9 de novembro de 2014

como é se hospedar em uma casa-barco em Amsterdam, pela Katiane Porpino

Eu vibrei com a viagem da Katiane Porpino & flia., também conhecida como A Malinha da Gio, desde o começo. Quando ela contou que iria para a Noruega, eu já comecei a acompanhar os preparativos, porque esse país está no topo da minha lista de desejos. 

Aí, um belo dia, ela veio de perguntar o que eu achava dela se hospedar com a família numa HouseBoat, as típicas Casas Barco de Amsterdam, na passagem deles pela Holanda

Ora, o que poderia eu dizer??? Já estive 4 vezes em Amsterdam (sozinha, com uma amiga, com a minha mãe e com o Lipe e o Peg), e em cada uma delas babei pelas HouseBoats que via lá, e ficava só sonhando como seria me hospedar numa delas. Como o nosso orçamento sempre é low, low, nunca sequer cogitei, mas quando a Katiane me falou desta possibilidade para a família dela, claro que dei toda a força do mundo (quase um empurrão!), e fiquei morrendo de inveja branca. 

Óbvio que já coagi ela a contar tudo pra gente quando voltasse, e a Katiane, querida que é, cumpriu a promessa hoje:

Minha busca por uma hospedagem em Amsterdam começou 4 meses antes da viagem, e com 20 minutos pesquisando já bateu um desespero, tudo muito caro! 

Eu não conseguia achar nada bom, bonito e barato; ou pelo menos com um preço justo. Os que me indicavam, ou estavam lotados, ou não tinham uma localização muito boa.

Bom, e essa questão da localização, nessa EuroTrip, era essencial, já que estávamos em um grupo de 5 pessoas com faixas etárias bem diferentes: eu, meus pais (média de 60 anos), meu marido e minha filha Giovana (6 anos). 

Buscávamos um local próximo das atrações turísticas que iríamos visitar, para facilitar o deslocamento, a logística e o tempo.

O bairro Jordaan foi o escolhido, e minha busca por hospedagem foi ficando cada vez mais restrita e difícil. Era um tal de abre o site Booking, fecha o site, abre o site, fecha o site....durante dias, e nada...

Até que apareceu na tela: HouseBoat Prince Willian & HouseBoat Prince Arthur, com uma nota de 9,3 no Booking e um valor de 1.000 euros por 3 dias

A conta veio fácil: 66 euros por pessoa/dia. Não, não é barato, mas os hotéis disponíveis que se encaixavam no que eu queria (localização) estavam mais caros do que isso.


Mas aí, veio a enxurrada de dúvidas. Casa Barco?? Será que balança? Será que é seguro?

Em uma rápida pesquisa no “tio Google”, eu achei poucas referências de famílias com crianças pequenas que já tinham vivido essa experiência. Voltei nas avaliações do Booking e todas falavam muito bem da HouseBoat! Mas todas as avaliações eram estrangeiras. Nenhuma brasileira.

Chamei o marido, mostrei as fotos e ele disse: pode reservar!!

Ainda com receio, entrei em contato com a Claudia Rodrigues (essa aqui mesmo do blog, rsrss...) e perguntei o que ela achava. Resposta: - Eu acho o máximo!!!!

Pronto, reservei! Hehehe...

Agora ´bora para os detalhes práticos:

1. A reserva foi feita pelo Booking

2. O proprietário, que se chama Paul, possui 2 casas barco – a Prince William (cabem até 6 pessoas) e a Prince Arthur (cabem até 8 pessoas). Ficamos com a Prince William e portanto, todas as dicas e avaliações serão apenas referentes a ela;

3. Com a reserva feita, você recebe um e-mail do proprietário confirmando a reserva e orientando sobre o processo de check-in (detalhe: verifique se o e-mail chegou na caixa do lixo eletrônico). 

4. Tudo é muito organizado e todas as primeiras dúvidas são esclarecidas por e-mail.

5. O pagamento é feito na hora do check-in e APENAS em espécie. Uma taxa de 60 euros é cobrada, referente à taxa de manutenção, ou algo assim. 

Chegamos em Amsterdam, de carro, às 15 horas e, como combinado, ligamos para o Paul (via Skype), que foi levar as chaves e apresentar a nossa Casa Barco.

Ele mal foi abrindo a porta e todo mundo já queria entrar:


Tem um certo ditado que diz: “A primeira impressão é a que fica” hehehe...

Pois é, nesse caso, a primeira impressão não só ficou como cravou raízes (sou do tipo exagerada mesmo); e não demorou muito tempo para eu me dar conta que todo o roteiro que eu tinha bolado para Amsterdam iria por água abaixo, afinal de contas seria bem difícil a gente querer sair da nossa moradia.


O Paul, com toda a sua paciência e simpatia, foi explicando cada detalhe da casa, mostrando como tudo funciona, o que a casa oferece, como recolher o lixo, onde deixar, explicou sobre o sistema de água, mostrou toda a cozinha e seus itens, mostrou roupa de cama e banho, e ainda explicou sobre o turismo na cidade, dando dicas e mais dicas. Deu para notar, de cara, que o Paul, além de muito simpático, é altamente organizado e perfeccionista. 



