Menu

Roteiro de 2 semanas no Peru, com trilha até Machu Picchu

Peru: roteiro de viagem com trilha até Machu Picchu
Roteiro de 2 semanas no Peru, com trilha até Machu PicchuEstivemos no Peru pela primeira vez em 2005, quando fizemos um mochilão pela América do Sul (Peru, Bolívia e Chile: roteiro de viagem mochilão de 30 dias). 

Foi uma grande viagem: começando por Lima, sobrevoamos as linhas de Nazca, fizemos a Trilha Inca caminhando 4 dias até Machu Picchu, exploramos incansavelmente Cuzco e o Vale Sagrado, fizemos rafting no Rio Urubamba, fomos a Arequipa, fizemos trilhas e tomamos banhos termais em Chivay, vimos condors no Cañon del Colca, navegamos pelo Titicaca a partir de Puno...e ainda ficou faltando conhecer a região de Huaraz e a Amazônia peruana. 

Depois disto, já estivemos em Lima algumas outras vezes nos últimos anos (Lima: roteiro com orçamento, nossas dicas e os 5 passeios imperdíveis). 

Este ano (maio de 2018), resolvemos voltar a Cusco, uma cidade que nós AMAMOS. 


Roteiro de 2 semanas no Peru, com trilha até Machu Picchu
Cusco, a capital inca, e sua belíssima Plaza de Armas

Fizemos uma trilha alternativa até Machu Picchu, conhecida como Salkantay, que dizem ter paisagens ainda mais lindas do que a Trilha Inca (Salkantay: a trilha alternativa até Machu Picchu), e exploramos muiiiiito o Vale Sagrado, por conta própria, num carro que alugamos da Himelda!! 

Depois destas várias viagens ao Peru, já temos os nossos favoritos no Vale Sagrado, e montamos um roteirinho perfeito para 2 semanas no Peru, com direito a trilha até Machu Picchu. 

Se você tiver mais tempo, pode conjugar este roteiro com aquele do nosso mochilão de 30 dias, e ver também Nazca, Arequipa e o Cañon del Colca; se tiver apenas uma semana, recomendo riscar a trilha da lista, ir até Machu Picchu de trem e ficar o resto do tempo nos arredores do Vale Sagrado mesmo - Cusco é uma cidade tão deliciosa para montar sua base que você não vai querer sair de lá! 

E mais uma coisa: se você tem uma semana de férias, baixo orçamento, precisa de voos com preços razoáveis, e quer conhecer um lugar incrível, exótico, colorido, cheio de história, cultura, paisagens, povo simpático e educado e comida deliciosa, o Peru é o seu lugar

Leia mais: 

Peru: a alegria e o colorido das fiestas típicas

Como disse o Peg, se hoje eu fosse sugerir um destino dentro da América do Sul, sem titubear diria Cusco! 

Explico: 

• a carga cultural inka é interessantíssima; 

• os vôos que ligam o Brasil ao Peru são rápidos, descomplicados e baratos; 

• para mim, Cusco lidera os ambientes mais prazeirosos da América do Sul para se circular; 

• os peruanos, por natureza, são amistosos e receptivos; 

• o Real, embora esteja "abaixo da linha da pobreza", por lá ainda tem alguma força; e

• a parte antiga da cidade e sua Plaza de Armas são fenomenais!

Veja mais dicas úteis aqui: Quanto custa viajar para o Peru


Roteiro de 2 semanas no Peru, com trilha até Machu Picchu
Plaza de Armas de Cusco




o 'banho do inca', em Tambomachay


llamas e alpacas que parecem pop stars

Roteiro de 2 semanas no Peru

Mais uma dica sobre "montagem de roteiros de viagem": quando estamos montando um roteiro para uma nova viagem, sempre vejo quais são os pontos turísticos recomendados e, para saber se eles me interessam, se vou gostar de conhecê-los, eu tenho uma "tática": coloco o nome do lugar no Google Imagens e aí vejo as fotos que aparecem lá. 

