13 de fevereiro de 2014

Flagstaff, Arizona e arredores: roteiro, passeios, compras, hospedagem, restaurante, perrengue e a famosa Rota 66

Nos últimos posts, eu contei sobre a nossa visita ao Grand Canyon (sen-sa-cio-nal!), veja aqui:



Depois de assistirmos ao filme IMAX em Tusayan, sobre o Grand Canyon, seguimos para o sul pela estrada #64, até Valle, microcidade, onde paramos na intercessão das estradas #180 e 64, para ver 2 grandes atrações kkkkk: uma loja de souvenirs da Rota 66 com vários carros da época áurea da Mother Road, e Bedrock, a cidade dos Flintstones



Sim, a cidade do Fred Flintstone e do Barney Rubble fica aqui!!!

Trata-se de um camping que imita fielmente as construções do desenho animado, com as casas dos personagens, os carros e lojinha que vende camisetas e souvenirs




Também tem um restaurante onde você pode comer um Bronto burger, um Dino dog ou um Chickasaurus!





A lojinha de souvenirs de Valle, além dos carros de época em exposição, que os meninos adoram, também é um ótimo lugar para fazer umas comprinhas - eles vendem toda a tralha relativa à Route 66, de xícaras e placas a botas e cabeças de alce estufadas!







Depois, pegamos a estrada #180 e continuamos para Flagstaff pela rota cênica que atravessa a Coconino National Forest e os San Francisco Peaks

Tinha muita neve no caminho e até uma estação de esqui, a Arizona Snow Bowl

Aqui fica o pico mais alto do Arizona, que é um estado famoso pelos seus desertos, e não por suas montanhas, então foi bem legal essa travessia pela San Francisco Peaks Scenic Road.









Rota 66:

E, falando em Rota 66, se você tem vontade de andar por um trechinho da famosa "Estrada Mãe", como ela é chamada lá, talvez essa seja uma boa oportunidade. 

A Route 66 cruza Flagstaff e região, e dá para se hospedar num hotelzinho na própria beira da estrada!







Hospedagem:

Em Flagstaff ficamos no KOA Kampground, num prolongamento da Rota 66 (U$ 33 com água e eletricidade, além de wifi meia boca e pracinha congelada - banheiro ok, nada demais).








Target:

Fomos no Target fazer umas comprinhas, pois já estávamos entrando em crise de abstinência - foi um recorde: 7 dias nos EUA sem entrar num Target!

Para quem não sabe, o Target é um hipermercado imenso que vende de tudo, a preços maravilhosos! Nós achamos bem melhor que o Walmart, porque esse segundo é mais "baratão", enquanto que o primeiro tem mais produtos de qualidade.

Coisas que nós gostamos de comprar no Target, além de comida, claro: na seção de farmácia, DHEA, ômega 3 e potes de aspirina 325mg ou de Tylenol 500mg; no setor de beleza, produtos Neutrogena, BBcreams, shower gel, shampoos, desodorantes e maquiagem (tudo com preços tipo menos da metade que no Brasil); na parte de brinquedos, muitos Legos, Imaginext, Fisher-Price; no setor de roupas femininas, também tem uma linha maternity para grávidas que eu adoro - são roupas "normais" para grávidas, e não aquelas coisas típicas de gravidez, que deixam a gente toda estronxa (isso significa "parecendo uma trouxa"). 



Mas os meus setores preferidos são os de roupas de cama e banho (compro sempre toalhas, lençóis, edredons lindos lá, e até tapetes e almofadas!), e de produtos para bebês (enxoval completo!) e roupas para crianças. Aliás, prefiro 1000 vezes comprar roupas para o Lipe no Target do que nos outlets!

A Carter's sempre tem grandes "clearances" (liquidações), que eu adoro, no Target - é de sair com o carrinho cheio de compras, nenhuma peça por mais de U$ 20, inclusive jaquetas!


Restaurante - IHOP:

Jantamos no IHOP, um desses restaurantes de cadeia que vale a pena experimentar nos EUA, especialmente quem viaja com crianças, porque a comida é bbb e o menu kids é ótimo. 

Comi um crepe e o Peg comeu um Philly cheesesteak com onion rings que estavam de babar - não estando com muita fome, dá até para dividir, porque as porções são enormes e, se sobrar, peça para eles empacotarem para você levar - nos EUA, isso de levar o que sobra da comida do restaurante para casa é suuuuuper comum, ninguém estranha!





Perrengues:

Dia seguinte:

Numa viagem de motorhome, há muito pouco glamour, ainda mais para gente inexperiente como nós...começamos o dia hoje fervendo água para tentar descongelar a mangueira que alimenta o motorhome com água, pois esquecemos que, a -10°C, tinha que tirar ela da torneira para não congelar!!!!





