1 de maio de 2010

o melhor da festa é esperar por ela!!

Embarcamos para a Colômbia na semana que vem, e os preparativos já começaram. 

No final, fizemos só uma reserva de hotel em Bogotá, que é onde vamos chegar, e o resto vamos vendo pelo caminho...estamos meio apavorados com o Felipe: ultimamente parece que o guri criou asas, que tá com o diabo no corpo!!!!!!!!! 

Se nós sobrevivermos a esta viagem, juro que estaremos prontos pra qualquer coisa...

Optamos por não fazer mais reservas porque assim temos mais flexibilidade, se ele não estiver muito bem, podemos ficar um dia a mais aqui ou ali. Cheguei a pensar em alugar um carro, porque é muito mais prático, podemos parar em qualquer lugar, a qualquer hora - não consigo nem imaginar passar horas a fio com o diabinho num ônibus ou numa buseta colombiana - mas, por razões de segurança, desistimos: todo mundo garante que o meio mais seguro de se viajar pela Colômbia é mesmo o transporte coletivo, por causa das FARCs, das Forças Armadas e dos paramilitares (onde fui me meter!?!?!).

Sempre é bom levar dólares, para quando o cartão de crédito resolve dar problema; a permissão internacional para dirigir também é útil, porque a gente acaba sempre alugando uma motoca, um jeep, ainda mais que vamos para San Andrés, que é uma ilha, perfeita pra gente passear por conta própria; passaporte e e-tickets; sempre levo a carteirinha de mergulhadora de um curso que fiz anos atrás, porque facilita na hora de alugar equipamentos de mergulho, contratar esse tipo de serviços e tal...

O guia da Colômbia foi a minha amiga Mariana quem me emprestou. 

Adoro esses guias da Lonely Planet, são de longe os melhores para viagens baratas, junto com os da Let's Go.


Para esta viagem, o Felipe teve que fazer a vacina da febre amarela, que tem de ser feita sempre 10 dias antes do embarque, para que a criança fique imunizada. Na hora da aplicação, a enfermeira avisou que o único efeito colateral poderia ser uma sonolência, que nós aguardamos ansiosos e nunca chegou...o Felipe parece que tem o corpo fechado, costumamos brincar que nem vacina "pega" nele!!

Nós já havíamos feito esta vacina em 2004, quando fomos para a Índia, e eu não tive qualquer efeito colateral, mas o Peg passou dois dias de cama, morrendo de dor "nas juntas", que é o efeito esperado em adultos. Antes de qualquer viagem, verifique sempre que vacinas são necessárias para se obter o visto de entrada no país para onde você vai, para que o passeio não morra no aeroporto!


Na volta, eu conto como foi - com certeza não será tão fácil como as viagens que fizemos de carro com o Felipe pelo Brasil, Uruguai, Paraguai e Argentina, nem tão tranquilo como a viagem que fizemos aos EUA e Canadá quando o Lipinho tinha 3 meses, mas acho que também não vou me arrepender, até porque é ou levar o Felipe ou ficar em casa - a opção de deixá-lo simplesmente não existe: não consigo nem pensar em ficar 15 dias longe do gordinho, não conseguiria nem aproveitar a viagem.

Fizemos um pacto de no stress e seja o que os deuses das viagens quiserem!!!

Um comentário:

  1. Oi Claudia,
    Acabei de descobrir vcs e gostei de saber que são "dos nossos": daqueles que não param de viajar por nada e que ja querem transmitir isso ao seu filho! Adorei! Tô faznedo um link la para vcs!
    Bjs e boa viagem! Conte-nos tudo na volta!
    Sut-Mie

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...