20 de março de 2016

relato de viagem de motorhome pela Califórnia e Las Vegas, com orçamento e roteiro de 17 dias da Mariane e família

Recebi a seguinte mensagem da Mariane: "Baseados e incentivados pelos seus relatos no blog, fizemos nossa 1ª viagem de RV. Fomos de São Francisco até San Diego, depois Las Vegas e Yosemite. Foi tudo perfeito! Queremos cruzar o Canadá de costa a costa na próxima vez."

Desde que publiquei aqui no blog relato da nossa primeira viagem de motorhome pelos Estados Unidos (Arizona, Nevada, Califórnia e Utah), que acabou se transformando numa série completa com mais de 40 posts, muita gente nos escreve pedindo dicas sobre este tipo de viagem e, para minha alegria, o pequeno viajante acabou se tornando uma referência para quem quer se aventurar de motorhome pelo mundo :)

Temos uma seção aqui no blog específica sobre viagens de motorhome - clique nos links em vermelho para ler mais (lá estão todos os detalhes das nossas 4 viagens de motorhome pelos Estados Unidos, Europa, Nova Zelândia e Canadá). 

E, além das nossas próprias viagens de RV, também já publicamos muitos relatos de viagens de outros amigos que (dizem que) se inspiraram na nossa jornada para se aventurar também. 

Os últimos relatos que publicamos foram o da Maria Inês e família, leia aqui: relato de viagem de motorhome pela costa oeste dos Estados Unidos com orçamento e roteiro de 33 dias; e o da Maria Beatriz e família, aqui: relato de viagem de motorhome pela Califórnia e Las Vegas com orçamento e roteiro de 21 dias.

Agora é a vez de publicar o completíssimo relato da Mariane Werneck Botelho, que viajou de motorhome pela Califórnia e Nevada (Las Vegas), num roteiro de 17 dias

Obrigada, Mariane! Os depoimentos de vocês são a nossa melhor recompensa! 

A seguir, texto e fotos da Mariane Werneck Botelho:

Meu nome é Mariane Werneck Botelho, sou administradora de empresas, e proprietária do CenacoloRestaurante E Eventos em Curitiba, casada com André e mãe de 3 meninos (sim, 3 meninos!) de 13 (Luigi), 10 (Filippo) e 5 anos (Enrico). Morei no estado de NY (Falconer - perto de Buffalo), quando fiz intercâmbio pelo Rotary. Depois de casada, eu e meu marido (que tem cidadania italiana), moramos em Jesi (província de Ancona), na costa do Mar Adriático, no centro da Italia.

Gostamos muito de viajar e conhecer novas culturas, hábitos, pessoas, sabores e pontos de vista diferentes. Conhecemos uns 40 países: Brasil, Argentina, Uruguay, Paraguay, Chile, Peru, Jamaica, Bahamas, México, Estados Unidos, Canadá, Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Vaticano, Itália, San Marino, Luxemburgo, Mônaco, Bélgica, Holanda, Áustria, Suíça, Alemanha, Polônia, República Tcheca, Eslováquia, Croácia, Bósnia, Noruega, Dinamarca, Suécia, Marrocos, Grécia, Turquia, Egito, Emirados Árabes, Qatar e Japão.

O mundo é a nossa zona de conforto!



Como começou - o planejamento

Ganhei do dia das mães em 2015, passagem de Curitiba – San Francisco para toda família para viajarmos de 23/01/2016 a 09/02/2016. Um presentão que me deixou muito feliz!  Viajar com toda a família! Ai que delícia!

As passagens foram promocionais da Tam, portanto, ida e volta teriam que ser do mesmo ponto. San Francisco, no caso.  

Na época, o dólar estava perto dos R$3,00 e tínhamos ideia de pegarmos carro e seguirmos para Portland, Seattle e quem sabe até Vancouver no Canadá.

Tais regiões nos interessavam (e continuam interessando), porque eu e o André já havíamos estado na California. As crianças conheciam apenas a Flórida, então para eles tudo seria novidade. Mas, lendo a respeito e colhendo opiniões, achamos que poderíamos pegar muita neblina, frio, neve nessa região, em função da época do ano que tínhamos para viajar (férias escolares). Daí não aproveitaríamos tudo que a região pode proporcionar.  Decidimos então, que faríamos de São Francisco para baixo. 

Mas nesse meio tempo o dólar disparou e foi para mais de R$4,00. E nós viajando em 5 pessoas!! Por mim, já teria desistido da viagem e pedido o reembolso integral (até porque a companhia aérea alterou o horário de voo e tínhamos essa opção). Mas o André preferiu que continuássemos com nossos planos, e a viagem teria o mínimo de compras possíveis.
 
Daí surgiu a ideia de fazermos a viagem (ou pelo menos parte dela) de motorhome (vulgo RV em inglês). Essa ideia sempre nos interessou e achamos que seria o momento ideal pela economia de hotel+refeição, roteiro e idade das crianças.

Lemos e pesquisamos em vários sites e blogs.  O que mais nos ajudou foi o Felipe, o pequeno viajante.  

Eles têm muita experiência em viagens de RV, foram mais ou menos na mesma época que iríamos e nos baseamos no roteiro e dicas deles para montar nossa viagem. Muito obrigada Claudia Ferraz Rodrigues Pegoraro!


 Roteiro

Nosso roteiro planejado (não o executado, pois fizemos umas adaptações no decorrer do percurso):

DATA
DIA
CIDADE
DISTÂNCIA
TEMPO
OBS
24/01
DOMINGO
SAN FRANCISCO - BRISBANE
6.4MI
10 MIN
PEGA CARRO AEROPORTO
HOTEL HOMEWOOD BY HILTON AT BRISBANE
25/01
SEGUNDA
SAN FRANCISCO


ALCATRAZ
26/01
TERÇA
SAN FRANCISCO - NEWARK –SFO -PALO ALTO – CUPERTINO -MONTERREY
31.2 MI
26.6 MI
21 MI
13 MI
77 MI
40 MIN
32 MIN
28 MIN
18 MIN
1H20
PEGA RV NEWARK E DEVOLVER CARRO SEARS NEWARK
27/01
QUARTA
MONTERREY - CARMEL –
BIG SUR - MORROBAY –
SAN LUIS OBISPO - PISMO BEACH - SOLVANG - SANTA YNEZ - SANTA BARBARA
4.5 MI
20 MI
110 MI
13 MI
25 MI
54 MI
3.8 MI
35 MI
30 MI
14 MIN
52 MIN
3HS
18 MIN
30 MIN
54 MIN
7 MIN
43 MIN
39 MIN

28/01
QUINTA
SANTA BARBARA -
86.6 MI
1H44

29/01
SEXTA
SANTA MONICA LA
15,8 MI
31 MIN

30/01
SÁBADO
LA/SAN DIEGO



31/01
DOMINGO
SAN DIEGO



01/02
SEGUNDA
SAN DIEGO



02/02
TERÇA
SAN DIEGO-LAS VEGAS
120 MI
2H05

PEDIR UPGRADE PARA CASINO TOWER
Circus Circus Hotel and Casino
2880 Las Vegas Blvd S
Las Vegas
89109NV
Estados Unidos
+17027340410
Reservas: 126780407537, 126780407537-1

03/02
QUARTA
LAS VEGAS
331 MI
5H

04/02
QUINTA
LAS VEGAS



05/02
SEXTA
LAS VEGAS MOUNT CHARLESTON
40 MI
45 MIN

06/02
SÁBADO
DEATH VALLEY – YOSEMITE
150 MI
2H21

07/02
DOMINGO
MARIPOSA VALLEY



08/02
SEGUNDA
Sfo
438 MI
7H55

09/02
TERÇA
NEWARK - SFO


PEGAR O CARRO DEVOLVER O RV
DEVOLVER O CARRO

Organização da viagem

Muitas vezes nos referimos a RV, pois em inglês é assim que é chamado nosso (não tão) conhecido motorhome: RV = recreational vehicle.

