3 de agosto de 2013

Paraty e Trindade com crianças - passeios e dicas de viagem

Chegamos em Paraty, vindos de Teresópolis, à noite, uma hora especial na cidade. 

É verdade.

Paraty é uma lindeza de cidadezinha e, à noite, o lugar fica mágico!

Não sei se foi apenas porque julho era época de Festa de Santa Rita, mas a cidade estava toda enfeitada de bandeirinhas, um amor :-)

Nesse post vamos dar várias dicas para você aproveitar melhor sua visita à cidade!



no cartão postal de Paraty


Hotel: fomos direto nos instalar no Hotel Palmeira Imperial, que havíamos reservado pelo Booking.com.

Veja mais aqui: as nossas pousadas em Petrópolis, Paraty, Ilha Grande e Búzios (e mais!)

A sede do hotel é linda, super charmosa, mas nós optamos por não ficar na sede, mas sim num anexo, que fica a algumas quadras de distância, não apenas porque era bem mais barato, mas também porque era um apartamento, com uma sala enorme e cozinha que podíamos usar à vontade! (quando você faz a reserva pelo Booking eles deixam bem claro que você está reservando o anexo, e blá, blá, blá...)

Na verdade, é um apartamento com 3 quartos, então você teoricamente está compartilhando a sala e a cozinha com outros hóspedes, mas nunca vimos ninguém mais por lá além de nós, embora fosse alta temporada e, na prática, ficamos com nosso "apartamento próprio" em Paraty, por 3 noites, uma delícia!

esta é a fachada da sede do hotel

a piscina

e a jacuzzi, onde ficávamos de molho à noite, nos recuperando 
dos esforços despendidos durante o dia nas trilhas, kkkkk...


e esta é a fachada do anexo, onde ficamos

"nossa" sala de estar em Paraty

e o quarto

O melhor do anexo é que ele é muito mais bem localizado do que o próprio hotel, a apenas duas quadras de distância do centro histórico, e você paga bem menos mas pode usufruir de todas as comodidades da sede, como piscina, sauna, jacuzzi, etc. O café da manhã também é na sede, mas a nós isso não incomodou em nada.

Ponto fraco: a cozinha do apartamento não tem microondas, sentimos falta de um armarinho ou uma bancadinha, inclusive no banheiro, para colocar as nossas coisas, e o estacionamento é na via pública (nós sempre conseguimos vaga bem na frente!). O wifi é meia boca, ou seja, funciona só quando quer, e a água no chuveiro não é das mais abundantes. Atenção: todas as tomadas são das modernas, de 3 pinos - leve adaptador!

Pontos fortes: a relação custo-benefício, a localização, frigobar, split, ventilador, televisão, café da manhã (muito bom!),...

A ficha técnica da região, que eu havia pesquisado antes da viagem: um roteiro pelo litoral e serra fluminenses (compilação das melhores dicas)

Paraty: 

Para comer: Hiltinho, Banana da Terra, Arpoador (peixe com banana e cachaças)

Lugares para conhecer: Caminho do Ouro (Serra do Mar - cachoeiras Tarzã, Tobogã e Usina, na Estrada Real Paraty - Cunha), centro histórico (Casa de Cultura), passeio de barco até a Praia Vermelha e a Baía do Jurumirim, Forte Defensor Perpétuo, Teatro de Bonecos

Parati-Mirim: entrada 17Km passando Paraty, estradinha de 8Km até a praia, comunidade indígena, vila antiga e igreja do século 18 na beira do mar - passeio de barco até o Saco do Mamanguá (daqui é só 15min)

Trindade: descendo mais 7Km pelo asfalto, entra à esquerda numa estrada até Trindade - Praia do Cachadaço (piscina natural depois de trilha tranquila pela Serra da Bocaina - volta de lancha) - Praia do Meio

A primeira coisa que deve ser dita é que Paraty NÃO é um lugar para se visitar com carrinho de bebê: é simplesmente impossível andar empurrando um carrinho naquele calçamento de pedra!

