18 de março de 2016

Galápagos com criança - orçamento e roteiro de 11 dias no arquipélago da família da Marisa

A minha 'sócia' Marisa acaba de voltar de Galápagos e, boa sócia que é, já chegou com o relato da viagem pronto! 

A família visitou as Ilhas Santa Cruz, Isabela e San Cristóbal em 11 dias no arquipélago, e viu animais incríveis até não poder mais!

As dicas estão fresquíssimas e a Marisa dá dicas ótimas para quem quer fazer esta viagem dos sonhos com crianças, onde ficar, onde comer, roteiro, como se deslocar, os passeios em cada ilha e o orçamento detalhado.


Obrigada, Marisa, por mais este relato perfeito - de novo ficamos sonhando com uma viagem como a tua! Vontade de juntar o Pedro e o Lipe numa viagem :)



Com a palavra, Marisa Bertoldo:

Este ano, eu, meu marido e nosso filho Pedro de 6 anos, tínhamos 30 dias corridos de férias. 

Seria muito tempo somente para uma roadtrip na região central da Argentina e Chile, então, começamos a pesquisar destinos que encaixassem na viagem. 

A primeira ideia foi ir para a Ilha de Páscoa, partindo de Santiago – capital do Chile, mas as passagens aéreas estavam muito caras. Então simulamos para Galápagos, só para ver e... estava beeem mais barato! 

Não era uma promoção do Melhores Destinos, mas como já sabíamos os valores promocionais acompanhando o site, achamos que valia muito a pena. Aí foi só montar o roteiro e comprar as passagens. Tem que pesquisar porque as tarifas variam bastante de um dia para outro. 

Ficamos 11 dias no Arquipélago de Galápagos.

Viajar para Galápagos estava nos nossos planos, mas cada vez que pesquisávamos as passagens aéreas desistíamos. Somente a Tame, Avianca e Lan voam para lá, desde Quito ou Guayaquil

Para evitar o ingresso de espécimes que danifiquem o ecossistema das ilhas, não são permitidos voos internacionais. Então os voos desde o Brasil são longos e geralmente bem caros.


Como foi a nossa viagem - o roteiro

Nossa roadtrip iniciou no dia 06/02/2016.  

Deixamos o Brasil por Uruguaiana e visitamos Córdoba, Alta Gracia, Parque Ischigualasto (os passeios dentro dos parques da região estavam cancelados por causa de uma tormenta que tinha destruído as estradas) e Mendoza

Cruzamos a fronteira da Argentina com o Chile pelo Paso Los Libertadores até Viña del Mar e depois seguimos para Santiago.

Pedro camuflado na paisagem - Cerro Aconcágua no fundo, coberto de neve

Em Santiago, alugamos um apartamento e lá deixamos nosso carro estacionado até a volta de Galápagos. 

A Rosi Guimarães do blog Nós no Chile, tinha prontamente nos oferecido uma vaga na garagem do prédio onde ela mora, mas não foi necessário. 

Santiago, "a capital das Pracinhas", segundo o Pedro

Decolamos dia 16/02/2016 às 21h. 

Nosso voo de ida teve conexão em Lima e em Quito

Pousamos em Galápagos no dia 17 às 8h. 

O voo da volta iniciou no dia 28/02 às 11h, teve uma conexão de 6h em Quito, aproveitamos e fomos até a Praça da Independência, situada a 2850msnm da 2° cidade capital mais alta do mundo. 

O voo de Lima até Santiago tinha sido remarcado ainda quando estávamos no Brasil, entramos em contato com a central de remarcações Tam/Lan e conseguimos os vouchers para transporte, alimentação e hospedagem em Lima, capital do Peru - só assim para ficarmos uma noite num hotel 5 estrelas!!!! 

Pousamos em Santiago no dia 29/02 às 14h.

Iniciamos o retorno da roadtrip dia 02/03. Atravessamos a fronteira do Chile com a Argentina pelo Paso Vergara, 160 Km de estrada de terra com paisagens que compensam a poeira. 

Seguimos para Malargue, Las Leñas, San Luis, Rosario e Concordia

Cruzamos a fronteira da Argentina com o Uruguai e em Artigas/Quaraí entramos novamente no Brasil. Chegamos em casa dia 06/03. 

Rodamos, no total, 6.167 Km.

