chuva

e muito sol e céu azul também!

Dicas para economizar em Chicago

Chicago é uma cidade carérrima, assim como New York, por exemplo e, com o dólar a 4, qualquer dica para economizar é muito bem vinda, não?

Pois aqui seguem algumas:

Dicas de ChicagoDicas de Chicago




Chicago lembra New York City em vários aspectos

1 Compre o CityPASS

Chicago CityPASS é um um passe que dá descontos nos ingressos de várias atrações turísticas em Chicago, como o planetário, aquário, museus de história natural, de arte, de ciências e 2 observatórios. No nosso caso, como queríamos visitar todos os pontos turísticos incluídos no passe, valeu muito a pena, foi uma economia de mais de 50% nos ingressos!

Já expliquei todos os detalhes do funcionamento do CityPASS neste post aqui, dá uma olhada para ver se ele será bom para a sua família:


2 Abuse dos cupons de descontos

Não sei se vocês sabem, mas nos EUA as pessoas têm um baita costume de aproveitar cupons de descontos para compras de supermercado e em todo tipo de serviços, inclusive em restaurantes e atrações turísticas. Em Chicago, não é diferente. 

Quando você pega o folheto da Chicago Trolley and Double Decker Co, por exemplo (mesmo que não vá usar os serviços deles), nos folders você já vai encontrar cupons de descontos para tours, shows e até para ganhar as famosas pipocas Garrett Popcorn grátis! 

Aproveite!

3 Faça refeições mais em conta

Eu sei que nos EUA a gente sempre fica tentado a comer naqueles restaurantes de redes que a gente ama, ou nos restaurantes de comidas típicas d ecada cidade, e nós mesmos fizemos questão de fazer isso. Mas vale a pena contrabalançar um almoço caro de U$ 70 no Bubba Gump ou no The Cheesecake Factory com um jantar barato de U$ 25 ou 30 num Whole Foods (buffet por quilo) ou até na cama do albergue, fazendo um piquenique com coisas gostosas compradas no Target, 7 Eleven ou CVS. 

Se você pretende ir jantar num show de blues como o Buddy Guy´s Legends ou numa das pizzarias típicas de Chicago, como Gino's, Lou Malnati's ou Giordano's, faça um almoço mais leve num dos ótimos restaurantes do shopping Water Tower Place, como o Foodease (buffet por quilo) ou o Foodlife. 

#ficaadica

4 Use o Lyft e caminhe muito

Vou explicar melhor no próximo tópico (como se deslocar em Chicago), mas, em resumo, o que concluímos foi que, estando entre 2 pessoas, o meio de transporte mais em conta em Chicago é o aplicativo Lyft (mais barato que o Uber). 

Baixe o app do Lyft no seu celular antes de viajar e siga as dicas abaixo para aproveitar 10 corridas com um super desconto de U$ 5. 

Além disso, como já comentei no post sobre o albergue em que ficamos em Chicago, estávamos a apenas 5 minutos de caminhada da Buckingham Fountain no Grant Park, 10min do Millennium Park, The Bean, Crown Fountain e Art Institute, 15min da Willis Tower/Skydeck e a 20min de caminhada do Museum Campus, onde ficam o Field Museum, o Shedd Aquarium e o Adler Planetarium. 

Chicago é uma cidade maravilhosa para se caminhar, bem plana e cheia de "caminhódromos" - uma cidade feita para pedestres - e, se você ficar numa hospedagem bem localizada como a nossa, poderá caminhar por todos os lados e gastar pouquíssimo com transporte.



uma cidade excelente para caminhadas

5 Aproveite os passeios grátis

Se você já leu o meu post sobre o Chicago CityPASS, com certeza já viu como as principais atrações turísticas de Chicago têm ingressos super caros. Mas também tenho que dizer que Chicago é uma cidade cheia de arte ao ar livre e muitos dos passeios de que mais gostamos por lá são completamente grátis, como a Chicago RiverWalk, o Navy Pier e até o Lincoln Park Zoo, único zoológico de que já ouvi falar que tem ingressos completamente grátis!

Você pode tranquilamente encher os seus dias de atividades em Chicago 'caçando' streetart e visitando apenas atrações gratuitas, sem desembolsar um mísero dólar, se não quiser gastar!

6 Considere se hospedar em um albergue

O maior custo que você terá numa viagem a Chicago - talvez ainda maior do que o preço da passagem aérea - será com hospedagem, sem dúvidas. 

Sei que muitíssimas pessoas têm muitos 'pre'conceitos contra albergues, e sequer consideram a possibilidade de se hospedar num lugar com banheiro compartilhado. Se esse é o seu caso, reconsidere, experimente! 

Nós ficamos hospedados em albergues desde sempre, inclusive quando o Lipe era bebê, e nunca tivemos qualquer problema. É uma forma super simples de economizar muito dinheiro com hospedagem e, mesmo assim, ficar SUPER bem hospedado. 

Dê uma olhada no post que eu escrevi sobre o albergue em que ficamos em Chicago e pense 2 vezes - não custa experimentar pelo menos uma vez! Se você não tiver muita frescura, vai acabar viciando nessa economia, e começará a entender "como é que a família do pequeno viajante consegue viajar tanto" 😅😅

Dicas de Chicago

Como se deslocar em Chicago

Para se deslocar no centro de Chicago, use metrô, ônibus, Uber e Lyft ou os ônibus turísticos hop on, hop off. 