Pelas fotos eu sempre sei se vou gostar ou não de conhecer um determinado lugar, se devo ou não devo colocá-lo no nosso roteiro. 

Pensando nisso, vou fazer o seguinte: no final deste post, vou selecionar várias fotos de cada lugar que fomos e colocá-las aqui. Olhando as fotos, tenho certeza que vocês terão mais facilidade para decidir se querem ou não conhecer cada um dos lugares que a gente sugere.  

Segue o nosso roteiro abaixo:


Vale Sagrado

Dia 1

Cusco: chegada 16:30hs - uber 13 soles para o Hitchhikers Cusco Hostel na Calle Saphi 4402, no centro histórico. 

Passeio no centro histórico, nos arredores da Plaza de Armas, reservar passeio à Palccoyo e alugar carro. 

Lá pelos idos de 2005, quando recém se iniciavam nossas caminhadas por esse 'mundão véio de Deus sem porteira', e desembarcamos pela primeira vez por estas bandas, vindos de Nazca, sacolejando em intermináveis 14 horas dentro de um microônibus lotado de "cholas", eu já dizia que a Plaza de Armas de Cusco tem uma atmosfera incomparável. 

Dá vontade de ficar semanas por lá, só curtindo, sem fazer p@#&* nenhuma.

Pois bem, 13 anos se passaram, percorremos mais de 70 países, enchemos vários passaportes de carimbos e 1 pequeno viajante nasceu, mas, ao pisar novamente na capital inca, a sensação foi EXATAMENTE a mesma. Que lugar!!!

Neste primeiro dia, pegue leve. O nosso 1º dia em Cusco foi repleto de dores fortes de cabeça. Estávamos a 3.399msnm, e a altitude não perdoa.

Veja aqui como enfrentar a altitude no Peru




Roteiro de 2 semanas no Peru, com trilha até Machu Picchu
pegando leve na primeira noite em Cusco

Pontos positivos do albergue Hitchhikers Cusco Hostel: localização perfeita a 2 quadras da praça, preço de U$ 30 pelo quarto duplo com banheiro privativo e café da manhã incluído, atendimento simpático e rápido, quarto aquecido com tamanho bom, cama confortável, banho quente ótimo e banheiro grande com toalha. 

Pontos negativos: café da manhã muito fraco, internet ruim, barulho dos outros hóspedes nos corredores, não arrumam cama, nem trocam toalhas e nem limpam o quarto durante a estadia. 


albergue Hitchhikers Cusco




café da manhã fraco no Hitchhikers Cusco Hostel

Se você quer dicas de restaurantes em Cusco, leia o post quanto custa viajar para o Peru, pois lá tem uma lista de restaurantes onde comemos por lá, inclusive com os valores que pagamos. 

restaurante turístico com música ao vivo na Plaza de Armas de Cusco

Dia 2

Cusco: Qorikancha - San Blas - Sacsayhuamán a pé - Cristo Blanco. 

Foi emocionante voltar a passear pelas ladeiras de Cusco, uma das nossas cidades preferidas no mundo inteiro, 13 anos depois. 

Como disse Alejandro Parra, 

Quizá nada se haya movido de su lugar al volver a ver, al momento de una segunda mirada. La misma calle, el mismo puerto; de golpe la misma esquina. O quizá sí. Pero, seguro, será esa segunda mirada la que haga distinto un lugar, la que cambie una cara, la que transforme una emoción. Abro los ojos de nuevo y siento el impulso de volver a ver. De una segunda mirada. 

E o melhor: neste 2º dia, já mais aclimatados à altitude, depois de tomar uma Sorojchi Pill e um chá de coca no café da manhã, resolvemos colocar o pé na jaca: depois de visitar o famoso Qorikancha, saímos da Plaza de Armas de Cusco e fomos a pé, subindo as vertiginosas escadarias (cerca de 2km de distância), até Sacsayhuamán, uma fortaleza de importância militar e religiosa construída no formato dos dentes de um puma.

