13 de março de 2017

Liechtenstein - vale a pena conhecer Vaduz e o quarto menor país do mundo?

Chegamos em Liechtenstein vindos da Suíça, embasbacados pelo panorama das casinhas encarapitadas nas montanhas no fim de tarde. 

O trajeto desde Zurique (na Suíça) até Vaduz (capital de Liechtenstein), contornando o Lago de Zurique, e seguindo pelas montanhas, é um esplendor de beleza natural.

Liechtenstein tem apenas 25Km de comprimento e 6Km de largura, e é pouca coisa maior do que Manhattan, só perdendo no quesito 'menor tamanho de país' para Mônaco, Vaticano e San Marino. 



a caminho de Vaduz

as casinhas encarapitadas nas montanhas que nos deixaram boquiabertos

A língua oficial do país é o alemão e a população total não ultrapassa 40 mil habitantes. 

Foi muito fácil nos comunicarmos lá em inglês, todo mundo entende e fala pelo menos um pouco.  

O souvenir clássico do país é o carimbo de passaporte que você consegue no Postmuseum - prova de que esteve lá mesmo kkkk...


carimbo "eu estive em Liechtenstein" - deixamos para a próxima hahahaha...

as placas também têm informações em inglês

Leia também:

Pequenos grandes países - Andorra, Vaticano e Mônaco
Castelo de Vaduz

Chegando à capital, depois de atravessar quase que todo o diminuto país, fomos direto até o Castelo de Vaduz, no alto da colina, que só pode ser visto por fora e não é aberto ao público (pois é lá que mora de fato a família real que governa o país, desde 1938), mas que vale muito a visita, mesmo apenas da parte exterior. 

O castelo, que tem 130 peças, já existia, pelo menos, desde 1322, data em que mencionado nos primeiros documentos de que se tem notícia. A torre é do século 12! 

Além de servir como residência real desde sempre, também já serviu como prisão, abrigo para o exército e até taberna (até 1896). 












Para visitar a área externa do castelo, você deve passar dele e estacionar no estacionamento gratuito que fica uns 200m colina acima. Infelizmente, é proibido pernoitar lá. 

Eu aproveitei e fiz uma selfie super faceira no Castelo de Vaduz para comemorar a nossa chegada em Liechtenstein - lá, cheguei aos 70 países no currículo, gente! 

Só desejo viver mais 40 anos com muita saúde para conhecer os outros 70 que faltam visitar para completar a minha lista de desejos.


estacionamento gratuito do castelo

mas o pernoite é expressamente proibido!

selfie comemorativa :)
Mirante

O Castelo é lindo e imponente, e ali pertinho, apenas alguns metros abaixo caminhando pela estrada, há um mirante ótimo, com vista da cidade inteira, cercada pelas enormes montanhas com picos nevados. 

Dava para ver até os vinhedos no meio da cidade (!!) e a pista de patinação no gelo! 

Vale muito a pena ir até ali, dá uma espiada nas fotografias abaixo:

um vinhedo no meio da cidade!





olha lá a pista de patinação no gelo!

um pequeno mirante com vistas incríveis

Voando o drone em Vaduz

Além do mirante, ainda aproveitamos a tranquilidade do local para voar o drone, e o Peg tirou lindas fotos lá do alto, com essa incrível visão de passarinho do Principado - olha que bonito ficou o vídeo que ele fez:





A saga da água para o motorhome

Como precisávamos de água para o motorhome, assim que descemos do castelo fomos até o Camping Mittagspitze, ao sul de Triesen, a uns 5Km de Vaduz, que funciona o ano inteiro, mas o pernoite lá custava mais de € 50 e eles também não tinham água! 

A água congela nos canos nessa época do ano (entre dezembro e março) e não é tão fácil  de conseguir para encher os reservatórios do motorhome!

Acabamos conseguindo água morninha num lava-jato ali pertinho e voltamos para pernoitar de graça em Vaduz. 

Neste vídeo nós explicamos a função da água no inverno europeu:






Onde estacionar e dormir grátis em Vaduz

Pernoitamos grátis em Vaduz no estacionamento do Rheinpark Stadion, com vista para o Castelo de Vaduz todo iluminado lá no alto da colina. 

O que eu mais curto nesses free campings é que a gente quase sempre têm vistas melhores do que as dos hotéis 5 estrelas hahaha...