Escrevi um post completo explicando como foi a nossa experiência com os trolleys e ônibus de 2 andares da Chicago Trolley and Double Decker Co.

Durante 2 dias, perambulamos por toda Chicago com estes tours, explorando os principais pontos turísticos da cidade de um jeito bem relaxante e prático. Sem qualquer dúvida, é a maneira mais fácil de se conhecer Chicago sem passar trabalho, em pouco tempo. 

Leia o post completo aqui:

Chicago Trolley and Double Decker Co: a maneira mais fácil de conhecer Chicago em 2 dias

Dicas de Chicago

Os bilhetes de ônibus e de metrô custam U$ 2,50 cada viagem, achei bem salgado. Você compra os tickets de metrô nas máquinas automáticas que existem em cada estação e, no caso dos ônibus, você paga dentro deles, mas tem que ter dinheiro trocado, porque o motorista não dá troco.

Chegamos à conclusão de que, estando entre 2 pessoas (ou mais), o Lyft vale mais a pena, como mencionei acima, nas dicas de economia!

Explico: os preços do Lyft são sempre mais baixos que os do Uber e, quando você baixa o aplicativo, ganha um cupom para ter descontos de U$ 5 nas 10 primeiras corridas com o aplicativo Lyft. Como as corridas pelo centro de Chicago raramente chegam a U$ 10, com o desconto de U$ 5, as nossas corridas ficavam sempre por menos de U$ 5, ou seja, mais barato do que teríamos pago para ir de ônibus.

Para conseguir o código de descontos, basta simular uma corrida no Google Maps, que então o próprio Maps te avisa sobre o código para ter acesso aos descontos.

Já tínhamos usado muito o Lyft em Key West e, em Chicago, compensou bastante também - sem contar o prazer que é bater papo com tantos motoristas de aplicativo das mais diferentes nacionalidades e pegar dicas locais com eles! 😅

Veja no print abaixo como o código de descontos aparece no Google Maps:

Onde comer em Chicago

Diferente do que muita gente pensa, é possível, sim, comer muito bem numa viagem aos EUA - e, se o seu destino for Chicago, você ainda TERÁ QUE experimentar vários pratos típicos da cidade, como as famosas pizzas recheadas.

Escrevi um post específico sobre o assunto, listando mais de 30 lugares onde você poderá comer em Chicago super bem e por preços bem acessíveis, desde comidas típicas e as famosas pipocas Garret até buffets por quilo deliciosos e os restaurantes de rede mais conhecidos dos EUA.

Veja o post aqui:

30 lugares para comer em Chicago

Onde fazer compras em Chicago

Impossível fazer uma viagem aos EUA sem falar em comprinhas. 

Por mais caro que esteja o dólar, muitas coisas ainda compensam comprar nos Estados Unidos e, como vocês sabem, tem coisas que a gente só encontra lá - simplesmente não existem para comprar aqui no Brasil! 

E, quando a gente tem uma franquia de bagagem despachada de 23Kg, tem que levar a mala vazia (no meu caso, viajei com 8Kg na mala), porque é certo que voltaremos com ela cheia. 

Vocês sabem que sou bem pouco consumista e, na grande maioria das nossas viagens, não compro nem ímã de geladeira, mas confesso que, nas nossas viagens aos EUA, eu sempre extrapolo: adoro comprar roupas para o Lipe na H&M, aproveito para comprar todos os produtinhos básicos que eu uso da Revlon no Target, e não resisto a umas comprinhas na REI e na Uniqlo, minhas lojas preferidas. 

Em Chicago nós tínhamos 6 dias - é raro ficarmos tanto tempo em uma mesma cidade - então aproveitamos e visitamos com calma todas as lojas que a gente queria.

Passei horas na Barnes & Noble, uma livraria que eu amo, catando livros incríveis sobre viagens e mapas lindos.

Na Magnificent Mile, entrei na H&M, Zara, Uniqlo, Nike, Best Buy, North Face, Disney Store, Timberland, Levi's, Bloomingdale's...






No shopping Water Tower Place, ainda na Magnificent Mile, amei as lojas da Lego e da American Girl - essa loja é um abuso, ainda bem que não sou mãe de menina, senão não ia resistir! A Macy's que tem lá também é enorme, ocupando uns 5 andares do shopping! A loja da Adidas, que fica lá, eu achei bem fraca.

Embora a Mag Mile seja a rua de compras de Chicago por excelência, tenho que confessar que, na verdade, a minha rua preferida para compras e também para andar em Chicago foi a State Street, que também tem quase todas as lojas que eu amo e achei mais agradável para bater perna - sem falar que fica bem próxima ao nosso HI Chicago Hostel.

Também fomos ao Roosevelt Lofts, uma espécie de shopping horizontal, onde também tem H&M, Old Navy, Carters, etc...

Para quem tem a carteira mais recheada, na Oak Street vi (só as vitrines mesmo kkkk...) da Chanel, Prada, etc. 

No Navy Pier também existem várias lojas, mas nada que chamasse muito a minha atenção. 

Ah, e para quem gosta de lembrancinhas de viagem e souvenirs, saiba que todas, absolutamente todas as atrações turísticas de Chicago têm as suas próprias lojinhas (ou lojões, em alguns casos), vendendo de pelúcias de beluga e cofrinhos no formato do 'Bean', até artesanato feito com os cacos de vidro do The Ledge rachado! Não há o que não haja!