As dores de cabeça do dia anterior pareciam, agora, ter trocado de lugar com os joelhos, pés, canelas, quadris... 😨



colocando os bofes para fora a caminho de Sacsayhuamán





Roteiro de 2 semanas no Peru, com trilha até Machu Picchu
os dentes do puma

Dia 3

Cusco: alugamos o Yaris da Himelda por U$ 120 (alugamos por 2 dias e ela cobrou U$ 60 por diária, com seguro), e saímos cedo para desbravar o Vale Sagrado a noroeste de Cusco. O whatsapp dela é +51954718387. 

Para fazer esses passeios, recomendamos muito alugar um carro e fazer tudo por conta própria, no seu tempo. É mais caro do que um tour, mas essa flexibilidade de poder parar onde quiser, sem ter hora para voltar, e ser o único turista no lugar onde você está, não tem preço 😊


alugamos um carro para passear por conta própria pelo Vale Sagrado

Dica para quem gostaria de alugar uma moto, ao invés de carro, para fazer os passeios de um jeito mais econômico e aventureiro: Motorcycle Tours Peru - Av. de la Cultura AGV Zarumilla | 7-A Office 201.

Fomos a Chinchero - Salinas de Maras - Moray - Urubamba - Ollantaytambo. Rodamos pouco mais de 200Km. 

No Google Maps, é possível fazer este trajeto em 4h40min, mas obviamente nós gastamos muito mais tempo do que isso - saímos de manhã bem cedo e voltamos para Cusco só depois de anoitecer. 



Nossa primeira parada foi Chinchero, onde tivemos a sorte de acompanhar a celebração da Fiesta de Las Cruces, uma fiesta típica peruana lindaaaaa 😍 

O mercado na praça da igreja é super fotogênico, uma festa para nossos olhos! 

Não é por nada que, para os peruanos, o arco-íris nasce em Chinchero 🌈 ô povo que gosta de um colorido! 

Aliás, falando em compras, vale avisar que os melhores mercados são os de Pisac e de Chinchero, mas também é possível fazer ótimas compras em Ollanta e em Cusco, garimpando mais!


Chinchero

Depois de gastar vários cartões de memória fotografando as 'fiestas' em Chinchero, seguimos explorando as paisagens sensacionais do Vale Sagrado em direção a Maras, onde fizemos um desvio para ir até as fantásticas Salineras






No caminho, não deixe de parar no mirante, de onde você tem vistas incríveis tanto do Vale do Rio Urubamba quanto das salineras logo abaixo. 

O ingresso nas salineras custa 10 soles e não está incluído no boleto turístico. 

Ainda não inventaram um substituto para "ver as coisas com os seus próprios olhos". Minha irmã tinha estado nas famosas Salineras de Maras há alguns anos e vi muitas fotos e vídeos de lá, mas de fato não há nada como ver um lugar muito esperado ao vivo e a cores! Viajantes de poltrona - ou de Instagram - levantem a bunda do sofá e vão!

Salineras de Maras
as incríveis Salineras de Maras

Salineras de Maras

Salineras de Maras

Em Ollantaytambo, além de passear pelo centro histórico super fofinho do vilarejo, andar de riquixá, ir ao mercado de artesanías e explorar as ruínas arqueológicas mais interessantes da região, ainda tivemos uma das melhores experiências da nossa viagem, veja em detalhes aqui:

Pachamanca Farm Lunch em Ollantaytambo: a melhor experiência gastrônomica no Peru

ruínas arqueológicas de Ollantaytambo

Dia 4

Cusco: neste dia, exploramos o Vale Sagrado a nordeste de Cusco (Q'enqo, Pukapukara, Tambomachay e Pisac). 

Rodamos uns 100Km. De novo, se você perguntar ao Google Maps, ele vai dizer que leva menos de 2hs neste trajeto, mas, de novo, passamos o dia inteiro desbravando essas famosas ruínas incas, especialmente Pisac.



