17 de dezembro de 2014

Sarajevo, na Bósnia: as principais atrações e as nossas dicas de roteiro e hospedagem

Terminei o último post, sobre Mostar, na Bósnia, mostrando algumas fotos da incrível paisagem entre Mostar e Sarajevo, a capital do país. 

É uma viagem rápida - mais rápida ainda pela beleza do cenário que margeia a estrada!

Durante o percurso, que acompanha o Rio Neretva, muito verde e muitas montanhas. De fato, a estrada fica bem no meio das montanhas nevadas, com o rio correndo ao lado. 

Não sei porquê, mas eu nunca pensei encontrar um cenário tão bonito em plena Bósnia! Quem diria?!? 





Novo Sarajevo



Chegando na cidade, pela região conhecida como Novo Sarajevo, a aparência é meio assustadora: você percorre quilômetros e quilômetros por uma avenida que foi apelidada de Sniper Alley (a avenida Zmaja od Bosne), que era assim chamada porque os atiradores de elite sérvios atiravam em qualquer um que se atrevesse a atravessar essa avenida, numa verdadeira "roleta bósnia". 



Nessa avenida, vimos o Holiday Inn amarelo e caramelo, hotel que ficou mundialmente famoso por abrigar os jornalistas que cobriam o conflito entre 92 e 95. 




Nem os prédios históricos da Cidade Velha escaparam:




Vratnik

Em Vratnik (outro bairro) vimos os incontáveis túmulos de pedra branca nas colinas, um testamento emocionante dos terríveis anos da guerra. 

Foram mortos mais de 10.500 cidadãos de Sarajevo durante aquele período, e mais de 50.000 feridos. 

Assustador perceber que a maioria dos mortos não tinha mais do que 20 anos, e que quase todos foram mortos em 1993 :( #tristeza. Há um memorial lindo em Kovaci

Não conseguimos chegar ao Yellow Bastion de motorhome, mas de Kovaci já deu pra ver que as vistas da cidade ao pôr do sol são lindas de lá.




Free camping

Fizemos free camping no estacionamento do MacDonald's com direito a internet wifi :)

Coordenadas para GPS:

N 43°50`38.0``
E 18°20`14.9``




Túnel da Esperança

No dia seguinte, fomos ao Tunel Muzej Butmir - Sarajevo (Tunnel Museum) - foi bem difícil achar o caminho, mesmo com GPS, e acabamos pagando € 5 para um taxista nos guiar até lá. 

Abaixo, eu conto o vexame, ou melhor, a roubada em que nos metemos, pra variar, tentando encontrar o caminho para lá!

Como eu sou um anjo, peguei as coordenadas para GPS, e vocês não vão precisar passar por esse perrengue (é, eu sou uma MÃE pra vocês, eu sei!):

N43°49`10.4``
E18°20`14.1``

Custa 10 marcos por pessoa para visitar o museu, e o Lipe não pagou nada. O estacionamento custa 2 marcos. Na frente, tem um quiosque vendendo bebidas e pouco mais que isso.

Horário: de novembro a março das 9am às 4pm; de abril a outubro das 9am às 5pm (última entrada meia hora antes do fechamento). 

Uma guia fez o tour conosco, contando coisas interessantíssimas do tempo da guerra (ela era adolescente na época) - sem as explicações dela o passeio não teria sido tão interessante!

Durante o cerco de Sarajevo, a única comunicação da cidade com o resto do mundo era através do denominado túnel da esperança, um buraco de 1 metro de largura e 1,5 de altura por 800 metros de comprimento, que corria por debaixo da pista do aeroporto.

O túnel fica no vilarejo de Donji Kotorac e liga 2 bairros de Sarajevo: Dobrinja e Butmir.

Na época da guerra, quando não havia comida, água, remédios, eletricidade ou gás, e a cidade estava totalmente sitiada, havia uma única opção para os moradores de Sarajevo conseguirem alimento e munições para defender a cidade: atravessando a pista do Aeroporto de Sarajevo.

Mas, como as posições inimigas ficavam perto, essa era uma missão suicida. A única solução foi construir um túnel por baixo da pista, em 1993, em plena guerra, sem o uso de maquinário, mas apenas picaretas e pás!

A excavação começou em março e, 4 meses e 4 dias depois, os trabalhadores que cavavam do lado de Butmir se encontraram com aqueles que cavavam do lado de Dobrinja, na noite do dia 30 de julho de 1993.

Pelo túnel passavam uma linha de telefone e um cabo de eletricidade, que fornecia energia para os hospitais. Combustível também chegava à cidade por ali, assim como equipamento militar, comida e remédios. Os doentes, feridos e mortos também eram transportados pelo túnel.

O túnel era usado em ambas as direções, em turnos, dia e noite. Em média, 3 mil pessoas cruzavam o túnel diariamente, cada um carregando pelo menos 50kg de comida nas costas. Durante os 30 meses em que foi utilizado, passaram pelo túnel mais de 2 milhões de pessoas.

Graças ao túnel da esperança, Sarajevo sobreviveu a 1425 dias de um terrível e doloroso cerco. Foi emocionante estar ali - naquele lugar eu finalmente comecei a entender um pouco mais sobre essa guerra tão complicada e difícil de explicar. 