Por último, vale lembrar que gravamos um videozinho que publiquei lá no Instagram - procure em #PVemChicago - mostrando como funcionam os Amazon lockers quando você faz compras online e manda entregar tudo em um guarda-volumes à sua escolha nos EUA.


Dicas de Chicago

O que ver e fazer em Chicago

Já escrevi alguns posts com dicas de passeios na Windy City, mas ainda tenho muitas dicas do que ver e fazer em Chicago, então aqui segue uma lista das atrações que mais gostamos de conhecer por lá (e algumas que não conhecemos também).

1 Tour de ônibus ou trolley hop on, hop off

O primeiro passeio que fizemos, logo que chegamos lá, foi o tour de ônibus sobe-e-desce da Chicago Trolley and Double Decker Co.

Já escrevi antes, e repito: sem dúvida, é a maneira mais prática de conhecer a cidade em pouco tempo, então dê uma espiada no post onde eu contei sobre esse passeio em detalhes:

Chicago Trolley and Double Decker Co: a maneira mais fácil de conhecer Chicago em 2 dias

Os moradores chamam o centro de Chicago de 'Loop', e essa área abriga algumas das principais atrações da cidade, como o icônico Chicago Theatre, todas cobertas pelo roteiro dos ônibus turísticos.

Dicas de Chicago

2 Passeio arquitetônico de barco pelo Chicago River

Outro passeio que todo mundo recomendou e eu decidi fazer - e recomendo muito também - foi o tour arquitetônico de barco pelo Rio Chicago.

O tour que eu fiz custou, com a Shoreline Sightseeing, U$ 41,44, e durou 1h15min.

O embarque é ao lado da loja da Apple na Michigan Avenue e tem vários horários ao longo do dia - fui as 17hs e achei maravilhoso, com a brisa do fim de tarde e a cidade lentamente se iluminando.

Se você não entende inglês, pode ir num dos tours em espanhol.

Adorooo a mistura arquitetônica de antigo e supermoderno, tudo junto e misturado, em total harmonia, que é a marca de Chicago!

Nesse passeio de barco você vai aprender, por exemplo, que Adrian Smith é conhecido em Chicago, sua cidade natal, como "o arquiteto mais alto do mundo", por ter projetado muitos arranha-céus, incluindo a estrutura mais alta do mundo, o Burj Khalifa, que visitamos em Dubai, assim como o edifício projetado para superá-lo, a Torre de Jeddah, na Arábia Saudita, que o Lipe está louco para conhecer. Em Chicago, é dele o projeto do 2° prédio mais alto da cidade, atrás da Willis (Sears) Tower, a Trump Tower.

Existem também alguns passeios de barco de 40min pelo Lago Michigan que partem do Navy Pier, que lembro de ter feito na primeira vez em que fui a Chicago, mas, tendo que escolher apenas um deles, eu ficaria com o passeio arquitetônico pelo Rio Chicago, sem nenhuma dúvida!






Dicas de Chicago
Dicas de Chicago

3 Streetart

Chicago tem obras de arte em cada esquina, e uma das maiores diversões na cidade é passear pelas ruas "caçando" as obras mais famosas.

Uma das mais divertidas é a Crown Fountain, de Jaume Plensa, uma fonte onde 2 torres de tijolinhos de vidro projetam imagens de cidadãos da cidade que 'cospem' água nas pessoas, tudo refletido num espelho d'água!

As crianças (grandes e pequenas) se divertem!

Dicas de Chicago
Dicas de Chicago

Dicas de Chicago

Dicas de Chicago
Dicas de Chicago


Outra obra muito famosa é o Flamingo, de 1973, do artista americano Alexander Calder, que tem 16m de altura e fica localizada na Federal Plaza em Chicago.

Dicas de Chicago

A Agora é uma instalação de 106 estátuas de ferro sem cabeça que parecem vagar a esmo pela parte mais ao sul do Grant Park em Chicago (perto do Museum Campus).

Com design da artista polonesa Magdalena Abakanowicz, as estátuas foram feitas na Polônia e trazidas em 2006 para Chicago.

O nome da obra vem da palavra grega para "lugar de encontro", mas a artista não deu maiores interpretações sobre o seu significado.

Algumas figuras parecem estar caminhando, outras imobilizadas, e todas têm detalhes que as diferenciam.

'Agora' é a maior instalação da artista, que nasceu numa família aristocrática perto de Varsóvia em 1930 e viu os horrores da 2a Guerra Mundial e dos 45 anos de dominação soviética que se seguiram.

Lendo os diários dela, dá para começar a compreender o significado da obra “…I lived in times which were extraordinary by their various forms of collective hate and collective adulation. Marches and parades worshipped leaders, great and good, who soon turned out to be mass murderers. I was obsessed by the image of the crowd…I suspected that under the human skull, instincts and emotions overpower the intellect without us being aware of it.”

Pesado, né? Para aliviar um pouco na foto, resolvemos brincar de esconde-esconde!

Quando for a Chicago, não deixe de passear pelo Grant Park e ver a 'Agora'.


Dicas de Chicago
Dicas de Chicago


Uma obra de arte que eu amei em Chicago foi o mural de Eduardo Kobra que retrata o pai do Chicago Blues, Muddy Waters, cujo centenário foi celebrado em 2015.

Com 20m de largura por 40m de altura, o Muddy Waters, fica na 17 N State Street, próximo ao Chicago Theatre.