Já na saída de Cusco, vimos esta cena na beira da estrada, e era irresistível. 

Difícil não parar quando a gente vê uma cena tão genuína, tão autêntica. Eu adoro parar e conversar com as pessoas, saber mais sobre a vida delas, e recomendo que você faça o mesmo nas suas viagens - a sensação de voltar para casa sabendo mais, mais "completa", não tem preço. 

É a regra mais simples e antiga: você recebe o que dá. Ou, como diria Jorge Drexler, 'cada uno da lo que recibe / luego recibe lo que da / nada es más simple / no hay otra norma' 🎶




ele adorou se enxergar nas fotografias!

Como eu estou inspirada, vai aqui outro pensamento do Alejandro Parra: 

Cómo saber si cruzamos lugares, territorios, culturas y momentos o si son ellos quienes nos cruzan, nos irrigan. Hasta dónde los conocemos y hasta dónde nos conocen. Y valga decir que en cada lugar, en cada paso de la travesía, hubo una mirada, un testimonio, una risotada o una nostalgia...propia o ajena. De esas que, bien se sabe, nos recuerdan que atravesamos lugares para que nos atraviesen.



território delas!

Pisac é um passeio extremamente interessante e de visual alucinante! 

Para chegar lá, desde Cusco, se você não quiser alugar um carro como nós fizemos (são 34Km), basta pegar um tour pelo Valle Sagrado (tem tours por até 60 soles!). Normalmente esses tours já incluem Q'enqo, Pukapukara, Tambomachay e Pisac, quando não incluem também Ollantaytambo e Chinchero (aí vira maratona). 

Uma cidadela inca localizada no topo de uma colina, acima de uma aldeia, num platô triangular, com um desfiladeiro de cada lado. Assim são as ruínas de Pisac, que, apesar de impressionantes, nem sempre estão na wishlist de quem vai para aquelas bandas.
 
Percorrendo os flancos e bases sul e leste, o terraceamento, que é uma técnica agrícola característica dos incas, modifica, inclusive, o visual do Vale do Urubamba, e nos encanta com suas formas curvas.


Ah, e mais uma dica importante: das ruínas arqueológicas próximas a Cusco, as imperdíveis são Sacsayhuamán ("os dentes do Puma") e Tambomachay ("o banho do Inca"). Se não tiveres muito tempo na capital do Império Inca, tira do roteiro Q'enqo e Pukapukara.

Mas, se tiveres que escolher só 4 lugares para ir, eu iria a Pisac, Chichero, Maras e Ollanta. 


Tambomachay

Pisac


Dia 5

Cusco: Palccoyo, Cordillera de Colores (Tres Rainbows) - fechamos com a agência Qorianka Tour (Calle Suecia 326), whatsapp +51974978771. 

Pagamos 80 soles por pessoa o tour com transporte, guia, ingresso e almoço.

Já contei todos os detalhes deste passeio aqui:


Palccoyo
quem mais estaria pulando de alegria se estivesse aqui?


Dia 6

Cusco: mais um dia de passeios em Cusco, relax e preparativos para a Trilha de Salkantay, que começaria no dia seguinte. 

Fomos ao Mercado de San Pedro, um ótimo lugar para ver como vivem os locais. 

Uma opção, se você realmente curte ruínas incas e ainda não estiver enjoado delas, é fazer um roteiro por Tipón, Pikillacta, Rumicolca e Raqcchi - de acordo com o Google Maps, são 90Km, 2hs. 



a beleza de um lugar está nos olhos de quem olha 😎😍

Mercado de San Pedro

Dias 7, 8, 9 e 10

Não vou descrever o roteiro de cada um dos 5 dias da Trilha de Salkantay porque já escrevi um post super detalhado descrevendo tudinho.