No início, é bem estranho, até que a gente pega o jeito e aprende a caminhar por ali!! Depois de um tempo, percebi que de tênis é bem mais fácil do que de havaianas, e com a dica da minha colega Luciane Tesch tudo ficou bem mais simples: andar pelo meio da rua - pode vir gente de bicicleta ou o que for, "você não arreda ali do meio", de acordo com a Luciane (que jura que andava até de salto alto por ali!!) kkkkkk...

Outra dica, da minha amiga Alice, é tomar uma cachacinha local...diz a Alice que ajuda no andar, e eu confirmo a tese!

o pequeno viajante logo pegou jeito!

A segunda coisa a dizer é que a estadia mínima em Paraty deveria ser de 3 dias:

1) no primeiro dia, você faz o clássico passeio de barco, para conhecer as ilhas e praias da região
2) no segundo, você se joga para o lado de Trindade, Paraty-Mirim e Praia do Sono (roteiro puxado)
3) no terceiro, você se atira em direção à Estrada Real, para conhecer o início do famoso Caminho do Ouro, com seus alambiques e cachoeiras

Com mais tempo, eu faria um passeio ao Saco do Mamanguá, o único "fiorde" brasileiro, que fiquei doidinha para conhecer!

Isso, é claro, para dizer o MÍNIMO! Se eu fosse aposentada, ficava um mês lá...

Nós dormimos lá 3 noites, mas ficamos apenas 2 dias completos, então o passeio de barco foi relegado à uma próxima visita. 

Roteiro 1º dia:

Trindade: você sai da cidade e anda 17Km pela BR 101 até "Patrimônio", quase na fronteira com o Estado de São Paulo, e então dobra à esquerda e anda mais 10Km. 

Na Trindade, tem que conhecer as praias do Cepilho, de Fora, a Vila da Trindade, a praia dos Ranchos e a praia do Meio. Então você estaciona na praia do Meio e dali sai a trilha que vai até a praia do Caixadaço e, mais adiante, até a Piscina Natural do Caixadaço, um pedaço de paraíso no Estado do Rio de Janeiro!

A trilha é pela Serra da Bocaina e é super fácil de fazer com criança, embora demore uns 45 minutos no total. Junto conosco ia um militar todo metido a "guerra na selva" e o Felipe liderou o caminho todo tempo, nunca deixou o tal guerra na selva passar dele, de pé descalço, se divertindo kkkkk...














Da piscina natural, o ideal é voltar até a praia do Meio de barco, que custa R$10,00 por pessoa, crianças de graça.

Eu simplesmente AMEI Trindade, foi o lugar que eu mais gostei da viagem toda, aquele onde eu voltaria para ficar um mês inteiro, é a nossa cara (bem que já haviam nos alertado que seria amor à primeira vista!!). Também foram as praias que de longe eu mais gostei, muito mais do que Búzios, por exemplo!!!

Praia do Sono: para ir lá, a coisa é meio engraçada - você sai de Trindade e vai até o condomínio "Laranjeiras", que é particular e cheio de controles de segurança. Lá, você deixa o seu carro onde os "nativos" disserem que pode deixar e pega uma kombi que te leva até o cais de onde saem os barcos (tem que deixar seu carro e ir de van porque eles não permitem a entrada de veículos não autorizados dentro do condomínio) para a praia do Sono. 

Lá na Marina pegamos um barquinho que nos cobrou R$60,00 ida e volta (20+20 ida e 15+15 volta). 

o tal condomínio é podre de chique, sabe povo que só anda de helicóptero? pois é...

deu sono no pessoal na chegada na Praia do Sono...





O lugar é lindo, uma autêntica vila de pescadores, afastada do mundo, já que o acesso é exclusivamente por barco ou trilha, uma loucura de lugar para descansar da vida - o nome, praia "do Sono", tem sua razão de ser! Logo o Lipe fez amizade com um menino caiçara que contou a ele tudo sobre o barco do seu pai - ficaram amigos íntimos enquanto o nosso peixe assava!