Para alugar um RV nos EUA, precisa apenas apresentar CNH do Brasil, categoria B (carro).  Não precisa ser categoria para van/ônibus/caminhão.  A CNH normal do Brasil.

A locação de um motorhome não obedece as mesmas regras e não tem as mesmas facilidades do aluguel de um carro nos EUA: 

1) As locadoras de RV não se encontram, necessariamente, perto do aeroporto e nem tem transfer para lá.  

2) Eles não trabalham nos finais de semana e nem fora do horário comercial. 

3) Há uma taxa alta para devolução em outra cidade. 

4) Quilometragem/milhas percorridas são pagas à parte.

A primeira ideia era de ficar com o RV apenas 1 semana, chegando em São Francisco e pegar voo direto para San Diego ou Las Vegas e ficar em SFO no final da viagem.  

Começamos a pesquisar hotéis na cidade no final de semana de 05/02 a 09/02 e os preços estavam absurdamente caros (hotel/motel bem simples na casa de U$1,000/diária)!  

Depois descobrimos que tais preços astronômicos se deviam ao Super Bowl que ocorreria dia 07/02 em Santa Clara, perto de San Francisco.  Sendo assim, mais uma vez tivemos que rever nosso roteiro.

Precisávamos definir as datas para reservar o RV.  Já tínhamos feito várias cotações e entrado em contato com a Cruise America através do chat para tirarmos dúvidas.  

Ficou decidido que ficaríamos 2 semanas com o RV, praticamente todo o tempo de nossa viagem. Reservamos um RV para 7 pessoas, 30 pés.  

Achamos melhor alugar um motorhome maior, pois teríamos mais espaço interno e a diferença monetária não era significativa.

Fechamos a locação de 26/01/16 a 09/02/16.  Pegando o RV das 11:00-16:00 e devolvendo no dia da viagem de retorno para o Brasil, das 09:00-11:00.  

Pagamos a média de U$60,00/dia + U$0.32/milha rodada. Tudo fechado por email e chat, demos um sinal de U$500.00 no cartão.  

Queríamos já deixar tudo pago, pois como o dólar só subia, seria uma garantia.  Mas eles não aceitam.  Esse sinal seria descontado do total.

A loja da Cruise America mais perto de San Francisco é em Newark (CA) e fica uns 40 minutos do aeroporto de SFO. Portanto, tínhamos que alugar um carro já na chegada no aeroporto e, de preferência, devolvê-lo em algum ponto em Newark, para, depois, pegarmos o RV.
 
No retorno, seria ao contrário.  Primeiro pegaríamos o carro e depois devolveríamos o RV. A empresa que tinha o melhor preço para essa situação foi a Budget.  A “loja” em Newark era apenas um balcão dentro da Sears. Normalmente alugamos com a Alamo, mas não temos o que nos queixar dessa nova locadora.

Optamos pelo Homewood Suites em Brisbane, por alguns motivos: 

1) somos em 5 e eles aceitam todos no mesmo quarto;

2) estacionamento grátis;

3) café da manhã incluído;

4) free wifi;

5) mini cozinha;

6) tarifa atraente e

7) não cobram para receber mercadorias.

Normalmente os hotéis em Las Vegas são bem baratos. Então lá fizemos reserva no Circus Circus (através do Hoteis), um hotel antigo e remodelado, que estava com bom valor (mas nesse caso foram 2 aptos). Depois conto detalhes da estadia por lá...

Essas eram as únicas reservas que tínhamos. Nosso roteiro era totalmente flexível e ajustável, o que, para nós, sempre funciona muito bem.  

Acreditamos que engessar muito o roteiro acaba deixando com jeito de excursão, e gostamos de poder ter liberdade de passeios, horários e etc.



Dia 0 - 23/01/16 SÁBADO - CWB-GRU-MIA

Quando vamos viajar por um período mais longo e com a família (o que significa muitas malas), normalmente contratamos um serviço de van para nos levar/buscar do aeroporto.  

Sai mais barato do que deixar o carro por vários dias nos estacionamentos nas redondezas do aeroporto.  Pagamos R$130,00 por trajeto da van.

O André trabalhou até 13:00 e daí que foi fechar as malas.  Mas antes, soltou uma bateria de fogos de artificio para comemorar as FÉRIAS que estavam começando.

As 15:00 a van passou para nos buscar. Chegamos no aeroporto Afonso Pena pouco antes das 16:00. Nosso vôo decolaria 18:05. Ainda tivemos um tempinho para fazer lanche e passar na farmácia para (tentar) comprar um colírio para o Filippo. Mas estava impraticável: exatamente o dobro do preço de qualquer outra farmácia. Deixamos para comprar em GRU.

Já saímos de Curitiba com todos os cartões de embarques e malas despachadas até SFO.  Mas é claro que tínhamos que retirar em MIA para redespachá-las para nosso destino final.

Tentei upgrade, na cara dura, mas não rolou. Aleguei (o que é verdade), que meu filho estava com febre e blá-blá-blá.

Voo cheio, mas muito bom. A Tam está aprendendo com a Lan. Talheres de metal, taça de vidro e comida boa.

Dia 1 - 24/01/16 DOMINGO - CHEGADA SFO

A conexão foi corrida em Mia. Imigração demorou, mas foi tranquilo. Atravessar o aeroporto todo, ir de um terminal ao outro, escada rolante, corredores imensos, passarela rolante...foi corrido! 

Chegamos já pro embarque do voo até SFO. Voo lotado Tb. Era AA e se manteve no padrão AA de ser. Voo de 6h30, ofereceram apenas (em 2 ocasiões), bebidas - não alcóolicas - é claro. Nada de amendoim, nada de barra de cereal ou similares. As crianças estavam desmaiando de fome! (AA vendia lanches - mas não ofereciam, poucas pessoas que perguntavam, mas como meus filhos são chatos pra comer...)

Todas as malas chegaram e estávamos esperando o Luigi voltar do banheiro, quando uma moça veio até nós, pedindo desculpas, mas dizendo que aquela mala prata era dela. Havíamos pego a mala dela e ela a nossa. Apesar das malas serem diferentes da maioria, as 2 malas eram exatamente iguais e não atentamos em verificar a etiqueta. Imagina a confusão que ia dar se ela não tivesse percebido (e entendido) nossa desatenção!

