20 de junho de 2010

a vida na estrada


O Felipe vive conosco na estrada. Literalmente. São sempre, no mínimo, 200km por semana. Isso porque durante a semana trabalho em Herval, que fica a 100km de Jaguarão, onde normalmente passamos os fins de semana, e ele vai comigo para Herval toda semana. Ele tem 2 quartinhos, um verde em Jaguarão e outro azul em Herval. Tem também 2 babás, a Elisângela em Herval e a Gil em Jaguarão. Tem os brinquedinhos, mamadeiras, perfume de Herval e os pratinhos, roupinhas e carrinho de Jaguarão. Tem as pessoas que convivem com ele em Jaguarão, minha família, amigos, e as pessoas de Herval, a família da Elisângela, nossos amigos e meus colegas de trabalho. Já perguntei à pediatra e ao psiquiatra se isso não iria confundir ele, pobrezinho, talvez fazer com que ele perdesse as referências. Sempre recomendam que o bebê tenha seu quartinho, uma rotina, horários, e o pequeno viajante não tem nada disso...ambos os médicos me disseram que o importante para ele era estar perto de mim, onde quer que eu estivesse, e isso me acalmou um pouco, mas...sempre fica aquela dúvida, aquela culpa: será que isso vai ser bom pra ele, vai se criar sem frescura, cidadão do mundo, ou, por outro lado, vai ficar confuso e inseguro?



Toda essa introdução é para contar que, vivendo a sua vidinha na estrada, pra lá e pra cá, no seu primeiro aninho de vida, recém completado (dia 31/05), o Lipinho já fez muitos amigos, e ganhou 2 festinhas de aniversário, uma em Herval e outra em Jaguarão.


FELIZ ANIVERSÁRIO MEU GORDO LINDO, tudo de bom que houver nessa vida pra ti, meu amorzão!!!

Um comentário:

  1. O que pode fazer mal é ser criança e ter disciplina e regras de adulto. Criança não precisa de relógio; precisa é de carinho e brincadeiras.
    É uma pena que mais crianças não possam passar pelas muitas experiências maravilhosas que o Lipe já viveu!
    beijinhos amados
    Anália

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...