Ocorre que...começou a ventar, o tempo e o mar viraram e mal terminamos nosso peixe voltamos correndo para o barco para fazer o caminho de volta, que foi o maior perrengue da viagem e um dos momentos mais assustadores da minha vida com o Lipe: o barquinho parecia feito de papel no meio daquelas ondas gigantescas que nos jogavam para tudo que era lado, parecia que nós estávamos os 4 numa montanha russa, e eu me forçando a cantar a musiquinha das "poderosas" para distrair o pequeno, que estava achando tudo - como sempre - divertidíssimo! #momentosdepânico

Eu normalmente não sou cagona para nada, adoro uma aventura (e até um perrengue!), mas naquele momento senti um medo indescritível. As ondas pareciam da altura de uma casa de 2 andares vindo na nossa direção! E o barco era daqueles que não têm mais de 1,5 metro de largura...

Quando nós éramos só nós dois, numa situação dessas, se houvesse um acidente, saltaríamos do barco e nadaríamos até a terra firme, que não estava longe, enfim, daríamos um jeito...mas com o Lipe a bordo tudo muda de figura, e a gente fica se culpando de ter colocado ele numa situação de risco assim...

Paraty-Mirim: você sai da cidade e anda 10Km pela BR 101 em direção a SP, e então dobra à esquerda e anda mais 8Km. Se você está vindo de Trindade, é só voltar pelo mesmo caminho que foi e dobrar à direita por mais 8Km. 

Nos disseram que a estrada até lá era terrível, um horror, e recomendaram que a gente nem tentasse ir. Essa gente certamente nunca andou pelas estradas de terra no interior do Rio Grande do Sul! Aquilo lá, para nós, é um luxo, o que chamamos aqui na fronteira com o Uruguai de uma "carretera" = estrada de terra  realmente boa. 

Na praia de Paraty-Mirim tem uma igrejinha do século XVIII muito mal preservada e uns botequinhos onde dá para comprar um refrigerante. E mais nada. 

Pelo que nos explicaram, é possível pegar um barco para conhecer o Saco do Mamanguá, que supostamente é belíssimo, e indo dali é bem pertinho, apenas 15 minutos, mas como já era tarde e eu estava traumatizada com barcos e o mar virado do avesso, ficamos só na vontade...desta vez!





Centro Histórico de Paraty: o centrinho de Paraty é o que há de charme!

Não pode andar de carro lá pelo meio, mas é possível fazer a volta inteira no centro de automóvel, e nós fizemos isso para termos uma ideia geral e nos localizarmos, e depois estacionamos o carro perto da famosa Igreja de Santa Rita, cartão postal da cidade, ao lado da Antiga Cadeia.



Saímos passeando a pé e nos perdemos pela parte histórica da cidade, que engloba exatas 14 ruas, uma mais bonita que a outra! A vontade que dá é ficar ziguezagueando por aquelas ruazinhas sem parar...até anoitecer, momento em que, como eu já disse lá no início, a cidade fica ainda mais charmosa!



São imperdíveis a Casa da Cultura, a Capela de Nossa Senhora das Dores, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário e a Igreja Matriz, onde estavam fazendo procissão da Festa de Santa Rita de Cássia e vimos o povo todo entrando na igreja cantando Asa Branca - coisa muito linda de se ver, fiquei até emocionada!


Para ter aquela vista de cartão postal de Paraty, que todo mundo tem no imaginário, com o porto e a igrejinha de Santa Rita, o jeito é caminhar até o final do cais do porto e virar para trás.






Comer: o lugar que mais gostamos de comer em Paraty foi o Restaurante Casa Coupê - comemos escondidinho de carne seca e espaguete carbonara, regados a muita cachaça local, na forma de caipirinha de morango e "Jorge Amado", o famoso drink da cidade, feito com "Gabriela", limão e maracujá (não deixe de experimentar nem por decreto!!!).

A tal "Gabriela" é tão gostosa que compramos uma garrafa para trazer para casa e colocar no café para nos aquecer, já que aqui no sul o frio tá de renguear cusco!

 nosso restaurante preferido, na esquina da Praça da Matriz

a rua mais animada da cidade!

o (ótimo e caro) Restaurante Banana da Terra

O centro histórico de Paraty é cheio de lugares onde comer, e se come (e se paga) muito bem, mas o lugar que nós achamos mais agradável e acabamos voltando sempre nas outras noites foi ali mesmo pelos arredores da Praça da Matriz, região que fica bem animada à noite!

