25 de fevereiro de 2010

no aeroporto com o bebê

A primeira providência é se organizar para sair de casa com bastante antecedência, porque, com um neném, a gente nunca sabe se não vai ter que parar para trocar as fraldas, fazer uma mamadeira...então, para vôos internacionais, em que é necessário chegar ao aeroporto com 2 horas de antecedência, o ideal é se organizar para sair de casa umas 3 horas antes, logo após uma mamada e uma troca de fraldas, se possível (dessa maneira, a próxima mamada será exatamente durante a decolagem, o que é perfeito, como já escrevi em outro post).

Chegando ao aeroporto, é correr para o check-in, torcendo para conseguir assentos na primeira fila, onde é possível usar o bercinho do avião, ou pelo menos assentos juntos. O sonho de consumo é conseguir um assento extra para o nenê, missão quase impossível nesses tempos de aviões lotados. Não esquecer de pedir para creditar as milhas!!!
 

 
na fila do check-in no Aeroporto de Carrasco, em Montevidéu, Uruguai
 

A questão de despachar ou não o carrinho é ainda uma incógnita para mim. O bebê-conforto só vai com você para dentro do avião se você tiver conseguido um assento extra para o nenê, caso contrário não haverá lugar para ele (nunca cabem nos maleiros) e ele será só um estorvo, porque o bebê vai ter que viajar no seu colo todo o vôo de qualquer jeito (caso você também não tenha conseguido o bercinho do avião). Já o carrinho, eu sempre preferi despachar com a bagagem e usar no aeroporto os carrinhos que as companhias aéreas fornecem. Acontece que, em alguns aeroportos, esses carrinhos não podem ir além do controle de segurança, e aí você fica sem carrinho a partir daí...algumas pessoas preferem ir com os seus próprios carrinhos até a porta do avião e despachá-los a partir dali, caso em que um funcionário da companhia aérea deverá estar esperando você com o seu carrinho na porta do avião na sua chegada...ora, claro que isso é o luxo dos luxos, e você deve estar se perguntando porque eu não faço isso sempre: simplesmente porque já vi um monte de gente ficar horas na porta do avião na chegada esperando os seus carrinhos que não chegam nunca. Então, é loteria, se você quiser arriscar, boa sorte! Caso você se decida por despachar o carrinho com as malas no check-in, peça para o funcionário colocá-lo num saco plástico, para ele ir mais protegido, e não esqueça de recolhê-lo nas esteiras junto com a bagagem na chegada – por incrível que pareça, na função de achar as malas/mochilas, já esqueci o maldito carrinho 2 vezes em aeroportos diferentes!!!!

 
Também é bom não esquecer de levar a certidão de nascimento do bebê, porque o novo modelo de passaporte brasileiro não vem com os nomes dos pais da criança, pois essa informação vem em código de barras, mas nem todos os aeroportos dispõem da maquininha necessária para ler o tal código. Tenho amigos que já foram impedidos de entrar na Argentina por esse motivo!

 
Não esqueça que, viajando com um bebê, você tem direito a atendimento prioritário sempre. O Felipe é o maior fura-filas do mundo! Mas também lembre que isso não se aplica no mundo inteiro: em alguns lugares eles realmente não têm leis que garantam atendimento preferencial para pessoas com crianças de colo. No Brasil, você pode passar na frente na fila do check-in, na fila da imigração, no controle de segurança e no embarque, ou seja: sempre!
 

 
esperando para embarcar no carrinho da TAM
 
 
A parte mais chata é o controle de segurança e a imigração, pois requer atenção com o bebê, agilidade com a bagagem de mão, equilíbrio para mostrar os documentos (passaportes e cartões de embarque), e paciência para abrir e fechar mochilas, carregar bolsas para lá e para cá, tirar roupas, casacos, sapatos, mantas, cintos, celulares, moedas, notebooks e qualquer outra coisa suspeita para passar pelo raio-x. Saiba que, depois de se pelar (praticamente) e colocar tudo numa bacia de plástico, você passará pelo raio-x com o bebê no colo e terá que se vestir novamente e recolher tudo de novo do outro lado. Ô paciência...
 

 
de terminal em terminal (quando tem esteira é beleza!!), em NY, EUA
 

Outra coisa importante é que, hoje em dia, não se pode mais viajar de avião carregando muitos líquidos. Então o que fazer com a água para a mamadeira? Não arrisque passar pelo controle de segurança com a mamadeira cheia de água fervida, para não ter que passar pela situação ridícula de ter que tomar a água da mamadeira na frente do agente de segurança (para provar a ele que não se trata de nitroglicerina). É mais fácil comprar uma garrafinha de água mineral em algum dos cafés que sempre existem na área dos free shops. Ocorre que, em alguns aeroportos, principalmente nos Estados Unidos, existe um outro controle de segurança na área de embarque, e ocorreu comigo de quererem que eu jogasse o leite do Felipe fora para entrar no avião – nesse caso, não abri mão: tomei o leite na frente do debilóide, e ainda dei um pouco para o Lipinho na frente dele e exigi que ele me deixasse carregar a mamadeira cheia para dentro do avião, porque eu sabia que as aeromoças não dariam conta de me conseguir água quente antes da decolagem, momento em que eu sempre dou a mamadeira para ele. Ora bolas, aí também era demais...
 