Saiba mais sobre esse lugar incrível no site



















Vexame

Bom, de tudo que eu venho falando nos últimos posts, vocês podem ter uma ideia do clima de tensão que ainda reina pela região, né? 

Dentro da Bósnia, inclusive, há uma região autônoma chamada República Srpska, e os dois (ou mais) lados não conseguem se entender quanto à política, língua e nem mesmo sistema postal! Explicarei mais sobre isso no próximo post!

Por isso, e porque ainda há muita beligerância na região, e a linha que separa a paz da guerra, como vocês sabem, é bem tênue, a União Européia mantém uma força de reação rápida na Bósnia, chamada EUFOR, como parte do sistema de segurança e defesa. 

Essa força é tão especial, para vocês terem uma idéia, que só foi usada 4 vezes até hoje, desde que foi criada: na Macedônia, por menos de 1 ano, no Congo e no Chade e na República Centro-Africana (África) e também na Bósnia, onde eles têm um quartel-general desde 2004. 

E qual foi o nosso vexame, afinal?

Wellllll...esse quartel-general da EUFOR (que nós não sabíamos nem do que se tratava!), ficava ao lado de uma placa que apontava uma seta, com os dizeres "tunel"...pois não é que os debilóides aqui tentaram invadir o quartel-general das forças de segurança da União Européia, a bordo de um motorhome, pensando que se tratava do museu do túnel????

Nossa, acho que foi um dos nossos piores vexames! Vocês vêem essa cancela da foto abaixo? Pois lá fomos nós, com toda a vontade e fé! 

Quando os guardinhas vieram até o motorhome, nos apontando as armas, finalmente desconfiamos que havia algo de errado - afinal, aquela recepção nada amistosa estava meio que exagerada para um museu! kkkkkkkk...

Ficamos tão, mas TÃO envergonhados, que o Peg ainda passou trabalho para manobrar o motorhome e dar meia-volta volver, sob a mira das espingardas!!!

Dá pra vocês imaginarem o clima?? Uns gringos malucos tentando entrar com um baita motorhome no quartel-general das forças de segurança da União Européia na Bósnia (possivelmente, na cabeça deles, cheio de explosivos!?!)? #tenso

Não, eu não estou exagerando na descrição, kkkkk qualquer coisa que eu narrar vai ser pouco para descrever o quase-incidente diplomático que nós causamos. 

Em resumo, foi o vexame-viajante do ano. 

Mas a vida segue, né? Então vamos adiante!


 de cada lado da rua, uma placa com uma língua diferente!



Cidade Velha

Depois fomos para Old Sarajevo

Estacionamos num estacionamento pago exatamente ao lado da Embaixada da Grécia, a uma quadra da Academia de Artes, lugar ótimo e barato: € 1 por hora. Foi uma sorte encontrar esse lugar super bem localizado para estacionar, então tome nota! 

Ficamos 4hs passeando a pé pela Cidade Velha. 

Primeiro passamos na Academia de Artes, na rua Obala Maka Dizdara, nº 3. Foi construída em 1899 para ser uma igreja evangélica. É conhecida por se parecer com uma mini versão do Parlamento de Budapeste. 

Bem na frente dela fica a mais nova sensação da cidade, construída em 2012, a ponte para pedestres chamada Festina Lente - algo como "apressa-te devagar".





Seguimos pela avenida Obala Kulina Bana, margeando o Rio Miljacka, até a outra ponte famosa da cidade, a Ponte Latina - aliás, esta bem mais antiga e famosa pela sua história: foi ali o estopim da 1ª Guerra Mundial, pois foi exatamente quando cruzava essa pequena ponte que o Arquiduque da Áustria Francisco Fernando foi assassinado com um tiro de pistola, em 1914, por Gavrilo Princip, dando início àquela guerra. 


Vistas as 2 pontes, dobramos à esquerda e seguimos para a "meiúca" de Old Sarajevo

Lá, não deixe de ver a Catedral Ortodoxa de 1872- na frente tem um ótimo (e barato!) fast food de comida típica bósnia, onde almoçamos. 





Ao lado, uma linda praça (Trg Oslobodenja), onde você verá senhores jogando xadrez e crianças brincando no parque - o Lipe não queria mais sair dali!




Pertinho dali fica a Catedral Católica, onde o Papa João Paulo II rezou uma missa em 1997, em plena Ulica Ferhadija, o calçadão mais animado na cidade, cheio de cafés ao ar livre entupidos de gente curtindo os primeiros dias de primavera!




Não deixe de visitar também o Markale (na rua Mula Mustafe Baseskije) que, no fim das contas, não tem nada demais (é uma feira de frutas e legumes), a não ser por ter sido palco de uma das maiores tragédias da história da Guerra da Bósnia: o massacre de feirantes em 1995 com granadas de morteiros sérvios foi tão chocante que finalmente fez com que a OTAN resolvesse responder com ataques aéreos às forças que cercavam Sarajevo.