Quando chegamos já haviam 2 motorhomes estacionados lá e, mais tarde, chegaram mais 2 vizinhos. 










Muita gente pergunta se nós já saímos de casa com esses lugares de pernoite pesquisados, e a resposta é não. 

Nas nossas viagens de motorhome pelo Canadá e Estados Unidos, usávamos o site Sanidumps para pesquisar, que é muito bom para aqueles países, mas na Europa não cheguei a pesquisar em nenhum site, simplesmente porque, modéstia à parte, e graças, em grande parte, às habilidades do Peg na direção e ao meu espírito persistente e paciente, nós sempre conseguimos lugares para pernoitar muito melhores do que as indicações que vemos por aí. 

Não sei se é um pouco de ousadia ou se já desenvolvemos um certo "faro" aguçado, mas o fato é que, tendo paciência, sempre é possível encontrar bons lugares para fazer free camping com segurança (estacionar de graça e pernoitar) em qualquer cidade americana, canadense, europeia ou neozelandesa, seja grande ou pequena. Isso é fato. 

Pode às vezes demorar um pouco, como demorou em Aachen, na Alemanha, ou em Madrid, na Espanha, mas sempre se consegue. Sempre. 

E não estou falando isso da boca para fora. Nós já viajamos de motorhome por nada menos que 20 países europeus, da Islândia à Albânia, do Kosovo à Holanda, da Espanha à Grécia, e sempre conseguimos. 

Não adianta retrucar kkkkk...




Nas primeiras viagens, fazíamos free camping por 2 a 4 dias e aí alternávamos com uma noite de camping, para carregar equipamentos na energia elétrica. Mas, depois que descobrimos as maravilhas do inversor, abandonamos os campings de vez! 

É uma economia e tanto, pois, na maioria das vezes, os campings não são nada baratinhos, e aí a economia do motorhome vai por água abaixo! 

A melhor dica que posso dar é que você olhe no Google Maps e vá passeando por áreas de parques, praças, onde sempre existem bastante lugares para estacionar. Na maioria deles, não é necessário pagar parquímetro entre 18hs e 8hs da manhã. Você vai passeando como quem não quer nada até que...bingo! Encontra aquela vaga para chamar de sua! 

Com o tempo, você acaba desenvolvendo o seu faro também :)

De qualquer forma, sempre que for viajar de motorhome, recomendo dar uma olhadinha aqui no blog, porque sempre que dá eu coloco aqui direitinho as coordenadas ou o endereço do local onde pernoitamos em cada cidade. 

Fica super fácil para vocês irem depois que nós já fomos e fizemos a "pesquisa de campo" kkkk...

Leia mais: como pernoitar de graça num motorhome



Passeando por Vaduz

De manhã, no dia seguinte, passeamos a pé pelo centrinho de Vaduz

Deixamos o motorhome no mesmo estacionamento onde passamos a noite anterior e fomos a pé pro centrinho, que não era longe.

Só a caminhada até as ruas mais centrais da cidade já foi um passeio e tanto! Impressionante ver como, em pleno centro de uma capital européia, a paisagem pode ser tão rural e bucólica, com riachos passando tranquilamente, vinhedos, campos adubados, celeiros e até criação de vacas. Sim, no centro da cidade! 

Que lugar gostoso! 

O que falta em atrações turísticas de relevo em Vaduz sobra em paisagens lindas!

Não acredita? Então olha as fotos abaixo e me diz se não vale a pena conhecer a capital de um dos menores países do mundo:








  





Passeamos por toda a Städtle, que é o calçadão para pedestres da cidade, onde estão concentrados os poucos pontos turísticos.

A cidade é bem simples, sem muitas atrações, e o que é realmente incrível em Liechtenstein é a paisagem de montanhas ao redor, com casinhas encarapitadas lá em cima e neve nos picos. Lindo!

Nesse dia, amanheceu tudo congelado, com a temperatura bem abaixo de zero, e o Lipe adorou brincar de quebrar gelo no laguinho perto do estacionamento onde estávamos. 

Toda criança deveria ter o direito de jogar pedrinhas num lago congelado - o Lipe pira! kkkkkk...

O estacionamento custou apenas 3 francos suíços por 6hs (50 cents por hora durante o dia e grátis à noite). 