Aliás, vale dizer que já vi 'Kobras' de Amsterdam a New York, de Miami a Chicago...mas nunca vi um mural mais bonito do que aquele conjunto dele no Rio de Janeiro.

Dicas de Chicago

São inúmeras as obras de arte famosas com que você vai se deparar andando pelas ruas de Chicago - de Marc Chagall a Picasso em Daley Plaza até Miró - mas aquela que você realmente não pode deixar de ver é o grão de feijão com 110 toneladas que se tornou símbolo de Chicago, The Bean, obra do artista britânico Anish Kapoor.

Dicas de Chicago


Pois chegamos ao Bean (feijão), ou Cloud Gate, seu verdadeiro nome, uma das maiores esculturas do mundo, e tomamos um susto com a quantidade de gente por lá - acho que todo mundo concorda conosco que essa visita é imperdível para qualquer turista em Chicago! 😂

Sabe expectativa vs. realidade, quando tu imagina um lugar e, ao chegar lá, é completamente diferente do que tu viu nas fotos do Instagram? É bem esse o caso! Tu querendo tirar aquela foto lindona que viu nas redes sociais e o povo todo ao redor com paus de selfie atrapalhando! Mostrei a muvuca lá nos stories do Instagram, espia lá nos meus destaques de Chicago!

Foi só no dia seguinte, quando fomos lá as 7hs da manhã, que conseguimos fotos decentes - mas tivemos que madrugar! E, lá pelas 8hs, a grande surpresa: apareceram 2 funcionários do parque com mangueira e rodos 'lavando' o feijão!!

Depois, pesquisando, descobrimos que ele é lavado todos os dias de manhã, para tirar a geada da noite anterior e deixar o feijãozão lindo e brilhante!





Dicas de ChicagoDicas de Chicago

4 Millennium Park

Falando em Cloud Gate e Crown Fountain, não posso deixar de listar aqui o Millenium Park.

Esse parque super central na cidade, onde ficam as 2 obras de arte que mencionei acima, tem outras atrações que valem muito a visita, como o Jay Pritzker Pavilion, de Frank Gehry, um pavilhão para concertos grátis ao ar livre com um sistema acústico excelente suspenso sobre a platéia em tubulações de aço, com espaço para mais de 11 mil pessoas.

Também ficam no mesmo parque o Lurie Garden, inspirado no lema de Chicago, "Uma cidade em um jardim", a Ponte BP para pedestres, também de Frank Gehry, e o Monumento do Millennium na Praça Wrigley.


5 Placa do início da Rota 66

Quem lembrava/sabia que a histórica Route 66 começa em Chicago?!

Eu sabia, mas não lembrava, e foi por puro acaso que nos deparamos com a placa de início dessa famosa rota, quase na frente do Art Institute, bem pertinho do Millennium Park!

Um dia a gente ainda faz essa roadtrip - por enquanto só fizemos alguns trechos no Arizona, e temos uma foto na placa que marca o fim da rota, em Los Angeles.

Dicas de Chicago

6 Art Institute

Infelizmente nunca dá tempo de visitar tudo o que uma metrópole como Chicago tem a oferecer em uma única viagem e, como tínhamos que escolher entre visitar o museu de arte de Chicago OU o Adler Planetarium com o nosso Chicago CityPASS, acabamos optando pela visita ao planetário, e não conhecemos o Art Institute.

Pelo que li no site, esse museu de arte, localizado ao lado do maravilhoso Millennium Park, é bem childfriendly, com várias atividades práticas no Ryan Learning Center, incluindo a JourneyMaker, uma ferramenta digital para a sua família criar o próprio tour no museu, ou a possibilidade de montar quebra-cabeças baseados em obras de arte que você verá nas galerias, ou construir maravilhas arquitetônicas com blocos coloridos, e aprender sobre arte através de histórias e jogos interativos.

A coleção de arte moderna do Instituto de Arte de Chicago é considerada uma das melhores e mais abrangentes do mundo, ostentando alguns dos maiores ícones do período, mas eles também têm uma famosa coleção de obras antigas européias, inclusive com objetos da Idade Média e do Renascimento, incluindo retábulos, jóias e figuras com armaduras a cavalo.

Com o Chicago CityPASS, você terá entrada fura-fila para a coleção permanente e mais um audio-guia. 

Ingressos:

Adultos U$ 42
Crianças até 11 anos U$ 7
Idades 13 e abaixo, grátis (audio guia U$ 7)

Endereço: 

111 South Michigan Avenue

Horários:

Seg-Qua e Sex-Dom, 10h30-17h
Qui, 10h30-20h
Fechado no Ano Novo, Dia de Ação de Graças e Natal

Dicas de Chicago

7 Buckingham Fountain no Grant Park

Na primeira vez que estive em Chicago, em 1994, não existia Cloud Gate e, naquela época, o grande ponto turístico da cidade, ao que me lembro, além da Sears Tower, era a Buckingham Fountain, construída em 1927 no meio do Grant Park.

É uma das maiores fontes do mundo e parece um bolo de aniversário em estilo rococó.

De abril a outubro, eles fazem shows de águas e luzes lá à noite.

8 Willis Tower/Skydeck

Quando estive em Chicago pela 1ª vez, em 1994, subi no observatório da então chamada Sears Tower, que era o edifício mais alto do mundo na época.

Em 2009, o prédio mudou de nome, para Willis Tower, e já não é o mais alto do mundo, mas continua inovando no Skydeck Chicago.