Outra avenida bem animada e bonita ali perto é a Marsala Tita, onde ficam as lojas "da moda", com arquitetura austro-húngara. 






Bascarsija

Mas nós estávamos mais interessados era no outro lado, a leste dali, o incrível Bairro Bascarsija, um bairro turco que se tornou imediatamente o meu preferido em Sarajevo!

Passear pela cidade velha de Sarajevo foi a realização de um sonho - já tinha visto muitas vezes essa foto, da Praça dos Pombos, e me emocionei vendo esse lugar ao vivo e com muitas cores, num dia lindo de sol e céu azul!






A fonte no meio da praça, chamada Sebilj, foi construída em 1891, e povoava meus sonhos de viagens há anos! 

Em Bascarsija, perca-se nas ruelas, lojinhas de metais e jóias, restaurantes e cafés, mas não deixe de ver, em especial, as vielas chamadas Kundurdziluk e Kazandziluk, duas das minhas favoritas. 




















Outras atrações no bairro

Dugi Bezistan, o mercado coberto;








Mesquita Gazi-Husrevbey (rua Saraci, nº 18), com um minarete cilíndrico que fica ao lado da torre de pedra do relógio; 



Mesquita Bascarsija, do século 16;








Bursa Bezistan (rua Abadziluk, nº 10), prédio de 1551 com 6 duomos que era um bazar de sedas e hoje abriga um museu; e




Vijecnica, prédio mais bonito do período austro-húngaro na cidade, recentemente restaurado. Inicialmente, era a Prefeitura da cidade, e depois se tornou a Biblioteca Nacional da Bósnia. Durante o cerco dos anos 90, foi deliberadamente atacado pelos sérvios, que colocaram fogo em 90% dos livros e manuscritos. 


Veja neste vídeo as melhores imagens dos nossos passeios em Sarajevo: videoclipe da Bósnia Herzegovina.


Transporte

Nós não chegamos a experimentar o transporte público em Sarajevo, porque rodamos por toda a cidade e fizemos tudo de motorhome, mas acredito que não seja muito complicado usar o sistema de transportes. 

Nas avenidas principais, víamos bondes passando a todo momento, deu até vontade de pegar um só pra dar um passeio ;)




Camping

Fomos dormir em Ilidza, a oeste da cidade, região super verde, cheia de parques, no AutoKamp Oaza

Não tínhamos o endereço e o GPS não sabia desse camping, mas fomos na direção de Ilidza e daí foi só seguir as placas que apontavam a direção do Kamp Oaza

Ilidza me pareceu ser a parte mais rica e verde da região. É uma outra cidade da "Grande Sarajevo", mas na verdade é como se fosse um bairro residencial da própria Sarajevo, com muitos hotéis. É um bom lugar para você se hospedar se estiver com veículo próprio. 

O camping é bem bom. Tem pracinha, esgoto, água, eletricidade, wifi e muita sombra embaixo das árvores. Fomos num supermercado Konzum ali perto reabastecer o frigobar. 

Como os banheiros estavam sendo reformados, usamos os banheiros de uma das cabanas que eles também alugam. Achei as cabanas bem ruinzinhas, com móveis muito velhos, não valeria a pena ficar lá (1001 vezes prefiro ficar no nosso motorhome!). 

Custou 44 marcos = € 22.







tem café brasileiro no mercado Konzum!


Nos anos 90, Sarajevo quase foi aniquilada. Durante 3 anos (entre 1992 e 1995), a cidade ficou sitiada, e o seu patrimônio de 600 anos foi transformado em escombros. Hoje, é uma cidade animada, vibrante, que merece a sua visita!


No próximo post, a nossa viagem continua em direção ao Parque Nacional Sutjeska e à linda cidade bósnia de Trebinje, nossa última parada no país, que você também poderá conhecer num rápido bate-e-volta a partir de Dubrovnik - vem com a gente! 

Você já esteve na Bósnia? Conhece Sarajevo? Então deixe as suas dicas na nossa caixa de comentários
Videoclipes desta viagem

Já estão no ar diversos videoclipes de lugares por onde passamos nesta mesma viagem:

Outros países desta viagem

Leia ainda as nossas dicas sobre os outros países que visitamos nesta mesma viagem:

Eslovênia 
Itália
Croácia
Bósnia
Montenegro
Albânia
Macedônia
Grécia
Kosovo
Sérvia
Portugal

Leia também


Redes sociais

Veja mais fotografias desta viagem no Instagram @claudiarodriguespegoraro, nas hashtags #FelipenosBalcas ou #Felipeopequenoviajante.

Assista todos os minifilmes desta viagem de motorhome pelos Bálcãs neste link do Facebook.

Os nossos vídeos você assiste no YouTube - aproveite e já se inscreva lá no nosso canal para receber os novos vídeos que postarmos por e-mail! É grátis, kkkkk...

Você também nos encontra aqui:



2 comentários:

  1. Oi, Cláudia. Tudo bem? :)

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais e feliz ano novo,
    Bóia – Natalie

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Natalie, que legal, obrigada! Agora talvez alguém resolva ler sobre a Bósnia! heheheheh
      Valeu!
      Bjos

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...