1 de agosto de 2013

Petrópolis e Teresópolis com crianças - passeios e dicas de viagem


Chegamos no Galeão, Aeroporto do Rio de Janeiro, num sábado de julho de manhã e, às 11h30min já estávamos pegando a Linha Vermelha para sair da cidade do Rio em direção à serra fluminense – nosso destino: Petrópolis, cidade imperial.

Do avião já dava para ver a serra inteira, tão bonito... (foto ao lado)

Tínhamos alugado um carro com antecedência pela internet – o mais barato que encontramos! – com a Thrifty, e foi muito bom, pois escolhemos o Celta mais simples de todos e, na hora de pegar o carro no aeroporto, nos deram um com direção hidráulica e ar condicionado, além da possibilidade de entregá-lo no dia seguinte ao previsto, tudo pelo preço original.

Depois de colocar nosso GPS no lugar e instalar o Lipe na cadeirinha dele (que levamos de casa) e trancar a porta (em carros alugados não se pode esquecer de tomar esta providência, para que as crianças não possam abri-las sozinhas, coisa que nos nossos carros particulares já é praxe, né?), cintos de segurança afivelados e som na caixa, partimos pela BR-040 até Petrópolis, com bastante movimento na estrada, já que as férias de julho estavam começando, e 60Km depois estávamos chegando no famoso “Quitandinha”, na entrada da cidade.

o caminho até Petrópolis é lindo!

O tal Quitandinha é um antigo e famoso Hotel Cassino na beira de um lago com pedalinhos para alugar – é muito bonito e merece ao menos uma photostop!


Ficamos no Hotel York, reservado através do Booking.com, na Rua do Imperador, nº 78, centro da cidade (inicialmente tínhamos reservado o Casablanca Imperial, que parecia ser o melhor nas avaliações do Booking.com, mas como a viagem foi transferida, tivemos que alterar a reserva também), e não nos arrependemos!

Foi o hotel mais caro da viagem, porque o preço de alta temporada estava salgado (R$238,00), mas valeu a pena. O café da manhã era ótimo (frutas, pães, suco, bolos, ovos, salsichas) e tinha TV, ar con, frigobar, tel, wifi, estacionamento e kids free. A decoração dos quartos era nova e os banheiros renovados. Bem localizado, atendimento simpático na recepção, montaram uma caminha especial para o Felipe. Pontos negativos: o estacionamento fica a uma quadra de distância e a água quente não era abundante no chuveiro.


A cidade de Petrópolis não é tão “mimosa” como eu imaginava, mas transpira história, e os palacetes impressionam.

A ficha técnica que eu tinha pesquisado antes de viajar:

Petrópolis: fica a 40min do Galeão, 60Km, pela BR 040

Show de luzes e som: Museu Imperial às 8PM - comprar ingresso de dia!

Para comer: Rancho Alabama, Casa do Alemão, Pavelka

Lugares para conhecer: Museu Imperial, Palácio de Cristal, Catedral de São Pedro de Alcântara, Avenidas Koeler/Ipiranga/D. Pedro I/Rua Teresa, Casa Encantada (Santos Dumont), Casa de Petrópolis (centro cultural) ou dos 7 erros, Cervejaria Bohemia, Quitandinha (na entrada da cidade)



Passeios: fomos no Palácio de Cristal, na Casa do Barão de Mauá, no Palacete Barão do Rio Negro, no Trono de Fátima, Obelisco, Palácio Amarelo, Relógio de Flores, Casa de Santos Dumont e Museu Imperial durante a tarde. 

Passamos também na Cervejaria Bohemia, que parece ser bacana, mas estávamos muito cansados para fazer o tour.



vista do Trono de Fátima



Casa do Santos Dumont “A Encantada”: custa R$5,00 por adulto (criança não paga) e o estacionamento é na via pública, pago. Tem banheiro limpo e lanchonete. A casa é bacana, cheia das “invencionices” do inventor, e vale muito assistir o filminho que passam no auditório para entender tudo sobre o inventor do "delivery".


para entrar sempre com o pé direito!




as famosas "palmeiras imperiais"


os tradicionais passeios de "vitória" (charrete)


Museu Imperial: custa R$8,00 por adulto (criança não paga). Tem que deixar guardadas na chapelaria bolsas e mochilas, e não pode fotografar lá dentro. Eles te colocam uns “pantufões” e você sai palacete afora encerando o piso. O Lipe ficou chateado que não tinham pantufas para o tamanho dele! L

Nos jardins do palácio tem um gramadão que convida para uma brincadeira de rolar na grama, e um Bistrô bem bonitinho. Tem wifi ali também J

O estacionamento mais próximo fica dobrando a esquina, perto do Teatro Municipal (que está super caído!) e custa R$5,00 por hora, mas de noite não funciona!




no fim da tarde, um descansinho no hotel antes do show noturno...

À noite, fomos para o excelente show de luzes e som (e água!) no Museu Imperial. É uma aula imperdível de história a céu aberto, emocionante e ma-ra-vi-lho-so! Até o Lipe adorou!! O espetáculo começa pontualmente às 20 horas, e dura exatos 45 minutos. Informe-se sobre outros horários.

Importante: os ingressos DEVEM ser comprados à tarde, quando você visitar o museu, por 2 motivos – 1) sai mais barato comprar o combo visita+show; 2) vi um monte de gente chorando as pitangas porque não conseguiu ingresso lá na hora do espetáculo!