A Sears Tower foi o mais alto edifício da América do Norte desde 1974, quando foi inaugurado, até 2014, quando o One World Trade Center em Nova York foi concluído. Ela ultrapassou as torres gêmeas do World Trade Center em Nova York, que um ano antes já haviam superado o Empire State Building, também em Nova York, como o maior edifício do mundo, tendo ostentado o título por 24 anos, quando foi superada, em 1998, pelas Petronas Twin Towers, em Kuala Lumpur, Malásia.

O edifício tem 108 andares, apesar de os projetistas contarem 109 andares com o telhado e os mecânicos contarem 110, com a cobertura do elevador. A altura do telhado é de 442m.

Atualmente, a Willis Tower é a 3ª maior estrutura da América do Norte, superada apenas pela Torre CN em Toronto, no Canadá, e pelo One World Trade Center, em NYC (esse, com seus 521m, é o prédio mais alto dos Estados Unidos).

Do seu observatório, a gente tem, em dias claros, vistas deslumbrantes de até 80Km de distância, incluindo Michigan, Indiana, Illinois e Wisconsin.

Mas o grande chamariz da Willis Tower, hoje em dia, é o que eles chamam The Ledge: depois de uns 20min de fila, a gente tem 60 segundos para ficar pendurado a 412m de altura sobre uma casquinha de vidro com menos de 4cm de espessura, no 103° andar do prédio!

Vi muito menino grande com frio na barriga ali, mas eu achei tri tranquilinho...poderia ter ficado mais uns 10min de boas ali, curtindo a vista! Pena que, quando completa 60 segundos, os funcionários correm com a gente hehehe...

O lado bom é que, com o Chicago CityPASS, a gente fura a fila para subir ao observatório, então só tem que enfrentar a fila do Skydeck mesmo! Elevadores de alta velocidade levam você ao topo a 488m por minuto.

Eu não imaginava que tinha fila para tirar foto nessa caixinha - ingenuidade minha, né! - e normalmente me recuso a esperar numa fila para tirar uma foto, mas dessa vez valeu a pena, não pela foto em si, mas pela experiência de pisar numa casquinha de vidro a mais de 400m de altura, com Chicago inteirinha lá embaixo!

Pela cara do Peg nas fotos, dá para perceber que ele curtiu a experiência menos que eu né! 😂

A verdade é que a experiência é super segura.

Embora o vidro já tenha rachado e sido trocado 2 vezes, na verdade o que racha é a estrutura interna, que eles trocam de tempos em tempos quando ela começa a ficar arranhada e a prejudicar a visibilidade. A estrutura externa, que protege a caixa de vidro, nunca rachou (e nem rachará, espera-se!).


E outro detalhe: com o Chicago CityPASS, você tem direito a fazer 2 visitas ao topo do edifício no mesmo dia, uma durante o dia e outra à noite, para ver Chicago toda iluminada! 

Ingressos: 

Adultos U$ 45
Crianças até 11 anos U$ 45
Grátis para menores de 2 anos

Endereço: 

233 South Wacker Drive
Entrada no Skydeck pela Franklin Street (lado leste do prédio)

Horários:

Verão (Mar-Set): Abre diariamente das 9h-22h
Inverno (Out-Fev): Abre diariamente das 10h-20h
Última entrada 30min antes do fechamento

9 Magnificent Mile/Water Tower

A Magnificent Mile é a área de compras mais famosa de Chicago - Mag Mile - e abriga centenas de lojas e vários shoppings, onde você encontra tudo o que quiser comprar.

Como já mencionei antes, quando falei sobre compras em Chicago, encontrei lá lojas H&M, Zara, Uniqlo, Nike, Best Buy, North Face, Disney Store, Timberland, Levi's, Bloomingdale's e muitas outras.

No shopping Water Tower Place, que também é localizado na Magnificent Mile, existem lojas da Lego, American Girl, Macy's, Adidas, etc.


10 Chicago Observation Deck 360

Todo mundo que vai a Chicago faz questão de subir no Skydeck da Willis/Sears Tower, para pisar no The Ledge, como contei acima. Mas o que poucos sabem é que há um outro prédio em Chicago (o John Hancock Center) com vistas de 360º ainda mais bonitas e muito mais tranquilo de visitar.

Fomos ao 360 Chicago porque ele estava incluído no nosso CityPASS e valeu muito a pena.

Além de super bem localizado e acessível - ele fica na Magnificent Mile, ao lado do shopping Water Tower Place, e no mesmo prédio tem uma Best Buy, North Face e Cheesecake Factory - as vistas de Lakeside Drive, do Lago Michigan e do Navy Pier são muito melhores e o observatório em si é muito mais tranquilo, com bem menos gente se acotovelando para fotos nas janelas.

Ficamos um bom tempo lá curtindo a vista 😁

O observatório fica no 94º andar, e o elevador é um dos mais rápidos da América do Norte.

O Chicago CityPASS inclui o fura-filas também.

Ingressos:

Adultos U$ 44 
Crianças até 11 anos U$ 44
Grátis para menores de 2 anos

Endereço: 

John Hancock Center
875 North Michigan Avenue

Horários:

Abre diariamente das 9h-23h
A última entrada é 30min antes de fechar

11 Chicago River Walk

Meu passeio preferido em Chicago foi essa caminhada pelo Chicago River Walk, um caminhódromo às margens do rio que corta a cidade, formando um canal no meio da Windy City.