Pior: passamos a noite inteira bem abraçados os 3 para espantar o frio porque tivemos um problema com o gás e o aquecimento não funcionou! Daí, hoje de manhã, um vizinho de camping simpático só moveu uma palanquinha e seguiu funcionando :-( dãããã...

Foi um dia cheio de atividades.


Walnut Canyon National Monument: 

Foi nossa primeira parada. É um canyon lindo, com muita neve e buracos nas rochas, onde foram feitas pequenas cavernas e lá moravam os Sinaguas há muitos séculos.

É acessível para carrinho, tem filminho explicativo no Visitor Center, banheiros, custa U$ 5 por pessoa, menor de 16 anos não paga, circuito de pouco mais de 1Km até o melhor mirante.

Como chegar: 11 milhas a sudeste de Flagstaff, saindo da estrada I-40 pela exit (saída) 204.








Sunset Crater Volcano National Monument: 

U$ 5 por pessoa, criança não paga, entrada válida também para Wupatki National Monument. É um vulcão que entrou em erupção há muitos séculos, deixando vários campos de lava ao redor.

Mesmo com toda a neve cobrindo a lava, a paisagem estava incrível, parecendo um sorvete de flocos!!! Existem várias trilhas, mas a mais interessante para fazer com criança, inclusive acessível para carrinho, é uma de 400m até um mirante, que se chama Lava Flow Trail e atravessa o Bonito Lava Flow.









De lá, é possível seguir por uma loop road de 56Km até Wupatki, mas nós achamos melhor voltar para dar uma volta pelo centro histórico de Flagstaff, com seus prédios de tijolinho à vista, e depois seguir para Sedona, pela estrada #89A.

Como chegar: para ir até Sunset Crater Volcano, saindo de Flagstaff, é só seguir para o norte pela estrada #89, por 12 milhas.

O dia abriu e o céu tá lindo e azul, com sol e muita neve. É o dia mais frio até agora, a -7°C.








A gasolina mais barata que colocamos foi em Las Vegas a U$ 3,12 o galão e a mais cara, por enquanto, foi U$ 3,48, na Nação Navajo - até nisso os índios ganham!

O gás custou U$ 4,75 por galão, e para completar colocamos 6 galões ontem, que duram em média 5 dias.

Você já esteve em Flagstaff? Deixe as suas dicas aqui!


Nossa próxima parada será em SedonaArizona, fique por aí!!






Veja mais fotografias desta viagem no Instagram @claudiarodriguespegoraro em #Lipenamotorhometrip ou em #felipeopequenoviajante.

No Twitter, procure por @pequenoviajante. Não esqueça também de curtir a fan page do Felipe, o pequeno viajante no Facebook para acompanhar as nossas aventuras!

Assista todos os minifilmes desta nossa aventura de motorhome pelos EUA no Facebook (aqui). Os filminhos maiores você assiste no YouTube (aqui).

Para ler mais, todas as nossas postagens sobre viagens de motorhome estão organizadas aqui

Você também nos encontra aqui:



3 comentários:

  1. Não sei se tiveram essa percepção, mas eu li um blog (não vou lembrar mais o endereço) de uns viajantes brasileiros que fizeram a Rota 66 todinha. Eles disseram que, em muitas paradas, quando perguntavam sobre a história da estrada e tal, muita gente não sabia nada e nem entendiam porque turista tinha tanto interesse em apenas uma rodovia. Esses blogueiros deram a entender, no relato, que, para os americanos, é somente uma rodovia comum.

    A propósito, fui eu o anônimo que comentou sobre a pantufa vermelha, hehe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk gostasse da minha pantufa, né?!?
      Olha, o que a gente notou foi que eles sabem tirar muito proveito do turismo em torno da Rota 66! Ao longo de todo o trecho que nós percorremos haviam inúmeras placas indicando a Route 66, motéis de beira de estrada com propaganda da rota, lojinhas de souvenirs, enfim...uma exploração sem fim em torno da fama da Mother Road!

      Excluir
  2. Oi Claudia. agora em Dezembro vou com minha família (esposa e duas meninas) fazer 30 dias de motorhome pela região de Vegas e Califórnia. Estou um pouco preocupado com a neve e o frio. Me ajuda com umas dúvidas? 1 - Correntes. existem estradas na Califórnia onde o uso de correntes pode ser obrigatório. Vi que vcs viajaram de Cruiseamerica que por contrato não permite o uso de correntes... Usaram? precisou? onde conseguiram?
    2 - Congelamento - Dizem que o frio pode congelar a água e o esgoto dentro do RV e causar danos à tubulação, tanto que em lugares muito frios o RV é entregue "winterized" sem água e não se pode usar pias nem chuveiro... Foi tranquilo?
    valeu pela ajuda e parabéns pelo site excelente!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...