O ingresso para o show custa R$20,00 por pessoa, mas comprando junto com as entradas para a visita ao museu no mesmo dia, tem desconto, e fica por R$16,00 (exemplo: nós pagamos R$48,00 – 8+8+16+16).






Comer: quando saímos do show, a Pavelka já estava fechada, mas a Casa do Alemão, bem ao lado, ainda estava aberta e comemos o sanduíche “Tradicional”, com 2 linguiças combinado com croquete, e também o que vem com 2 salsichas, tudo uma delícia! O quindim é de lamber os beiços...mas atenção: às 21h30min já estava fechando!

Dica: à noite, vale a pena dar um passeio para ver o Quitandinha e a Catedral de São Pedro de Alcântara iluminados!


No dia seguinte, visitamos a Casa de Petrópolis (dos 7 erros), que é bem legal e tem um laguinho supimpa para jogar pedrinhas, passamos pelas Avenida Ipiranga e Rua Dom Pedro I e saímos de Petrópolis em direção a Correas, com uma paisagem linda, Itaipava, Vale do Cuiabá e destino a Teresópolis!


paisagens lindas no caminho para Teresópolis!




Chegando em Teresópolis fomos direto para o PARNASO – Parque Nacional da Serra dos Órgãos.

Ficha técnica do parque: ingressos R$11,00 por pessoa + estacionamento R$5,00 = R$27,00.

No centro de informações ao visitante tem mapas e também uma sala interativa bem legal para crianças, além de banheiro e lanchonete. Ali perto também fica a piscina natural, bem atrativa.




Se você for passeando de carro até o final da estrada que existe dentro do parque, vai chegar no início da “Trilha Suspensa”, que é ótima para fazer com crianças: uma ponte suspensa sobre as copas das árvores, parece até um percurso de arborismo, bem legal! Tem bastante degraus, mas a trilha é fácil e dá para tomar banho de poço, uma delícia!






sala interativa: o PARNASO é child friendly!


Depois que saímos do parque fomos até o Mirante do Soberbo, lugar que tem a vista mais linda de Teresópolis, voltada para o famoso “Dedo de Deus”, e atrolhado de gente, muita gente!

Comer: ao lado do Mirante tem a ótima Lanchonete Vista Soberba, embaixo de um restaurante que parecia bem agradável (lotado), com um monte de delícias para vender na mercearia!



Em resumo, gostamos muito da região serrana do RJ!!

O que ficou faltando? Fazer as Trilhas Cartão Postal e Mozart Catão no PARNASO (quando o Lipe for maior) e conhecer a Granja Comari da CBF que, segundo nos informaram, estava fechada para visitas – um bom motivo para voltar!


Reserve seus hotéis em Petrópolis e Teresópolis aqui!


Você conhece Petrópolis e Teresópolis? Tem algum outro bom motivo para nos fazer voltar lá? 

Deixe a sua dica na caixa de "comentários" abaixo ou nas nossas redes sociais, e não esqueça de mandar sua fotografia para a Fan Page do Felipe, o pequeno viajante no Facebook!




10 comentários:

  1. Claudia, que lugares lindos! Fui há muito tempo na Serra dos Órgãos, já é hora de voltar.

    Fico aqui me divertindo com as suas gírias!!! rsrs

    E que dia lindo vocês pegaram, hein?! Adorei o Lipe fazendo o dedo de Deus! ;)

    Bjs
    Karla
    @cariocandoporai

    ResponderExcluir
  2. Puxaaaaa Karla, mas eu nem uso gírias kkkkkkkk
    Que engraçado, né?!? A gente nem percebe, mas no aeroporto do Rio eu perguntei prum guri "tu sabe onde é o banheiro?" e ele me respondeu "é ali, gaúcha!" - eu disse 6 palavras e ele já sabia!!!
    É, tivemos muita sorte com o tempo, mesmo! Sol forte e céu azul todo tempo!
    Bjokas, Claudia

    ResponderExcluir
  3. Claudia, quantos anos tinha o Felipe quando você fez essa viagem? Ele curtiu a viagem? Você recomenda?
    Tambem tenho um Felipe, de 3 anos e estamos começando a pesquisar o que vamos fazer nas férias escolares de Dezembro.
    Obrigada
    Carolina

    ResponderExcluir
  4. Oi Carolina!
    Essa viagem foi agora nas férias de julho, ele tinha acabado de completar 4 anos! Mas nem te preocupa com isso, porque o teu Lipe vai curtir QUALQUER viagem com vcs! O importante é ele estar perto de vcs o tempo todo...
    Bjokas, Claudia

    ResponderExcluir
  5. Claudia, quantos dias você me sugere em Petrópolis pra ver tudo com calma???
    Obrigada... Grazi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Grazi, 3 dias são mais que suficientes para ver Petrópolis, mesmo com calma!
      Bjo

      Excluir
  6. Oi Cláudia! Tô querendo passar uns dias em Petrópolis em outubro, mas tenho uma dúvida. Você acha que conseguimos fazer os passeios com minha bebê de 5 meses? É muito cansativo? Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que sim, Marcy! Bebê de 5 meses é tudo de bom! E Petrópolis não é nada cansativa, passeios muito bacanas! Vai com tudo!

      Excluir
  7. Em 3 dias vc conhece Petrópolis toda e Teresópolis.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...