Pegamos o carro (Town & Country) na Budget e fomos para o hotel, que não é longe do aeroporto.

Fizemos a reserva do Homewood pelo Hoteis e, mesmo mostrando a confirmação, eles não conseguiam localizar. Tiveram que ligar para lá e daí descobriram que a reserva foi feita pelo meu nome do meio (Werneck) e não pelo Botelho. Enquanto isso, as crianças se esbaldavam com chocolate quente da recepção...

Depois de organizarmos um pouco as coisas, já fomos passear no Píer 39 e comer! Aquela sopinha no pão foi ótima pedida!

O dia estava lindo com o típico vento de gelar os ossos. Esse tal vento parece até parente de um velho gaudério Minuano dos pampas...

Píer cheio de famílias e achei que muitos eram locais. Não tinham cara explícita de turistas. Luigi e André ficaram assistindo a semi-final de futebol americano num bar e eu e os outros 2, passeando. 

Meninos ficaram encantados com as focas/leões marinhos lagarteando no sol. Demos pão para as gaivotas e nos divertimos muito.

Fomos a Lombard St. - pena que estava sem flores por causa do inverno - passeamos no centro (muitos homeless) e depois num Target perto do hotel comprar coisas para o jantar.




  

Dia 2 - 25/01/16 - SEGUNDA - SFO - Alcatraz - Pier 39 - Sausalito - Muir Woods - Berkeley

Compramos antecipadamente pela internet tickets para visitar Alcatraz

Escolhemos o segundo horário disponível (9:30) para termos o dia livre para outros passeios. Falamos para as crianças que é a Ilha da Reclamação, quem reclama/briga demais e não se comporta, fica por lá...rsrsrs.

Após procurar um pouco por vaga pra estacionar, achamos em uma rua transversal, sem necessidade de pagamento. Sorte que era cedo. Média de valor de estacionamento particular por lá é de U$20-U$30/período!

Alcatraz tem uma atmosfera mítica que sempre atrai todas as idades. Filippo, compenetradíssimo, ouvindo as explicações e seguindo cada ponto.





Céu azul e menos vento que no dia anterior, seguimos para Sausalito Muir Woods, parque das primas das sequoias (mais altas e mais finas), as redwoods. A estrada para o parque é bem sinuosa e com muitas curvas.

Compramos pistache na beira da estrada, caminhamos pela trilha para ver as árvores e fizemos picnic no parque. 

Na volta passeamos por ChinatownUnion Square e as Painted Ladies ao entardecer. 

O hotel oferecia como cortesia jantar das 17:00 às 19:00, inclusive com cerveja liberada. Mas a comida era intragável! Até a sopa era mega apimentada! Não rolou...



  

Dia 3 - 26/01/16 - TERÇA - PEGAR RV - DEVOLVER CARRO - PALO ALTO - CUPERTINO - MONTERREY

Tomamos café da manhã no hotel (esse sim era decente), fechamos as coisas e rumamos para Newark pegar o RV. Havia ligado de manhã cedo para saber se podíamos buscar um pouco mais cedo do horário que estava na reserva, pois tínhamos horário para devolver o carro. Sem problemas.

Achar o endereço da Cruise America foi fácil. Difícil foi achar a entrada! Depois de muitas voltas e indagações, descobrimos que tínhamos que entrar na contramão mesmo, num trechinho da rua!

Chegando lá, um pátio imenso com centenas e centenas de RVs de vários tamanhos. Nossa papelada já estava separada e nos encaminharam para assistir um vídeo (30min) sobre a manutenção do motorhome (mesma coisa que está no site deles). 

Posteriormente, uma menina (em treinamento), foi fazer a vistoria do veículo conosco e explicar “in loco” como funcionava. Por algum motivo, para ligar o gerador, só com o motor do RV funcionando. Percebemos que aquilo não deveria ser normal, pois ela chamou a chefe e fizeram vários testes. A “estagiária” viu nossa cara de dúvida e perguntou se queríamos trocar de veículo e concordamos. No entanto, a chefe dela falou que tinha que conversar com o gerente, que educadamente não deixou. O RV foi para oficina e arrumaram o tal problema. Mesmo assim, nos concederam 2 horas de utilização do gerador de graça.

Havíamos reservado com o kit cozinha (que custa U$100), mas lendo os blogs sabíamos que muitas vezes eles deixam o kit e não cobram. Luigi lembrou desse detalhe e conferiu na nota que eles estavam realmente cobrando o kit. Daí pedi para retirarem, pois não precisaríamos. Ela retirou da cobrança e falou que podíamos ficar usando os utensílios! Uma mão na roda não precisar comprar pratos/talheres/panelas e etc.

O kit de roupa de cama/banho nem havíamos reservado. Havíamos levado do Brasil algumas cobertas e compramos lençóis/travesseiros na Target. Cada kit pessoal com eles custava U$55.

O RV que alugamos é para até 7 pessoas e tem 30 pés de comprimento (mais de 9 metros). Nos fundos tem um quarto de casal com cama queen size e alguns armários.

Tem o box do chuveiro (parece de navio), com água quente e fria. Quem tem mais de 1,80m sofre para tomar banho. Na porta da frente, o toalete, com pia, espelho, vaso sanitário e alguns armarinhos.

Aí vem a geladeira/congelador de um lado. Bom tamanho. Geladeira funciona com eletricidade, quando ligada à rede ou com propano. Na frente, pia da cozinha, fogão (gás) e micro-ondas (que funciona apenas com gerador ligado ou com a eletricidade ligada). Há também um exaustor. E alguns armarinhos na cozinha para guardar os mantimentos.

Tem um sofá-cama (casal) perto da mesa e a mesa também vira cama (solteiro), abaixando-se o tampo e guardando o pé da mesa. Não foi usada nenhuma vez essa cama da mesa. Logo acima da cabine, há uma outra cama (queen). As crianças adoraram essa cama, pois tinha que escalá-la e parecia uma cabana. 

Em todas as janelas do RV, tem cortinas azuis escuras que fecham bem e dão privacidade. Há ar condicionado também, tanto na cabine quanto no “corpo” do motorhome. 

Numa das paredes, perto da pia da cozinha, tem um sensor, que quando acionado o botão “level test”, mostra no painel como está o nível de esgoto cinza, preto, nível de água, propano e eletricidade. Nesse mesmo painel, aciona-se a água quente, o gerador e faz a contagem do tempo que o gerador foi utilizado.

Burocracias resolvidas, fui dirigindo para devolver o carro enquanto o André foi com o RV. Ele estava assustado, com olhar tenso e preocupado. Pra quem nunca dirigiu caminhão nem van, dirigir aquele monstrengo enorme! Até ter noção de tamanho, de curva e espaço, tempo e freiagem, foi um bocadinho. Até sugeri pra ele mudar o roteiro, evitar estradas estreitas e com curvas (HW1), mas ele foi criando confiança e relaxando.

