11 de julho de 2011

nos apaixonamos pela comida indiana...foi a Índia que mudou ou fomos nós?!?

Em 2004 nós passamos pouco mais de um mês na Índia e o Peg emagreceu 7 quilos.

Até eu, que engordo só de sentir cheiro de comida, consegui emagrecer – um recorde!

O problema era a pimenta. Pimenta é como sal para os indianos, não existe comida sem. A gente pedia “no spice, pleeeeeeeeeeeease”, explicava que tava mal do estômago, e eles nos garantiam “this food not spice mrs” – quando a comida chegava na mesa, a gente provava, esperava aqueles 10 segundos iniciais até ela se manifestar e ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhh, a boca fervia! Sempre, sempre.


A gente reclamava “mas eu pedi sem pimenta!” e eles nos olhavam com a cara mais inocente do mundo e diziam “mas aí nem tem pimenta!” Dava vontade de matar! Aquelas comidas lindas, a gente olhava e aqueles molhos e curry pareciam superapetitosos, e pagávamos a conta e íamos embora do restaurante morrendo de fome, uma tristeza.



Lembro que no sul da Índia, depois de pedir um thali que exalava cheiro de pimenta só de olhar para ele (as pessoas exalam cheiro de pimenta aqui), acabamos encontrando um chocolate kitkat que foi a nossa salvação, para não irmos dormir mortos de fome!




Num trem, loucos para encontrar uma comida sem pimenta, olhamos para fora na plataforma de uma estação e vimos um cara vendendo goiabas. Pensei: “bah, é a nossa salvação, vamos comer goiabas!” Quando fomos comprar as malditas goiabas, me descuidei procurando o dinheiro na bolsa e, quando vi, o maluco do indiano tinha cortado as goiabas ao meio e tacado...PIMENTA! Inacreditável, eles colocam pimenta até nas goiabas!!!!!!!!!



Quando encontramos um MacDonald’s, em Jaipur (na época os MacDonald’s eram raros ainda por aqui), pensamos que tínhamos encontrado a nossa salvação – pedi o MacMaharaja e achei que ia, enfim, matar a fome. Que nada, o MacDonald’s, como eu já sabia, se adapta ao gosto local e na Índia, além de não vender carne bovina (aqui não tem Big Mac), eles carregam na pimenta em TODOS os lanches.



Noutra ocasião, acabamos pedindo comida mexicana, burritos e tal, porque era a única que dava para engolir (e todo mundo sabe que a comida mexicana é carregada na pimenta).


Em determinado momento da viagem, descobrimos que os spring rolls chineses (rolinhos primavera), que estão presentes em todos os cardápios indianos, vinham com uma pimenta moderada, e dali para frente comemos spring rolls no café da manhã, almoço e janta até o final da viagem.


Enfim, a lembrança que ficamos daquela viagem, relativamente à comida, foi péssima, porque a nossa tolerância à pimenta é a de um brasileiro médio (e garanto que a pimenta baiana não é de nada comparada à indiana), gostamos de comida bem temperada, mas a pimenta indiana deixa a boca e a garganta fervendo, e não há o que faça passar aquele calorão, a gente fica suando e com a boca fervendo uma boa meia hora depois de comer...





É engraçado de ver que até as criancinhas comem tudo apimentado, esses dias ofereceram um salgadinho pro Felipe no trem e ele fazia “ah, ah, ah” mostrando a língua – eu fui provar e o tal salgadinho era pimenta pura!

Bom, isso tudo para contar a nossa experiência de 7 anos atrás. Pois tenho a dizer que a Índia mudou. Claro que nós também mudamos. Desta vez, viajando com o Lipe, a gente se hospeda em hotéis bem melhores (lembro que na outra viagem à Índia o hotel mais caro que ficamos custou U$10 o quarto de casal, e ficamos em várias espeluncas de U$ 2 ou 3), come em restaurantes mais bem escolhidos, viaja em trens com ar condicionado, etc. Mas a nossa tolerância à pimenta certamente não aumentou. Foram os indianos que finalmente começaram a entender o que “sem pimenta” significa.



Da outra vez, muitos cardápios vinham só em hindi, e a gente fazia o pedido apontando com o dedo, rezando que viesse algo comível (às vezes vinham cebolas cruas). Agora, praticamente todos os restaurantes têm cardápios em inglês.


Às vezes a gente ainda se dá mal, e o prato principal vem apimentadíssimo (a primeira garfada é sempre uma incógnita, um de nós prova e o outro fica só esperando a reação, na expectativa, hahahaha), mas agora a gente pede sempre pelo menos uns 3 pratos diferentes, que daí alguma coisa sempre se aproveita, até por causa do pequeno viajante, sem contar que é tudo muito barato – dificilmente uma refeição para nós 3 em restaurante, com bebidas, ultrapassa U$ 20, e a média fica em torno de U$ 10.


Para o Felipe, sempre dá para pedir um vegetable fried rice, ovos cozidos, batatas fritas, galinha, purê de batatas, e também tem gente vendendo mangas e bananas em todas as esquinas. Leite em pó e de caixinha da Nestle eu encontrei no supermercado (assim como fraldas Pampers e Huggies, lencinhos perfumados, sabonete e xampu Johnson’s), mas frutinhas e papinhas prontas não achei nem na Índia nem no Nepal!



Resumindo: nesta viagem, descobrimos o gosto da comida indiana (porque da outra vez, com tanta pimenta, a gente nem conseguia sentir o gosto do molho), e nos apaixonamos! É tudo muito gostoso, os molhos são maravilhosos, cheios de sabores...não é à toa que a comida/os restaurantes indianos existem e são famosos no mundo inteiro.