Patinando no gelo em Liechtenstein

Também fomos patinar no gelo na pista de patinação do Mercado de Natal, montada ao lado da Prefeitura. 

Custa € 17,50 para 1 adulto e 1 criança, com o aluguel dos patins incluído - mais caro do que em Bruges e Antuérpia, na Bélgica, onde também patinamos poucos dias antes e a brincadeira era mais baratinha!

Em cada nova cidade aonde chegávamos, o Lipe queria tentar patinar de novo. Como é uma atividade relativamente barata para a família, experimentamos várias vezes - eu e o Peg já sabíamos patinar no gelo, e o Lipe acabou aprendendo bem rápido também, e nós nos revezávamos patinando com ele, enquanto o outro filmava e fotografava hehehe...

A única recomendação que posso dar é não se agasalhar demais, porque você acaba fazendo um certo esforço físico e vai ficar suando, o que é pior, pois depois que tira os patins acaba sentindo ainda mais frio, com a roupa úmida de suor por baixo. 

Também não deixe seu filho pequeno entrar no rink sozinho enquanto ele não for craque - bem ou mal, é um lugar onde as pessoas andam ou muito bem e rápido, ou muito mal, podendo causar acidentes. 

Eu morria de medo de o Lipe cair e bater a cabeça, por exemplo. Pode ver nas fotos que eu estava sempre por perto dele, meio "abaralhando" o guri kkkk...
















Chip de celular

Em Liechtenstein - e em todo o resto da nossa viagem de volta ao mundo, com exceção do Marrocos - usamos um chip de celular da Easysim4u, que apoiou a nossa viagem. 

Recebemos o chip em casa, antes de sair do Brasil, colocamos ele no celular ainda no avião e já chegamos na Europa com internet funcionando no telefone! 

Para quem vai viajar por vários países, a facilidade e comodidade que esses chips da T-Mobile (revendidos no Brasil pela Easysim4u) oferecem são imbatíveis :)

Nós não vendemos esses chips através do blog (nem nenhum outro produto, pois o pequeno viajante não visa lucro, é um hobby mesmo) - então dê uma olhada direto lá no site deles - Easysim4u - para ver como comprar esses chips e recebê-los em casa no Brasil antes de viajar.


Voltando para Alemanha

À tarde saímos de Vaduz, em Liechtenstein, para voltar à Alemanha

No caminho, passamos de novo pela Suíça e também pela Áustria, onde há uma fronteira física com Liechtenstein mas não havia ninguém lá fiscalizando nada. 

As estradas vão entrando e saindo entre Liechtenstein, Suíça e Áustria como se fosse tudo uma coisa só! No final, a gente tem que olhar no GPS para conferir em que país estamos!

Foi outro dia de muito sol e céu azul e estradas lindíssimas.

Eu e o Peg já tínhamos estado na Áustria antes, em Viena e Salzburgo, mas um dia ainda quero voltar com mais calma, para conhecer mais do país, especialmente a região do Tirol, por onde já passei mas nunca explorei. 


a cidade de Vaduz é ótima para ciclistas

muitas trilhas de caminhada e para passeios de bicicleta


Na Áustria, aproveitamos os preços melhores e colocamos diesel no motorhome. 

Simplesmente não dá para abastecer na Suíça e em Liechtenstein, porque o preço do diesel é absurdo lá (tipo mais de € 1,50 por litro) - então abastecemos logo que chegamos na Áustria: € 96 = 79,5 l = 1,20 por litro. 

As nossas passagens pela Áustria e por Liechtenstein foram breves e lindas, e logo já estávamos de volta à Alemanha, para mais aventuras pela Estrada Romântica, sobre as quais contarei nos próximos posts!




Já esteve em LiechtensteinDeixe as suas dicas na nossa caixa de comentários!

No próximo post, continuamos contando sobre a nossa viagem de volta ao mundo - não saia daí! 

Durante esta viagem, nós usamos as seguintes hashtags nas redes sociais Facebook / Twitter / Instagram - é só ir na # e ver todas as muitas dicas que já postamos: 

#LipenaEuropa
#LipeVoltaaoMundo

Acompanhe o nosso Instagram @claudiarodriguespegoraro - tem muitas dicas desta viagem por lá!




Precisa reservar um hotel para a sua viagem a Liechtenstein?

Clique abaixo para conferir os preços na data da sua viagem e fazer a sua reserva:


















Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...