Pegamos o RV com 81.487,4 milhas e, para encher o tanque pela 1º vez, foram 44,240 galões (187 litros) e U$115,00.

Como o motorhome é largo por natureza e ainda a lateral dele, em algumas partes, avança pro lado mais um pouco, os retrovisores laterais (já que no meio do vidro só se vê a parte interna do RV), são mais avançados ainda. Em muitas situações tínhamos que fechar os retrovisores para não bater.

Estacionar um caminhão de 30 pés (mais de 9m de comprimento) não é fácil. Baliza é impossível. Precisávamos de 2 vagas (de comprimento) e só podíamos estacionar em vagas em que não houvesse canaletas/floreiras dividindo-as. Sorte que nos shoppings e na maioria das lojas os estacionamentos são amplos e não há restrição de altura também. Aqueles estacionamentos de prédios, nem pensar.

Outra coisa que estranhamos é que chacoalha tudo. A grade do fogão faz barulho, nada pode ficar pra fora que cai (inclusive escovas de dentes caíram dentro do vaso sanitário, eca!). Louça fica presa em suportes, copos na horizontal, em gavetas...o barulho no começo é de estranhar mesmo.







Depois de compras básicas para abastecer a geladeira e despensa, passeamos por Palo Alto, Cupertino (Vale do Silício) e Santa Clara para ver o Levi’s Stadium, onde seria o SuperBowl. Estádio imenso e tudo praticamente pronto e organizado para o grande evento esportivo dos EUA, que aconteceria dia 07/02. 

Seguimos para Monterrey para pernoitar lá. Como chegamos lá bem de noite, e estávamos abastecidos (gás/eletricidade/água/esgotos limpos), decidimos logo de cara fazer free camping.

Entramos em uma rua secundária e vimos um RV estacionado (com iluminação dentro), nenhuma placa dizendo “No RV Overnight Parking”. Vizinhança tranquila, perto de uma escola e paramos atrás deles e com a cara e com coragem, dormimos por ali mesmo. No dia seguinte, pela manhã cedo, escutamos vozes e espiamos pela janelinha, eram as crianças chegando para a escola. Foi tranquilo, mas por ser a 1ª vez, foi estranho. Depois nos acostumamos.





Dia 4 - 27/01/16 - QUARTA - MONTERREY - CARMEL - BIG SUR

Tomamos café da manhã do motorhome, arrumamos as coisas e fomos para o Aquário de Monterrey (custou U$165 para todos). Super legal, organizado, educativo e interativo. 

Como a cidade cresceu baseada na indústria pesqueira (principalmente sardinhas), no aquário vimos cardumes enormes de sardinhas que nadavam juntas, sincronizadas como um balé. Tubarões, leões marinhos, polvos (colados no vidro do aquário), caranguejos que as crianças poderiam tocar, vimos os treinadores alimentando os animais. Um passeio super divertido, principalmente para as crianças!

Era cedo ainda e muitas lojinhas estavam recém abrindo. Passeamos pelas redondezas do aquário, do centrinho. Entramos num centro comercial e as crianças se encantaram porque os degraus da escada eram teclas de piano e tocam conforme pisávamos.

A cidade é uma gracinha! Assim como Carmel, que foi nossa próxima parada! Estacionamos o RV perto da praia Spanish Beach, fizemos almoço e fomos comer nas mesas de piquenique, na areia. Uma delícia.

A 17 Mile Drive é um sonho. Tudo tão perfeito, lindinho! Casas lindas e enormes. Vista do mar de penhascos. Fomos à Pebble Beach...hotel de filme com campos de golfe e paisagens de tirar o fôlego. Relógios Rolex nos campos, uma “chiqueza” só. Paramos inúmeras vezes para apreciar a paisagem e tirar fotos. 

 Alguns pontos foram:

Lone Cypress que é o logotipo de Pebble Beach, foi uma das paradas obrigatórias; 
Birds Rock para ver os pelicanos, leões marinhos e focas; 
Bixby Bridge;
McWay Falls, que é a cachoeira que deságua no oceano).

Rumamos para San Luis Obispo, onde jantamos no Olive Garden. As crianças amam a sopa de lá. 

Iríamos dormir no camping KOA de lá. Mas, quando chegamos lá, o camping estava fechado para reformas! A água do RV estava acabando, reservatórios estavam cheios e precisávamos recarregar a bateria. Hora de economizar! No dia seguinte, necessariamente, teríamos que achar um camping!

Já era tarde para procurar outro camping e tivemos que dormir do lado de fora do camping, ao lado de outro motorhome que, provavelmente, assim como nós, “deu com os burros n’água”.

O céu estrelado estava maravilhoso!!!









Dia 5 - 28/01/16 - QUINTA - PISMO BEACH - SOLVANG 

Acordamos cedo e passamos o dia economizando água/energia e tudo que podíamos!

Fomos conhecer Pismo Beach e o seu super píer feito de sequoia. Ficamos observando os pescadores e o Enrico encantado.

Passamos pelo outlet da cidade ver roupas pros meninos (tinha muita roupa suja deles e precisavam de calcas jeans).

Dessa vez, resolvemos ligar antes e confirmar se o camping KOA em Ventura Beach estava aberto e se tinha lugar. Normalmente, eles reservam para no mínimo 2 noites, mas como era baixa estação, deixaram 1 noite só. Como provavelmente iríamos chegar depois das 17:00 (hora que fecha o escritório), eles iam deixar um envelope com o número da nossa vaga e demais informações separado. Reservas por telefone, somente com pagamento com cartão de crédito.

Com a garantia de que teríamos camping essa noite, passamos por Solvang. Uma cidade dinamarquesa na Califórnia. Um amor de cidade. Tudo típico e lindinho, assim como os países nórdicos.

Chegamos no camping já estava escuro (anoitecia por volta de 17:30) e pela 1ª vez iríamos esgotar/limpar esgoto, carregar eletricidade, abastecer água - tudo isso no escuro!!!

Todo mundo ajudou com lanternas e celulares e tudo deu super certo. Realmente é fácil e não tem erro. Tomamos banho nos banheiros do camping (bem limpos e organizados), lavamos e secamos muita roupa (U$2 cada maquinada).

Para diversão das crianças, principalmente Filippo e Enrico, fizemos fogueira e assamos marshmallow. Eles se divertiram bastante!






Dia 6 - 29/01/16 - SEXTA - AVENTURA - SANTA MONICA

Acordamos cedo e preparamos café da manha, e quando abrimos a porta do RV, havia um pavão bem na frente! Lindo! Haviam vários pelo camping!

Passeamos pelo camping para conhecer. É um resort, com várias atividades, mas por ser fora de temporada, muita coisa estava desativada. Tinha piscina, tirolesa, parquinho, paredão de escalada, quadriciclo, cabanas (estilo índios americanos) e chalés para alugar também. 

Descarregamos e carregamos mais uma vez, para garantia, e pé na estrada. Passamos por Camarillo, que é do lado.

Pegamos a Wh1 de novo. Muita e muita plantação e colheita de morangos pela estrada. Vimos o pôr do sol em Malibu. Lindo!