Glaciar Azufre na beira da estrada de terra do Paso Vergara

Laguna Valle Hermoso
 
Las Cuevas, Argentina

Catedral de Santiago

Orçamento

No total, foram 29 noites e 30 dias. Éramos 3 pessoas. Gastamos ao todo R$ 19.622,09.

ARGENTINA: 9 dias - R$ 4.795,25 -  Peso Argentino 0,27

CHILE: 7 dias - R$ 2.175,94 - Peso Chileno 195

GALÁPAGOS: 11 dias - R$ 5.407,74 + R$ 7.129,06 (passagens aéreas) = R$ 12.536,80 - Dólar Americano 3,90

QUITO: R$ 74,10 - Dólar Americano

URUGUAI: R$ 46,00

Ilha Isabela, a mais bela! (sempre protegidos do sol forte de Galápagos)

  
Chegando ao Arquipélago de Galápagos

O Arquipélago tem 2 aeroportos: um na Ilha de Baltra, que te leva para a Ilha de Santa Cruz, a mais povoada; e outro em San Cristóbal, a 15min a pé da cidade. 

Teria sido bem melhor se nós tivéssemos chegado por um e partido pelo outro, assim economizaríamos um deslocamento de lancha entre as ilhas.

Nosso voo chegou e partiu do aeroporto da Ilha de Baltra, e dali um ônibus da própria companhia aérea vai até o Canal de Itabaca

No canal existem as lanchas para atravessar, 10min, tudo rápido, U$1/adulto e 0,5 /criança. 

Nos disseram que deste porto saem os cruzeiros - em torno de 80% dos estrangeiros ficam aí e já embarcam direto. 

Na Ilha de Santa Cruz, um táxi (U$18) ou um ônibus te leva até Puerto Ayora - fomos de ônibus - 40min, U$2/adulto, criança não paga.


Taxas

No aeroporto de Quito a bagagem é inspecionada e paga-se uma taxa de U$20/pessoa. 

No aeroporto de Baltra U$50/adulto e U$25/criança. 

Em Isabela U$5/adulto, criança não paga. 

Total de taxas: U$195 para nós três.

Cruzeiros - vantagens e desvantagens
Quando se fala em Galápagos, sempre fica a dúvida: fazer cruzeiro ou não. 

Os cruzeiros custam uma grana, mas têm a vantagem de ir para lugares onde as lanchas não vão. 

Aí vai depender das preferências e escolhas de cada família. Nós queríamos conhecer as 3 principais ilhas, fazer snorkeling, observar os animais e curtir as praias. 

Simulamos alguns barcos de cruzeiro e desistimos, pois achamos muito caro e, como não íamos fazer mergulho profundo, resolvemos fazer tudo por conta.

Hospedagem na Ilha Santa Cruz

Chegamos em Puerto Ayora às 10 da manhã, com 3hs de fuso em relação a Santiago e ao Brasil (no  horário de verão, são 4hs de fuso) e fomos procurar hospedagem. 

Não reservamos nada antes porque tínhamos lido que seria mais barato negociar na hora. Mas...o sol por lá é terrível e sair com as mochilas, cansados, com criança, a pé, para buscar um local BBB é fogo!!! 

Então, depois de umas 3 tentativas, acabamos fechando 2 diárias no Hotel Crossman, U$60/diária, sem café da manhã (em nenhum local que ficamos eles oferecem café da manhã). 

O hotel é médio, o dono foi muito prestativo, mas tem outras opções bem melhores e mais baratas. 

Nos hospedamos mais 2 vezes nesta ilha e ficamos no Hostal Costa del Pacifico Suites, por U$40/diária, ótimo custo/benefício. Reservamos no local, pois antecipado seria bem mais caro. 

O que fizemos em Santa Cruz

- Playa Tortuga Bay: o acesso é por uma trilha de 2,5Km. A praia é linda, com muitas iguanas marinhas e pelicanos. São 2 praias - a que a gente chega da trilha tem mais ondas e a outra, seguindo pela orla à direita, é quase uma lagoa. Dizem que dá para fazer snorkeling ali, mas nós não vimos nada, a água estava muito turva neste dia.