 
Guarulhos, SP, esperando o embarque


No embarque, eu sempre preferi embarcar por último, depois que todo mundo já se acotovelou bastante para entrar logo na aeronave. Hoje, com o Felipe, prefiro usar o meu fura-fila e embarcar logo, porque com todas as traquifâncias extras do Felipe, é bom entrar logo para conseguir acomodar tudo logo nos maleiros antes que os seus passageiros-vizinhos ocupem todo o espaço disponível.
 

Por fim, a melhor regra: use sempre o seu bom senso e tenha bom humor.
 

 
em Ezeiza, Argentina, esperando por mais um embarque
 
 
Veja também:
 

 
 
 
 



Você também nos encontra aqui:





G+ engatinhando... 
 
 
 



5 comentários:

  1. Oi Claudia,

    Estava aqui lendo este post e pensando na minha saga que vai acontecer em breve. Vou viajar com o filho que fez 6 meses ontem, mas detalhe, vou sozinha. Meu marido vai este fim de semana e eu e o meu filho só vamos daqui um mês.
    Você sabe se existe restrição de idade para estes bercinhos do avião?
    Como vou emitir bilhete com milhas, acho que vou pegar um assento na classe executiva pra ter mais espaço e quem sabe um pouco mais de ajuda Vou de American que eu acho que é uma das piores cias aéreas que existe, mas é a única que tem voo direto entre SP e Dallas.
    O que mais me preocupa é a hora dele dormir... vai ser uma briga boa.
    Obrigada e um beijo.

    ResponderExcluir
  2. estou indo ao brazil com meu filho de 3 meses estou com uma duvida levo o carrinho e junto dele o bebe conforto,dai despachando td na hora do check-in e ai entao o carrinho vai para o bagageiro do aviao e tem perigo de danificar o carrinho do nene e o bebe conforto?

    ResponderExcluir
  3. sera que alguem poderia mim ajudar,pois estou com receio do carrinho do meu filho e o bebe conforto ficar danificado com a viajem,o que posso fazer para que isso nao venha a acontecer,devo colocar em o saco de plastico ou fazer um saco de pano e colocar td dentro.

    ResponderExcluir
  4. Estou vindo aqui responder estes comentários com ANOS de atraso, mas sempre pode ser que a resposta ajude alguém, então vamos lá:

    Restrição de idade para os bercinhos que vão acoplados no avião: existe sim, se não me engano o limite é 6 meses, pois aos 11 já não permitiram que o Felipe os usasse, mesmo estando disponíveis - só não tenho certeza se o problema é a idade ou o peso/altura, o q seria bem mais razoável.

    Sempre existe o perigo de danificar o carrinho e o bebê-conforto no bagageiro do avião. Em caso de dano, faça a reclamação no balcão da sua cia aérea ANTES de sair do aeroporto, e pegue um comprovante, tudo por escrito.

    Uma vez a TAM danificou meu carrinho, mas eu precisava usá-lo, mesmo danificado, e eles não me ofereceram nenhuma compensação. O procedimento seria deixar o carrinho lá que eles iam mandar arrumá-lo e me devolveriam em casa, mas isso não me servia, porque não podia me dar ao luxo de ficar sem o carrinho na viagem! Acabei indo embora sem fazer queixa nenhuma!

    O carrinho obrigatoriamente vai despachado, seja no check-in ou na porta do avião. Já o bebê-conforto, se houver um assento extra disponível ao seu lado, pode entrar no avião com vc, e o bebê vai ali - é uma maravilha essa situação!

    Para proteger o carrinho, o melhor, na minha opinião, é pedir ao funcionário no check-in que o coloque num saco plástico (eles normalmente têm sacos grandes no balcão).

    E bom vôo!!!

    Claudia

    ResponderExcluir
  5. sobre bebês, aviões e aeroportos, veja mais aqui:

    http://felipeopequenoviajante.blogspot.com.br/2010/02/o-bebe-no-aviao.html

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...