Chegamos já de noitezinha em Santa Monica e nos dirigimos para o estacionamento do Pier. Lá nós não poderíamos fazer overnight e nos deram a dica que no estacionamento da Court House poderia (1725 Main St - Santa Mônica 90401). Dica quente!!!

Super bem localizado, seguro e super barato! Pagamos U$10/período (carros eram U$5).

Fomos passear a pé na Promenade St. Muito divertido e legal. Rua só de pedestres, com vários artistas de rua se apresentando, boas lojas, bons restaurantes. Passeio muito legal! 

Depois seguimos para o Pier, que é o cartão postal da cidade. Legal, muitos adolescentes (mexicanos). As crianças brincaram um pouco no Arcade e passeamos.

Na volta para “casa”, passamos por uma marquise que ligava 2 prédios. Nessa marquise tinha um telão com sensor. Então enquanto passávamos, aparecia nosso rastro. Brincamos até de roda e ficou nosso círculo. Diversão pura. 






Dia 7 - 30/01/16 - SÁBADO - SANTA MONICA - VENICE BEACH - LA - SAN DIEGO

Acordamos no estacionamento da Court House e tinha ou outro RV perto da gente pernoitando também.

Na hora de sair da vaga, havia mais carros e uma moça dificultou nossa manobra. Pedimos, educadamente, para ela tirar o carro um instante para fazermos a manobra, e ela se recusou. Graças à habilidade do André, conseguimos sair sem nenhum aranhão.

Sempre que cozinhávamos, disparava o sensor de incêndio. Tínhamos que ficar abanando e abrir portas e janelas. Um saco!

Compramos tortillas, que parecem muito nossas pizzas de frigideira. Achávamos que seria bom para um lanche para as crianças. Mas ela foi totalmente aprovada no café da manhã! Era bem gostoso mesmo com queijo e presunto (e para mim e pro André com cream cheese de diversos sabores - ah, quantas opções gostosas que eles tem lá...

Logo cedo estávamos em Venice Beach. Uma praia única. Gente bizarra com pessoas “normais” convivendo naturalmente. Muitas e muitas pessoas se exercitando. Muitos e muitos mendigos, artistas e vários Dr. Greens (médicos que, por U$40/consulta, receitam maconha medicinal (?), que é liberada na Califórnia. 

Se estivéssemos sozinhos, poderíamos ter ido caminhando/correndo de Santa Monica para lá. Vários grupos de corrida! Também, com aquele visual, calçadões planos e amplos e aquela faixa enorme de areia...

Como o tráfego em LA é intenso e não conseguiríamos vaga para estacionar para mostrar a cidade para os meninos, nossa opção foi apenas cruzar a cidade. Paramos apenas no Chinese Theater para eles verem a calçada da fama, os super heróis.

Passeamos (de RV) também em Beverly Hills, vimos a placa de Hollywood e andamos de RV pela Rodeo Drive! Chiques no último!

Na saída de LA, muito tráfego. Trânsito não andava. Colocamos no GPS outra estrada, mas não adiantou. Ela se juntou com a primeira e caímos no engarrafamento de novo. Sendo assim, chegamos tarde em San Diego.

Lá, fomos direto conhecer o Gaslamp District, que foi revitalizado e está super lindinho. Muitos barzinhos, restaurantes animados e cheios.

Procuramos um Walmart para fazer compras e pernoitar. Fomos para National City e pedimos autorização para o gerente, que disse só para estacionarmos mais para trás, perto dos caminhões. Free camping again.

Segurança nos abordou e explicamos que tínhamos pedido autorização para o gerente para pernoitarmos ali e ela falou que estava tudo ok

Toda noite jogávamos buraco nós 4. Eu e Luigi contra Filippo e André. Enrico ficava no Ipad/DS. Sem televisão e com internet racionada, os momentos em família são mais intensos e agradáveis!








Dia 8 - 31/01/16 - DOMINGO - SAN DIEGO

Noite tranquila no Walmart, mas choveu a noite toda. Depois do café da manha, fomos para “old town”, onde San Diego começou. Muita influência mexicana, casas coloridas, mas não havia a mínima chance de descer para caminhar nas redondezas. Era muita chuva e vento!

Seguimos para o Balboa Park. Enorme e bem cuidado. Uma delícia de passeio se o tempo estivesse bom...como não estava, decidimos visitar um museu com exposição do Leonardo da Vinci e aeronáutico. O museu custou U$101,25 para nós 5. Com o dólar nesse patamar, tudo fica caro, muito caro!

Entramos em contato com a Nedra (onde meu irmão fez intercâmbio em 1979 e ainda mantemos contato) para tentarmos nos encontrar. Mas realmente, havia uma tempestade forte na cidade e ela ficou com receio de sair. Ela nos deu a dica que em Mission Bay, um parque à beira mar, poderíamos esgotar esgoto e encher reservatório de água - for free!

Fomos à Coronado Beach, passando por uma ponte enorme onde de um lado se vê o skyline de SD e, do outro, o maior porto naval americano, cheiiiooo de navios de guerra.

Coronado é lindo, mas o tempo não ajudou em nada. Um super vento geladíssimo! Várias árvores caídas pelas ruas, árvores balançando muito. Parecia um furacão! Até para abrir a porta do RV era difícil.

O Hotel de Coronado é chiquérrimo, mas caminhar com aquele vento todo, frio e areia não foi tão agradável.

De noite, passeamos pelo Gaslamp District novamente. Estava bem cheio e demoramos para achar vaga para estacionar. Caminhamos um pouco pelas redondezas (chuva e vento tinham diminuído).

Voltamos para “nosso” Walmart em National City. Procuramos um local para passar a noite, longe de árvores e muros, pois estávamos com receio.



Dia 9 - 01/02/16 - SEGUNDA - LA JOLLA - LEGOLAND

noite foi mais tranquila do que imaginávamos. Ventos fortes, mas nenhum imprevisto.

Logo após o café da manhã, voltamos ao Mission Bay para esgotar/abastecer o RV de graça, novamente.

Seguimos em direção a La Jolla, uma praia super chique que é um dos lugares mais caros da Califórnia. Conseguimos estacionar fácil e fomos até a beira-mar passear. Ventava horrores, mas o dia estava lindo. Fomos até uma praia abrigada pelos rochedos e lá haviam várias e várias focas lagarteando ao sol. Filhotes inclusive. Nas pedras, eram os pelicanos que aproveitavam. As crianças adoraram ver bem de pertinho os animais.

Depois passamos por Ocean View. Um amor de praia, com uma marina cheia de mega iates, e nos dirigimos para Carlsbad, onde fica o parque Legoland.

No hotel, os meninos já enlouqueceram. Um “brinquedão” de Legos e eles brincaram bastante ali. O parque não estava cheio e nos informamos que, após as 15hs, o valor do ingresso ficava com 50% de desconto.