- Centro de reprodução de tartarugas terrestres Fausto Llerena: são as galapagueras. No caminho passamos pelo mercado dos peixes e ficamos um tempão ali olhando os pelicanos, fragatas e os lobos marinhos se alimentando dos restos de pescados. A trilha até o centro é curta e lá vimos as primeiras tartarugas terrestres: os galápagos, daí o nome do arquipélago. São realmente impressionantes, o Pedro se encantou com elas. Fomos visitar os centros nas 3 ilhas, e este é o mais pequeno. O trabalho destes centros é muito importante para a proteção dos galápagos. Eles são similares ao nosso Projeto Tamar.

flagramos o "namoro" das gigantes!

- Playa de la Estación: fica na trilha que vai para o centro, com uma pequena faixa de areia. Fizemos um pouco de snorkeling e vimos só alguns peixes.

- Las Grietas: pega-se um barco-táxi no porto, U$0,80/adulto, e segue-se por uma trilha. O lugar é semelhante a um cenote, com água salobra e gelada. No snorkeling vimos um cardume de peixes grandes. O Pedro não entrou na água.

- Playa de los Alemanes: ótima para crianças, sem ondas e rasinha. Na frente tem uma área bem boa para snorkeling. O Nego viu 3 tartarugas.

- Pracinha no Malecón: bem boa, com muitas crianças brincando à tardinha. O Pedro adorou e nós aproveitávamos para ver os tubarões, raias, tartarugas e peixes no píer. 

pracinha do Malécon

Compramos os tíquetes da lancha das 7hs do dia seguinte para a Ilha Isabela. 

Tem 2 horários: 7hs e 14hs. 

Valor U$ 30/adulto e U$20/criança.

Alimentação em Santa Cruz

O melhor preço que encontramos foi U$5 o menu do dia/pessoa/almoço e U$10 peixe frito inteiro para o jantar/3 pessoas. 

Dica: Paleta Los Coqueros, uma delícia, comíamos pelo menos 2/dia. Valor: U$2,50. Tem nas 3 ilhas, ainda bem!

Ilha Isabela

A lancha demorou 1h40min e não bateu quase nada. O Pedro dormiu todo caminho.  

É bom levar dinheiro separado e trocado porque, para embarcar e desembarcar da lancha, pega-se um barco-táxi que custa entre U$0,50 e 1/adulto. 

Na nossa chegada, Isabela não se mostrou tão bela como imaginávamos. Vimos muito lixo e poeira, somente a rua do porto é calçada.

A ilha é a mais roots, onde vão os mochileiros. 

Na primeira noite, queríamos economizar e ficamos num hostal por U$30, só com ventilador. Nesta época o calor é terrível, todas as ilhas têm muitos mosquitos e o ar-condicionado faz falta. Então, no dia seguinte nos mudamos para o Hostal Brisas del Mar, U$40/diária, próximo do mar e muito bom.

Ficamos 5 dias em Isabela, pois mesmo depois da péssima primeira impressão, adoramos a ilha. Das 3 que conhecemos, Isabela foi a que mais gostamos.  

Nos dias que ficamos lá, era lua cheia, e quem mergulha sabe que esta é a melhor fase, pois a água fica menos turva. Aproveitamos e fizemos muito snorkeling.

Playa del Embarcadero na maré baixa

O que fizemos em Isabela

- Playa del Embarcadero: ótima para banho e para snorkeling, dependendo da maré. Aqui nós 3 mergulhamos e vimos tubarões, pinguins, lobos marinhos, tartarugas, arraias e imensos cardumes de peixinhos. O Pedro enlouqueceu vendo os pinguins se alimentando - eles nadam muito rápido e o guri dizia: "parecem uns foguetinhos”!

Pinguin-das-Galápagos, só vimos na Ilha Isabela

- Concha Perla: uma piscina natural acessível por uma linda trilha de madeira suspensa no meio do mangue. Entrada do lado do porto. É um ótimo ponto de snorkeling - vimos 4 espécies de estrelas do mar, diversos peixes, muita vida marinha. Só que a água é fria, então o Pedro só deu um mergulho.

no caminho para Concha Perla tinha uns lobos preguiçosos...

- Calera: para nós, o melhor local para snorkeling! Na frente de Concha Perla. Foi aqui que eu finalmente mergulhei com 2 arraias pintadas ou "chitas", fiquei mega emocionada.