Tudo é muito simples e muito prático. O único detalhe é NUNCA jogar papel ou qualquer outra coisa dentro do vaso sanitário para não danificar o sistema hidráulico da casa. 

Como todas as orientações são em inglês, você precisa ter um nível além do básico, para conseguir se comunicar e entender tudo o que é explicado. Separe uns 45 minutos de conversa e pergunte logo tudo o que você deseja saber. Depois peça para bater uma foto com o anfitrião e está tudo resolvido. 


Como uma forma de agradar o cliente, ou já prevendo que iríamos querer comemorar a nossa escolha, você ainda é recebido na Casa Barco com um garrafa de vinho, 5 latas de cerveja na geladeira, uma cafeteira (já com vários refis de café disponíveis), guias sobre Amsterdam, vários livrinhos com cupons de desconto, uma pasta com várias dicas pessoais da cidade, e cookies para os patos. 

Isso mesmo, cookies para os patos. Nessa hora eu achei que meu inglês estava muito ruim, mas depois eu entendi o porquê dos cookies...



A nossa cafeteira de todos os dias:


E olha aí o porquê dos cookies para os patos...hehehehe...a Giovana amou!!




Algumas fotos da Casa Barco, e como ela é dividida: 

Lado esquerdo - sala, cozinha e 2 sofás-cama:




Lado direito - lavabo, uma suíte com 2 camas de casal e um banheiro:





Eu comentei que priorizei a localização na hora de escolher a hospedagem, né?

Eu particularmente acho que isso influenciou muito no sucesso da Casa Barco. Ela fica em um bairro bem charmoso de Amsterdam (o Jordaan), bem próxima de um Albert Heijn (supermercado mais famoso da cidade), perto de vários restaurantes, e é possível ir andando até a estação central. 

Nós vimos várias Casas Barco em outros bairros, em estado decadente, sujas, mal cuidadas e abandonadas. Então muito cuidado na hora de escolher. Procure sempre em sites qualificados e leia bem as avaliações. 

Com tudo próximo, nossa primeira providência foi abastecer a geladeira. E só precisamos de 5 minutos de caminhada para chegar ao Albert Heijn mais próximo! 


Como a casa já oferece todos os materiais de limpeza, você só precisa comprar o que vai realmente comer. 


E beber...


Olha a cozinha bem equipada:




O banheiro da suíte:


Como não poderia faltar, a Casa Barco ainda oferece Wi-fi gratuita e boa! A senha é informada no check-in

Um ponto importante: fomos no outono, e o clima estava bem friozinho, então não precisamos usar ventilador e nem ar-condicionado. Mas se precisasse eu não achei disponível na casa. Não sei dizer como seria no verão...

Outro ponto negativo, na minha opinião, é que o único chuveiro fica apenas na Suíte, e achei a parede dele um pouco transparente. Se você está viajando em família, isso não será um problemão, mas se você quer dividir a hospedagem com outra família de amigos, aconselho ponderar bem o seu nível de intimidade com os amigos para não criar um clima “desagradável”...

Posso afirmar que a nossa experiência de ficarmos hospedados em uma HouseBoat foi o ponto alto da nossa EuroTrip. Nós amamos!!! É uma ótima opção para ficar com crianças pequenas e bebês!


Só falta agora eu responder a famosa pergunta que até eu tinha tanta dúvida: ela balança??

Nãaoo! Huhhuuhuhuhu...você até pode sentir um leve balançado quando algum barco de médio porte passa no canal, mas nada que incomode ou que te deixe enjoado. E posso dizer isso por experiência própria, porque 2 dias antes eu quase morri de vomitar em um cruzeiro que tínhamos feito de Oslo até a Alemanha, mas isso aí já é assunto para outro post hehehe...
___________________________________________

E aí, já ficou babando para se hospedar na HouseBoat da Katiane???

Eu fiquei! E fiquei também com a séria impressão de que, sempre que alguém está precisando de um empurrãozinho para cometer uma maluquice realizar um sonho, me perguntam o que eu acho, hahahahahaha... #adorei

E o mais legal de tudo é passar uns dias na cidade vivendo como vivem os locais, aprender até que não se pode colocar o papel no vaso...tudo parte de uma experiência que certamente vocês nunca esquecerão, muiiiiiito diferente da que teriam tido em mais um quarto de hotel, não é???

Obrigada, Katiane!!! Teu relato foi incrível e certamente deixará muita gente com água na boca! Melhor programar um dia a mais no roteiro da Holanda, só pra ficar curtindo a hospedagem mesmo, hehehehe...

Volte sempre, a casa é sua!

Para ver mais fotos da viagem da família da Katiane, dê uma espiada na hashtag #AMalinhaDaGio no Instagram


Para saber mais sobre a HouseBoat que a Katiane recomenda, clique aqui

Quer mais dicas de Amsterdam? Veja na nossa seção sobre a Holanda

Você também já esteve em Amsterdam? Por favor, deixe suas dicas na nossa caixa de comentários!

Você também nos encontra aqui:



3 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...