Fomos ao RV almoçar e já entramos no parque para aproveitar as 2hs que tínhamos, antes de fechar. Luigi e Filippo, muito independentes, já foram se organizando sozinhos para irem nos brinquedos mais radicais. Eu e André iríamos acompanhar o Enrico no que ele pudesse aproveitar. Mas na fila da nossa 1ª montanha-russa, encontramos os 2 mais velhos. Já tinham ido e estavam repetindo e nos contaram que os brinquedos mais radicais estavam todos fechados. Não tinha muita montanha-russa pra ir. Então nós 5 ficamos juntos até o final. Enrico entrou na onda e não queria saber de passeio de barquinho sem emoção. Ele queria frio na barriga e ia no 1º banco e levantava as mãozinhas! O “Bala na Agulha”, como ele se chama, gostou mesmo é da montanha-russa do dragão.

É impressionante a perfeição das bonecos/animais/personagens feitos com pecinhas minúsculas de Lego!

Ao sair, já estava escuro e demos uma passadinha rápida num outlet ali perto. Depois nos dirigimos a um Walmart tentar fazer free camping.

Num app dizia que podia, em outro não. Perguntei para o caixa, que disse que achava que não era permitido. Mesmo assim, resolvemos ficar e arriscar.

A 1:30 da manhã bateu um segurança no vidro e, de forma áspera, disse que não podia “overnight” ali. Como já havíamos cogitado essa hipótese, tinha deixado programado no GPS outro Walmart, perto dali, que era 24hs (87 College Dr). Acabamos a noite por lá e foi tranquilo.






Dia 10 - 02/02/16 - TERÇA - Carlsbad - Calico - LV

Os meninos nem perceberam que mudamos de estacionamento, continuaram dormindo até o outro dia de manhã no meio da viagem, pois o André acordou super cedinho, 6:35am e, de pijama mesmo, pegamos a estrada em direção a Las Vegas

Paramos em Calico Ghost Town, cravada na montanha, no meio do deserto. Era uma cidade mineira que teve seu auge por volta de 1850. Bem interessante e curioso de visitar. 

No estacionamento de RVs em Calico tinha dump station! Esvaziamos/carregamos e tomamos café da manhã nas mesas de piquenique, no meio do deserto. 

Tocamos viagem até LV, chegando lá por volta de 15hs, bem o horário do check-in do hotel. A cidade, logo de cara, impressionou os meninos!

Pegamos um apartamento conjugado e conseguimos upgrade na torre Sky Rise. Quartos bem amplos, limpos e confortáveis. O hotel em si é meio decadente, mas não íamos utilizar a estrutura do hotel e só queríamos uma boa cama e bom banho para nos darmos um pouco de “luxo” nessa viagem. 

Arrumamos as coisas, tomamos um banho de gente, sem economia de água, descansamos um pouco e fomos bater perna. 

Como o Circus Circus é numa extremidade da Strip, com as crianças não daria para ir caminhando. Apesar dos estacionamentos dos hotéis serem gratuitos, estacionar um RV de 30 pés não é fácil e não é todo estacionamento que é permitido. Aos poucos fomos aprendendo onde podíamos deixar nosso caminhãozinho. 

Luigi e Filippo estavam loucos para conhecer o Caesars Palace, pois lá que se passou o filme “Despedida de Solteiro”, que eles adoraram. Fomos para lá e depois ao Paris para irmos almoçar/jantar no Carmine’s. Pedimos raviole 4 queijos com molho pomodoro e basílico. No couvert tinham pãezinhos deliciosos, pena que não estavam quentinhos. O garçom nos ofereceu água e pedi com e sem gás. Daí veio água San Pelegrino e estranhei, pois nas outras mesas era água em jarra (que não é cobrada). Pois é, caí na armadilha... 

Assistimos ao show das águas no Bellagio e eles tiveram noção das luzes, neons e agito de Las Vegas.





Dia 11 - 03/02/16 - QUARTA - LV

Uma noite bem dormida e descansada fez que com acordássemos 10:00! Chegando no nosso RV, havia um bilhete da segurança dizendo que ali não era permitido estacionar. Ok, deixamos para resolver isso depois.



A maioria venceu e fomos tomar café da manhã no IHOP. Panquecas e mais panquecas (doces). Pagamos U$41 para todos. 


No Ticket 4U, compramos ingressos para assistir à noite o espetáculo Mystère, do Cirque du Soleil, no Treasure Island (U$354 para todos).

Atravessamos toda a Strip para irmos fotografar a placa “Welcome to Las Vegas”, mas como estacionamos longe, resolvemos visitar o Four Seasons e o Mandalay Bay (com uma praia privativa que na temporada deve ser o maior agito). Fomos também ao Luxor, Excalibur e ao New York, New York

Luigi e Filippo foram na montanha-russa e Rico ficou jogando nos brinquedos de dinossauros e pacman. Os mais velhos amaram a montanha-russa e disseram que é melhor que muita montanha-russa da Disney e do Busch Gardens

Finalmente fomos até a placa tirar foto - muitos turistas e até filmagem para um filme lá! 

Depois fomos ao Premiun North, onde tinha uma VF e compramos algumas calças jeans pro Filippo e chuteira pro Luigi. Abastecemos a U$2,139 o galão. O mais barato. 

Fizemos jantar no estacionamento do McDonald´s e fomos para o Treasure Island assistir o show. O estacionamento que conseguimos foi perto do Paris, a uns 3km de distância, mais o frio...

Como o teatro não estava cheio, nos colocaram num lugar excelente! O show realmente é ótimo. O Enrico dava risada e o teatro ria da risada dele! Todos adoraram e ficaram perplexos com a beleza, sincronia e precisão dos movimentos.

Na volta para pegar o RV, havia muitos carros de polícia batidos e polícias por toda parte, ruas bloqueadas e perguntei para um policial o que estava acontecendo (eu achando que era alguma perseguição), e ele disse que era apenas uma filmagem. Provavelmente a mesma da placa...

Sei que tivemos que dar uma volta enorme até chegar ao estacionamento. Para sair também foi complicado, pois tudo estava fechado. André estava louco para passar de RV no meio da filmagem! rsrsr...

Ao chegar no hotel, fui me informar a respeito da vaga correta para estacionar. Fui informada que não era permitido estacionar RV ali. Explicamos que estávamos hospedados no hotel, que tínhamos 2 apartamentos e, portanto, teríamos direito a 2 vagas que era o que utilizávamos. Eles queriam que estacionássemos no camping e que pagássemos U$20/dia! Falei que aquilo era um absurdo, pois não estava hospedada no camping deles (sim, do outro lado da rua do Circus Circus há um camping que até recentemente era KOA e agora é administrado pelo Circus Circus), estava hospedada no hotel. Nada resolvido, mandei email e tweet para o hotel, que nunca se pronunciou a respeito.

Para evitarmos mais complicação, estacionamos o RV em outro estacionamento do hotel. E em nenhum lugar havia qualquer sinalização dizendo que não era permitido RV estacionar. Portanto, subentende-se que pode...





Dia 12 - 04/02/16 - QUINTA - LV

Mais uma vez tinha bilhetinho no nosso RV. Ligamos para o número que estava lá e um segurança veio de bicicleta. A mesma baboseira de sempre.