- Centro de reprodução Arnaldo Tupiza: acesso por uma trilha de 1,6Km, ótima para observar aves. Pelo caminho se passa por "pozas" com vários flamingos. Único local com 5 espécies de tartarugas terrestres. Para voltar o sol estava “queimando”, por sorte, conseguimos uma carona com um caminhão de um grupo de turistas.

- Praia desde o povoado: são 2km de orla, ótima para banho e para ver o pôr do sol. Tem uma extensa faixa de areia para as crianças se esbaldarem.

Não fizemos nenhum destes 3 passeios vendidos em  Isabela:

- Tour las Tintoreras: é para fazer snorkeling e caminhada em uma pequena ilha para ver as tintoreras (tubarões de ponta branca), que a gente viu aos montes no nosso snorkeling no porto. Este tour te leva na Calera e em mais 2 locais bem próximos, e custa U$45/pessoa. Criança paga integral todos os passeios. Eles dão o equipamento para snorkel e um lanche, dura 3hs. Acho que vale a pena para quem não leva o seu equipamento - nos pareceu passeio pega-turista.

- Tour los Tuneles: não fomos porque achamos muito caro: U$95/pessoa. O pessoal que fez disse que vale a pena.

- Tour para o Vulcão Sierra Negra: nem vimos o preço, porque é um tour com uma trilha de trekking difícil de 6km, e com criança não dá para fazer.

Alimentação em Isabela

No segundo dia na ilha, descobrimos o Restaurante Bellopuerto, onde o menu do dia custa U$5. 

Almoçamos e jantamos todos os outros dias ali. É simples, mas a comida é deliciosa. 

Fica na rua dos restaurantes, bem próximo ao  Hostal Brisas del Mar.

Ilha San Cristóbal

Não tem lancha direto de Isabela para San Cristóbal. De Isabela, fomos até Santa Cruz na lancha das 15hs. 

Ficamos 1 noite em Santa Cruz e, no dia seguinte, pegamos a lancha das 6:30am para San Cristóbal. 

Nós fizemos assim porque achamos menos cansativo para o Pedro. Ficar horas numa lancha não é legal para ninguém, imagina para uma criança. 

É possível fazer as 2 lanchas no mesmo dia, ou ir numa avioneta da Emetebe (opção para quem enjoa no mar ou  tem pouco tempo).

San Cristóbal é a ilha preferida dos surfistas e tem muitos lobos marinhos! Chegamos e, desta vez, resolvemos buscar um local para ficar com calma. 

Paramos em frente a Casa Mabell e, por muita sorte, tinha 1 quarto vago. Ficamos 3 dias e adoramos, U$40/diária. O local é muito bem avaliado no TripAdvisor e a Sra. Mercedes é considerada Super Host pelo Airbnb.

San Cristóbal no entardecer

O que fizemos em San Cristóbal

- Playa Mann: 5min caminhando da Casa Mabell. Ótima para banho na maré cheia e para ver o pôr do sol. O snorkeling ali também é legal.

Paulo, Pedro e um lobinho fazendo snorkeling na Playa Mann

- Centro de Interpretação: atrás da Playa Mann. Sobre a formação do arquipélago e a teoria da evolução. É bem didático, o Pedro se interessou muito e adorou.

- Cerro Tijeretas: o acesso é por uma trilha calçada desde o Centro de Interpretação. No total são 2,5Km, com local para snorkeling, bancos para descansar e mirantes. O Pedro foi bem tranquilo. A trilha acaba na Punta Carola, uma praia  mais para surf e ótima para ver o pôr do sol. 


Foto acima: piquero de pata azul, no Farol de Punta Carola. Vimos eles em todas as ilhas. Pescam em grandes bandos e é impressionante ver eles se alimentando. O piquero de pata roxa só é possível ver no tour até Punta Pitt na Ilha San Cristóbal.

- La Loberia: fica próxima da cidade, mas achamos longe para ir caminhando com o Pedro, fomos de táxi, U$1/adulto. Como a maré estava cheia, não conseguimos fazer snorkeling. Estavam na água só os surfistas e os lobos marinhos.

- Passeio pela parte alta da ilha: é possível ir num tour ou de táxi. Para nós o táxi valeu a pena: custou U$50 e o motorista  foi nos falando dos lugares. Dura 4hs e vai em 4 lugares: 

1 - Centro de Reprodução Jacinto Gordillo: este foi o centro que mais gostamos, é considerado semi-natural e a gente faz um caminho junto com as tartarugas. 