Desde que estive na cidade pela primeira vez, em 1994, a cidade mudou bastante, está toda revitalizada - essa área do River Walk, por exemplo, foi toda construída nos últimos anos!

E as obras continuam - passei por um caminhódromo que conecta o River Walk com o Navy Pier que ainda não está nem concluído...tão lindo ver uma cidade se reinventando e criando espaços de lazer seguros e super limpos pros pedestres e ciclistas...até os banheiros públicos são limpíssimos!

Apelidada de "berço da arquitetura moderna", Chicago tem edifícios projetados pelos arquitetos mais famosos do século 20, como Frank Lloyd Wright, Mies van der Rohe, Helmut Jahn, Adrian Smith, Daniel Burnham e John Root, e o melhor lugar para ver essa "arquitetura de arranha-céus" é justamente no Chicago River Walk.

O boom da arquitetura de Chicago começou com o Chicago Fire de 1871, que destruiu grande parte da cidade. Das cinzas, uma nova cidade cresceu, incluindo o 1º arranha-céu do mundo em 1885. Desde então, Chicago continuou a crescer, tornando-se uma grande cidade, com um horizonte perfeito para cartões postais.

Você tem vistas deslumbrantes de toda a cidade a partir do Museum Campus ou do Lago Michigan, e uma caminhada a pé no centro da cidade também possibilita uma visão dos detalhes arquitetônicos, mas o lugar mais agradável para caminhar é mesmo esse 'caminhódromo' à beira do Rio Chicago.

HI Chicago Hostel também oferece vários 'walking tours' grátis por semana, guiados por voluntários locais que adoram compartilhar a história da cidade.







Dicas de Chicago
Dicas de Chicago

12 Museum Campus

A área de Chicago conhecida como Museum Campus fica em South Loop, bem ao sul do centro, num bairro que abriga alguns dos melhores museus de Chicago, incluindo o Shedd Aquarium, o Adler Planetarium e o Field Museum.

O mais legal é explorar essa área de bicicleta ou a pé, para curtir também as vistas e os caminhódromos pelos parques que rodeiam os museus.



É lá também que fica o famoso estádio de futebol americano Soldier Field, onde os Chicago Bears jogam.

Aliás, se você curte esportes, vai amar Chicago, uma cidade que tem equipes importantes em todos os principais esportes americanos, o que significa que você pode pegar um jogo legal quase qualquer época do ano.

Fãs de beisebol vão querer conhecer o Wrigley Field também, onde jogam os Chicago Cubs.

Aliás, uma dica legal que nos deram é deixar os Cubs pra lá e assistir ao White Sox jogar. Desde que os Cubs ganharam a World Series em 2016, os ingressos dos jogos deles estão batrendo em U$ 100, enquanto que os jogos do White Sox, no Southside, são bem mais 'budget friendly'.


o Peg foi a Chicago para correr a meia maratona, mas amantes de qualquer esporte vão encontrar diversão na cidade

13 Adler Planetarium

No Adler Planetarium, que também fica localizado no Museum Campus, você vai aprender sobre astronomia, os planetas, luas, cometas e asteróides que orbitam o Sol e conhecer as histórias impressionantes do Capitão James A. Lovell Jr., comandante da missão Apollo 13 (quem viu o filme 'Estrelas além do tempo'??), dos primeiros passos dos EUA em direção à Lua, da nave espacial Gemini 12, etc.

Pode ver também o céu noturno de Chicago em 1913 na histórica Esfera Atwood, tocar em um pedaço da Lua, de Marte, de Ceres e de Vesta e sentir como é um meteorito de verdade, que colidiu com a Terra.

Com o Chicago CityPASS, você também pode assistir 2 shows no planetário. Assistimos 'Planet Nine' e 'Destination Solar System', mas aviso que eles só têm filmes em inglês - se você não fala inglês, pode achar chatinho.

O Planetário Adler tem banheiros, wifi grátis, uma área para os pequenos viajantes, loja e uma cafeteria, além de lindas vistas da skyline de Chicago. 

Ingressos:

Adultos U$ 35
Crianças até 11 anos U$ 24
Grátis para menores de 2 anos

Endereço: 

Museum Campus Chicago
1300 South Lake Shore Drive

Horários:

Abre diariamente das 9h-16h
Fechado no Dia de Ação de Graças e no Natal
As horas mudam ocasionalmente, verifique o site para mais detalhes

14 Field Museum

Na área de Chicago conhecida como Museum Campus, você encontra o planetário, o aquário e o estádio de futebol, além desse incrível museu de ciências naturais.

Foi lá que conhecemos a Sue, o esqueleto de Tiranossauro Rex mais perfeito jamais encontrado, que se encontra em Chicago, e é o habitante mais famoso do Field Museum 🐾

Dentre outras coisas incríveis que você vai aprender lá, há um centro de extração de DNA, o Cyrus Tang Hall da China, o Grainger Hall of Gems, a Aventura Subterrânea, onde você encolhe até o tamanho de um inseto para explorar o mundo em 100 vezes seu tamanho normal, o Planeta em evolução e o Antigo Egito, onde você desce a uma antiga tumba egípcia para encontrar 23 múmias e hieróglifos com 5 mil anos de idade.

Acho que terei que voltar ao Field Museum mais umas 3x para terminar de ver tudo o que eu gostaria, porque o museu é imenso e é impossível explorá-lo inteiro em uma única visita!