De novo acordamos tarde e tivemos que ir direto na Nike do North Premium, pois o Luigi havia esquecido seu colete lá. Achamos!


Passamos no Luxor para ver o preço do ingresso para o Criss Angel, mas acabamos comprando na Ticket 4U novamente. Aproveitamos e compramos cupons de desconto para o almoço (buffet) no Monte Carlo. Pagamos U$2 cada cupom, que dava direito a 50% de desconto no buffet.

Almoçamos lá e comemos muito!! Massa, hamburguers, comida mexicana, carnes assadas, comida oriental, saladas, sorvetes, doces, cupcakes, cookies...bebidas não alcoolicas incluídas também. 

Passeamos por mais hotéis e fomos ao Walmart comprar água e comida. Voltamos ao Luxor para assistir o espetáculo de mágica/ilusionismo do Criss Angel. Um show interativo e que também conseguimos lugares ótimos!

Nossos lugares eram tão bons, que uma moça do staff convidou o Luigi para subir ao palco e participar do show com o Criss! Luigi foi e ficou bastante tempo participando, pagando mico e se divertindo! E ainda ele ganhou um jogo enorme de mágicas! Na saída do espetáculo, as pessoas vinham dar os parabéns para o Luigi!! 

Dessa vez, estacionamos em uma vaga que falava “oversize parking” e tinha camionetes grandes estacionadas.




Dia 13 - 05/02/16 - SEXTA - LV - Hoover Dam

Decidimos mudar nossos planos e ficar mais tempo em LV. No domingo teria o 50º Super Bowl, e sábado uma luta de MMA no MGM. Decidimos cortar Death Valley da programação.

Fizemos check-out do hotel e carregamos tudo de volta para nossa casa/carro.

No próprio camping do Circus Circus carregamos o propano (1ª e única vez), fizemos dumping e lavamos/secamos a roupa.

Continuamos nossos passeios e fomos a Hoover Dam, fronteira entre Nevada/Arizona. Uma hidroelétrica (Rio Colorado) que iniciou a contrução em 1931 e acabou em 1935.

Fomos passear na Fremont St, bem no centrão antigo de LV. Longe da Strip. Rua coberta (pelo maior telão do mundo) de pedestres, cheia de lojinhas, alguns restaurantes. Muitos artistas de rua. Um ar um tanto quanto decadente de uma LV menos eufórica.

Fomos ao Aria, MGM, Bellagio e assistimos novamente o show das águas (que foi diferente do outro). Quase todos os hotéis estavam enfeitados com decoração chinesa em função do ano do macaco que seria comemorado em breve. Como sempre, a decoração do Bellagio era arrasadora. 

Estacionamos o RV perto do Mandalay Bay, que fica perto do aeroporto. Um local amplo e com caminhões e outros RVs estacionados. Já havíamos deixado o RV ali para visitar os hotéis. Passamos a noite ali e achávamos que o barulho dos aviões ia nos incomodar, mas até que não.



Dia 14 - 06/02/16 - SÁBADO - Mount Charleston - UFC

André madrugou e fomos até Mount Charleston. Uma estação de esqui a 1h de LV. Tinha bastante neve, mas a estação de esqui estava fechada. Fizemos esqui-bunda, boneco de neve, guerra e nos divertimos bastante. 





Na volta, passamos por um shopping para comprarmos os presentes de amigo-secreto que havíamos feito. 

Luigi e André queriam assistir a luta de UFC 196. Ficaram bem pertinho do octógono e adoraram o programa! Eu e os meninos ficamos no RV e depois fomos passear pela Strip.

Olho do Filippo começou a ficar vermelho...

Fizemos free camping no estacionamento atrás do Hotel Paris.




Dia 15 - 07/02/16 - DOMINGO - Super Bowl - Bakersfield

Carregamos e descarregamos o RV no dump station do Circus Circus novamente. Nunca, em nenhum momento, mesmo após a limpeza, o sensor do grey e black apareceu zerado. Sempre marcava com pelo menos 1/3. No começo da viagem, ligamos para a central de assistência e avisamos o que estava acontecendo. Nos falaram que era pra esvaziar o black, depois o grey. Daí jogar 2 baldes de água no vaso sanitário. Andar um pouco com o RV que o sensor voltaria ao normal. Fizemos isso, colocamos a pastilha indicada e nada. Nunca mostrava totalmente vazio, mesmo estando.

Compramos voucher novamente para o buffet do Monte Carlo, o único que havia disponibilidade. Fizemos a revelação do amigo-secreto lá. Todos se divertiram (apesar de praticamente todos saberem antecipadamente quem tirou quem!).

Luigi e André ficaram tentando ver o Super Bowl em vários telões dos cassinos e bares. Mas daí vinha um segurança pedir pra eles saírem, pois o Luigi é menor e não poderia estar ali. Nem parado assistindo a televisão! Acabamos que assistimos na praça de alimentação do Luxor. O ingresso para assistir o jogo em pubs/restaurantes era na faixa de U$200/pessoa!

Depois do jogo, pegamos a estrada com o intuito de irmos retornando e dormirmos o mais ao norte que conseguíssemos. Dormimos em um estacionamento do Walmart em Bakersfield, na metade do caminho até Yosemite Park.


Dia 16 - 08/02/16 - SEGUNDA - Bakersfield - Yosemite

Saímos cedo (as crianças foram dormindo e só acordaram quando chegamos) para o Yosemite. O parque realmente é lindo! Com neve, sem neve, tudo é maravilhoso lá! Tenho vontade de ficar 1 semana acampada lá. As 2 vezes que fui, foi só para passar o dia. Queria fazer as trilhas, visitar as cachoeiras de perto...

O olho do Filippo definitivamente estava bem pior. Antes de começar qualquer passeio, resolvemos ir ao posto médico do parque. No dia seguinte iríamos voltar para o Brasil e poderiam até implicar com o olho dele. Demorou bastante para sermos atendidos. Diagnóstico: conjuntivite viral. Não era uma inflamação do olho seco que normalmente ele tem. Todos nós tínhamos que cuidar.

A consulta custou U$136 e o colírio U$35 que teria que pedir reembolso para o seguro World Nomads (que reembolsou apenas U$71).

Passeamos um bocado pelo parque, mas infelizmente Mariposa Grove (a parte das sequóias) estava fechado. Não pudemos visitar.









Seguimos estrada e achamos um posto de gasolina que dava para fazer dump (U$5), já que tínhamos que devolver o RV no outro dia, com tudo limpo, organizado, esvaziado, carregado e etc. A partir daquele momento, ninguém podia usar o banheiro, pia, nem nada!

Resolvemos dormir no meio do caminho, em um motel, para podermos arrumar as malas e organizarmos as coisas. Ficamos no Motel Inn 6 em Manteca. Hotel simples, quarto amplo e bom espaço para tirarmos tudo do RV e arrumarmos as malas.

Fizemos a última refeição no RV (mas lavamos a louça no quarto do hotel), limpamos e arrumamos tudo. Luigi e Filippo foram passear na loja Dollar Tree, que era na frente do hotel.