2 - Puerto Chino: uma trilha de 10min leva até uma linda baía. 

3 - El Junco: um lago de água doce na cratera de um vulcão. A trilha até lá é feita com escadas. O Pedro foi bem, mas acho difícil com crianças menores. 

4 - El Ceibo: uma  enorme casa na árvore.

na Galapaguera semi-natural

Alimentação em San Cristóbal

Lá tem muitas opções baratas e boas de menu do dia. 

Antes de viajarmos, estávamos preocupados com a alimentação do Pedro, porque iríamos fazer todas as refeições na rua. 

Comemos muito bem e sem gastar um absurdo nas 3 ilhas. 

A dica é perguntar onde as pessoas do local comem. Vimos também locais com comida vegetariana e vegana.

Clima no Arquipélago

Muito quente e com sol forte. Choveu somente uma tarde em San Cristóbal. 

A temperatura da água do mar era agradável, mas não quentinha como no Mar do Caribe! O mar estava calmo e as navegações entre as ilhas foram tranquilas.  

Não esqueça de levar
    
Se forem fazer snorkeling, levem seu equipamento. Vimos muita gente com os seus na bagagem. Assim não precisa comprar alguns passeios, dá para ir por conta própria, economizando bastante, e não tem o estresse dos horários. 

Nós já tínhamos os nossos, só compramos 1 kit e 1 colete salva-vidas para o Pedro. Treinamos com ele na piscina e o guri se adaptou super bem.

Para as fotos embaixo da água, compramos uma bolsa estanque para a câmera super zoom mas não gostamos.  

A câmera ficava flutuando e era difícil tirar as fotos. O ideal é uma câmera à prova d’água mesmo.


nosso companheirinho mergulhando, bem adaptado com a máscara e o snorkel

Nós não despachamos bagagem, e isto facilitou muito na hora das inspeções e dos deslocamentos. 

Viajamos leves, somente com 2 mochilas, 1 bolsa de mão e a pochete.

no aeroporto de Baltra, com "toda" nossa bagagem, nos despedindo de Galápagos 
- no fundo, o pequeno avião da Emetebe, que voa entre as ilhas

Literalmente enlouquecemos nas ilhas: toda hora estávamos "conversando" com algum bicho. 

Nos mergulhos, ríamos com os malabarismos dos lobinhos. 

Ensinar a teoria da evolução in loco para o Pedro foi muito bom. O guri quer voltar nas próximas férias e nós também. 

Na verdade, gostaríamos que todos os nossos familiares, amigos, conhecidos e as pessoas que amam a natureza viajassem para Galápagos.


Não dá vontade de ir correndo para Galápagos nas próximas férias?? 

Você já conhece o Arquipélago? Conta pra gente, deixe as suas dicas aqui também!



Mais fotografias das nossas viagens no Instagram @claudiarodriguespegoraro, na hashtag #Felipeopequenoviajante.

Não esqueça de curtir a fan page no Facebook para acompanhar as nossas aventuras! 

Assista todos os nossos minifilmes neste link do Facebook, e os vídeos você assiste no YouTube ou no Vimeo - aproveite e já se inscreva lá nos nossos canais!

Nosso snapchat é @pequenoviajante. 

Você também nos encontra aqui:



2 comentários:

  1. Galápagos foi a melhor viagem das nossas vidas! Fui com meu marido em 2011 - ambos biólogos - e é deslumbrante, fantástica e apavoradamente excitante! Lembro que a passagem foi super em conta, a LAN - hoje LATAM não divulga muito, mas vira e mexe tem preços ótimos pra lá. Dicas tenho várias! Fomos por conta, não fizemos nenhuma reserva. Pretendo um dia levar minha filha, mas por hora vamos para o Chile mês que vem ;)

    ResponderExcluir
  2. Ah como fomos em setembro/outubro combinamos o roteiro com Puerto Lopez (no continente) para apreciar as baleias com seus filhotes. Me arrepia só de lembrar, as vimos muito de perto. E Puerto Lopez tem belíssimas praias e um parque nacional (julgadas por algumas fontes especializadas como uma das mais belas da América do Sul). Quito também é apaixonante. Amamos o Equador!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...