Minhas exibições preferidas no Museu Field, que considero imperdíveis, além da Sue, foram a Maori Meeting House, a Galeria do Tibet, Ancient Americas, Povos do Ártico, Hall dos Nativos Norte Americanos e África. 

Com o Chicago CityPASS, você fura filas e ainda ganha um all-access pass, incluindo entrada em todas as exibições permanentes e regulares, além da escolha de um filme 3D.

No museu você ainda vai encontrar lojas, banheiros, wifi grátis, um bistrô e uma cafeteria. 

Ingressos:

Adultos U$ 38
Crianças até 11 anos U$ 27
Grátis para menores de 2 anos

Endereço: 

Museum Campus Chicago
1400 South Lake Shore Drive

Horários:

Abre diariamente das 9h-17h
Fechado no Natal
Última entrada às 16h

15 Shedd Aquarium

Pinguins, leões marinhos, show de golfinhos, tarântulas, tubarões, corais, estrelas do mar, baleias beluga, lontras, arraias, anaconda, jacarés, tartarugas e piranhas. Adorei o Shedd Aquarium. Dá para ver que os animais são super bem cuidados lá, os aquários são lindos, e a única parte que não gostei foi a da Amazônia, pois os peixes são enormes e o aquário deles me pareceu um pouco apertado.

O aquário de Chicago, localizado no Museum Campus, tem Play Zone para os pequenos viajantes, banheiros, lancherias, loja, lockers, free wifi e lugar para guardar os carrinhos de bebê - só tenha cuidado porque um amigo relatou que teve o carrinho da filhota furtado lá. 

O Aquário Shedd é imenso (li em algum lugar que é o 2º maior dos EUA) e dividido em áreas com nomes como Waters of the World, Wild Reef, Caribbean Reef, Amazon Rising, Abbott Oceanarium, etc.

Também tem algumas apresentações interativas e oportunidades de tocar em alguns animais e ouvir palestras dos cuidadores. 

Com o Chicago CityPASS, você tem direito a entrada prioritária, a visitar todas as exposições permanentes, apresentações de animais, exposição especial e Stingray Touch (dependendo da época do ano), além de uma experiência 4D.

Nós escolhemos assistir um filme sobre os monstros do mar e foi muito legal, o Lipe teria adorado! Se você não tiver o CityPASS, esses filmes têm um custo extra de U$ 4,95.

Ingressos: 

Adultos U$ 44,90 
Crianças até 11 anos U$ 34,90
Grátis para menores de 2 anos

Endereço: 

Museum Campus Chicago
1200 South Lake Shore Drive

Horários:

Inverno: Seg-Sex, 9h-17h; Sáb-Dom e Feriados, 9h-18h
Verão: Abre diariamente das 9h-18h
Fechado no Natal

16 Lincoln Park Zoo

O Lincoln Park está localizado no lado norte de Chicago, e pode ser facilmente acessado via ônibus ou trem.

Esse bairro é um dos mais antigos da cidade, um contraste com a selva de concreto do centro de Chicago e do South Loop, com ruas arborizadas e boas oportunidades de compras na Armitage Avenue.

Mas o grande programa turístico dessa região é mesmo o Lincoln Park Zoo, único zoológico de que já ouvi falar que tem ingressos completamente grátis!

17 Museu da Ciência e da Indústria

Tínhamos que escolher entre o 360 Chicago e esse museu de ciências para visitar gratuitamente com o Chicago CityPASS, e acabamos optando pelo observatório, porque era mais acessível, já que o Museu de Ciência e Indústria fica bem ao sul de Chicago, e não tínhamos mais tempo de ir até lá...mas fiquei pensando que, se estivéssemos com o Lipe, certamente teríamos optado pelo museu, porque tenho certeza que ele ia amar!

Pelo que pesquisei, o Museu da Ciência e Indústria de Chicago oferece experiências super legais, como um tornado e uma avalanche na área Tempestades Científicas, a possibilidade de caminhar por um United 727 de verdade, subir a bordo do Empire State Express, a primeira máquina a ultrapassar 160Km/h, ou ver aeronaves históricas voando acima de você na Galeria de Transportes.

Eles também têm um teatro de 5 andares e, com o Chicago CityPASS, você ganha entrada no museu e numa experiência com entrada paga (filme Giant Dome Theater, Coal Mine tour, Fab Lab ou a exposição temporária Wired to Wear).

Ingressos:

Adultos U$ 33,95 
Crianças até 11 anos U$ 21,95
Grátis para menores de 2 anos

Endereço: 

57th Street and Lake Shore Drive

Horários:

Abre diariamente das 9h30-16h
Fechado no Dia de Ação de Graças e no Natal

Como mencionei antes, o Museu da Ciência e Indústria é localizado no extremo sul de Chicago, no Hyde Park, um dos bairros historicamente mais famosos da cidade, com arquitetura incrível, casas históricas, museus de história afro-americana e uma cultura local.

Também é possível fazer um tour pelo campus da Universidade de Chicago, que fica nesse bairro, que é ainda o futuro lar da biblioteca presidencial de Barack Obama, sem mencionar a casa do presidente Barack Obama.

18 Navy Pier

O Navy Pier é um dos grandes complexos de entretenimento dos EUA, com inúmeras chances de gastar dinheiro em compras e restaurantes, mas o passeio mais popular de lá ainda é a famosa roda gigante.