Quando eram 21h30min, achei estranho eles não terem voltado ainda (a loja fecha as 21hs) e fui lá ver. Saindo do hotel, um cara de bicicleta, meio estranho, fala algo que eu ignoro. A loja estava fechada. Bati no vidro, pois vi funcionários arrumando as coisas lá dentro, e perguntei se não tinham visto 2 meninos. Ela perguntou: um com o olho bem vermelho? Tinha visto, mas disse que tinham saído pouco antes da loja fechar. Me deu um frio na espinha...no estacionamento, muito lixo e coisas jogadas...comecei a achar que não era uma boa vizinhança aquela região.

Voltei pro hotel pra ver se eles tinham aparecido. André viu minha cara branca de medo...

Eu fui a pé e ele de RV, procurando os meninos. Na quadra da frente, tinha um centro comercial grande com restaurantes, Home Depot, outras lojas e a Target. Num desses restaurantes, vi um carro de polícia e me deu vontade de ir lá pedir ajuda!

Saí gritando por tudo, chamando eles e nada! Vi o André passando de RV e comecei a ficar mais e mais nervosa. Daí o André me liga que ia me buscar. Tinha encontrado com eles voltando para nosso hotel, saindo da Target! Ai, que susto!!!


Dia 17 - 09/02/16 - TERÇA - Newark - SFO - Napa Valley - Retorno

Malas feitas e tudo organizado para pegar o carro, devolver o RV, passear e ir para o aeroporto.

Achávamos que para devolver o RV seria mais demorado e mais burocracia. Explicamos a questão do sensor, ela viu que estava tudo em ordem, fez as contas de quantas milhas a mais havíamos percorrido, pagamos e tudo certo. Fim da nossa 1ª e ótima experiência com RV nos EUA.

Felizmente, toda nossa bagagem coube na Town & Country alugada. Saímos dali e fomos a um shopping bem pertinho tomar café da manhã/almoçar.

Como nosso vôo era somente à noite, fomos até Napa Valley passear. Sem direito a visitar vinícolas nem degustação. Cidade lindinha...boa opção para morar...ficamos assistindo a aula de educação física de uma high school e imaginando as crianças lá...

Como o engarrafamento é grande, voltamos, pois queríamos jantar, já que a AA não oferece nem amendoim! Nos despedimos do Red Lobster e fomos para o aeroporto. Chegamos no horário e fazer (na maquininha) o check-in dos 5 em todos os 3 trechos foi demorado!

Na hora de passar no raio x para o embarque, o fiscal implicou com a mochila do André. Ele abriu tudo, bolso por bolso. Perguntei o que tinha aparecido e ele disse que era uma bateria. Realmente tinha uma bateria, mas nunca imaginávamos que poderia dar problema. O policial disse que pode ser usada para detonar bomba...pelo que eles passaram, estão certos em ser tão minuciosos assim!

O olho do Filippo não apresentava melhora...bem pelo contrário! Ele viajou o tempo todo de óculos escuros.

Já que o voo interno da AA era ruim e era voo noturno, aproveitamos para dormir. Chegando em Miami, tudo tranquilo na conexão do vôo para Guarulhos pela Tam. Voo lotado e André ficou com os 3 e eu sozinha.

Chegando em GRU, já começa a DPV (depressão pós-viagem). Fila enorme na imigração, free shop entupido...

Comemos e logo embarcamos (ônibusinho) para pegar o voo de volta para Curitiba. Esse atrasou um pouco e chegamos quase 2am em casa!

Resumo - os números da viagem

2,138.40 milhas percorridas (3.442,83km)
14 Nights
$686.00
1400 Miles
$476.00
Subtotal
$1162.00
State Tax
$110.39
Security Deposit
$500.00
Pmt/Cr
- $300.00
Total miles included
with rental: 1400 miles
h_divider
Total Charge
$1.472,39
Extras:
U$707,00 em gasolina
Média de U$2,41/galão
U$138,00 em milhagem extra
U$30,00 em propano

Aplicativos e sites úteis

  1. KOA Campgrounds
Essa rede de campings tem parceria (e desconto) com a Cruise America.  Esse app é fácil de usar e dá para pesquisar onde é o camping mais próximo, saber preços, tipos de vagas, estrutura do camping e etc. Vale sempre ligar antes de ir no camping e encontrá-lo fechado como aconteceu conosco.

  1. Sanidumps
A partir de onde você está, mostra onde dá para esgotar/abastecer.

  1. GPS, Google Maps, Waze
Tínhamos GPS (próprio), então usávamos o celular apenas para pesquisas e navegação. Em algumas situações, onde o engarrafamento era grande, colocava a rota no Google Maps ou Waze e seguíamos por eles, mas, em 2 ocasiões, fez uma volta enorme e voltou ao mesmo percurso do GPS.



Para ver as lojas que permitem overnight (pernoite) e, principalmente, as que NÃO permitem RV Overnight, aquiMostra no mapinha onde pode estacionar durante a noite (sempre confirme com o gerente no caso do Walmart).

RV Parking.com: esse app mostra todos os campings, de todas as redes na região que você quer.

Chip de celular

Comprei, ainda no Brasil, chip da Travel Mobile PTEL, plano de 5GB.   

No entanto, pouco antes do dia do embarque, fui avisada que a PTEL havia rompido o acordo com a Travel Mobile. O Rogério, representante dessa empresa, me mandou outro chip por Sedex (chegou 1 dia antes do embarque), só que da operadora Red Pocket (mesmo sendo mais caro o valor).  

Ele estava sempre disponível para ajudar e esclarecer dúvidas, pois não foi de primeira que a configuração deu certo. 

Qualidade de sinal e velocidade foram muito satisfatórias.

Compramos 2 chips, mas principalmente eu, usei sem moderação. Pesquisar nos apps, sites, mapas, dicas, whatsapp, fotos.

Realmente não é uma comodidade barata, mas infelizmente é essencial. O chip custou US$25, e o plano US$30 + o frete (U$3.50)!



Para saber sobre a nossa experiência de viajar de motorhome pelos EUA e Canadá, veja estes vídeos:






As nossas postagens sobre viagens de motorhome estão todas organizadas aqui.

Veja fotografias da nossa viagem de motorhome pelos EUA no Instagram, nas hashtags #Lipenamotorhometrip ou #felipeopequenoviajante.

Você também fez uma viagem de motorhome? Mande seu relato para publicarmos!


Não esqueça de curtir a fan page no Facebook para acompanhar as nossas aventuras! 

Assista todos os nossos minifilmes neste link do Facebook, e os vídeos você assiste no YouTube ou no Vimeo - aproveite e já se inscreva lá nos nossos canais!

Você também nos encontra aqui:

2 comentários:

  1. Q ue maravilha!
    Mais uma experiencia compartilhada na série "motorhome".
    As "Marias" estão arrazando nos comentários>
    Parabéns pelo Blog e pelas experiencias reproduzidas na integra. Isso incentiva muito àqueles que pretendem realizar essa "aventura".
    Ademar

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...