Descobrimos os pães indianos, roti e nan, especialmente, que são uma gostosura. Um nan com alho ou manteiga é uma coisa dos deuses, e em razão deles já ganhei vários quilos. (Re)Descobrimos o malai kofta, do qual tínhamos péssimas lembranças, e desta vez conseguimos comer em vários restaurantes sem pimenta – e comemos nos babando. A galinha ou cordeiro com molho korma sempre são uma delícia também, mas mesmo sendo uma carnívora assumida, tenho que confessar que as comidas vegetarianas são as melhores. Aliás, sendo a maioria dos hindus vegetarianos, a Índia é um verdadeiro paraíso para os vegetarianos. Além disso, nos restaurantes voltados para os turistas, sempre tem comida chinesa ou tailandesa ou “continental”, ou italiana, além da comida indiana. Ah, e não dá para esquecer os lassis, que são iogurtes que eles batem com manga ou banana – uma delícia! E os chás gelados adoçados com mel, a cerveja Kingfisher, a lista é interminável, outro dia vou fazer um post só sobre a culinária indiana...


Na outra viagem, eu tive infecção intestinal primeiro e o Peg uns dias depois, e isso que não tomava lassis, não bebia nada com gelo, cuidava bem para que as águas minerais que a gente comprava estivessem bem lacradas (eles gostam muito de colocar água da torneira nas garrafas e vender por água mineral – verifique bem o lacre!) e, desta vez, ainda não adoecemos, nem o Lipe, viva (mas não vou cantar vitória antes do jogo terminar)!!


Outra mudança enorme que nós notamos (além do metrô de Délhi, um luxo!) foi a presença de vários mercadinhos e mercadões, lugares onde comprar comida, tipo supermercados. Na outra viagem, a opção eram restaurantes ou feiras de rua, e a gente dificilmente encontrava salgadinhos, bolachinhas recheadas, chocolates, esse tipo de coisas, para comprar. Desta vez, fomos até num supermercado em Agra – inacreditável. Tá certo que é um super indiano, os grãos ficam todos em sacos (nos contaram que as tentativas de abrir supermercados de estilo europeu na Índia não deram certo, daí eles tiveram que se adaptar ao estilo indiano), mas é um supermercado! Na Índia!! Na outra viagem a gente perguntava onde os indianos faziam ranchos, e as pessoas nos explicavam que eles não têm o costume de estocar comida, até porque a maioria não tem geladeira em casa, então eles compram em feiras só aquilo que precisam para cozinhar naquele dia – ninguém faz rancho...


Mas não posso deixar de registrar – para aqueles mais fracos de coração e de estômago se prepararem psicologicamente – que ainda é a Índia, mesmo com toda a evolução por nós percebida. Numa “padaria”, por exemplo, ninguém usa luvas para pegar os pães/biscoitos, e quando a gente vê aquelas unhas podres colocando o nosso pãozinho no saco dá um nojo...nos restaurantes também não é raro encontrar baratinhas subindo e descendo pelas paredes, e os ratos corretiando por baixo das mesas também são muito comuns (eu estou falando sério, e não estou exagerando, acreditem!).

Outra coisa: recomendo a comida vegetariana mesmo, e você vai entender porque quando conhecer um açougue indiano – eu não fotografei nenhum porque é nojento demais – eles simplesmente não refrigeram a carne! Matam o bicho ali mesmo, fica a sangueira escorrendo por ali, penduram os pedaços de carne no meio da sujeira, o mosqueiro na volta, bicando os cortes de carne...uma coisa fe-no-me-nal!

Bem, espero que essas últimas linhas não desestimulem ninguém de vir para a Índia. É um lugar muito irritante, às vezes, a burocracia mata a pau, os indianos podem ser insuportáveis a ponto de a gente querer sacudi-los, enfim, muitos poréns, mas é a Índia, A MAIOR DE TODAS AS VIAGENS, sem nenhuma dúvida! Não existe lugar igual no mundo. E a maior prova de que, com espírito esportivo, paciência e vontade de conhecer uma nova cultura, é possível se apaixonar por esse país é que, mesmo já sabendo do caos que era isso aqui, resolvemos voltar por mais 20 dias com o nosso bebê amado! Basta que você esteja preparado...



6 comentários:

  1. Se eu sonhar q vcs andam enfiando batatas fritas no pequeno viajante dia sim e outro tb eu sou capaz de super até minha fobia a ratos p/ ir até ai buscar ele!!!!
    Olha o colesterol do gordinho hein!!!! bjos Anália

    ResponderExcluir
  2. Morri de rir do texto descrevendo as comidas, apimentadas... haha, Eu não faria esse roteiro de jeito nenhum... essa bóia não é do meu agrado e nem a limpeza dos locais... kkkk
    Não estão com saudade "das casa" como se diz lá fora???? Bj

    ResponderExcluir
  3. A anônima acima sou eu, Marion... não consegui me identificar, dava erro e acabei colocando anonimo sem me identificar ao final... desculpas

    ResponderExcluir
  4. Viajar é a melhor maneira de aprender,a bagagem de vida que vcs estão adquirindo e deixando na memória do Lipe é fantástica.Parabéns pela forma simples e direta de escrever,adorei!Bjs,Lucia.

    ResponderExcluir
  5. hahahahaha....muito boa essa experiencia de voces,adorei....estou passando pelo mesmo em Londres...só tem indiano nesse lugar e a comida realmente solta fogo ......o povo solta odor de pimenta....incrivel !!!...gostei do blog...parabens !!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...