Olha aqui:

Salkantay: a trilha alternativa até Machu Picchu

Clique aqui para ver o vídeo do dia mais difícil desta trilha incrível:



Dia 11

Aguas Calientes, Machu Picchu, trem até Ollantaytambo e van até Cusco.

Também já contei em detalhes como foi este dia em Machu Picchu e Aguas Calientes aqui:

Machu Picchu: dicas práticas para visitar a Cidade Sagrada


Machu Picchu

Dia 12

Cusco: despedida, compras e Museu Inka (atenção: não abre domingo).

Nesta volta a Cusco, depois da trilha, ficamos no Hotel El Balcón, e contei tudo sobre ele aqui: 

El Balcón Inn: dica de pousada em Cusco



Dia 13

Cusco - voo - Lima.

Contei sobre a nossa rápida passagem por Lima aqui:


Mas também temos posts detalhados com roteiro para fazer em Lima aqui:

Lima: roteiro com orçamento, nossas dicas e os 5 passeios imperdíveis

Casa Fanning Hotel: dica de hospedagem BBB em Lima, Peru


até a próxima, Peru! obrigada pelas aventuras!!


Você já esteve no Peru? Quanto tempo ficou lá? Qual foi o seu roteiro?? Conte para a gente, deixe a sua dica nos comentários! 

Procure a hashtag #PVno Peru no Instagram para ver nossas fotos e dicas de lá!

Obrigada, Peru, pelas melhores lembranças e pela força para superar os desafios de Salkantay - voltaremos logo!

Lembra que falei que no final do post ia colocar algumas fotos de cada lugar onde estivemos, para vocês poderem ver como é o ponto turístico e se de fato querem conhecê-lo, num verdadeiro Google Imagens do pequeno viajante?? 

Aqui vai:

Plaza de Armas de Cusco

Plaza de Armas de Cusco

Plaza de Armas de Cusco




Plaza de Armas de Cusco

Plaza de Armas de Cusco


Plaza de Armas de Cusco

Plaza de Armas de Cusco

Plaza de Armas de Cusco










Centro Histórico de Cusco














Sacsayhuamán




Chinchero










  


Salinas de Maras






  




Ollantaytambo









Pisac







  















E aí, pronto para reservar a sua estadia no Peru? 

Em Aguas Calientes, cidade que é base para visitar Machu Picchu, ficamos no Hotel Sol de los Andes Inn, que é super barato, com diárias de apenas U$ 28 no quarto duplo com café da manhã. 

Mas, se você quiser esbanjar, faça uma reserva no Belmond Sanctuary Lodge, um 5 estrelas fantástico que é o único hotel localizado em Machu Picchu, na porta de entrada das ruínas! Deve ser uma experiência única na vida, ideal para comemorar uma ocasião especial!

Em Lima, recomendamos o super prático Casa Fanning Hotel, com apartamentos completos ótimos para famílias. 

Em Cusco, recomendamos o rústico e aconchegante El Balcón Inn. Mas, se você quer economizar bastante em hospedagem, dê uma olhada no super econômico albergue Hitchhikers Cusco Hostel, onde ficamos várias noites, mas peça um quarto de casal no andar de cima (e não no térreo, que é mais barulhento). 

Na nossa primeira viagem a Cusco, ficamos no Hotel Royal Qosqo, mas não sei dizer como ele está hoje em dia (a nota no Booking está 74).

Em Ollantaytambo, recomendamos muito uma noite na charmosa pousada El Albergue. 

Clique aqui para conferir as tarifas dos hotéis nas datas da sua viagem e fazer a sua reserva.



Veja mais fotografias das nossas viagens no Instagram @claudiarodriguespegoraro, na hashtag #Felipeopequenoviajante.

Não esqueça de curtir a fan page no Facebook para acompanhar as nossas aventuras!

Assista todos os nossos vídeos no YouTube - aproveite e já se inscreva lá no nosso canal.


Você também nos encontra aqui:




Share

Claudia Pegoraro - FPV

Comente este Post:

1 comentários: