3 de abril de 2017

DMZ - passeio até a zona desmilitarizada na fronteira entre as Coreias (dá pra levar as crianças sim!)

Como comentei no post sobre o nosso roteiro de 5 dias em Seul, se tivéssemos mais tempo, poderíamos ficar um mês inteiro rodando pelos lindos parques nacionais da Coreia do Sul, e certamente tentaria conseguir o complicado visto para ir até a Coreia do Norte

Mas, como o nosso tempo não permitia, ao invés de fazer uma correria para tentar ver o máximo possível em pouco tempo, decidimos investir os 5 dias inteiros que tínhamos disponíveis passeando em Seul, com apenas um tour bate e volta à DMZ - zona desmilitarizada ao norte da capital, na fronteira com a Coreia do Norte


Saiba mais sobre o tour guiado que escolhemos aqui: One Korea special tour

Esse é um passeio que, como regra, por questões de segurança, assim como as viagens à Coreia do Norte, só pode ser realizado através de agências locais em passeios guiados e, embora eu não curta muito este tipo de "excursão", era o jeito possível de ver esse lugar tão único no mundo, que eu não perderia por nada!


observatório de onde se vê o território norte-coreano

Tour à DMZ childfriendly

Logo no nosso segundo dia na Coreia do Sul, nos dividimos. 

Eu, Claudia, fui fazer o One Korea special tour - passeio de dia inteiro até a zona desmilitarizada (DMZ) ao norte de Seul, na fronteira norte-coreana, que saía do Koreana Hotel às 9am e retornava no final da tarde. 


Nos dividimos porque haviam nos informado que crianças não poderiam visitar esta área, então teríamos que nos revezar para fazer o tour sem o Lipe. 


Depois, acabei descobrindo que justamente este passeio desta agência chamado One Korea special tour, que eu havia escolhido especialmente porque ele é acompanhado por um desertor norte-coreano, excepcionalmente permite a presença de crianças, pois não vai até a área mais "perigosa" na fronteira, que é patrulhada e depende de autorização da ONU para a visita. 

Ou seja, poderíamos ter ido juntos e levado o Lipe! Imagina a raiva que eu fiquei...




O que somente se pode visitar com excursões de agências particulares é a JSA - Joint Security Area (explico melhor adiante). 

O acesso à DMZ, em geral, é permitido a todos - o que é restrito a maiores de 11 anos é apenas a JSA, por questão de segurança, se tratando de uma zona bélica. 

É perfeitamente possível, por exemplo, alugar um carro e percorrer grande parte dos 240Km da zona de fronteira com crianças. Só o que não pode ser feito é a visita à JSA, que, esta sim, só pode ser feita com tours organizados e sem crianças.

É como eu sempre digo: nós vamos antes, passamos o perrengue primeiro, para vocês irem depois sem perrengue kkkk...

Neste post, a autora conta que não foi até a DMZ, pois crianças não podiam fazer o passeio, que só é feito com agências locais. E, na época, havia uma tensão entre as Coreias e ficaram com medo de ir, mesmo que revezando...

neste post, a minha querida amiga Ana Pagliuso contou que se revezou com o marido para fazer o tour guiado, assim como nós. 

Já tinha lido uns 10 relatos sobre este passeio, em um monte de sites diferentes, e NUNCA tinha encontrado um único lugarzinho que contasse ser permitido levar crianças nos tours guiados - ao contrário, todos diziam ser proibido. Pois bem, este é o único tour que permite crianças! 

Vá sem medo! Não só o tour permite crianças, como algumas das instalações que nós visitamos são super childfriendly

Veja as fotos abaixo - enquanto os adultos assistem aos filminhos sobre a repressão na Coreia do Norte, as crianças ficam brincando nas áreas kids especialmente preparadas para elas!




O passeio que eu escolhi

Existem pelo menos umas 5 grandes agências em Seul que oferecem diversos tours diferentes até a DMZ

Escolhi a agência Panmunjom Travel Center porque vi várias ótimas recomendações favoráveis, inclusive no meu guia Lonely Planet. Todos diziam que ela é a melhor, ou pelo menos a que oferece a melhor relação custo-benefício

Dentre os diferentes passeios oferecidos pela agência Panmunjom Travel Center, inicialmente eu queria fazer o que vai até a JSA - Joint Security Area, que certamente é o mais "perigoso", mais emocionante e mais completo de todos. 

Ocorre que esse tour depende de uma autorização especial da ONU, acontece apenas alguns poucos dias do mês e pode ser cancelado a qualquer momento, se surgirem tensões entre os 2 países, na véspera ou até durante o próprio passeio. 

Como ficamos apenas 5 dias em Seul e este passeio não tinha autorização da ONU em nenhum dos dias em que estaríamos lá, devidos às fortes tensões que estavam acontecendo na fronteira, tive que escolher outro tour e, dentre as várias opções disponíveis, nem titubeei: fui direto naquele que era acompanhado pelo desertor

chegando de metrô ao Hotel Koreana, de onde parte o tour

sair na saída 5 da estação City Hall
placa no hotel indicando a agência 



fachada do Hotel Koreana

chegar 20min antes do horário para fazer check-in

nossa guia sul-coreana era uma simpatia

ônibus do passeio

interior do ônibus do passeio à DMZ

Hoje em dia, que já sei que este é o único tour que permite crianças, eu o escolheria novamente sem pestanejar. 

Mas a principal razão de ter escolhido especificamente esta agência e este tour em especial, naquela ocasião, foi o fato de que ele é acompanhado por um desertor norte-coreano, e eu estava louca para fazer 1001 perguntas!

O grande diferencial é que esse tour é acompanhado, a todo tempo, por uma desertora norte-coreana - sim, no nosso grupo era uma mulher, mas eles trabalham também com outros desertores, homens e mulheres.



Ela serviu 20 anos na marinha norte-coreana, desertou e fugiu para a Coréia do Sul. É claro que, por razões de segurança, ela não pode ser fotografada. A família dela - mãe e irmãos - continuam lá. Ela levou mais de um ano fugindo pela China, Camboja, Laos e Tailândia até conseguir chegar na Coréia do Sul, com ajuda de contrabandistas chineses.


Eu pude, durante os trajetos de ônibus, fazer todas as perguntas que quis, e ela respondeu a todas as nossas dúvidas - foi um dos dias mais interessantes que já vivi numa viagem, sem dúvidas! 

Saiba mais sobre o tour guiado que escolhemos aqui: One Korea special tour
as ótimas estradas sul-coreanas

O passeio é perigoso?

Estava eu arrumando a minha mochila, no nosso primeiro dia em Seul, para, no dia seguinte, ir fazer o passeio na fronteira com a Coreia do Norte, na tal zona desmilitarizada patrulhada pela ONU situada entre as 2 Coreias, e vejo essa notícia na minha timeline no Facebook:


Claro que a gente sempre fica com um pouco de receio, né?

Mas agora, que fiz o passeio, posso garantir que, pelo menos esse tour que eu fiz, é super seguro e tranquilo - eles permitem até a presença de crianças! - e não senti medo ou insegurança em nenhum momento, embora o passeio seja excitante e interessante o tempo inteiro. 

Siga as regras e seja feliz. 

Roteiro do tour guiado

No total, são mais de 240Km de comprimento de zona desmilitarizada, na faixa de fronteira que se estende entre as 2 Coreias. 

A cada tantos metros há uma torre de guarda. 

Sendo assim, em que parte da fronteira entre os 2 países, exatamente, acontece o passeio turístico?

No caso do nosso tour, o roteiro é assim:

do lado de cá, Coreia do Sul; do lado de lá, Coreia do Norte

Observatório da Unificação Odusan

Primeiro fomos ao Observatório da Unificação Odusan (no Monte Odu), pela Freedom Highway, onde pudemos enxergar as paisagens da Coreia do Norte ao longe, através do Rio Imjin.

Ainda lá, assistimos a um documentário sobre a Coreia do Norte e vimos algumas exposições.






do lado de lá do rio, as paisagens da Coreia do Norte


exposições tocantes sobre famílias separadas


o protótipo do trem que um dia pretende levar passageiros de Seul a Pyongyang

exposições interessantes

e obras de arte comoventes



participei de uma competição de jogar varetas no cesto e ganhei o DVD do vídeo!

Almoço incluído

Depois almoçamos em um restaurante no caminho - a comida, típica coreana, estava muito boa, e estava tudo incluído no valor do passeio, menos o refrigerante.

comida típica coreana no almoço incluído no passeio à DMZ



Parque Imjingak

A seguir, fomos ao Parque Imjingak, que tem vários pontos de interesse. 

Ele fica 50Km a noroeste de Seul e foi construído em homenagem aos 5 milhões de pessoas que perderam seus lares. 

explicações em inglês sobre os trilhos que já uniram os 2 países


tudo vem explicado em inglês


Ponte da Liberdade



a visita a esse parque é bem triste

West Front Area

Por último, fomos para a West Front Area, onde ficam algumas das "atrações" mais interessantes do passeio:

* 3rd Túnel de Infiltração - Sala de Exposições

* Observatório Dora

* Estação de trens Dorasan

Vou tentar não contar muitos detalhes de cada uma destas paradas do roteiro, senão o seu tour acaba perdendo a graça - isso é justamente o que você tem que ir lá e ver com os seus próprios olhos, né?

Estação de trens Dorasan

Túneis de infiltração

Desde a criação da DMZ, já foram descobertos vários túneis construídos e utilizados pelos norte-coreanos para espionagem e infiltração

3 túneis foram encontrados na década de 70 e outro em 1990 - o que nós visitamos é o mais acessível, o 3º túnel de infiltração a ser descoberto. 

A visita é feita através de um trenzinho estilo monorail

Descemos de monorail muitos metros até o local do túnel, a 73m de profundidade, que avança 435m para dentro do território sul-coreano, usando capacetes, e caminhamos mais ou menos 1,5Km dentro do túnel

É um pouco desconfortável porque o túnel tem menos de 1,70m de altura, em média, e tive que caminhar inclinada o tempo todo, batendo com a cabeça no teto. 

Além disso, pingam gotas de água na gente o tempo todo, devido à umidade dentro do túnel, e dá uma certa claustrofobia

É perfeitamente possível imaginar a sensação horrível que devia ser a dos norte-coreanos trabalhando para construir esses túneis. Na volta, subimos até a superfície usando o mesmo monorail

Não recomendado para claustrofóbicos!

Os sul-coreanos calculam que existem muitos outros túneis ainda não descobertos e, dentre os descobertos, consideram este o mais ameaçador, pois 30.000 homens armados podem passar por ali por hora, estando a apenas 52Km de Seul. 




este local também tem salas de exposições super interessantes


capacetes obrigatórios para entrar no túnel

trilho do monorail que desce até o túnel

Observatório Dora

Este observatório fica localizado no topo do Monte Dora (=Dorasan), foi construído em 1986 e é o local mais próximo da Coreia do Norte a que se pode chegar estando na Coreia do Sul. 

De lá é possível avistar o território norte-coreano e a cidade-fantasma de Kijŏngdong, uma cidade especialmente construída para a propaganda do regime norte-coreano. 

A cidadezinha, construída na década de 50, abrigava soldados, e ficou conhecida por ser uma cidade de 'mentirinha', onde os prédios eram apenas cenários e as pessoas, figurantes. 

apesar do nome, a área é super militarizada!

todo mundo "espiando" a Coreia do Norte

do lado de lá, a cidade-fantasma de Kijŏngdong


no sul, postes de luz coloridos; no norte, os postes são sem cor

passeio turístico sempre tem lojinha de souvenirs!


coreanos adoram tirar fotos com ocidentais

Estação de trens Dorasan

Esta estação de trens moderníssima foi construída para fazer a conexão entre as Coreias do Sul e do Norte, mas só foi utilizada uma única vez. 

Os sul-coreanos têm esperança de vê-la em funcionamento outra vez, e de poder viajar de novo através da Coreia do Norte, mas achei uma coisa meio patética ver toda aquela estrutura ali, tanto dinheiro gasto, para nada. 




loja de souvenirs na estação de trens

para ir até a plataforma tem que pagar 1.000 won

eu paguei e fui - é um lugar impactante e patético ao mesmo tempo

nada representa melhor o desejo de unificação do povo coreano

 
será que um dia essa ferrovia vai voltar a conectar a Coreia do Sul com o mundo? 

achei mais seguro carimbar apenas o cartão postal, e não o passaporte

ticket para ir até a plataforma da estação de trens

Um pouco de história

A DMZ é uma faixa de segurança praticamente despovoada de civis, de 4Km de largura, 2Km para cada lado da linha fronteiriça, e um pouco mais de 240Km de comprimento que, embora o nome, é, na verdade, pesadamente militarizada. 

Essa faixa de terra e água situa-se entre os territórios da Coreia do Sul e da Coreia do Norte, e os limites foram estabelecidos em 1953 e representam a fronteira entre os dois países. 

Na verdade, a fronteira foi traçada originalmente entre os territórios ocupados pelos Estados Unidos e pela União Soviética depois da derrota japonesa na 2ª Guerra Mundial - com o fim da guerra e a independência das 2 Coreias em 1948, a área passou a ser considerada a fronteira internacional entre ambas.

Atualmente, a área da fronteira sul-coreana é administrada pela Coreia do Sul, com o apoio dos Estados Unidos.



JSA - Joint Security Area, área mais "perigosa" da fronteira, é uma localidade neutra, administrada pela ONU, que não visitamos no tour que eu fiz, e fica na localidade de Panmunjon, parecendo uma praça, com 800m de diâmetro. 

Lá está o único lugar da DMZ onde os exércitos norte-coreano e sul-coreano (ou americano) ficam frente a frente, se encarando. 

Nesta área existem diversos prédios bem na linha de demarcação da fronteira, usados por ambos os países e pela ONU para acordos diplomáticos e negociações militares, como a Casa da Paz, a Casa da Liberdade, o Salão de Conferências e outros.

Esta localidade fica 62Km a noroeste de Seul e a 215Km ao sul de Pyongyang. 

É lá também que fica o quartel-general das Nações Unidas, 400m ao sul da linha da fronteira, conhecido como Camp Bonifas

maquete da JSA - Joint Security Area

Dicas práticas


Este tour sai do Hotel Koreana, no centro de Seul, às 8:30hs da manhã, e retorna ao mesmo local em torno das 17hs.



Quando você faz a reserva, por e-mail, eles pedem uma cópia do seu passaporte e mandam todas as explicações em inglês sobre o tour, especialmente sobre como chegar à agência PTC - Panmunjom Travel Center.

E-mail para reservas e informações: ptcjsa@gmail.com ou jsa33@korea.com.

Reservei com uma semana de antecedência, quando estávamos na Alemanha. 


O passeio guiado custa 85.000 won, com almoço e todas as taxas incluídas (só paguei a bebida do almoço). 

A guia foi bem simpática, mas o passeio é bem corrido - são muitas atrações em pouco tempo. Pelo menos o tempo é super bem aproveitado, e não tem nada de visitas a lojas no trajeto!  

Esse passeio acontece todos os dias, menos segundas-feiras e feriados nacionais. 

Leve o passaporte (muito importante!), um casaco, máquina fotográfica, um lanchinho extra (caso bata aquela fominha fora de hora), uma garrafa de água (comprei na lojinha de conveniência CU situada ao lado do próprio Hotel Koreana) e vista-se de forma discreta. 

comprando lanchinho para o passeio na lojinha de conveniência CU

você faz o check-in e eles já indicam o número do seu assento no ônibus

folheto informativo da agência

por e-mail, eles explicam com detalhes como chegar ao hotel de onde parte o tour

Vídeo de Seul

Assista, neste vídeo, alguns dos nossos melhores momentos em Seul! 

Infelizmente, não gravei vídeos durante este passeio - como todo tour guiado, este também foi bem corrido, e eu tinha que escolher entre fazer fotos ou vídeos. 

Quando se está em um grupo, não podemos atrasar o grupo inteiro para ficar tranquilamente gravando vídeos e tirando fotos - ainda mais estando sozinha...seria necessário montar tripé, etc...

Este é apenas um dos motivos pelos quais eu detestaria viajar em excursão: para mim, um dos maiores prazeres das nossas viagens é justamente poder usar todo o tempo que quisermos tirando fotos, gravando vídeos e admirando paisagens 😖
Não esqueça de selecionar a opção para assistir em HD (alta definição)! As imagens ficam incomparavelmente melhores!

Clique abaixo no play e aumente o som:


Queremos a opinião de vocês, tá?

A edição do vídeo foi feita com o software Sony Vegas Pro 12.

Escolha outros videoclipes para assistir no nosso canal no YouTube

Ainda não se inscreveu lá?? Faça isso já :)

Assista também os vários vídeos que já estão lá no nosso canal no Vimeo!

Chip de celular

Na Coréia do Sul, e em todo o resto da nossa viagem de volta ao mundo, com exceção do Marrocos - usamos um chip de celular da Easysim4u, que apoiou a nossa viagem. 

Recebemos o chip em casa, antes de sair do Brasil, colocamos ele no celular ainda no avião e já chegamos na Ásia com internet funcionando no telefone! 

Para quem vai viajar por vários países como nós fizemos, a facilidade e comodidade que esses chips da T-Mobile (revendidos no Brasil pela Easysim4u) oferecem são imbatíveis :)

Nós não vendemos esses chips através do blog (nem nenhum outro produto, pois o pequeno viajante não visa lucro, é um hobby mesmo) - então dê uma olhada direto lá no site deles - Easysim4u - para ver como comprar esses chips e recebê-los em casa no Brasil antes de viajar.

recebendo em casa os chips de celular da Easysim4u

Este passeio foi uma cortesia da agência Panmunjom Travel Center para o blog Felipe, o pequeno viajante, e nós agradecemos a gentileza. 

Na nossa viagem à Coréia do Sul e ao Japão, usamos as seguintes hashtags nas redes sociais Facebook / Twitter / Instagram - é só ir na # para ver todas as dicas que já postamos: 

# LipenaCoreia
#LipenoJapão
#LipeVoltaaoMundo

Acompanhe o nosso Instagram @claudiarodriguespegoraro - tem muitas dicas da nossa viagem à Coréia do Sul e ao Japão por lá!

Já foi à Coreia do Sul? Deixe as suas dicas na nossa caixa de comentários!


Mais fotografias das nossas viagens no Instagram @claudiarodriguespegoraro, na hashtag #Felipeopequenoviajante.

Não esqueça de curtir a fan page no Facebook para acompanhar as nossas aventuras!

Assista todos os nossos minifilmes neste link do Facebook, e os vídeos você assiste no YouTube ou no Vimeo - aproveite e já se inscreva lá nos nossos canais!

Nosso snapchat é @pequenoviajante.

Você também nos encontra aqui:

Um comentário:

  1. Na moral, vcs estão de parabens!!! Eu estou aplaudindo de pé aqui!!!
    Vou pela quarta vez de férias pra Asia, e dessa vez vou passar por Seul. E poucas vezes pesquisando informações pra trip encontrei algo tão detalhado, tão bem escrito e etc etc

    Otimo post mesmo, se todos os trocentos blogs de viagens tivessem posts como esse seria uma maravilha!! Abraços

    Tanaguchi

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...