Roteiro 2º dia:

No segundo dia, fomos ao Forte Defensor Perpétuo, à praia do Jabaquara e depois seguimos em direção ao Caminho do Ouro, para conhecer o comecinho da Estrada Real que ligava Paraty a Ouro Preto, nas Minas Gerais, com direito a alambiques e cachoeiras, além de um passeio delicioso ao Museu Mini Estrada Real, uma mimosura de lugar para grandes e pequenos viajantes. 

no Forte Defensor Perpétuo

que tem uma linda vista do mar

e outra linda vista do centro histórico!

E, na saída de Paraty, no último dia, antes de seguir em direção a Angra dos Reis, ainda fomos às praias de São Gonçalo e de São Gonçalinho, uma mais linda que a outra, ali pertinho...mas este post já está comprido demais, então contarei tudo sobre o nosso segundo dia em Paraty na próxima postagem!

Continue viajando com a gente!!!

pórtico de entrada/saída da cidade de Paraty






Tudo pronto para ir a Trindade e Paraty? Escolha aqui sua pousada ou hotel:



11 comentários:

  1. Oi Claudia, que bom que lembrei do seu post e voltei aqui para pesquisar Paraty, Segui sua dica de pousada e para data que quero ela esta com um preço bem bom!!oba! Já fechamos, obrigada.
    Aryele

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa! Que responsa indicar pousada pra gente chique!
      Tomara que vocês gostem! Depois me conta como foi!
      Bjokas, Claudia

      Excluir
  2. Olá, Claudia! Muito bom seu blog, parabéns! Estamos indo pra Trindade no natal e as suas dicas nos ajudaram bastante, mas queria te fazer uma pergunta: o caminho pra piscina natural é sossegado pra ir com criança de colo ou é melhor ir de barco mesmo? Grande abraço. Camila

    ResponderExcluir
  3. Oi Camila, com criança de colo, eu acho que fica complicado, a não ser que vc ou seu marido tenha muita disposição e resistência, e também leve o baby num sling ou mochila. Afinal, são 45 minutos de subidas e descidas, com e sem escadas no meio do mato. Abração a vcs.

    ResponderExcluir
  4. Amei o blog
    tenho uma pequena de 3 anos e faremos nossa primeira viagem no feriado 3 dias em paraty
    amei as dicas
    bjos

    http://cerejacomavelaa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi claudia fiz a nossa viagem e depois dela ja fiz outras rs
      contei tudo aquino meu blog
      http://tpmamoretc.blogspot.com.br/search/label/paraty
      se quiser publicar algumas partes e fotos do meu relato no blog sera de grande onra rsrsr

      bjos

      Excluir
  5. Oi Claudia.. Vou fazer um passeio agora em dezembro com minha família (uma filha de 1 ano e 8 meses) e estou na duvida de onde ir.. Se paraty, ilha grande ou trindade. pode nos ajudar:? Muito origada. Beijos Cris

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cris,
      Depende de gosto, kkkkk pq são lugares bem diferentes...Paraty tem bastante cultura, história, e a Ilha é mais praia mesmo! Com uma criança de 2 anos eu iria para Paraty, que acho mais fácil do que a Ilha...além disso, Paraty é ao lado de Trindade, onde as praias são muito mais bonitas! Dá pra curtir 2 em 1!
      Boa viagem!

      Excluir
  6. oi flor desculpa me meter no seu comentario mais fiz um passeio pra la so eu e minha filha de 3 anos
    la no meu blog contei tudo em detalhes
    se quiser dar uma passadinha la
    http://tpmamoretc.blogspot.com.br/search/label/paraty
    bjos

    ResponderExcluir
  7. Olá! Adorei seu blog!!!
    Vou apostar no Paraty e Trindade. Vou seguir suas dicas kkk!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...