O Cais Naval tem mais de 1Km de comprimento no Lago Michigan, com mais de 50 hectares de parques, jardins, lojas, restaurantes, museus, exposições, etc, que atraem cerca de 9 milhões de visitantes por ano.

Comemos no Bubba Gump e achamos muito legal, cheio de memorabilia do filme Forrest Gump.

Também estivemos na Garrett Popcorn, uma tradição em Chicago desde 1949, e comi lá meu sorvete preferido, na sorveteria Ben & Jerry´s. 

O cais tem shows de fogos de artifício nas noites de quarta e sábado durante o verão e sábado à noite durante o outono. 

Também tem pier de onde partem barcos para passeios turísticos, uma pista de patinação no gelo coberta, os Crystal Gardens (jardim botânico), o Chicago Children's Museum (com muitas exposições interativas e atividades diferentes para crianças), o Chicago Shakespeare Theatre (teatro que recria as produções de Shakespeare), um teatro IMAX, etc. 


 

19 Comer e compras

Dois dos melhores programas que fizemos em Chicago foram comer e fazer compras, então essas atividades fundamentais não poderiam faltar nesta lista.

Comer um cachorro-quente 'Chicago style' ou uma 'deep dish pizza', por exemplo, são verdadeiros programas turísticos da cidade.

Já escrevi um post específico com as nossas melhores dicas de onde comer em Chicago, veja aqui: 30 lugares para comer em Chicago

Também já escrevi acima sobre todas as nossas dicas de compras na Windy City.

20 Vida noturna

Chicago é lar de vários teatros famosos e grupos de comédia de improvisação, assim como clubes históricos de jazz e blues.

Como não tínhamos tempo - nem pique - para muita vida noturna, indaguei bastante sobre qual seria o melhor clube de blues de Chicago, e vários nativos nos recomendaram o Buddy Guy's Legends, onde de fato estivemos e adoramos.

Lugar nada turístico, super autêntico (e até histórico), com preços acessíveis, comida boa, ambiente legal e música top.

Se você só tiver tempo para conhecer um clube de Chicago blues, vá direto ao Buddy Guy's Legends. 



Dicas de Chicago

21 Outros bairros e vizinhanças


Esses passeios que mencionei acima são os mais básicos - embora sejam mais do que suficientes para preencher uma semana em Chicago - mas a cidade ainda tem muito mais a oferecer, em outros bairros por onde passamos rapidamente ou onde nem fomos.

Se tiver mais tempo, explore alguns dos bairros menos turísticos da cidade.

Um bom exemplo é o West Loop, onde ficam localizados os lugares mais badalados de Chicago, lugar legal para ir à noite, quando todos os restaurantes e bares, e seus pátios, estão abertos.

Randolph Street é o coração do agito, mas percorra também algumas das ruas laterais, onde você encontra street art, bares 'speakeasy' com menos de 20 lugares e boutiques ultramodernas.

Para quem vai a Chicago no verão, outra dica é aproveitar as praias, às margens do Lago Michigan. Pegamos alguns dias tão quentes lá que eu só conseguia me arrepender de não ter um maiô para cair na água!


Também são legais a vizinhança moderna e verde do Wicker Park (para compras vintage no 'Vintage Underground' e murais famosos nas ruas), e de Logan Square, que historicamente abriga grandes populações mexicanas e de porto-riquenhos, com bares e restaurantes servindo tacos e drinks mezcal.

Do HI Chicago Hostel, é só ir até a parada da linha azul Logan Square no trem L e seguir para o sul pela Avenida Milwaukee para encontrar alguns dos melhores pontos.

Outro lugar super recomendado (que não conhecemos, infelizmente) é Pilsen, um bairro tradicionalmente mexicano-americano.

A Old Town de Chicago também é conhecida pelos edifícios da era vitoriana e pelo famoso clube de comédia Second City


Sobre Chicago, leia também

Chip de celular para usar em Chicago

Durante a nossa viagem a Chicago, usamos o chip de celular da Yes Brasil o tempo todo, e funcionou super bem - vocês viram a quantidade de stories que eu fiz, né!!

Recebi o chip em casa pelo correio (levou uns 3 dias para chegar), coloquei no celular no avião, ativei os dados móveis do celular e já chegamos aos EUA conectadíssimos, usando o Google Maps desde o aeroporto, sem limite de dados!

E ele ainda vem com uma capinha fofa com um trocinho para tirar o chip do celular e espacinhos para guardar chips e memory cards tri útil 😁

Nós não vendemos chips de celular através do blog - nem nenhum outro produto ou serviço, pois o pequeno viajante é um blog que não visa lucro, é apenas um passatempo nosso mesmo - então dê uma olhada direto lá no site deles - Viaje Conectado - para ver como comprar esses simcards e recebê-los em casa no Brasil antes de viajar.

No site tu encontras os preços de acordo com o destino e com os planos que forem mais apropriados para a tua viagem.

chip de celular Viaje Conectado

Você já esteve em Chicago? Nós adoraríamos ter as suas contribuições aqui no blog! Deixe as suas dicas na nossa caixa de comentários, por favor!

Durante a nossa viagem a Chicago, usamos #PVemChicago nas nossas redes sociais - dá uma olhada nas dicas que estão na hashtag! 😊

Fiz várias pastas de "destaques" de Chicago lá nos stories do Instagram - espia lá que tem muitas dicas úteis!


Você também nos encontra aqui:



Share

Claudia Rodrigues Pegoraro

Comente este Post:

0 comentários: